Marina Silva critica Rio+20 e afirma que propostas são “pá de cal” na preservação do meio-ambiente

0

A ex-senadora e ministra do meio-ambiente Marina Silva criticou a proposta final feita pelo governo brasileiro para a conferência Rio+20, dizendo que da forma como está, privilegia a economia.

A ex-candidata evangélica à presidência da República afirmou ainda que o acordo feito entre os 193 países participantes da conferência é um retrocesso em relação à Eco92, também realizada no Rio de Janeiro.

-A crise econômica está sendo privilegiada [na negociação]. O documento é uma pá de cal na Rio+20. O erro não é colocar 100 bilhões no FMI, é não colocar 100 bi em um fundo ambiental. Venceu a tese norte-americana. Prevaleceu a tese de que esforços são bilaterais. Que cada país tem que fazer as suas ações. Há um consenso de que o documento não é satisfatório – criticou Marina em entrevista à Globo News.

A  atual ministra do meio-ambiente, Izabella Teixeira, afirmou que nas negociações foram garantidas medidas de consenso e assegurado um “não-retrocesso” em relação à conferência de 20 anos atrás.

Marina Silva discordou e disse que o resultado foi “pífio” por não garantir que os países invistam na preservação do meio ambiente: “O documento é muito fraco. É uma demonstração de que o que nós estamos enfrentando aqui, não é falta de ambição, é falta de compromisso”, frisou Marina Silva.

Fonte: Gospel+

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA