Home » Brasil, Filmes

Estreia nos cinemas do Brasil o filme “A Tentação” onde marido cristão é o vilão e amante ateu da esposa é o mocinho

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Estreia nos cinemas do Brasil o filme “A Tentação” onde marido cristão é o vilão e amante ateu da esposa é o mocinho

Nessa sexta feira estreou nos cinemas brasileiros o filme “A Tentação”. Escrito e dirigido pelo cineasta inglês Matthew Chapman, de 62 anos, o filme conta a estória de um ateu que se envolve com a esposa de um cristão fanático, romance que o leva ao parapeito de uma janela, de onde ameaça se jogar, para salvar a vida de sua amante.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O diretor inglês é tataraneto de Charles Darwin (1802-1882), criador da Teoria da Evolução, e é conhecido por escrever livros sobre religião e por assinar reportagens sobre casos que envolvem fanatismo religioso.

Chapman, que já foi indicado para o prêmio Framboesa de Ouro de pior roteiro por “A Cor da Noite”, com Bruce Willis, conta que sofre varias críticas por causa de seu posicionamento ideológico, mas que quis retratar nesse filme o conflito entre m religioso e um ateu.

- Nunca vi um filme que jogasse um americano crente [a Deus] contra outro descrente. Eu queria mostrar esses pontos de vista – explica o diretor e roteirista, que disse à Folha de S.Paulo que, por causa do filme, tem recebido “cartas raivosas” de cristãos.

Morando em Nova York há mais de 20 anos, o inglês afirma que não imaginava o quanto as teorias do tataravô fossem tão rebatidas nos Estados Unidos, e que chegou a ser chamado de demônio por um pastor, por ser descendente de Darwin.

- Os Estados Unidos são duas nações. Uma sofisticada e intelectual, que podemos chamar de “A América de Woody Allen”. E outra que é povoada por homens da caverna – opina o diretor.

Redação Gospel+



PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

7 comentaram, comente você também!

  1. Bom tenho que dizer que o filme é ótimo, apesar de ser interpretador de uma forma ruim pelos religiosos, traz uma mensagem muito boa. O ateu mesmo não acreditando em Deus é o que mais tem caráter e se dispõe a dar a vida pela mulher que ele ama, enquanto o fanático religioso testa sua teoria tentando tirar a vida daquela que diz amar. Isso só prova que a religião não define o caráter do ser humano, tudo bem que as personagens são estereótipos mas não deixa de ter um fundo de verdade. No fundo somos todos seres humanos independente do que veio antes e do que virá depois, pois isso é um mistério que ninguém nunca respondeu, a religião e a ciência são apenas tentativas de se fazer isso.

  2. Raniere oliveira disse:

    Tudo Isso por Causa do ANTI CRISTO

    Os Judeus aguardam o Messias (que já veio Jesus) os Crente aguardam o Anti-cristo(que tambem já veio)

    “QUEM TEM OUVIDOS OUÇA”
    O Espinho na Carne de Paulo chamavam-se TIAGO, e João.
    Pensem (não andou com Jesus, não aprendeu a mensagem de Jesus.) leia João 14:26
    Não consultou nem carne nem sangue. e foi pregar seu proprio evangelho. Obvio que os Verdadeiros Discipulos de Jesus o Combateram, .
    Pense no “Amor” dele 1.tim 1:20 , em atos 13 cegou um homem, pediu para Sermos Imitadores “DELE”. (satanas enganou a Humanidade pelo “esta escrito” (vide eva e a serpente, Jesus no deserto), João entrega que e o falso apostolo apoc. carta aos Efesios, o mesmo que escreveu para Efeso, (abram os olhos) os textos satanicos dele são Sutis parecem bom. Jesus(yeohua) sempre falou de dois fundamento, inicio da plantaçã do trigo e do joio, Raiz, são parabolas de Dois EVANGELHOS e Hoje Satanas Reina atraves das Doutrinas que prevalecem a do Paulo ANti-Cristo, como Jesus predisse Falou de si mesmo em tess.
    Para saber e so Comparando as Doutrinas de Jesus e as de Paulo. (saulo, rei saul benjamitas da tribo da mão direita).

  3. A “América de Woody Allen”?! Sim. Isso explica muita coisa. Parabéns ao diretor pelo próximo framboesa de ouro.

  4. Maycon Alexandre disse:

    Engraçado, só aceita comentários que apoiam sua crença infundada. Palmas pra vc! ^^

  5. Maycon Alexandre disse:

    Na minha opinião o filme não demostra nenhuma inversão de valores. E sim, que se trata de seres humanos tanto um ateu quanto um religioso, podem cometer erros. Ninguém está acima da lei. E me refiro a apenas a lei que reza a constituição de cada nação.

  6. No início, realmente o personagem ateu quis seduzir a mulher do cristão fanático. Mas depois os dois acabaram se apaixonando. Pelos comentários que vi aqui, até parece que a mulher era uma pobre vítima do ateu safado.

    Gente, ela mergulhou de cabeça no relacionamento pq quis. Ela traiu o marido pq quis, não pq foi forçada.

    Tanto o personagem ateu qto o personagens cristãos (e no caso do marido, cristão fanático elevado à milionésima potência) erraram. Mas é por causa de suas crenças e falta de crenças? Não. É pq eles são seres humanos em primeiro lugar e seres humanos fazem cagadas monumentais, independentemente se são religiosos, ateus, agnósticos, deístas, panteístas, politeístas, monoteístas, etc. Errar faz parte da natureza humana.

    Mas uma coisa, o ateu é – digamos assim – melhor que o marido fanático cristão. Ele não era hipócrita. Ele vivia de acordo com sua visão de mundo. O marido cristão fanático, não. Vivia pregando sobre deus e Jesus e citando passagens da bíblia, condenando o amigo do personagem ateu por este ser gay, pregando a retitude moral sendo que ele era o mais imoral de tds. Além de ainda continuar um ninfomaníaco viciado em sadismo sexual, ainda por cima seguidor à risca do AT (que é violento, ignorante e imoral que só lendo) como ele mesmo admitiu quase no final do filme e que iria matar a esposa e o queria que o amante morresse pq diz no AT que adúlteros devem morrer. Ele pregava uma coisa e fazia outra. Isso é uma hipocrisia moral
    gigantesca.

    • Guilherme, não há contradições entre AT e NT. As pessoas que complicam muito as coisas. A lei do AT é rígida, dura e implacável pq ela demonstra o caráter de um Deus SANTO. No AT, o contexto com o povo de Israel era de uma teocracia. Deus se revelou a nação de Israel e deu a lei pra que fosse observada. Toda a Lei é aquilo mesmo, o pecado por menor que seja é passível de condenação e morte, não interessa qual. A lei mostra isso. Porém para nós humanos, falhos e pecadores, a interpretação dessa lei se basea na hermeneutica de Cristo. Cristo é o padrão. Como vc mesmo disse, a Lei não foi abolida, mas ela foi CUMPRIDA por CRISTO que na sua pessoa fez tudo aquilo que a lei exigia. Por isso Paulo dizia: A lei nos serviu de aio (tutor) que aponta para o MESSIAS. No papel de excutar a lei como ela é, dente pode dente, olho por olho é só Deus, pq ele é o reto e único juíz capaz de executá-la. A nós homens, devemos cumprí-la na hermeneutica de Cristo que é amando nossos inimigos, orando por aqueles que nos perseguem, fazendo o bem e deixando o julgamento apenas para quem tem capacidade de julgar que é Deus. Um outro detalhe, sobre o AT: Quando muitas vezes Deus julga uma nação no AT mandando dizimar, aquelas coisas tdas, peço que vc antes de mais nada verifique quem são esses povos. Não são gente boa não. Amonitas, moabitas, filisteus e toda essa turma eram povos malignos. Alguns faziam cesariana a base de espada, vazavam olhos dos homens, e queimavam seus filhos a divindades pagãs. Quando o julhamento de Deus chegou é pq a maldade deles chegaram a um nível em que o próprio Deus não mais suportou e usou Israel como cumprimento disso. A maioria do pessoal acha que era tudo tribo pacífica e inocente… Lembre-se que Deus julgou Israel quando eles adotoram as mesmas práticas… Abraços..

    • Emerson Marçal: O deus do AT não era assim tão santo. Além de ser ciumento, invejoso e hipócrita. Este mesmo deus que entregou os 10 mandamentos à Moisés – sendo que um deste mandamentos é o "Não matarás" – não pensava duas vezes em dizimar populações inteiras só pq elas adoravam outros deuses.

      Quanto à esses povos queimarem seus filhos em oferendas à divindades pagãs não pode, mas um pai sacrificar o próprio filho como prova de sua fé em deus (que foi o caso de Abraão e Isaac) isso pode, né? Não interessa se deus interveio e parou a coisa toda. O fato é que deus pediu que Abraão fizesse isso e sem necessidade. Se deus tudo sabe e tudo vê, é claro que ele sabia que a fé que Abraão tinha era forte e inabalável, pq raios pedir o pai pra matar o próprio filho? E tb não devemos esquecer do sacrifício de animais em oferenda ao seu deus. A vida dos animais são tão importantes qto as humanas e sacrificar essas vidas em nome de deuses – não interessa qual – é simplesmente errado. É tão grave qto sacrificar um ser humano.

      O deus do AT é assim: "faça o que eu idigo, não o que eu faço (a não ser que sejam ordens diretas minhas)".

      Esse deus é completamente dúbio moralmente: dizima duas cidades inteiras por elas estarem em pecado, mas poupa Ló que mandou suas duas filhas virgens para serem estupradas por uma multidão no lugar dos estranhos visitantes e poupou as filhas que embebedaram o pai, o estupraram para engravidar dele (considerando que ele já sabia que isso iria acontecer). A única pessoa dessa família que se lascou foi a esposa de Ló ao olhar para as cidades sendo destruídas (talvez por um misto de preocupação e curiosidade).

      O deus do AT tb não pensava duas vezes em mandar abrir o ventre das mulheres grávidas, bater os bebês em rochas, em ordenar infanticídio, arrancar os seios das mulheres, ordenar que as mulheres virgens fossem poupadas da morte como espólio de guerra para serem escravas e servir os homens (biblicamente falando).

  7. Stanley Kubric nem era cristão, nem era ateu militante, foi apenas um dos melhores cineastas que já produziu cinema nesse planeta.Um cineasta deve saber fazer sua arte, sem se ater a nenhum dogmatismo, seja ele político, filosófico ou religioso.O cinema não dever levantar bandeira de nenhuma causa, visto que assim ele perde sua essência que é a beleza e poética das vivências humanas.

  8. As opiniões dos críticos para esse filme foram maioritariamente negativas. O Rotten Tomatoes avaliou o filme em 4/10 total, com 11% "Rotten" com base em resultados de vinte e oito críticos com apenas três sendo positivos.

    Isso só prova que filmes melhores e mais honestos, sem essa merda de tônus neo-ateísta e antirreligioso (mesmo com questionamentos sinceros de céticos) são muito melhores. Tudo o que o ateísmo militante tocou, seja nas artes e na literatura, só decaiu e se estragou.

    • Seria melhor ter ido ver o Pele.

    • (Chapman é o tataraneto de Charles Darwin, quem diria)

      "Religious intolerance is a very bad thing," said writer-director Matthew Chapman, as the film opened last week in New York and Los Angeles. "It is possible to be good without God."

      Chapman says the film is a work of both art and activism. He hopes it will entice atheists and other freethinkers "out of the closet" and into the mainstream.

      "I am hoping that people will watch this, both atheists and believers, and have a discussion about this," he said.

      The film has met with almost universally bad reviews from the media and mostly positive reviews from the freethought community. Greta Christina, an atheist, praised the film on Alternet and examined its potential to be the atheist version of "Brokeback Mountain," which was credited with broadening the acceptance of same-sex relationships.

      " ‘Brokeback Mountain’ was the result of decades of activism and consciousness-raising" about gay people, Christina wrote. " ‘The Ledge’ isn’t that. It isn’t the culmination of a decades-long cinematic conversation about atheism. It’s the beginning of it. And that might be even more important."

      David Silverman, president of American Atheists, said that by focusing on one "average guy," the film "brings atheism into the realm of the regular because he is regular, and that is what makes it important."

      Chapman is best known as the author of two non-fiction books about the divide between atheists and fundamentalists over science education. He is the great-great-grandson of Charles Darwin, whose theory of evolution is often at the center of the divide.

      He chalked up the negative reviews to unawareness.

      "I think some of the negative response has come from the big cities, where people don’t believe that fundamentalists like Joe exist," he said. "I know if this movie played in smaller towns, people would recognize that character in an instant. There is a very primitive kind of religiosity in the middle of the country that people on the edges don’t seem capable of realizing is there and underestimate."

    • Emerson Oliveira

      E daí se teve críticos que não gostaram do filme? Direito e opinião deles.

      Eu gostei do filme – não apenas por ter um personagem ateu como protragonista – mas tb pq a história do filme prende a atenção.

      Teve críticos que não gostaram de A Paixão de Cristo por este ser todo em aramaico e/ou por causa das cenas pesadas de tortura. Isso faz alguma diferença?

      Pra certas pessoas – entre elas, eu – não faz a mínima diferença o que os críticos de cinema falam sobre filmes, seja bem ou mal. Se o enredo do filme chama a minha atenção, eu assisto e eu mesma teço minha opinião sobre o filme.

      Gosto/opinião e bunda, cada qual com o seu, oras.

    • Michelle Araujo Silva "Teve críticos que não gostaram… isso faz alguma diferença?" Claro que faz. Toda critica deve ser reflexionada para o nosso amadurecimento intelectual. Nao como um zumbi, mas e pra isso que serve.
      Se gosto e igual bunda, por que faz questao de vir aqui e dizer o seu?
      Esse diretor já foi indicado para a Framboesa de Ouro de pior roteiro quem sabe ele concorra de novo com esse xD

    • Luciano Bellon

      Faz diferença pra quem não tem opinião própria e depende sempre da opinião dos outros pra gostar ou desgostar de algum filme, livro, disco, etc.

      Eu conheço pessoas – algumas delas na minha própria família – que se deixa levar sempre pelas opiniões de críticos. Isso é ser Maria-vai-com-as-outras.

      Eu leio resenhas e críticas, mas em nenhum momento elas interferem na minha escolha de assistir ou não um filme. E com certeza, elas não influenciam em nada sobre a opinião que vou formar a respeito do filme depois de assisti-lo.

      Sobre gosto ser igual a bunda e eu vir aqui dizer a minha opinião (pessoal , diga-se de passagem) não tem nada a ver. Eu vi aqui e mostrar minha opinião faz parte da liberdade de expressão e manifestação de pensamento. E não é como se eu tivesse forçando as pessoas a concordarem comigo e adotarem minhas opiniões como verdades absolutas, 100% corretas.

      Da mesma forma que vc tem o direito de vir aqui e dizer a sua opinião, eu tb tenho. Caso vc não saiba, a internet é um ambiente democrático onde td mundo tem voz.

      >> "Esse diretor já foi indicado para a Framboesa de Ouro de pior roteiro quem sabe ele concorra de novo com esse"

      E o kiko? Como eu já disse, tô pouco me lixando para o que críticos de cinema, a Academia do Oscar, o pessoal do Framboesa de Ouro, de Cannes, de Gramado, etc, tem a dizer sobre filmes.

      Cada um na sua. Só pq teve críticos que acharam o filme uma merda, não significa que tenho que achar tb.

      O que vc e o Emerson Oliveira fizeram se chama falácia do apelo à autoridade. Parabéns pra vcs dois! #sarcasmo

    • Luciano Bellon

      E se for falar da Framboesa de Ouro diretores como George Lucas, Franco Zefirelli, Blake Edwards, Brian dePalma (esse por Scarface!!!!), Stanley Kubrick, Joel Schumacher, Oliver Stone (que dirigiu Platoon), Ron Howard, Gus Van Sant (ele "apenas" dirigiu Gênio Indomável), concorreram ao Framboesa de Ouro. Isso faz deles péssimos diretores com péssimos filmes? Não.

      Se Matthew Chapman concorrer ao Framboesa de Ouro, pelo menos ele estará em boa companhia, lol. Só ter o nome do lado desses diretores fodásticos já é uma honra.

  9. Este é considerado o primeiro filme "ateu" do mundo atual. Não tenho nada contra ateus mas esse filminho somente faz parte de uma "onda" antirreligiosa atual. Encaixando-se nisso, em mais uma moda que se caracteriza por destilar ódio ao cristianismo, como na literatura neo-ateísta e propaganda em geral, este filme é medíocre, superficial e tendencioso. Generalizando e estereotipando cristãos, foi amplamente criticado pelos especialistas em cinema.

  10. Ora, pode ser o próprio retrato da vida real.

  11. Vish. Lá vem merda por ai…

  12. Inversão de valores até nos filmes? É o fim da picada!

    • Carlos Roberto Ananias,

      O mundo está cheio de inversões de valores. Os filmes, novelas, livros, peças de teatro, etc, – quando se trata de inversões de valores – se baseiam na realidade.

      Como diria Oscar Wilde: “Os livros que o mundo chama de imorais são os livros que mostram ao mundo suas próprias vergonhas.”

      Isso vale para filmes, novelas, músicas, revistas, peças de teatro, etc, etc, etc, etc…

  13. Queria assistir esse filme, é um tema bem polêmico.

  14. Julio Bitencort disse:

    Mais uma vítima de sua própria teoria conspiradora e influenciária.

  15. Apesar de ser um filme produzido por uma mente secularista, seu enredo cria o estereótipo do ateu imoral que seduz uma mulher casada e do cristão que acaba sendo vítima da desonestidade da esposa e do homem incrédulo.Acaba reforçando velhos preconceitos contra as pessoas que não possuem crença religiosa, além de deixar a mulher, mais uma vez, como símbolo de sedução e traição.
    Claro que uma obra ficcional não tem nem deve ter amarras com a realidade, mas no mundo real dificilmente um jovem ateu vai se aproximar da esposa de um cristão com intenções libidinosas, e por outro lado, uma esposa verdadeiramente cristã pode até cometer adultério, mas tal deslize geralmente acontece envolvendo homens de sua próprio meio religioso.Por mais fogosa que seja uma esposa cristã, ela com certeza vai procurar uma ovelha de seu rebanho para pular a cerca, até por uma questão de comodidade.

    • as novelas da globo ja fazem isso ha muito tempo

    • Começou bem… mas terminou mal! kkkk Acho traição algo repulsivo… mas se eu fosse fazer algo do tipo, buscaria alguém o mais distante possível da minha igreja e religião! Se estou buscando algo errado… pq buscaria isso no lugar que mais enfatiza que isso é errado???

    • Você acha que conhece tudo a respeito da vida e do comportamento humano, né Adelino?

    • E cá pra nós, você não entendeu NADA do filme.

      A fórmula do triângulo amoroso é provavelmente o tema mais recorrente da História da literatura, do teatro e do cinema. Neste aspecto o filme não tem nada de inovador.

      Agora, o fato novo é a forma que o autor criou a trama entre um ateu, um fanático religioso e uma mulher dividida entre dois mundos.

      O filme é bom, o roteiro interessante e inteligente, e a temática não poderia ser mais atual.

      O cristão não tem nada de vítima neste filme, ele é a mente doentia e assassina da estória.

    • Kamila Rocha:

      Eu não trairia meu parceiro ou parceira amorosos. Jamais. Eu teria a decência de terminar o relacionamento antes caso me apaixonasse por uma outra pessoa. Isso é que pessoas responsáveis e com um pingo de bom senso fazem.

    • Michelle Araujo Silva Eu também!!!!! Como eu disse, acho traição algo repulsivo… só quis explicar p/ o adelino q a afirmação que ele faz das mulheres religiosas está errada! Pode ate acontecer… mas seria uma exceção. entende?

    • Kamila Rocha

      Qdo se trata de comportamentos humanos, não há regras e nem exceções. O ser humano é capaz de td e se pode esperar td do ser humano, independentemente se ele for religioso ou não.

      Ser uma pessoa religiosa e temente a deus não é garantia de moralidade e bons costumes. Da mesma forma que ser ateu tb não é garantia de moralidade e bons costumes. Ser religioso não faz uma pessoa ser automaticamente boa, moral e ética. Da mesma forma que ser ateu tb não.

      É disso que o filme tb se trata. O personagem religioso fanático interpretado pelo Patrick Wilson é o exemplo claro disso. Ele seguia a bíblia, orava td dia, ia na igreja todos os dias, vivia falando de Jesus e tentando converter os outros. Mas – dos 6 personagens principais (o ateu, o amigo homossexual, a esposa do evangélico fundamentalista,o evangélico fundamentalista, o detetive e a esposa do detetive) o mais hipócrita moralmente falando era o cristão fundamentalista. Ele fazia exatamente o oposto do que ele pregava e acreditava.

      O que vale é o que diz a consciência de cada um (se essa pessoa tiver uma conciência, claro).

      Na sua consciência, vc acha traição repulsivo. Mas se vc fosse fazer isso, faria num lugar e com alguém que não pertença ao círculo da sua igreja.

      Na minha consciência, traição é tão repulsivo que eu não trairia meu parceiro amoroso com ninguém, seja longe ou perto do meu círculo de convívio.

    • Michelle Araujo Silva Minha querida… eu não faria isso nem fora nem dentro da minha igreja!!! Eu só quis dizer ao Adelino q a conclusão que ele tirou não tem muitos fundamentos, que não tem logica alguém procurar algo considerado errado justamente no local que mais condena certa pratica. enfim…. mas como vc diz, o ser humano é cheio de ações inesperadas… tanto q acho uma certa hipocrisia vc afirmar com tanta propriedade que jamais trairia seu parceiro, não foi vc mesma quem disse que "O ser humano é capaz de td e se pode esperar td do ser humano, independentemente se ele for religioso ou não." Bem… posso ter te interpretado errado… assim como vc me interpretou!

      De qualquer forma não estou aqui p/ julgar… NUNCA falei que alguém religioso é mais moral do que um ateu, nunca falei isso pq não penso assim. Eu tb acredito que moral e ética independe de crença religiosa. Nem do filme eu falei… não coloquei opinião alguma sobre ele! Não entendi pq vc veio explica-lo p/ mim…. mas enfim! Saiba que por incrível que pareça, eu acredito em tudo isso que vc escreveu, sempre pensei dessa forma… não entendi pq vc veio me atingir!

    • Kamila Rocha

      O ser humano é capaz de td sim. Só que eu – como me conheço melhor do que ninguém – sei mto bem do que sou capaz de fazer e do que não sou capaz de fazer. Trair alguém é uma das coisas que eu não sou capaz de fazer.

      Sobre eu mencionar o filme: eu sei que vc não mencionou o filme, mas eu mencionei. Caso vc não tenha notado até agora, a matéria postada é sobre o filme A Tentação, então não há nada de errado em citar o filme como exemplo pra sustentar meus argumentos.

    • Kamila Rocha

      E onde foi exatamente que eu te atingi em alguma coisa? Exceto sobre o assunto "traição x consciência", eu não mencionei vc em outras partes do meu comentário.

      Eu critiquei apenas a atitude de hipocrisia moral do personagem cristão fundamentalista interpretado pelo Patrick Wilson. Vc por acaso viu o seu nome mencionado na crítica que eu teci sobre o antagonista do filme?

      Que mania chata de se fazer de vítima, credo!

    • Michelle Araujo Silva Bem… eu dei um exemplo para nosso amigo adelino, vc veio me dizer que uma pessoa descente nunca faria isso que eu disse, deixando implícito que eu estou fazendo algo horrivel… então fui explicar que na verdade eu nunca faria algo do tipo, foi só um exemplo…vc havia me entendido errado! Achei que estava tudo esclarecido… e ai vem vc vir me falar de moral e ética… de que religião não é sinônimo de caráter… de filme (p/ sustentar seus argumentos desnecessários)… e o que eu fiquei sem entender foi: De onde veio tudo isso??? E o pior.. ainda continuou afirmando que de acordo com a minha consciência, quem sabe eu ate poderia trair alguém. Isso só mostra que vc não foi capaz de entender nada que eu escrevi, quis saber só de fazer julgamentos e firmar esses pensamentos neo-ateus preconceituosos. Querida, sou religiosa mas não sou alienada! Tanto que tirando a parte desnecessária do seu discurso, eu concordo e sempre pensei como vc! O que vejo aqui é o mesmo repeteco de vaaariooos neo-ateus por ai que transformar uma coisinha em uma mega discussão sobre religiosos que acreditam que só quem tem caráter é quem tem religião… calma!!! Vamos viver em harmonia, p/ que tudo isso?

    • kamila Rocha

      Vc tá dando faniquito. Eu sempre mantive a calma desde o início do debate, não te acusei de nada, não te julguei em nada…afinal a vida é sua e vc faz dela o que quiser.

      Ps: eu não sou neo-atéia pra o seu governo. Eu sou atéia bem antes de virar moda, digamos assim. Eu me tornei atéia qdo vc estava na terceira série do ensino fundamental, filhinha.

      PS2: não estou falando que é vc (antes que vc se faça de vítima de novo), mas eu já encontrei com religiosos, na sua maior parte evangélicos que acham que a pessoa só é moral qdo tem "deus no coração". Uma delas era uma amiga minha de anos – evangélica – que terminou nossa amizade ao descobrir que eu era atéia, pq pra ela eu – de uma hora pra outra – me tornei uma pessoa má e imoral por não acreditar em deus. Até hj ela nem olha pra minha cara qdo cruza comigo na rua.

    • Pois eu acho isso um ciclo vicioso… eu sou católica, tenho minha fé e respeito todas as outras (inclusive a falta de fé)… ai vem pessoas como vc com atitudes como essa, ou bem piores. É de ficar chateada! Acho que deve ter vindo dai toda essa intolerância das duas partes (religiosos x Ateus)… da falta de compreensão mutua. Não estou dizendo que isso é uma regra ateísta, conheço ateus que conseguem compreender o próximo, e ter um dialogo inteligente. Em compensação conheço muuuuuuitos religiosos (principalmente evangélicos, mas católicos tb) que me envergonham… atitudes de gente fanática né! (assim como religiosos, existem muuuuuitos ateus fanáticos!) mas enfim… sei que vc vai vir com esse papo de que estou me fazendo de vitima e blá blá blá… quando na verdade estava querendo me explicar, então fique com toda a sua sabedoria ateia, que eu estou me restirando desse discurso sem começo nem fim!

    • Kamila Rocha

      Eu compreendo religiosos mais do que vc pensa, afinal de contas eu já fui uma (não do tipo fanática) e conheço vários religiosos – fanáticos e não-fanáticos – o suficiente pra saber como eles pensam. E como não fui uma religiosa fanática, tb não sou atéia fanática. Da mesma forma que não forçava ninguém a ser religioso tb não forço ninguém a ser ateu.

      Posso discordar de algumas religiões, mas respeito o direito que as pessoas têm de acreditar na mitologia que quiserem. Simples assim.

      Agora que é bem patético vc se fazer de vítima, isso é. É um verdadeiro atraso de vida.

      Passar bem.

  16. Renato M Veras disse:

    ZZzzzzzzzz…

  17. Bem-intencionado esse rapaz, não?

  18. como gostaria de assistir esse filme

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 409,286 comentários no Notícias Gospel.