Antes de bomba, Temer recebeu pastor Samuel Câmara e aguardava Malafaia para pedir apoio a reformas

0

O presidente Michel Temer (PMDB) vinha cumprindo sua agenda de trabalho com foco na aprovação das reformas trabalhista e da previdência, incluindo encontros com pastores, até que a bombástica delação da JBS mudou a ordem das coisas em Brasília.

Ontem, 17 de maio, antes da divulgação da notícia sobre a suposta gravação que o compromete, Temer recebeu o pastor Samuel Câmara, que pleiteia o cargo de presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). Hoje, encontraria-se com Silas Malafaia, para pedir seu apoio à Reforma da Previdência.

No encontro com Câmara, Temer recebeu um exemplar da “Bíblia da Liderança Cristã”, do autor americano John C. Maxwell. Em uma foto publicada no Twitter, o presidente disse que a Bíblia é “um livro sagrado que guia a minha vida e de milhões brasileiros”.

Terremoto

Horas depois, as bases de seu governo seriam abaladas de forma grave, e o presidente, que antes lutava para deixar como marca de seu mandato as reformas, passaria a lutar por sobrevivência.

A reunião com Malafaia foi cancelada ainda na manhã desta quinta-feira, após o pastor usar o Twitter para pedir o impeachment do presidente. O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), que participaria do encontro, revelou ao jornal O Estado de S. Paulo que Temer insistiu, dias atrás, em ter uma conversa com o pastor.

“Eu disse ao presidente: se for para pedir apoio à reforma da Previdência, melhor não marcar, porque vai ser um desgaste para o senhor e para ele. Mas o presidente disse: ‘quero conversar com ele'”, afirmou Sóstenes, que hoje foi contactado pela assessoria de Temer para considerar o compromisso oficialmente nulo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA