“Davi e Golias”: diretor de filme que narrará a batalha contra o gigante diz que produção “honrará a Deus”

1

O próximo filme com temática bíblica que deverá atrair a atenção dos cristãos é “Davi e Golias”, dirigido por Tim Chey e com lançamento previsto para o mês de abril nos cinemas dos Estados Unidos.

A batalha entre o gigante filisteu e o então jovem pastor de ovelhas foi adaptada, novamente, para as telonas, e o diretor do filme disse que a produção irá honrar a Deus.

“Bem, em primeiro lugar, eu não sou só um cineasta, mas também um evangelista. Então, obviamente, eu não vou fazer um filme que biblicamente não seja correto ou não honre ao Senhor”, disse Chey.

Com críticas ao filme “Noé”, dirigido por Darren Aronofsky, Tim Chey afirmou que não haverão imprecisões históricas ou infidelidade à Bíblia em seu filme: “Não há monstros de pedra ajudando Davi, infelizmente”, disse Chey, irônico. “Mas, brincadeiras à parte, eu queria fazer um filme que revigorarasse o tipo de fé que o futuro rei de Israel tinha, ou seja, lutar contra um gigante com uma chance de 0% e, com ajuda de Deus, derrotá-lo”, acrescentou o cineasta, durante uma entrevista recente em Los Angeles.


O ator Miles Sloman vive Davi, enquanto Golias é interpretado pelo ator Jerry Sokoloski, de acordo com informações do Charisma News.

O filme é uma produção bem mais simples que os últimos filmes com temática cristã, e pode ser considerado um “filme B”. “Êxodo: deuses e reis”, dirigido pelo renomado Ridley Scott e estrelado por Christian Bale, custou aos estúdios a bagatela de US$ 140 milhões, de acordo com a revista Exame. Já o criticado “Noé” consumiu US$ 125 milhões.

No entanto, as altas quantias investidas nos filmes não foram suficientes para convencer os líderes cristãos de sua relevância e contribuição para a divulgação da mensagem bíblica. Enquanto isso, o diretor de “Davi e Golias” garante que o conteúdo de seu filme não irá desapontar quem espera ver a narrativa bíblica no cinema. Assista ao trailer:

Assine o Canal

1 COMENTÁRIO

  1. Em Minas, pastor é preso após organizar suruba evangélica

    No município mineiro de João Monlevade um pastor de 36 anos foi preso após denúncias de que o mesmo estaria promovendo encontros sexuais coletivos entre os fiéis da ‘Igreja do Reavivamento Divino’.
    As informações são do Tramado por Mulheres. Segundo testemunhas ouvidas na 27ª Delegacia Regional João Monlevade o pastor Gibran Henrique induzia os fiéis a deturpações das leituras bíblicas para que os mesmos se despissem de suas roupas e de sua moral.
    Giovana Duarte Sarmento, estudante de 27 anos disse em depoimento que o pastor selecionava as moças e rapazes de beleza mais evidente para os “encontros de aprofundamento”, nestes encontros ele afirmava que para entrar em conexão direta com Deus precisariam tirar as roupas e tomar o sangue de Cristo, que era representado por cálices de Cabernet Sauvignon.
    Depois de dezenas de cálices de vinho o pastor Gibran promovia a chamada ‘comunhão com os irmãos’, que segundo depoimento de Letícia Duila Cabral, radalista de 26 anos, seria uma espécie de abraço coletivo onde todos deveriam sentir integralmente o corpo dos irmãos.
    Fonte: o correio News em 03 de

DEIXE UMA RESPOSTA