Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, compara Hugo Chávez a Jesus: “Cristo fez-se carne nele”

13

O ex-presidente da Venezuela, Hugo Chávez, foi comparado a Jesus Cristo por seu sucessor, Nicolás Maduro, nesta segunda-feira, 05 de agosto.

A polêmica analogia foi feita durante cerimônia em homenagem ao falecido presidente, com a presença de quase todos os ministros do governo venezuelano e alguns políticos que serão candidatos nas próximas eleições municipais do país. Em março, ele havia chamado Cháves de “Cristo Redentor dos pobres“.

Maduro afirmou que Chávez “veio proteger os que nada tiveram”, assim como Jesus: “Cristo Redentor fez-se carne, fez-se nervo, fez-se verdade em Chávez”, afirmou.

A cerimônia foi realizada no Quartel da Montanha, no oeste da capital Caracas, local onde o corpo de Hugo Chávez, chamdo de líder da “revolução bolivariana”, está enterrado, segundo informações do portal Terra.


“Hugo Chávez, enquanto esteve neste mundo, se encontrou com os valores de Cristo e simpatizou com sinceridade de coração com os valores de nosso redentor, o Cristo dos pobres, o Cristo dos humildes, o que vinha proteger os que nada tiveram”, disse Maduro, que era vice-presidente no mandato de Chávez e foi eleito para um mandato próprio após sua morte, derrotando Henrique Caprilles por uma diferença de 200 mil votos.

“Viemos entregar-te a lágrima de nossa tristeza e dizer que todo este amor seguirá transformado em ação”, disse Maduro, que pediu “a união de todo o povo” para que o país não entre em colapso numa crise econômica.

Hugo Chávez faleceu aos 58 anos no dia 05 de março deste ano, depois de enfrentar por quase dois anos um câncer na região pélvica. O ex-presidente governou a Venezuela entre 1999 e 2013, e seu governo ficou marcado pela maior distribuição de renda a partir dos royalties obtidos com a venda de petróleo, mas também pelas constantes mudanças na Constituição do país, o que permitiu que ele disputasse sucessivas reeleições e mudasse o nome do país.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


13 COMENTÁRIOS

  1. Governos socialistas no Uruguai e Brasil: “Eu sou você amanhã”?

    Reinaldo Azevedo
    A banalidade num velho, disse o poeta Antero de Quental, é tão constrangedora quanto a gravidade numa criança.
    É o que me ocorre dizer quando penso em José Mujica (foto), presidente do Uruguai, que propôs — e conseguiu, já que dispõe de folgada maioria na Câmara — a aprovação de um projeto que vai muito além de legalizar a maconha: o texto estatiza a droga. Assim que for aprovado no Senado — também controlado pelos governistas —, o Uruguai será, atenção!, o primeiro país do mundo a transformar o estado no monopolista oficial de uma substância psicotrópica. Sim, sim, haverá lá um sistema para cadastrar os usuários, que terão direito a uma quantidade limitada da substância e coisa e tal. Pergunta óbvia: o que impedirá um não-viciado (ou “não-usuário”, na linguagem politicamente correta) de se cadastrar, receber a substância e vender a um outro que quer queimar muito mais mato do que a cota legalmente oferecida?

    É um absoluto despropósito. Não, no entanto, se lermos boa parte do que publica a imprensa brasileira, majoritariamente favorável à descriminação das drogas.

    Um desses textos que provocam engulhos, tal a estupidez militante, afirmava o caráter “vanguardista” do país que já aprovou o casamento gay e descriminou o aborto e que, agora, quer legalizar — o certo, reitero, é “estatizar” — a maconha! Matar fetos e queimar mato, pelo visto, são elementos de um mesmo paradigma… Santo Deus!

    Mujica argumenta, a exemplo de todos aqueles favoráveis ao liberou-geral, que a medida contribuirá para diminuir o poder do narcotráfico. E as outras drogas? Ele pretende estatizar a cocaína e o crack também?

    Ainda que a maioria dos parlamentares seja favorável à medida, a maioria dos uruguaios é contra. Pesquisas indicam que 63% se opõem à estatização da droga.

    Mujica já tem uma explicação: diz que isso se deve ao fato de haver muitos velhos no país, que não entenderiam a cabeça dos jovens…

    Durante um bom tempo, leis bancárias muito particulares fizeram do Uruguai uma espécie de paraíso fiscal da América Latina. Muitos salafrários do continente enviavam para lá o dinheiro que roubavam em seus respectivos países. Agora, Mujica quer que o Uruguai se transforme, sob o pretexto de ter uma legislação moderna e avançada, no primeiro narcoestado oficializado.

    Dada a resistência da população e com a popularidade em queda, o presidente fala agora em fazer um referendo. Segundo diz, a maioria dos uruguaios só se opõe à proposta porque não está bem informada a respeito.

    Se tal lei for aprovada, imaginem o tipo de turista que o país passará a atrair… A consequência óbvia de uma lei assim será o aumento da demanda por outras drogas, o que fortalecerá o narcotráfico e o ciclo da violência — que está em alta no país, especialmente em Punta Del Este, o paraíso turístico.

    Que se note, para encerrar: o consumo da maconha já é amplamente tolerado no Uruguai — a exemplo, diga-se, do que ocorre no Brasil. É mentira que maconheiro vá para a cadeia lá ou aqui. A conversa sobre a descriminação (aqui) e sobre a estatização (lá) é só um passo a mais que a cultura da legalização plena das drogas pretende dar.

    Aliás, esse é o mal disfarçado e óbvio intento dessa gente. Afinal, se o proclamado objetivo é pôr fim ao poder do narcotráfico, é evidente que isso só se realiza com a legalização de todas as drogas, não só da maconha.

    Ainda não decidi o que é maior nessa gente: a má-fé ou a estupidez. Quanto a Mujica… Ele acha que a maioria dos uruguaios é contra porque haveria velhos demais no país. Este patético senhor está com 78 anos. No seu caso, como se vê, o mal não está em pensar como um velho, mas em pensar como um idiota.

    • Há cristãos, hoje em dia, que se sentem atraídos pelas correntes socialistas e pelas suas diversas evoluções. Eles procuram descobrir aí um certo número de aspirações, que acalentam em si mesmos, em nome da sua fé. Em determinado momento têm a sensação de estar inseridos numa corrente histórica e querem realizar aí a sua ação. Mas sucede que, conforme os continentes e as culturas, esta corrente histórica assume formas diversas, sob um mesmo vocábulo; contudo, tal corrente foi e continua a ser, em muitos casos, inspirada por ideologias incompatíveis com a fé cristã. Impõe-se, por conseguinte um discernimento atento. Muito freqüentemente, os cristãos atraídos pelo socialismo têm tendência para o idealizar, em termos muito genéricos, aliás: desejo de justiça, de solidariedade e de igualdade. Eles recusam-se a reconhecer as pressões dos movimentos históricos socialistas, que permanecem condicionados pelas suas ideologias de origem.

  2. se o cara fosse cristão até, que seria uma maxima, não vivo eu mas cristo vive em mim, ou ainda somos a personificação do cristo vivi logo…agora não sendo ele cristão o cara ai mentiu

  3. Conheço e muito a Venezuela, trabalhei e fiz missões la, o coronel fez muitas coisas boas isso não se pode negar, agora isto que o Maduro afirmou o colocando como Cristo e uma falácia, ate porque seus inimigos políticos eram tratado com a casca e tudo, e o mesmo nunca se converteu ao verdadeiro evangelho então não passa de mera politiqueira

  4. O texto soa que Chaves era o cristo dos pobres, e que Jesus era o Cristo dos ricos?!
    E Cristo não não veio proteger pobre, humilde ou os que nada tiveram…Ele veio trazer as boas novas do Evangelho que diz que Ele veio ao mundo apagar nossos pecados morrendo em uma cruz! E ao 3º terceiro dia Ele ressuscitou para que todos vissem que Ele é Deus e que Ele veio pois nos amou de tal maneira que se entregou por nós! E mais, Atos 2:39 diz: Pois para vós é a promessa e para vossos filhos, e para todos os que estão longe, a quantos chamar o Senhor nosso Deus. JESUS NÃO VEIO SÓ PELOS POBRES!!

  5. AS vezes ele foi gerado pela evolução do pum, vai saber, e o maduro do mesmo jeito, pois para fazer uma comparação desta somente uma mente amebiada e sem nenhum conhecimento real e verdadeiro de JESUS, tenha a santa paciência, como diz os católicos credo im cruz

  6. O tal Maduro está encontrando baitas dificuldades para administrar o que sobrou da Venezuela, aí começa estrategicamente o endeusamento da figurinha que o antecedeu, tudo no mesmo viés dos estados totalitários. É só esperar que em breve vai começar a construir em cada esquina estátua do seu antecessor numa forma completa de santificação, passo seguinte a coreaficação(Coréia do Norte) do país.

    É cada esperto neste mundo, e todos conspirando contra o estado de direito e a democracia, e sempre usando as mesmas estratégias, os mesmos panos de fundo.

    Corruptos disfarçados de almas boas, ditadores de plantão, escravizadores da liberdade e do pensar do povo, vocês se autoprocriam como insetos.

DEIXE UMA RESPOSTA