Igreja promove campanha de incentivo à doação de sangue e reúne 50 jovens em caravana

0

Uma ação de uma congregação da Igreja Adventista do Sétimo Dia mobilizou 50 jovens para doarem sangue na Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron), em Porto Velho (RO).

A igreja, localizada no distrito de Jaci-Paraná, organizou a viagem como parte do projeto “Vidas por Vidas”, criado para incentivar a doação de sangue no estado. A denominação ofereceu transporte aos jovens através de um ônibus do Consórcio do Sistema Integrado Municipal de Transporte de Passageiros (SIM).

De acordo com informações do G1, o projeto “Vidas por Vidas” existe há mais de dez anos, e foi criado para conscientizar os fiéis e a população em geral sobre a importância da doação.

“Solicitamos a parceria com o SIM para trazer os doadores até a capital, já que eles moram há 90 quilômetros da cidade”, disse Jorge Amoras, coordenador do clube de líderes de jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia.


Amoras ressalta que além dos 50 doadores levados na parceria de transporte com o SIM, “mais membros da igreja estarão doando”.

“Nossa expectativa é que cerca de 200 pessoas passem pela Fhemeron até às 16h”, explicou o líder religioso, no último sábado, 16 de abril.doacao de sangue - porto velho - rondonia - igreja adventista do setimo dia

A assistente-social Rakésia Pantoja, que atua no distrito de Jaci-Paraná, viajou junto com os jovens levados pela igreja para doar pela primeira vez: “Estou ansiosa pela doação é minha primeira vez e se não fosse pelo apoio do SIM, muito dos doadores não teriam vindo hoje, pois não há transporte de lá para cá gratuito”.

A importância do projeto de incentivo à doação de sangue foi destacada pela representante da Fundação de Hematologia e Hemoterapia, Maria Luiza Pereira: “Em abril a necessidade de doação quase que dobrou. Essa campanha é realizada por jovens que podem estar retornando e fazendo novas doações, dando um maior estoque. Com essas doações de hoje, superaremos em 500% da média normal de um sábado, pois coletamos apenas 30 bolsas, em média, nos fins de semana”, contextualizou.

“Um pouquinho do nosso sangue pode estar ajudando uma pessoa, não é? Jesus deu tudo, por que não posso dá um pouquinho doando?”, comentou Juliane Lustosa, outra que aproveitou a caravana da igreja.


SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA