Imã que perseguia cristãos morre, ressuscita após encontro com Jesus e vira missionário

0

Um líder religioso muçulmano que perseguia os cristãos e encorajava seus seguidores a ataca-los morreu e, durante a preparação para seu funeral, retornou à vida, surpreendendo sua família com uma nova mensagem de Salvação.

Munaf Ali (nome fictício por questões de segurança), 45 anos, era um imã influente, bem como estudioso e pregador do Islã em um país do Oriente Médio. Um dia, uma equipe da agência missionária Bibles4Mideast aproximou-se do imã e eles entraram em uma discussão vigorosa sobre a autoridade de Jesus e da Bíblia. Munaf negava a divindade de Jesus Cristo e a credibilidade da Bíblia.

Um dos missionários, pastor Paul, ofereceu-lhe um exemplar do Novo Testamento, mas ele se recusou a recebê-lo. Visivelmente chateado, o imã amaldiçoou o pastor e sua equipe. Naquela noite, o imã incitou uma turba para atacar o lugar onde o pastor Paul e sua equipe estavam hospedados sob gritos de “Allahu Akbar” (expressão que significa Alá é grande).

Mas o Espírito Santo havia dirigido os missionários a deixar aquele local algumas horas antes, escapando por pouco dos extremistas antes que eles chegassem ao local. Poucos dias depois, seguindo as orações da sexta, Munaf estava voltando para casa quando de repente ele sentiu-se tonto, caiu no chão, perdeu a consciência e morreu.


De acordo com seu próprio relato, ao notar que havia deixado seu corpo físico, ele notou demônios famintos por sua alma à sua volta. “Fujam, malditos demônios de Allah. Você não tem o direito de tomar a minha alma!”, disse o imã.

“Não. É o nosso direito de tomar sua vida. E você vai estar conosco”, respondeu um dos espíritos malignos, que o pegou e começou a afastar-se do local onde seu corpo estava caído.

Mas, de repente, Jesus Cristo apareceu ao imã com um grande cortejo de anjos e os demônios rapidamente fugiram em terror. Então Jesus falou ao seu coração: “Ouça, meu filho. Primeiro Adão desobedeceu a Deus e pecou contra Ele sob a influência de satanás. Eu sou o segundo Adão, a Palavra de Deus e o Messias Jesus, Filho do Altíssimo. Eu nasci da virgem Maria, como um inocente Filho do homem para redimir Adão e todos os seus descendentes, incluindo do pecado e da morte. Eu fui crucificado e morri em resgate por todos os seus pecados para torná-lo um filho de Deus e cidadão do céu. Eu fui ressuscitado dentre os mortos e abri as portas do céu para trazê-lo de volta à glória eterna. Tenha fé em mim e seja minha testemunha. Eu darei a sua vida de volta, pois tenho a autoridade de dar a vida”.

Quando a alma de Munaf retornou ao seu corpo, seus filhos e outros membros da família estavam tentando colocar seu corpo em uma mesa para a lavagem e preparação para o enterro, o que indica uma grande passagem de tempo entre seu mal súbito e sua volta à vida. Muitas outras pessoas também estavam na sala.

Sua família e amigos ficaram surpresos e alguns começaram a gritar quando Munaf abriu os olhos e sentou-se na mesa. Muitos ficaram com medo e recuaram, como se vissem um fantasma.

“Eu estava morto e demônios tentaram tirar minha alma, mas o Messias Jesus veio e deu minha vida de volta”, ele começou a dizer, hesitante. Diante da atenção das pessoas, passou a descrever a sua experiência. Alguns acreditavam em seu relato, mas outros se recusaram a acreditar e começaram a ridicularizá-lo.

Um deles disse “Munaf deve ter batido a cabeça e perdeu os sentidos. Ele fala palavras sem sentido”. “Ele está possuído por um espírito maligno”, sugeriu outro.

Munaf se tornou uma testemunha corajosa de Jesus Cristo, dizendo à sua família e a qualquer um que o visitasse sobre a sua experiência. Seus familiares mais próximos acreditaram no que ele disse sobre Jesus e aceitaram-no como seu Salvador e Senhor.

Como resultado de seu testemunho, ele foi demitido da mesquita e aconselhado a ver um psiquiatra. A comunidade começou a persegui-los, e pouco tempo depois, enfrentando sérias ameaças, Munaf e sua família deixaram sua casa e seu país natal.

Agora, o missionário pastor Paul pede orações por Munaf e sua família, para que Deus os proteja e abra portas para que eles ministrem na região, segundo informações do God Reports.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA