Home » Brasil, Destaque, Política

Eleições: crescimento evangélico tem levado candidatos a formular propostas a partir de princípios bíblicos

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Eleições: crescimento evangélico tem levado candidatos a formular propostas a partir de princípios bíblicos

As eleições deste ano serão pautadas por temas municipais, porém candidatos ligados a partidos ou correntes políticas que são favoráveis a temas como aborto e casamento gay tem sofrido com a rejeição de lideranças evangélicas.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O crescimento da população que professa a fé cristã com doutrina evangélica tem feito com que diversos candidatos estabeleçam suas propostas a partir dos princípios morais estabelecidos pela Bíblia.

Em Manaus, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB – AM) tem sofrido forte rejeição por parte dos evangélicos por ter defendido a tramitação do PLC 122 em regime de urgência, e sua discussão diretamente no plenário, ao invés da tramitação pelas Comissões da casa. Por isso, seu nome não tem sido bem visto pelo eleitorado evangélico e seu comitê de campanha procurou lideranças evangélicas numa tentativa de esclarecer as circunstâncias: “Os adversários é que tentam atribuir a ela posição sobre o tema. Ela sequer estava presente na votação do projeto na comissão do Senado”, defende o senador Eduardo Braga (PMDB – AM), padrinho da candidatura de Vanessa.

A deputada federal Manuela D’ávila (PCdoB – RS), candidata a prefeita de Porto Alegre, tem tentado minimizar a força do atual prefeito, José Fortunatti (PDT), junto ao eleitorado evangélico, fechando alianças com pastores da cidade. Fortunatti é evangélico e durante a última edição da Marcha para Jesus na cidade, declarou que “o Senhor Jesus está no comando da cidade”, de acordo com informações do site do jornal O Globo.

O ex-ministro da Educação Fernando Haddad é candidato à prefeitura de São Paulo e tem enfrentado resistência de lideranças e eleitores evangélicos por sua iniciativa quando ministro, de lançar o kit gay nas escolas brasileiras.

Esse debate a partir dos princípios defendidos pelos evangélicos já havia alcançado discussões a nível nacional durante as eleições presidenciais de 2002 e 2006, e tornou-se ponto central do debate entre os três principais candidatos na eleição de 2010, quando Marina Silva (à época do PV), José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) foram obrigados a se posicionarem sobre temas como aborto e homofobia.

A ex-senadora Fátima Cleide (PT-RO), que foi relatora do PL 122 na legislatura passada, não conseguiu se reeleger ao Senado e agora tenta vencer a eleição para a prefeitura de Porto Velho, acredita que a discussão nessas eleições não serão baseadas nos princípios morais adotados pelos evangélicos, mas sim, pelas necessidades de cada cidade: “O fundamentalismo religioso existe e também o fundamentalismo eleitoreiro, que se aproveita do conservadorismo religioso. Mas acho que, neste ano, essa bandeira não vai vingar”, aposta Cleide.

O deputado federal Jean Wyllys reclama da forma como a visão de princípios dos evangélicos é usada na política: “Essa difamação está quase sempre sustentada em calúnias, principalmente pelas redes sociais. Eles (os políticos) distorcem os fatos e criam um pânico moral. Um pastor ou padre dizer que homossexualismo é pecado, o que é um dogma da igreja, é diferente de difamar”, afirma, fazendo referência ao uso do tema por políticos que difamam seus adversários.

Redação Gospel+



PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

2 comentaram, comente você também!

  1. Religião protestante não existe mais

    Agora é partido político protestante

    Vergonha!

  2. Acessem agrandepescaria, blogspot.com e leiam um artigo intitulado "Enfim mais uma campanha eleitoral. Como e em quem devemos votar?", que fala sobre esse mesmo assunto.

  3. estamos todos lascado ! o brasil se transformando em um irã ou Afeganistão países que impõe a todo custo sua alienação religiosa goela abaixo das pessoas .

  4. João Hernane disse:

    Markiting…Ai os Crentes manipulado e cego por religiao por esse falsos lidere$ e interesseiros etc.. vao dizer assim para eles "ELE É DEUS IGREJA, VOTE NELE,É DEUS IGREJA" AI VAI SE MATANDO TODINHO E DISPERDIÇANDO O SEU PRECIOSO VOTO COM ESSES OPORTUNISTA E PICARETAS, TIRANO AS EXCESSOES QUE EXISTEM SIM

  5. Os adeptos das controversas, dos simples-mentes humanoides, podem dizer o que quiserem, mas quem é sensato
    tem que admitir.Que o mundo ainda não deteriorou de vez,é graças a um conservadorismo, que ainda que em fase
    de extinção, ainda resiste.È isso que ainda tem dado um pouco de equilíbrio na sociedade, que caminha a passos largo, para o abismo.

    O desejo dos pervertidos é que o mundo se transforme, numa verdadeira Sodoma, e Gomorra.O desejo é que não haja uma só vóz, para dizer que uma relação afetiva carnal entre duas pessoas do mesmo sexo é pecado sim,
    é tratado de abominação pelas Escrituras.Eles tem tanta conciência que não é normal, que recorrem a leis
    para normalizar, o anormal.

    Eu acredito que muitos que afinaram com essa ideologia, no Congresso , nessas eleições vão experimentar do seu
    propio veneno.

  6. Só não vale a imposição dos valores, conceitos, comportamentos e ideologia religiosa do cristianismo para toda a população, como se vivêssemos num país com 100% de evangélicos praticantes, fato objetivado por todo político verdadeiramente cristão, mas que em termos reais é tão utópico quanto a necessidade de salvação, paraíso e vida eterna.É perceptível, em qualquer instituição parlamentar onde existe os chamados políticos evangélicos, um intenso esforço no sentido de criar projetos de lei que institucionalize sobre todos os cidadãos as regras morais e religiosas da bíblia.A bancada evangélica de Brasília, por exemplo, deveria se ater a temas mais sociais como educação, saúde, assistências social às famílias em situação de risco neste país onde a falta de perspectivas sócio-econômica cria um verdadeiro abismo de incertezas para os menos favorecidos.A cor religiosa de um representante do povo em qualquer nível legislativo não importa, seja ele cristão evangélico, espírita kardecista, católico, budista, muçulmano ou ateu.O que importa é sua conduta ética e seu comprometimento com os direitos e garantias fundamentais de cada eleitor.
    O fato de um vereador, prefeito, governador, ou deputado professar determinada fé não lhe dá o direito de criar aqui na Terra uma legislação baseada em sua doutrina religiosa.Quando eleitos pelo voto popular estes políticos devem manter os pés e a cabeça no chão.Já o lance espiritual de garantir a salvação de suas almas é algo a ser tratados dentro dos limites de suas igrejas, e não de forma pública, como se todos nós, assim como eles, acreditássemos em fenômenos sobrenaturais.

  7. Vale Tudo, cantava Tim Maia. Só não pode dançar homem com homem e mulher com mulher (é pecado), mas o resto vale tudo. Vale tudo pelo Poder, a riqueza e a mídia.

  8. Sergio Olimpio Ribeiro disse:

    Reprovamos 100% todo e qualquer tipo de pecado ou algo correlato.

    liberdade religiosa é direito de todos

    condenamos veemente o pecado !!!

    conclamamos a todos para aceitar a Jesus Cristo como único salvador de sua alma !!!

    não concordo com nenhum tipo de pecado sejas qual for !!!

  9. Sergio Olimpio Ribeiro disse:

    Sr Deputado toma vergonha nesta lata velha enrugada.

    O deputado federal Jean Wyllys reclama da forma como a visão de princípios dos evangélicos é usada na política: “Essa difamação está quase sempre sustentada em calúnias, principalmente pelas redes sociais. Eles (os políticos) distorcem os fatos e criam um pânico moral. Um pastor ou padre dizer que homossexualismo é pecado, o que é um dogma da igreja, é diferente de difamar”, afirma, fazendo referência ao uso do tema por políticos que difamam seus adversários.

    Sr Deputado é a Bíblia sagrada que notifica os seus servos que todos aquele que comete pecado com seu corpo ex: Homem tendo relações com outro Homem e Mulher tentando ter relações com outra Mulher é pecado portanto foi próprio filho de Deus que deixou bem claro a todos que ele é quem condena estes atos pecaminosos, para os Evangelicos somente tem valor a Bíblia. a sua retórica e falida e desprovida da verdade. portanto os verdadeiros Cristãos não vai cair na sua labia ou na sua loucura , suas palavras e seus pseudos projetos não tem valor nenhum para os Cristãos verdeiros. passar sr deputado mais conhecido como ZERO a esquerda.

  10. André Ibaque disse:

    E se vier uma teocracia, vou lutar com todas as forças para impedir este abuso de poder.

  11. André Ibaque disse:

    Com tanto que eles sejam racionais para formular leis e não restrinja a liberdade individual ou consensual, não vejo problema nenhum evangélicos no poder. Mas se começarem a querer anular união civil de homossexuais, liberdade de outras religiões, anular a liberdade de hotéis manterem canais pornográficos, entre outras coisas inúteis de se mexer, aí temos uma teocracia vindo por aí.

  12. Não defendo que crente tem que votar em crente. Contudo, defendo que cristãos não votem em nenhum candidato que defenda qualquer coisa contrária aos princípios bíblicos.

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 454,769 comentários no Notícias Gospel.