Na Síria, extremistas islâmicos matam cristãos para venderem sangue para sacrifícios por US$ 100 mil, diz freira

7

Um grupo muçulmano da Síria estaria vendendo sangue de cristãos para sacrifícios por US$ 100 mil, denunciou uma freira ortodoxa síria.

Hatune Dogan conduziu uma investigação independente sobre casos de torturas a cristãos e descobriu que os radicais islâmicos da síria praticam um ritual de lavagem das mãos com o sangue, como parte do “sacrifício a Alá”.

A freira fundou uma entidade de assistência humanitária chamada “Fundação da Irmã Hatune”, para auxiliar vítimas de perseguição religiosa e demais necessitados, e já atua em 35 países.

Segundo a denúncia feita pela freira em Viena, na Áustria, os radicais islâmicos sírios vendem a integrantes da jihad saudita pequenos frascos com sangue de cristãos por US$ 100 mil cada um, numa espécie de mercado negro da fé muçulmana.


De acordo com o La Gaceta, a freira obteve as informações de um homem que integrava o esquema de assassinato de cristãos. Com graves problemas psicológicos, ele se converteu ao cristianismo e denunciou a prática dos extremistas sírios.

Na Síria, são comuns os boatos de que os radicais islâmicos assam cristãos vivos em fornos ou matam e bebem o sangue por acreditarem que isso os dará salvação.

Durante a entrevista coletiva em que apresentou a denúncia, a freira mostrou fotos de um homem que havia sofrido torturas intensas por parte de muçulmanos. Os torturadores cortaram sua pele em partes do corpo, formando uma espécie de bolso, que eles enchiam de sal, para causar sofrimento.

A freira Hatune Dogan disse ainda que teve acesso a dezenas de vídeos de torturas a cristãos, incluindo uma decapitação de um homem convertido ao cristianismo. Nesse caso, os muçulmanos iraquianos que o executaram gritam segundos antes de matá-lo que aquele ato é um “sacrifício a Alá”.

No vídeo abaixo, a freira Dogan fala em alemão sobre as denúncias de torturas a cristãos. Se precisar, use o serviço de legendas do YouTube:

Assine o Canal

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

7 COMENTÁRIOS

  1. Será mesmo verdade, ou estamos diante de mais uma lenda urbana? Onde estão as provas? No depoimento de um homem “com graves problemas psicológicos”? Que problemas são esses? Existe um problema muito grave e que se chama esquizofrenia paranóide. Além disso, não acham muito alto o valor cobrado, ou seja, US$ 100 mil? Quem iria pagar tanto dinheiro por amostras de sangue que nem se sabe de onde viria? Isso tá me cheirando mais uma das muitas mentiras de fundamentalistas fanáticos (anos atrás alardearam, esses fanáticos, que cientista russos haviam introduzido uma sonda com um microfone embutido, em um profundo buraco na terra, e gravado vozes de supostos do inferno. Mas tarde tudo se revelou uma farsa). Isso precisa ser melhor investigado, pois mentiras graves, movidas por antagonismo e ódios religiosos, podem ser o estopim para crises gravíssimas envolvendo fanáticos.

  2. O problema da Síria é que os religiosos fundamentalistas querem impor a teocracia.A comunidade internacional prefere a ditatura criminosa,que mata em legítima defesa,do
    que esses fanáticos loucos no poder.Nos anos 70 e 80 era o comunismo que eterrorizava
    os governos mundiais,agora é o fundamentalismo religiosos…Não irão avante,serão
    combatidos,derrotados e vencidos…Usar as escrituras sagradas em benefício próprio
    e de suas seitas só gera guerra santa.

  3. É triste ver um monte de gente morrendo,outros fugindo do País…E tudo por causa de religião
    fanática movida de ganância e toda sorte de preconceitos.O governo da Síria mata em legitima defesa.Ou mata ou morre. Os fanáticos não estão nem aí pra vida. É só o governo deixar e
    eles implanta a teocracia,aí,sim, os fanáticos no poder mata tudo e todos sem dó nem piedade.
    Não existe acordo com fanáticos,pois eles acham que estão certos e usam a fé doente acredi
    tando que DEDUS vai responder as orações deles,com razão ou sem razão. É a mão de
    DEUIS pesando os loucos geradores de guerras políticas e religiosas.

DEIXE UMA RESPOSTA