Home » Capa, Mundo Cristão

Apóstolos: confira lista dos 10 líderes cristãos mais influentes que foram consagrados ao apostolado no Brasil

Profile photo of Tiago Chagas Publicado por Tiago Chagas em 22 de novembro de 2011

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Apóstolos: confira lista dos 10 líderes cristãos mais influentes que foram consagrados ao apostolado no Brasil

Com a ascensão do neopentecostalismo, uma característica que a igreja evangélica brasileira adotou foi a consagração de grandes líderes a apóstolos, e cada um deles possui uma “visão” diferenciada para seus ministérios. Embora igrejas protestantes mais tradicionais não abracem essa prática, as igrejas que mais crescem no Brasil possuem estreita relação com esses líderes.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Confira uma lista com os dez apóstolos mais famosos do Brasil e fatos marcantes ligados a seus ministérios. A lista abaixo não está ordenada por ordem de fama.

Estevam Hernandes

Fundador da Igreja Apostólica Renascer em Cristo (1986), Estevam foi gerente de marketing de empresas multinacionais antes do ministério. Casado com a Bispa Sônia Hernandes, o casal passou por várias igrejas antes de decidirem fundar a Renascer. Consagrado a Bispo em 1994, foi elevado ao patamar de Apóstolo em 1995, em uma Conferência Profética realizada no templo-sede da Renascer. Estevam coordena diversas instituições ligadas à Renascer, como a Rede Gospel e a Fundação Renascer, além de apresentar programas de TV, escrever livros, compor músicas e praticar um hobby: tocar saxofone. Em 2005, o Apóstolo Estevam Hernandes fundou a CIEAB (Confederação de Igrejas Evangélicas Apostólicas do Brasil). Outra marca importante em seu ministério foi a implantação no Brasil da Marcha para Jesus. O fato mais polêmico envolvendo Hernandes foi sua prisão nos Estados Unidos em 2007, por entrar com 56 mil dólares não declarados, escondidos em uma Bíblia.

Valdemiro Santiago

Ex- Bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, fundou a Igreja Mundial do Poder de Deus em 1998, após desavenças com o Bispo Edir Macedo. Valdemiro, antes de se desligar da IURD, era cotado como sucessor do líder da Universal. É casado com a Bispa Franciléia Oliveira, escritor, apresentador de TV, cantor e Presidente da TV Igreja Mundial. Atualmente, o Apóstolo Valdemiro Santiago é o pregador evangélico com mais horário na televisão.

Renê Terra Nova

Fundador e Presidente do Ministério Internacional da Restauração (MIR), é Apóstolo do Brasil e das Nações e Patriarca da Visão Celular no Modelo dos 12. Terra Nova era Pastor Batista na Igreja Batista Memorial em Manaus, e fundou a Primeira Igreja Batista da Restauração. É casado com a Apóstola Ana Marita Nogueira Terra Nova, e foi ungido em 2001, na mesma cerimônia que consagrou o Pastor Márcio Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha. Junto com Valnice Milhomens, é um dos responsáveis pela implantação do modelo dos 12 no Brasil, e em 2002 foi nomeado presidente da Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém para o Brasil e América do Sul. Já ungiu ao apostolado outros mil líderes e no dia de seu aniversário em 19/06/2010, foi reconhecido como Patriarca.

Márcio Valadão

Pastor da Igreja Batista da Lagoinha, fundada em 1957, foi ungido a Apóstolo na mesma cerimônia que consagrou Renê Terra Nova ao apostolado. Casado com a Pastora Renata Valadão, Márcio não usa o título de Apóstolo. É escritor, presidente da Rede Super de Televisão e membro do Conselho Apostólico Brasileiro. É pai dos principais nomes do Ministério Diante do Trono: Ana Paula Valadão, André Valadão e Mariana Valadão.

Rina

Rinaldo Luiz de Seixas Pereira foi ungido Apóstolo após fundar a “Bola de Neve Church”, em 2000. Rina era Bispo na Renascer em Cristo, e saiu para fundar a Bola de Neve. A curiosidade pelo nome da igreja levou diversas pessoas a se interessarem por conhecer a “igreja dos surfistas”. Rina é membro da Coalizão Apostólica Profética Brasileira, casado com a Pastora Denise Gouvêa, é formado em Marketing e Teologia, com pós-graduação em Administração. O Apóstolo também apresenta um programa de televisão.

Miguel Angelo

O líder da Igreja Evangélica Cristo Vive, fundada em 1985, com sede internacional no Rio de Janeiro, e Bispo Primaz da Missão Apostólica da Graça de Deus, nasceu em Angola, é casado com a Bispa Doutora Rosana Torres Ferreira, fez seminário na Assembleia de Deus em Portugal. Antes de fundar a igreja Cristo Vive, foi Pastor na Igreja Nova Vida, também no Rio de Janeiro. Sua ordenação ao apostolado aconteceu em 1991, na cidade de Miami (Estados Unidos), na I Convenção das Igrejas em Graça. Miguel Angelo é membro da Academia Evangélica de Letras e da Ordem dos Teológos Evangélicos da América Latina. Uma de suas posturas teológicas mais marcantes é a de que as pessoas que a Bíblia define como “eleitos”, existiram em outras vidas como anjos.

Ezequiel Teixeira

Apóstolo do Projeto Vida Nova, conhecida como a “Igreja com Cara de Leão”, é Presidente do Conselho de Ministros das Igrejas Evangélicas de Vida Nova e da Projeto Vida Nova de Irajá, no Rio de Janeiro. Em 1989, participou da fundação da Associação Missionária Vida Nova, e no mesmo ano foi fundou a Projeto Vida Nova. Uma curiosidade é o “evangelismo estratégico”, feito no Dia de Cosme e Damião, no Dia de Finados e no Carnaval, utilizando o Bloco Cara de Leão. Casado com a Pastora Márcia Teixeira (vereadora na cidade do Rio de Janeiro), é escritor e apresentador de um programa de televisão. Foi consagrado ao apostolado em 2005.

Valnice Milhomens

Apóstola da Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, foi a primeira missionária brasileira enviada pela Convenção Batista Brasileira à África (1971) e 13 anos após, retornou ao Brasil e desligou-se da Convenção por desavenças teológicas quanto ao Batismo com o Espiríto Santo. Fundou o Ministério Palavra de fé em 1987 e foi também a primeira líder evangélica a apresentar um programa de televisão. Em 1993 foi consagrada pastora, e em 2001, foi a primeira mulher brasileira a ser reconhecida como Apóstola. Ao lado de Renê Terra Nova, trouxe o modelo dos 12 ao Brasil. Valnice é solteira, optou pelo celibato para se dedicar ao ministério, e também é escritora.

Mike Shea

Fundador e principal líder do Ministério Casa de Davi, Mike Shea é casado com Marlene Shea. Afirma que em 1993 o Espírito Santo o mostrou o desenho de uma chave nas ruas da cidade de Londrina, no Paraná, e então, a partir dessa revelação, fundou o ministério do qual é líder até hoje. Um dos fatos recentes mais marcantes sobre o Ministério Casa de Davi foi a confissão de um dos principais nomes, Davi Silva, de que seus testemunhos eram mentira ou cópia do testemunho de outras pessoas. Na ocasião, Shea afastou Davi Silva e o aconselhou a procurar ajuda médica.

Neuza Itioka

Apóstola do Ministério Ágape Reconciliação, que enfatiza a batalha espiritual, cura interior e libertação, foi seminarista do Fuller e missionária da Sepal. Coordena a Rede Internacional de Guerra Espiritual e a Rede Internacional de Intercessão Estratégica. Neuza é escritora, membro do Conselho Apostólico Brasileiro, diretora da Rede Apostólica de Ministérios Cristãos e Presidente do Projeto de Transformação Brasil. Foi ungida Apóstola em 2002, e recebeu a incumbência de ungir o Brasil em uma semana. Afirma ter usado um avião que cruzou todo o território nacional espalhando óleo sobre as cidades.



PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

16 comentaram, comente você também!

  1. Muito interessante os diversos comentários condenando o chamado “julgar”.
    Quem disse que não podemos julgar?
    Paulo, apóstolo de verdade, disse a igreja de Tessalônica: Julgai todas as coisas (1ª Tes 5.21)
    O que a Bíblia condena é o julgamento hipócrita, como nos ensina o Evangelista Lucas

    Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? Como poderás dizer a teu irmão: Deixa, irmão, que eu tire o argueiro do teu olho, não vendo tu mesmo a trave que está no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão. Lucas 6.41-42
    Ou seja, eu posso, ou melhor devo tirar o argueiro dos olhos do meu irmão desde que tire a trave dos meus.
    Apóstolos, graças a Deus só os bíblicos.

  2. os verdadeiros adoradores adorarão o pai em espirito e em verdade ; joão 4;23 se eles pregar a verdade vai receber o seu garladão ou sua reconpença se não pregarem vai prestar contas com o DEUS de ISRAEL porque a palavra diz cada um dará de conta a se mesmo a DEUS o SENHOR me deu um bom conhecimento dá suas escrituras por isso eu sei quando um homem de DEUS esta falando a verdade o espirito santo nos ensina é claro que existe lobos no meio de cordeiros faça como o salomão que pediu primeiro sabedoria a DEUS e o SENHOR lhe dará amém irmãos

  3. Ta amarrado em nome de Jesus essa glória na carne, isso ai só faz mal ao evangélho, em q isso glorifica a Deus, rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

  4. É muito interessante a opinião de alguns quanto a Edir Macedo ficar de fora. Eu também acredito que ele foi pioneiro dessa modalidade de igrejas, fez uma grande obra, mas na atualidade está completamente perdido, devido ao grande poder econômico que o envolve. O problema que ele acredita que só a igreja dele deve crescer, e que ele esta acima de tudo. Esquece que o poder emana de Deus e Deus dá e tira, porque a Igreja pertence ao Senhor Jesus. Ninguém deve usar um canal de televisão para destruir um outro líder. Se o Edir não mudar de direção, certamente irá cair muito mais.

  5. amigos deixar o BISPO EDIR MACEDO DE FORA IDEPENDENTEMENTE DE QUEM GOSTA OU NÃO DELE É NO MINIMO IRRACIONAL POIS DELE SE FORMOU O AP VALDEMIRO, PR GERSON CARDOSO, A PARTIR DELE QUE AS IGREJAS QUE NA ÉPOCA QUE ME CONVERTI A ANOS ATRAS ERAM TODAS FECHADAS PARA O PUBLICO PAGÃO
    ATRAVÉS DO BISPO EDIR MACEDO SE INFLUENCIOU UMA RENOVAÇÃO DENTRO DO EVANGELHO NO BRASIL
    E ISSO PARA QUEM GOSTE OU NÃO DELE É INEGÁVEL….. FORA O PR SILAS MALAFAIA QUE NEM É CITADO AQUI QUE É OUTRO QUE TEM MUITA UNÇÃO DA PALVRA TA AQUI MINHA HUMILDE OPINIÃO

  6. Rondinelly Alves disse:

    Apesar de não esta na mídia vejo que as igrejas Metodistas Ortodoxas ou Ministério do Avivamento têm tido um comprometimento muito estreito com o Reino de Deus!

  7. o meu valdemiro…. Nunca vi alguem nos dias de hoje com a Uncao deste Homem vai enfrete meu Apostolo de Deus

  8. Concordo plenamente com essa exposição.
    A história está apenas se repetindo, e o Senhor Jesus continua compadecendo-se das ovelhas que não têm pastor (Mt 9.36).

  9. apesar da grande aversão ao sistema eclesiástico católico, ainda preservam as mesmas estruturas institucionais do catolicismo. Mudaram os nomes e o discurso, mas a estrutura ainda é a mesma:
    uma instituição,
    um templo,
    a divinização e a infalibilidade da instituição,
    um homem “mais elevado” que faz a intermediação espiritual,
    o altar,
    frequência religiosa aos cultos,
    níveis hierárquicos
    e o distanciamento do crente comum da vida orgânica da instituição, levando-o a ser mero espectador de culto e contribuinte financeiro.
    Na questão financeira talvez repouse um dos mais gritantes desacertos dos evangélicos. Ora, o estopim que deflagrou a Reforma Protestante no século XVI foi justamente a agressiva forma de arrecadação que a Igreja Católica implantou para financiar a construção da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Naquele tempo, a grande preocupação dos fiéis era com o sofrimento porvir, no Purgatório. Cientes disso, e desejosos de alcançar generosas contribuições, o clero católico apregoava que o fiel que contribuísse para a construção da Basílica, livraria a si e a entes querido dos terrores do Purgatório. Mas, à medida que os cofres institucionais iam se enchendo, crescia também um descontentamento com esse discurso, até que os descontentes se manifestaram publicamente, nascendo o movimento protestante, sendo o monge Martinho Lutero o nome de maior expressão do movimento.
    Mas, hoje, os evangélicos são muito mais aguerridos e inescrupulosos na busca de contribuições do que os católicos medievais.
    No sistema capitalista, que cria uma sociedade consumista, talvez a privação de recursos financeiros seja uma preocupação muito maior do que o Purgatório. Daí, desenvolveu-se a “teologia da prosperidade”, segundo a qual, se o crente quiser alcançar bens e riquezas nesta vida, deve doar dinheiro para as instituições evangélicas e Deus o recompensará com prosperidade financeira.
    Evidentemente, essa prática de prometer um derramamento de bênçãos em troca de generosas doações a uma igreja nada mais é do que uma versão moderna das indulgências da Idade Média, por meio das quais o Papa Leão X garantia a seus súditos o perdão de pecados e a bem-aventurança celestial.
    Quem não se lembra das fotos escandalosas de pastores carregando sacos de dinheiro após um megaevento evangélico em um estádio de futebol? Quem não se lembra do dinheiro escondido dentro da Bíblia para entrar ilegalmente nos EUA? E o comércio de toda sorte de bugigangas “ungidas”? E os carnês de patrocínios a programas de rádio e televisão? Que dizer ainda do escândalo das ambulâncias no Congresso Nacional, patrocinado, principalmente, pela bancada evangélica? Evidentemente esse apetite pelo dinheiro é difícil de ser associado às recomendações do Senhor da Igreja. Não é necessário ser grande conhecedor do Texto Bíblico para perceber que o Senhor Jesus Cristo quase não falou a respeito de contribuições, dízimos e ofertas, mas foi muito claro, objetivo, veemente e incisivo ao determinar que os seus discípulos não ajuntassem tesouro na terra, Mt. 06.19 e 20. O Apóstolo Paulo apregoou que o “amor ao dinheiro é a raiz de todos os males” I Tm. 06.10.
    No entanto, para justificar certos rudimentos teológicos, é comum alguns líderes evangélicos fazer inferências um tanto nebulosas, e ignorar os textos bíblicos que não lhes apetecem.
    Nota-se também que o discurso evangélico, a semelhança do católico, eleva a instituição religiosa a uma categoria muito superior às pessoas, de sorte que a denominação religiosa passa a ser divinizada e idolatrada pelos fiéis como “obra de Deus”. Desta forma, aumentar o patrimônio da instituição é obra muito mais salutar do que a assistência aos crentes. Construção de templos, expansão do patrimônio da instituição, divulgação dos nomes institucionais consomem muito mais recursos e atenção dos chefes eclesiásticos do que qualquer obra social. Na verdade, “entidade filantrópica” é uma expressão que está escrita em todos os estatutos das igrejas, mas a instituição religiosa em si não pratica filantropia alguma. Se há alguma obra filantrópica, na grande maioria das igrejas, ela é custeada pelos crentes, à margem da instituição. Raramente, o caixa institucional patrocina alguma assistência social.
    Na contramão desse comportamento, encontramos Estevão, At. 7.48, alertando que Deus não habita em templos feitos por mãos de homens, At. 17.24. Encontramos o apóstolo Paulo afirmando por várias vezes que o cristão, o ser humano, é o templo do Senhor, a morada do Espírito Santo, I Co.03.16. Ou seja, a instituição, seu governo, seus altares e as suas propriedades são esvaziadas de significado para Deus, que se importa mais com a alma dos homens.
    No entanto, são os templos feitos de pedras, de mármore e granito, é que recebem os grandes investimentos.
    E uma indagação salta à mente: o Senhor do rebanho se interessa mais pelos currais, ou pelas ovelhas?
    Vejamos ainda a intermediação espiritual. Esse também é um grande nó doutrinário que iguala os evangélicos ao catolicismo e contribui muito para que mais e mais crentes deixem de freqüentar as igrejas. Jesse Lyman Hurlbut, historiador evangélico, afirma que o primeiro grande princípio da Reforma é que a verdadeira religião está baseada nas Escrituras. Segundo, que a religião devia ser racional e inteligente. E a terceira grande verdade da Reforma, e à qual deu grande ênfase, era de que a religião deveria ser pessoal. Segundo Hurlbut, “sob o sistema romano, havia uma porta fechada entre o adorador e Deus, e para essa porta o sacerdote tinha a única chave. O pecador arrependido não confessava seus pecados a Deus; não obtinha perdão de Deus, e sim do sacerdote; somente ele podia pronunciar a absolvição. O adorador não orava a Deus, o Pai, mediante Cristo, o Filho, mas por meio de um santo padroeiro, que se supunha interceder pelo pecador diante de um Deus demasiado distante para que o homem se aproximasse dele na vida terrena. Em verdade, Deus era considerado um ser pouco amigável, que devia ser aplacado e apaziguado…” As igrejas evangélicas criticam ferozmente esse sistema religioso. Mas, muitos crentes já perceberam que entre os evangélicos pratica-se a mesma intermediação espiritual, sutilmente modificada e incentivada pela cúpula eclesiástica. Ora, qualquer pessoa que assistir a um culto evangélico no dia da Santa Ceia ouvirá exortações para que ninguém participe do pão e do vinho, sem antes confessar os seus pecados ao Pastor, ou a quem ele indicar. Frequentemente ouve-se pregações que salientam que os líderes evangélicos são “pessoas mais especiais” para Deus. E falam de “escolhidos”, “ungidos de Deus”, “homens de Deus”, com o intuito de realçar a condição de especialidade desses homens. Enquanto os católicos veneram e esperam a interseção milagrosa de pessoas santas que já morreram, os evangélicos fazem verdadeiras peregrinações em busca da interseção de pastores milagreiros. Muitos crentes vivem à cata de “profetas” na expectativa de que estes façam uma intermediação, ou interlocução, entre si e Deus. Todos os dias passam carros de som pelas nossas ruas anunciando um “milagreiro” novo na cidade. Na verdade, entre os evangélicos é grande a crença e o misticismo de que esses “homens especiais” possam intermediar, facilitar, ou impedir a comunhão do cristão com Deus. E muitos crentes veneram e idolatram essas personalidades da mesma forma que um católico venera seus santos já idos. De mais a mais, os líderes evangélicos já perceberam que a divinização de pessoas “mais excelentes” é o meio mais eficaz para encher os templos. E assim, cada vez mais enaltecem a figura dos ministradores, dos intermediários e dos interlocutores, e se distanciam do princípio da comunhão pessoal.
    Por fim, saliente-se que para os reformadores protestantes, o sacerdócio individual de cada cristão era inviolável, e como tal, cada cristão era livre para exercer a sua fé independente de qualquer poder institucionalizado. Lutero ousava dizer que “um cristão é livre e perfeitamente senhor de todas as coisas, não se submetendo a nada.” Lutero colocou o mundo de cabeça para baixo ao afirmar que o cristão era independente e totalmente autônomo para exercer a sua fé. Indiretamente afirmava que “o Espírito de Deus não é monopólio das instituições, não é gerenciado por organizações, não é distribuído por burocracias…”. Desta forma Lutero estava esvaziando a instituição da sua áurea divina, contrapondo a “voz da consciência à voz das autoridades constituídas.” No entanto, em todas as igrejas evangélicas há um poder regulador que determina e impõe as crenças, as doutrinas e os dogmas ao cristão, igual ao poder institucional que Lutero combatia. Supersticiosamente, todos acreditam que essa hierarquia eclesiástica foi estabelecida por Deus e que possui o pensamento de Deus. Infalível. Assim, desobedecer a uma determinação do governo da igreja é tido como uma desobediência ao próprio Senhor da Igreja. Curioso é que o primeiro princípio da Reforma afirma que a religião deve ser fundamentada na Bíblia, e a Bíblia traz palavras contundentes do Senhor Jesus Cristo a esse respeito:” E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus. Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo.” Mt. 23.08-11.E mais:”os governadores dos gentios os dominam, e os seus grandes exercem autoridades sobre eles. Não será assim entre vós…” Mt. 20.25 e 26 E assim, mudam-se os nomes, mudam-se as palavras, os discursos, as formas de falar, os uniformes, os objetos sagrados; mas as escalas, os degraus, a burocracia, a ideologia e as crenças são as mesmas. De sorte que, quando o crente evangélico descobre que o jogo é o mesmo, que as peças são as mesmas, que o tabuleiro é o mesmo; ele se recusa a fazer parte do jogo. Não volta ao catolicismo, mas passa a viver um cristianismo independente. Esse é o espírito protestante.
    [email protected]

  10. os dez maiores estelionatarios do brasil

  11. Minha visão disto tudo é simples….trabalhamos todos para o mesmo SENHOR CRISTO JESUS , que vai julgar todos, e toda obra sera provada pelo fogo, se é palha vai queimar, se é ouro vai ser purificada, sigo ao alvo que é Cristo, na simplicidade da PALAVRA, quem estiver firme não sera enganado , mas quem viver em função do homem pode sr enganado!! l Co 3:12,15…..Mt 3:12
    abraços querido Angelo

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 454,490 comentários no Notícias Gospel.