Malafaia afirma que golpe ocorreu em 2014: “Abaixaram a conta de luz para enganar o povo”

0

Nos momentos finais do processo de impeachment, Dilma Rousseff (PT) e todos seus aliados políticos insistem na tese de que estão sofrendo um golpe de Estado, e o pastor Silas Malafaia comentou esse argumento, refutando esse pensamento.

De forma didática, Malafaia apontou aspectos técnicos que tornam o impeachment de Dilma um dispositivo legal e afirmou que a presidente afastada não tem “condições morais” para governar o país.

“Vamos acabar com essa farsa petista de golpe. Onde se tem golpe, ou o presidente é preso ou tem que cair fora do país. Que golpe é esse, que o Supremo Tribunal Federal dita todo o rito do processo? Que golpe é esse onde a presidenta constitui advogado e tem direito a ampla defesa na Câmara e por uma maioria esmagadora de mais de 350 deputados é aberto o processo de impeachment?”, questionou o pastor.

O trâmite do processo, fiscalizado de perto pelo Supremo, foi apontado pelo pastor como outro ponto que desmonta as alegações dos aliados de Dilma: “Que golpe é esse que no Senado, o advogado da presidenta tem amplo direito de defesa – isso é, ele advoga pelo amplo direito de defesa da presidente, e a última parte do rito é dirigida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal? Isso [alegação de Dilma] é uma farsa desses petistas e desses esquerdopatas”.


“Eu vou dizer onde é que foi o golpe: foram os governos Lula e Dilma, os mais corruptos da história do Brasil e uma das maiores roubalheiras do mundo; Foi em 2014, abaixando conta de luz para enganar o povo, escondendo toda a quebradeira do país […] Vamos acabar com essa farsa. Essa mulher não tem condições nenhuma. Não tem condições psicológicas, morais, de ser a presidente do país. Chega! Isso é conversa fiada”, acrescentou o pastor.

Assista aqui a íntegra do comentário do pastor Silas Malafaia sobre a fase final do impeachment:

Assine o Canal

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA