50 anos do golpe: confira lista de cristãos perseguidos, presos, torturados e mortos pelo regime militar no Brasil

34

O último dia 01 de abril marcou os 50 anos do golpe que destituiu o presidente João Goulart e instalou o regime militar no Brasil. Durante 21 anos, as Forças Armadas governaram o país, indicando presidentes e decretando Atos Institucionais que limitavam a liberdade política e de expressão.

Durante este período, muitos cristãos – evangélicos e católicos – foram perseguidos pelo regime militar, presos, torturados e até mortos. O blog Mídia, Religião e Política publicou uma lista de nomes de pessoas ligadas ao cristianismo que se tornaram mártires da busca pela restauração da cidadania no país.

De acordo com o texto, a lista foi elaborada por Anivaldo Padilha, coordenador do Grupo de Trabalho ‘As igrejas e a ditadura militar’ da Comissão Nacional da Verdade, em parceria com a Rede Ecumênica de Juventude (REJU).

A lista está dividida entre assassinados/desaparecidos, presos/torturados e/ou exilados e perseguidos. No primeiro grupo, são citados os nomes de:


Alexandre Vanucchi, católico, estudante da Universidade de São Paulo, assassinado em 17 de março de 1973, aos 22 anos;
Padre Antônio Henrique Pereira da Silva Neto, auxiliar direto do arcebispo dom Hélder Câmara, sequestro, torturado e morto em Recife na madrugada de 27 de maio de 1969;
Heleny Guariba, fiel da Igreja Metodista Central, presa em 1970 e em 1971 e desaparecida;
Ivan Motta Dias, líder estudantil presbiteriano, preso em 1971 aos 28 anos, desaparecido desde então;
Padre João Bosco Burnier, assassinado em 12 de outubro de 1976 em Conceição do Araguaia;
Juarez Guimarães de Brito, fiel presbiteriano e líder estudantil, preso aos 32 anos no DOPS de Porto Alegre em 1970, desaparecido;
Paulo Stuart Wright, líder da juventude presbiteriana, foi eleito deputado estadual em Santa Catarina e cassado em 1964 e exilado no México. De volta ao Brasil clandestinamente, foi preso em 1973 aos 40 anos e está desaparecido desde então;
Santo Dias da Silva, líder da Pastoral Operária da Igreja Católica e representante dos leigos na CNBB, foi morto com um tiro nas costas, disparado pelo policial militar Herculano Leonel Morto, no dia 30 de outubro de 1970;
Frei Tito de Alencar, preso aos 24 anos em 1970, torturado e deportado para o Chile. Deprimido, cometeu suicídio em 10 de agosto de 1974.

No grupo de presos/torturado, a lista traz os nomes de:

Ana Maria Ramos Estevão, fiel da Igreja Metodista Vila Nova Cachoeirinha, em São Paulo, presa e torturada em 1970, exilada na França;
Anivaldo Padilha, líder da juventude na Igreja Metodista da Luz, preso em 28 de fevereiro de 1970 e torturado por 20 dias;
Padres Aristides Camiou e François Gouriou, franceses, líderes da Pastoral da Terra, presos e torturados em agosto de 1981;
Carlos Alberto Libâneo de Christo (Frei Beto), preso em 1964 e entre os anos de 1969-1973, torturado;
Celso Cardoso da Silva e Fernando Cardoso da Silva, irmãos, membros da Igreja Metodista Central, presos por conta da denúncia dos irmãos Sucassas da Igreja Metodista, em 28 de fevereiro de 1970 e torturados;
Pastor Dorival Beulke, metodista, preso em 1964 e 1965;
Eliana Bellini Rolemberg, fiel luterana, militante da Ação Popular, presa em 28 de fevereiro de 1970, juntamente com Anivaldo Padilha, torturada por 20 dias, exilada na França;
Padre Françoies Jentel, francês, preso em 1972, foi expulso do país de volta à França;
Missionário Fred Morris, da Igreja Metodista Unida dos EUA, preso em Recife pelo Exército em 1974, barbaramente torturado, acusado de fazer parte de organizações clandestinas e expulso do Brasil;
Idinaura Tucunduva, fiel da Igreja Metodista da Lapa, presa e torturada em 1970, exilada na França;
Frei Ives Lesbaupin, preso aos 23 anos em 1969, torturado e mantido no cárcere até 1973;
Frei João Valença, preso em 1969 e torturado;
Pastor Leonildo Silveira Campos, da Igreja Presbiteriana Independente, preso em São Paulo, em 1969;
Madre Maurina Borges da Silveira, detida no orfanato Lar Santana em 1969, torturada, estuprada e acusada de subversão;
Renato Godinho Navarro, fiel da Igreja Metodista Central de Belo Horizonte, preso duas vezes;
Waldo César, sociólogo, fiel da Igreja Presbiteriana, preso em casa no final de fevereiro de 1967, sofreu tortura psicológica;
Pastor Zwinglio Motta Dias, da Igreja Presbiteriana Unida do Brasil, irmão de Ivan Motta Dias, preso no Rio de Janeiro em 1971.

O terceiro e último grupo da lista traz os nomes dos cristãos perseguidos:

Antonio Ramozzi, fiel da Igreja Metodista Central, preso em 1 de março de 1971 ao sair do culto matutino. Ficou detido poucas horas;
Clara Amélia Evangelista e Domingos Alves de Lima, membros da Igreja Metodista do Jabaquara e da Igreja do Ipiranga, fugiram da invasão do DOI/CODI na Igreja Central de São Paulo em 28 de fevereiro de 1970, e exilaram-se no Chile, Panamá e posteriormente Canadá. Retornaram ao Brasil com a anistia;
Pastor João Parahyba da Silva, metodista, intimado a prestar depoimento no DOPS;
Lysâneas Maciel, advogado, jornalista e fiel presbiteriano. Teve o mandato de deputado cassado em abril de 1976 por se posicionar contra a ditadura. Exilado entre 1976-1978;
Padre Vito Miracapilo, italiano, banido do Brasil em setembro 1980. Apesar de o decreto ter sido revogado em 1993, somente em 2012 seu visto de permanência foi devolvido.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

34 COMENTÁRIOS

  1. Faltou a relação dos mortos pelos “santos” comunistas guerrilheiros em justiçamentos, ou seja, execução sumária, assaltos, roubos e os seus próprios camaradas! CADÊ!!!!????? O QUÊ QUE É ISSO COMPANHEIRO!!!!!!

    • Gostei da sua pergunta,onde esta a lista dos que foram mortos pelos comunistas guerrilheiros (que muitos fazem parte do governo) revolucionários e outros bandidos, esta esqueceram de apresentar,estes que foram apresentados certamente estavam todos orando,motivo pelo qual se deu sua prisão,assim como hoje temos muitos dentro da igreja mas seu interesse esta muito longe.

    • E aí, onde podemos encontrar a relação das pessoas sacrificadas pelos algozes que hoje levantam a bandeira do PT. Seus familiares também merecem indenização. Vamos pensar nisso?

  2. Paulo Stuart Wright,era irmao do reverendo Jaime Wright, ele era um americano que se naturalizou brasileiro. Depois do desaparecimento do irmao, cujo corpo nunca foi encontrado, o pastor presbiteriano entrou na luta contra a ditadura, ele tbm se naturalizou brasileiro e foi morar em Vitoria, no Espirito Santo, aonde ficou ate’ falecer. Pastor Wright foi um grande homem de Deus.

      • Talvez tenha sido por isso que o mataram. Por alguns anos eu troquei correspondencia com o irmao dele, reverendo Jaime, era um homem doce, tranquilo, cheguei a marcar uma viagem a Vitoria para conhece-lo pessoalmente mas ele morreu antes. Que descanse em paz.

  3. E o pastor romeno Richard Worbrand que passou 13 anos sendo torturado pelo comunismo ? Para quem não conhece sua história lei o livro Torturado pelo amor de Cristo. Bando de mentirosos , ditadura e o que o comunismo petista esta fazendo com o Brasil !!!!! Palhaçada !!!! Por que este site nao publicA a verdade.

    • Concordo plenamente com vc caro Eli, só não ve quem não quer, o que o pt queria mesmo, era transformar o Brasil em uma Cuba, depois vem falar em democracia, verdadeiros hipócrita isso sim, o Brasil está nessa situação, graças a esses bandos de comunistas.

    • Esse eu acredito ser um homem sincero! Eu li esse livro e os livros de sua esposa, Sabina e de seu filho Michel Wurbrand! Esses sim, sofreram por sua fé!

  4. Nos somos estes infantes cujo peitos amantes nunca teme lutar, fui sou e sempre serei do meu querido e glorioso Exercito Brasileiro, jamais cuspiria no prato que come, infelizmente hoje meu querido Exercito brasileiro não o mesmo como o era no meu tempo nas fileiras gloriosa do meu querido 12 R I,- QUARTA R M, QUARTA D I, QUARTA BRIGADA DE INFANTARIA, 12 R I 12 B I BELO HORIZONTE ESTADÃO DAS MINAS GERAIS, sou mineiro e honro a farda que veste por muitos e muitos dias, portanto jamais falaria mal do meu querido Exercito, fomos o que fomos e somos o que somos e ponto final,

  5. No ano de 1.964, os militares “tomaram” o poder, assumindo a República do Brasil, com medo dos pseudos comunistas, assumi-la e transformar o Brasil em uma república cubana ou soviética, acredito que eles tinham medo dos baderneiros, hipócritas, desonestos, transformar este país em uma “república de ninguém”. Não sou a favor de nenhuma ditadura, quer seja de direita, quer seja de esquerda; a verdade é que os “comunistas”, demoraram muitos anos, mas chegaram ao poder, primeiro o pais foi destroçado por um pseudo-socialista, e seus amigos de partido, começando pelo Estado de São Paulo. Após surge uma “besta”, que se dizia defensores do povo trabalhador, e acabou enterrando este País na miséria e na corrupção, basta tão somente ver, que esses defensores dos trabalhadores, enriqueceram rapidamente as custas da nação, o povo é quem paga a conta; falta moradia, transportes, saúde e educação, apenas tem verbas para a construção de estádio e remessa de nossos lucros para o País de Fidel, e compra de refinaria totalmente falida na América do Norte, em suma os comunistas assumiram a Pátria Brasileira, cadê os militares para colocar ordem na casa.

    J, Campos

  6. Esses são Cristãos ou comunistas?
    Uma coisa ou outra, não há meio termo.
    Lamento por eles não se terem firmados em apenas evangelizar.
    Aticismo social não tem nada ver com Evangelizar.
    O militarismo foi passageiro e como não é diferente de qualquer outra forma de governo, deixou marcas más como também fez coisas boas.
    Fosse o comunismo implantado, estaríamos até hoje sofrendo.

  7. Minha posição é clara.

    O Golpe foi necessário, o regime não.

    A promessa era que após o golpe haveria eleições seis meses depois, o que não foi cumprido.

    Essa comissão da verdade é uma piada, tem muita história mal contada.

    • Marcos, não havia possibilidade pois a resistência armada queria impor as eleições através de ações radicais, a explosão no aeroporto dos Guararapes foi um dos episódios. Não se faz eleições sem antes pacificar o país. A luta aumentou e nos custou tempo demais na permanência dos militares.

  8. TALVEZ A COMENTAR ATRAIA SOBRE MIM CRITICAS E SEI QUE ESTAS SEMPRE SÃO PESADAS.
    LUTEI CONTRA O REGIME, CONTRA A DITADURA, DE MUITAS FORMAS , NA UNE NA FUI PRESO LEVADO AO DOPS, SÓ NÃO APANHEI MAIS, PORQUE MEU PAI E SEU SÓCIO ERAM INFLUENTES NO LUGAR, SAI COM A PROMESSA DE NÃO CAIR MAIS, REALMENTE NÃO CAI, MAS CONTINUEI LUTANDO POR DIREITOS, DISTRIBUINDO PASQUIM, FAZENDO REUNIÕES SECRETAS.
    TEMPOS DIFICIEIS, MAS APESAR DE TUDO CONSEGUIAMOS FAZER CULTOS DE RUA, ONDE PREGAVAMOS A PALAVRA MAS TAMBÉM, ESTIMULAVAMOS ASO CIDADÃOS A PENSAR.
    MAS HOJE E TALVEZ AQUI VENHA AS CRITICAS, NÃO SEI SE NÃO ESTÁ NA HORA DO BRASIL SOFRER ALGUM GOLPE MILITAR, NÃO COMUNISTA COMO ESTA O PT A FAZER.
    MAS UM GOLPE QUE NOS DEVOLVA PAZ, QUE BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO
    QUE JOVENS, NÃO ROUBEM MATEM IMPONHAM TERROR ONDE NÃO SEJAM IMPUNES
    ONDE POLITICOS COMO O PT ROUBE O POVO E NUNCA FOMOS TÃO ROUBADOS COMO HOJE PELO PT E SUA TRUPE, ONDE A IMPUNIDADE ROLA SOLTA.
    ONDE A RIQUEZA DO PAÍS SEJA DIVIDIDA ENTRE POUCOS
    ONDE O PAÍS SUCATEADO FOI VENDIDO A ESTRANGEIROS, ENSINAM NA AMÉRICA DO NORTE E EM ALGUNS PAÍSES DA EUROPA, QUE A AMAZONIA NÃO É DO BRASIL É AREA LIVRE
    NUM PAIS SEM ESCOLAS
    SEM HOSPITAIS SEM MÉDICOS SEM REMÉDIOS SEM EQUIPAMENTOS DE CORPORATIVISMOS
    SEM SEGURANÇA ONDE LADRÕES E ASSASSINOS DECRETAM TOQUE DE RECOLHER
    DE DENTRO DE PRESIDIOS ORDENEM A QUEM MATAR ROUBO TRAFICO, SEM FALAR NA POLICIA BANDIDA
    TENHAM CERTEZA, NESTES ASPECTOS NOS ERAMOS MUITO MELHOR NA DITADURA

    • Clamando mais uma vez concordo contigo em um bilhão de por cento, não porque pertence as fileiras do Exercito em pleno regime militar , mas e porque realmente o brasil esta sim precisando de ser moralizado, tem coisas que somente pela força se resolve, isto que vivemos não pode nunca ser chamado de democracia, se o for seria democracia da vergonha da impunidade da desigualdade da falacia da falsidade se democracia e isto o que vivemos no brasil de hoje prefiro sim viver no regime militar com ordem e decentemente, se fomos ruins como muitos dizem alenbren-se que foi no nosso governo que o brasil começou a se desenvolver com obras grandes e nesseçarias para aquele tempo e epoca, se não fosse daquele jito e daquele modo o brasil hoje poderia ser uma cuba de hoje, sem liberdade alguma, muitos e muitos que falam hoje não participaram realmente e verdadeiramente do regime tivemos sim muitos e muitos pontos positivos para o brasil, foi muitos e muitos avanços reais e verdadeiros para o desenvolvimento do brasil,

      • CONCORDO EM UM MILHÃO POR CENTO, MELHOR A DITADURA DO DIREITO AOS CUIDADOS COMO SEGURANÇA SEM POLITICOS LADRÕES ESTES VERGONHA NACIONAL, COM SAUDE A VONTADE, ATÉ DENTISTAS E MÉDICOS AS ESCOLAS TINHAM, ESCOLAS ONDE ANTES DE ENTRAR PARA A SALA DE AULA, PRESTAVAMOS CIVISMO AO CANTAR O HINO NACIONAL DO ESTADO E POR FIM O DA ESCOLA, AO ENTRAR, ERAMOS OBRIGADOS A ORAR O PAI NOSSO NÃO OFENDIA EM NADA, LUTEI SIM CONTRA A DITADURA, MAS NUNCA IMAGINEI QUE FOSSE POR ISTO, TRAFICO A LUZ DO DIA, BANDIDO PRESO MANDANDO NO PAÍS…É UMA VERGONHA

  9. Restou ao Gnoticias por uma questão de justiça, expor os mortos seja por assassinato, justiçamento ou vítima de detonação de explosivos pela esquerda comunistas.

    AS VÍTIMAS DAS ESQUERDAS ANTES DO AI-5

    1 – 12/11/64 – Paulo Macena, Vigia – RJ
    Explosão de bomba deixada por uma organização comunista nunca identificada, em protesto contra a aprovação da Lei Suplicy, que extinguiu a UNE e a UBES. No Cine Bruni, Flamengo, com seis feridos graves e 1 morto

    2 – 27/03/65- Carlos Argemiro Camargo, Sargento do Exército – Paraná
    Emboscada de um grupo de militantes da Força Armada de Libertação Nacional (FALN), chefiado pelo ex-coronel Jeffersom Cardim de Alencar Osorio. Camargo foi morto a tiros. Sua mulher estava grávida de sete meses.

    3 – 25/07/66 – Edson Régis de Carvalho, Jornalista – PE
    Explosão de bomba no Aeroporto Internacional de Guararapes, com 17 feridos e 2 mortos. Ver próximo nome.

    4 – 25/07/66 – Nelson Gomes Fernandes, almirante – PE
    Morto no mesmo atentado citado no item 3. Além das duas vítimas fatais, ficaram feridas 17 pessoas, entre elas o então coronel do Exército Sylvio Ferreira da Silva. Além de fraturas expostas, teve amputados quatro dedos da mão esquerda. Sebastião Tomaz de Aquino, guarda civil, teve a perna direita amputada.

    5 – 28/09/66 – Raimundo de Carvalho Andrade – Cabo da PM, GO
    Morto durante uma tentativa de desocupação do Colégio Estadual Campinas, em Goiânia, que havia sido ocupado por estudantes de esquerda. O grupo de soldados convocado para a tarefa era formado por burocratas, cozinheiros etc. Estavam armados com balas de festim. Andrade, que era alfaiate da Polícia Militar, foi morto por uma bala de verdade disparada de dentro da escola.

    6 – 24/11/67 – José Gonçalves Conceição (Zé Dico) – fazendeiro – SP
    Morto por Edmur Péricles de Camargo, integrante da Ala Marighella, durante a invasão da fazenda Bandeirante, em Presidente Epitácio. Zé Dico foi trancado num quarto, torturado e, finalmente, morto com vários tiros. O filho do fazendeiro que tentara socorrer o pai foi baleado por Edmur com dois tiros nas costas.

    7 – 15/12/67 – Osíris Motta Marcondes, bancário – SP
    Morto quando tentava impedir um assalto terrorista ao Banco Mercantil, do qual era o gerente.

    8 – 10/01/68 – Agostinho Ferreira Lima – Marinha Mercante – Rio Negro/AM
    No dia 06/12/67, a lancha da Marinha Mercante “Antônio Alberto” foi atacada por um grupo de nove terroristas, liderados por Ricardo Alberto Aguado Gomes, “Dr. Ramon”, que, posteriormente, ingressou na Ação Libertadora Nacional (ALN). Neste ataque, Agostinho Ferreira Lima foi ferido gravemente, vindo a morrer no dia 10/01/68.

    9 – 31/05/68 – Ailton de Oliveira, guarda Penitenciário – RJ
    O Movimento Armado Revolucionário (MAR) montou uma ação para libertar nove de seus membros que cumpriam pena na Penitenciária Lemos de Brito (RJ) e que, uma vez libertados, deveriam seguir para a região de Conceição de Jacareí, onde o MAR pretendia estabelecer o “embrião do foco guerrilheiro”. No dia 26/05/68, o estagiário Júlio César entregou à funcionária da penitenciária Natersa Passos, num pacote, três revólveres calibre 38. Às 17h30, teve início a fuga. Os terroristas foram surpreendidos pelos guardas penitenciários Ailton de Oliveira e Jorge Félix Barbosa. Foram feridos, e Ailton morreu no dia 31/05/68. Ainda ficou gravemente ferido o funcionário da Light João Dias Pereira, que se encontrava na calçada da penitenciária. O autor dos disparos que atingiram o guarda Ailton foi o terrorista Avelino Brioni Capitani

    10 – 26/06/68- Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP
    No dia 26/06/68, Kozel atua como sentinela do Quartel General do II Exército. Às 4h30, um tiro é disparado por um outro soldado contra uma camioneta que, desgovernada, tenta penetrar no quartel. Seu motorista saltara dela em movimento, após acelerá-la e direcioná-la para o portão do QG. O soldado Rufino, também sentinela, dispara 6 tiros contra o mesmo veículo, que, finalmente, bate na parede externa do quartel. Kozel sai do seu posto e corre em direção ao carro para ver se havia alguém no seu interior. Havia uma carga com 50 quilos de dinamite, que, segundos depois, explode. O corpo de Kozel é dilacerado. Os soldados João Fernandes, Luiz Roberto Julião e Edson Roberto Rufino ficam muito feridos. É mais um ato terrorista da organização chefiada por Lamarca, a VPR. Participaram do crime os terroristas Diógenes José de Carvalho Oliveira, Waldir Carlos Sarapu, Wilson Egídio Fava, Onofre Pinto, Edmundo Coleen Leite, José Araújo Nóbrega, Oswaldo Antônio dos Santos, Dulce de Souza Maia, Renata Ferraz Guerra Andrade e José Ronaldo Tavares de Lima e Silva. Ah, sim: a família de Lamarca recebeu indenização. De Kozel, quase ninguém mais se lembra.

    11 – 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – civil – RJ
    Morto com um tiro no coração em conflito na rua. Estudantes distribuíam, no Largo de São Francisco, panfletos a favor do governo e contra as agitações estudantis conduzidas por militantes comunistas. Gessé Barbosa de Souza, eletricista e militante da VPR, conhecido como “Juliano” ou “Julião”, infiltrado no movimento, tentou impedir a manifestação com uma arma. Os estudantes, em grande maioria, não se intimidaram e tentaram segurar Gessé que fugiu atirando, atingindo mortalmente Noel de Oliveira Ramos e ferindo o engraxate Olavo Siqueira.

    12- 27/06/68 – Nelson de Barros – Sargento PM – RJ
    No dia 21/06/68, conhecida como a “Sexta-Feira Sangrenta”, realizou-se no Rio uma passeata contra o regime militar. Cerca de 10.000 pessoas ergueram barricadas, incendiaram carros, agrediram motoristas, saquearam lojas, atacaram a tiros a embaixada americana e as tropas da Polícia Militar. No fim da noite, pelo menos 10 mortos e centenas de feridos. Entre estes, estava o sargento da PM Nelson de Barros, que morreu no dia 27.

    13 – 01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – major do Exército Alemão – RJ
    Morto no Rio, onde fazia o Curso da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Assassinado na rua Engenheiro Duarte, Gávea, por ter sido confundido com o major boliviano Gary Prado, suposto matador de Che Guevara, que também cursava a mesma escola. Autores: Severino Viana Callou, João Lucas Alves e um terceiro não-identificado. Todos pertenciam à organização terrorista COLINA- Comando de Libertação Nacional.

    14 – 07/09/68 – Eduardo Custódio de Souza – Soldado PM – SP
    Morto com sete tiros por terroristas de uma organização não identificada quando de sentinela no DEOPS, em São Paulo.

    15 – 20/09/68 – Antônio Carlos Jeffery – Soldado PM – SP
    Morto a tiros quando de sentinela no quartel da então Força Pública de São Paulo (atual PM) no Barro Branco. Organização terrorista que praticou o assassinato: Vanguarda Popular Revolucionária. Assassinos: Pedro Lobo de Oliveira, Onofre Pinto, Diógenes José Carvalho de Oliveira, atualmente conhecido como “Diógenes do PT”, ex-auxiliar de Olívio Dutra no Governo do RS.

    16- 12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos Estados Unidos – SP
    Herói na guerra com o Vietnã, veio ao Brasil para fazer o Curso de Sociologia e Política, na Fundação Álvares Penteado, em São Paulo/SP. No início de outubro de 68, um “Tribunal Revolucionário”, composto pelos dirigentes da VPR (Vanguarda Popular Revolucionária), Onofre Pinto (Augusto, Ribeiro, Ari), João Carlos Kfouri Quartin de Morais (Maneco) e Ladislas Dowbor (Jamil), condenou o capitão Chandler à morte, porque ele “seria um agente da CIA”. Os levantamentos da rotina de vida do capitão foram realizados por Dulce de Souza Maia (Judite). Quando retirava seu carro das garagem para seguir para a Faculdade, Chandler foi assassinado com 14 tiros de metralhadora e vários tiros de revólver, na frente da sua mulher, Joan, e de seus 3 filhos. O grupo de execução era constituído pelos terroristas Pedro Lobo de Oliveira (Getúlio), Diógenes José de Carvalho Oliveira (Luis, Leonardo, Pedro) e Marco Antônio Bráz de Carvalho (Marquito).

    17 – 24/10/68 – Luiz Carlos Augusto – civil – RJ
    Morto, com 1 tiro, durante uma passeata estudantil.

    18 – 25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – civil – RJ
    Morto, com quatro tiros de pistola Luger 9mm durante o roubo de seu carro, na avenida 28 de Setembro, Vila Isabel, RJ. Autores: Murilo Pinto da Silva (Cesar ou Miranda) e Fausto Machado Freire (Ruivo ou Wilson), ambos integrantes da organização terrorista COLINA (Comando de Libertação Nacional).

    19 – 07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP
    Morto pelos terroristas Ioshitame Fugimore, Oswaldo Antônio dos Santos e Pedro Lobo Oliveira, todos integrantes da Vanguarda Popular Revolucionária(VPR), quando roubavam seu automóvel na esquina das ruas Carlos Norberto Souza Aranha e Jaime Fonseca Rodrigues, em São Paulo.

  10. Restou ao Gnoticias por uma questão de justiça, expor os mortos seja por assassinato, justiçamento ou vítima de detonação de explosivos pela esquerda comunistas.

    AS VÍTIMAS DAS ESQUERDAS ANTES DO AI-5

    1 – 12/11/64 – Paulo Macena, Vigia – RJ11 – 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – civil –
    AS VÍTIMAS DAS ESQUERDAS ANTES DO AI-5

    1 – 12/11/64 – Paulo Macena, Vigia – RJ

    2 – 27/03/65- Carlos Argemiro Camargo, Sargento do Exército – Paraná

    3 – 25/07/66 – Edson Régis de Carvalho, Jornalista – PE

    4 – 25/07/66 – Nelson Gomes Fernandes, almirante – PE

    5 – 28/09/66 – Raimundo de Carvalho Andrade – Cabo da PM, GO

    6 – 24/11/67 – José Gonçalves Conceição (Zé Dico) – fazendeiro – SP

    7 – 15/12/67 – Osíris Motta Marcondes, bancário – SP

    8 – 10/01/68 – Agostinho Ferreira Lima – Marinha Mercante – Rio Negro/AM

    9 – 31/05/68 – Ailton de Oliveira, guarda Penitenciário – RJ

    10 – 26/06/68- Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP

    11 – 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – civil – RJ

    12- 27/06/68 – Nelson de Barros – Sargento PM – RJ

    13 – 01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – major do Exército Alemão – RJ

    14 – 07/09/68 – Eduardo Custódio de Souza – Soldado PM – SP

    15 – 20/09/68 – Antônio Carlos Jeffery – Soldado PM – SP

    16- 12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos Estados Unidos – SP

    17 – 24/10/68 – Luiz Carlos Augusto – civil – RJ

    18 – 25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – civil – RJ

    19 – 07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP

    • As esquerdas alegam que o regime ilitar, ao longo de 21 anos, matou 424 dos seus militantes. É um número provavelmente inflado. Mortos comprovados são 293, os outros constam como “desaparecidos” e se dá de barato que tenham sido mortos por “agentes do regime”. Nessa conta, diga-se, estão quatro militantes da ALN-Molipo que foram mortos pelos próprios “companheiros”. Ela também inclui os que morreram de arma na mão no Araguaia a lista total. Este post tem outro objetivo. E, antes que prossiga, uma questão de princípio: não deveria ter morrido uma só pessoa depois de rendida pelo Estado. Ponto final. Não há o que discutir sobre este particular.

      O que não se diz é que o terrorismo de esquerda matou nada menos de 119 pessoas, muitas delas sem qualquer vinculação com a luta política. Quase ninguém sabe disso. Também se consolidou uma outra brutal inverdade histórica, segundo a qual as ações armadas da esquerda só tiveram início depois do AI-5, de 13 de dezembro de 1968. É como se, antes disso, os esquerdistas tivessem se dedicado apenas à resistência pacífica.

  11. Não sou favorável ao extremismo praticado pela ditadura militar, mas que este país sempre gostou de uma ditadura da esquerda, isso é indiscutível e com algumas nuances.

    O Brasil idolatra Getúlio Vargas, ditador por dezenove anos e que homologou leis trabalhistas, dando a entender por isso um lado esquerdista, mas que namorava o nazismo, ou seja, a direita alemã.

    Esse ditador foi acusado de perseguir e matar seus opositores, tendo mudado de lado, como seja, apoiado a guerra contra os nazistas por dinheiro, tudo por favores dos americanos, aí ninguém fala dos seus erros, das suas vítimas? Estou esquecendo a data exata em que o partido comunista foi considerado ilegal, mas ao certo não foi na época da ditadura militar.

    Ninguém fala o motivo do Brasil considerar o partido comunista como ilegal, mas se sabe e bem que foi em face das histórias que vinham da Europa e da Ásia quanto as perseguições e mortes praticadas pelos comunistas no afã de conduzir seu ideal comunista.pois uma vez instalado passavam a fazer com os cidadãos do país que dominavam o arco da velha, onde as mortes e perseguições ocorridas na ditadura se constitui um pingo no oceano, aliás, bem visível ainda hoje na Coréia do Norte e em Cuba, estando em processo de retorno com os radicais da Russia, conduzidos pelo bandido chamando Putim. cuja escalada começou com a vontade explícita de retomar a Ucrãnia, mas que agora disponibiliza da Crimeia, tudo à luz de seus cidadãos que estão enxergando mas não reagem à ditadura nova.

  12. Não sou favorável ao extremismo praticado pela ditadura militar brasileira, mas que este país sempre gostou de uma ditadura da esquerda, isso é indiscutível e com algumas nuances.

    O Brasil idolatrava e idolatrou Getúlio Vargas, ditador por dezenove anos, todavia como homologou leis trabalhistas, santificou-se em face um lado esquerdista dele, mas ocorre que que esta figura namorava e muito o nazismo e Hitler, ou seja, a direita radical alemã, como eu disse, as nuances da esquerda do país.

    Esse ditador brasileiro foi acusado de perseguir e matar seus opositores, tendo mudado de lado, como seja de amar o nazismo, como seja, apoiado a guerra contra os nazistas por dinheiro e por favores dos americanos do norte, mas aí ninguém fala dos seus erros e das suas vítimas?

    Estou esquecendo a data exata em que o partido comunista foi considerado ilegal, mas ao certo não foi na época da ditadura militar de 64, mas não vejo ninguém falando do motivo do Brasil considerar o partido comunista ilegal. Sabe-se e bem que foi em face das histórias assombrosas que vinham da Europa e da Ásia quanto ao processo de perseguições e mortes praticadas pelos comunistas no afã de conduzir seu ideal.

    É que uma vez instalados, passavam a fazer com os cidadãos do país que dominavam coisas do arco da velha, sendo que os fatos ocorridos durante a ditadura militar da direita se constituírem em apenas um pingo no oceano.

    Ainda hoje visível a perseguição da esquerda comunista na Coréia do Norte e em Cuba, e se isto não bastasse o mundo assiste na atualidade um processo de retorno, via os radicais da Russia, ao extremismo, todos conduzidos pelo bandido chamando Putim. cuja escalada de dominação e perseguição começou com a vontade explícita de retomar a Ucrãnia, mas em não tendo conseguido se dirigiu contra uma parte dela, a Crimeia, tudo à luz de seus cidadãos que, apesar de enxergar esse retrocesso(ditadura da esquerda ou direita) não estão a reagir à nova ditadura, modo operando de Hugo Chaves na Venezuela.

    Em síntese, pondo num mesmo saco, esquerda e direita, possuem a mesma matéria, portanto, homogêneos e sempre à busca do poder, custe o que custar.

  13. Nenhum deles morreu por ser cristão. Os que morreram realmente nas mãos do regime militar, morreram por luta contra o regime, protestos, luta armada, terrorismo, etc.
    Se fossem cristãos não fariam parte dos movimentos “estudantis”, destes maconheiros vadios que só sabem pregar a anarquia, e que de estudantes não tem nada.

    Vocês estão querendo que os cristãos sintam raiva dos militares, mas não vai colar. Nenhum regime político tratou tão bem OS CRISTÃOS como o regime militar. Ser crente nunca foi proibido, o que era proibido é fazer arruaça contra o governo. E os milicos sentavam o cacete mesmo! Estes vagabundos como este comunista chamado Frei (frei do inferno) Beto se esconde atrás de um título religioso para disseminar a maldade.
    Este site está infestado desta praga chamada marxismo. Tem um ou outro colunista apenas que se salva.

  14. Certamente agora começaremos a ter algumas respostas de comunistas,petistas,os dizem socialistas e outros imprestáveis, que se dizem vitimas que foram torturados,mas que a verdade são os próprios golpistas querendo mudar a verdade com falso dramatismo dizendo que foram torturados,mas foram os próprios torturadores assumiram o poder e estão afundando o Brasil,estão fazendo do Brasil uma segunda Cuba, falando o que o povo gosta de ouvir,mas implantando o comunismo assim como aconteceu com Cuba,e o nosso povo não olha para os lado,mas temos alguns que conseguem ver o que esta acontecendo

  15. Boa tarde! É impressionante o número de pessoas idiotas, com opiniões, uma mais burra e analfabetos políticos que outra!
    Não existiu período pior na nossa história, que o período militar. Período de roubalheira, corrupção e assassinatos de quem ousasse a divulgar.
    Dezenas de padres, religiosos honestos e até crianças! Foram assassinadas.
    Acho que só pessoas burras, ou elitistas filhos parentes de milicos é que são a favor desse maior atraso da nossa nação. Um golpe que foi bancado pelos Estados Unidos da América do Norte.

    Tortura nunca mais!!!

  16. Graças ao Regime Militar e seu contragolpe, o cristianismo permaneceu no Brasil, após 1964!

    E após o golpe do palanque das Diretas Já, em 1985, a prática cristã ganhou atuações de demônios disfarçados!

  17. 1 ► Sobre os que deram opinião de que não importa se uma ditadura é comunista ou de direita, sim isso é verdade. A América Latina teve tanto ditadura de direita (Brasil, Chile, etc.) como de esquerda (Cuba), ambas nocivas.

    Mas mesmo so EUA tiveram seu momentao ditadura no Macartismo:

    https://pt.wikipedia.org/wiki/Macartismo

    Macartismo (em inglês McCarthyism) é um termo que se refere à prática de acusar alguém de subversão ou de traição sem respeito pelas evidências. Segundo um dicionário on-line, se refere à “prática de fazer alegações injustas ou utilizar técnicas investigativas injustas, especialmente para restringir o dissenso ou a crítica política”.[1] O termo tem suas origens no período da História dos Estados Unidos conhecido como segunda ameaça vermelha, que durou de 1950 a 1957 e foi caracterizado por uma acentuada repressão política aos comunistas, assim como por uma campanha de medo à influência deles nas instituições estadunidenses e à espionagem por agentes da União Soviética. Originalmente cunhado para descrever a patrulha anticomunista promovida pelo Senador republicano Joseph McCarthy, do Wisconsin, o termo logo adquiriu um significado mais extenso, sendo utilizado hoje para descrever o excesso de iniciativas similares. Também é utilizado para descrever acusações imprudentes e pouco fundamentadas, assim como ataques demagógicos ao caráter ou ao senso de patriotismo de adversários políticos.

    2 ► O que tem de gente usando a falácia Tu Quoque

    http://falaciasonline.wikidot.com/tu-quoque

    Essa falácia se estabelece quando se usa os erros cometidos por outros – principalmente pelo próprio oponente na discussão – para desconsiderar o argumento apresentado.

    EX: “Não aceito sua acusação de que estamos escrevendo com erros de Português, pois você também erra muito.”

    Ocorre, também, quando uma ação se torna aceitável porque outra pessoa também a cometeu.

    EX: “Como posso aceitar o argumento de que fumar faz mal à saúde, se é dito por um médico que fuma tanto quanto eu?”

    “Como posso aceitar acusação de que a ditadura militar DIREITISTA tava errada se a ESQUERDISTA também errou?”

    3 ► Pior são argumentos que tentam a totrotoe e adireita justificar ditadura usando a passagem:

    <>

    Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque NÃO Há AUTORIDADE QUE NãO VENHA DE DEUS; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação. Em verdade, as autoridades inspiram temor, não porém a quem pratica o bem, e sim a quem faz o mal! Queres não ter o que temer a autoridade? Faze o bem e terás o seu louvor. Porque ela é instrumento de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, porque não é sem razão que leva a espada: é ministro de Deus, para fazer justiça e para exercer a ira contra aquele que pratica o mal. Portanto, é necessário submeter-se, não somente por temor do castigo, mas também por dever de consciência. É também por essa razão que pagais os impostos, pois os magistrados são ministros de Deus, quando exercem pontualmente esse ofício. Pagai a cada um o que lhe compete: o imposto, a quem deveis o imposto; o tributo, a quem deveis o tributo; o temor e o respeito, a quem deveis o temor e o respeito. A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor recíproco; porque aquele que ama o seu próximo cumpriu toda a lei.

    <>

    Dize-nos, pois, o que te parece: É permitido ou não pagar o imposto a César? Jesus, percebendo a sua malícia, respondeu: Por que me tentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda com que se paga o imposto! Apresentaram-lhe um denário. Perguntou Jesus: De quem é esta imagem e esta inscrição? De César, responderam-lhe. Disse-lhes então Jesus: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

    ______ ENTÃO ______

    Deus constituiu TODAS as AUTORIDADES? Incluindo as paises comunistas tb.

    Agora se tivesse aqui uma ditadura comunista voces cristaos iriam se submeter? Ou iam se rebelar, mesmo pegando em armas? Quando convem fala em autoridades constituidas.

    E na epoca de Jesus os judeus pagavem impostos a Cesar, da Roma pagã. Cristaos aceitariam se submeter e pagar impostos a um governo pagão? Hein?

    Voces so pegam da Biblia o que convem né? So cai nessa quem for ingenuo.

    _____________

    Ainda bem que sou ATEU e e nao se deve aceitar ditadura nenhuma, neme squerda nem direita. Esse papo de que todos devem se sumeter a regimes totalitarios é bem coisa de cristoa. Cristaos e suas contradições, perseguem a si proprios e depois querem por culpa em terceiros e dar lição de moral.

    Querem usar de falaci pra justificar erros da ditadura, vao contra pra quem crê em conto de fadas. Aqui nao cola malandros.

  18. CORRIGINDO —————–>

    3 ► Pior são argumentos que tentam a totrotoe e adireita justificar ditadura usando a passagem:

    —– Romanos 13:1-8 —–

    Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque NÃO Há AUTORIDADE QUE NãO VENHA DE DEUS; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação. Em verdade, as autoridades inspiram temor, não porém a quem pratica o bem, e sim a quem faz o mal! Queres não ter o que temer a autoridade? Faze o bem e terás o seu louvor. Porque ela é instrumento de Deus para teu bem. Mas, se fizeres o mal, teme, porque não é sem razão que leva a espada: é ministro de Deus, para fazer justiça e para exercer a ira contra aquele que pratica o mal. Portanto, é necessário submeter-se, não somente por temor do castigo, mas também por dever de consciência. É também por essa razão que pagais os impostos, pois os magistrados são ministros de Deus, quando exercem pontualmente esse ofício. Pagai a cada um o que lhe compete: o imposto, a quem deveis o imposto; o tributo, a quem deveis o tributo; o temor e o respeito, a quem deveis o temor e o respeito. A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor recíproco; porque aquele que ama o seu próximo cumpriu toda a lei.

    —– Mateus 22:17-21 —–

    Dize-nos, pois, o que te parece: É permitido ou não pagar o imposto a César? Jesus, percebendo a sua malícia, respondeu: Por que me tentais, hipócritas? Mostrai-me a moeda com que se paga o imposto! Apresentaram-lhe um denário. Perguntou Jesus: De quem é esta imagem e esta inscrição? De César, responderam-lhe. Disse-lhes então Jesus: Dai, pois, a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.

DEIXE UMA RESPOSTA