Papa Francisco pede perdão a protestantes por perseguição imposta pela Igreja Católica

106

O pontífice católico voltou a expressar um pedido de perdão aos cristãos de tradição protestante pela perseguição perpetrada pela Igreja Católica séculos atrás, quando a Reforma Protestante marcou a primeira grande cisão no cristianismo.

Em Roma, o papa Francisco lamentou os fatos do passado protagonizados pelos católicos, e disse lamentar que protestantes e membros de outras denominações cristãs tenham sido vítimas do fanatismo religioso.

O discurso foi feito na Basílica de São Paulo, e Francisco aproveitou para falar aos católicos, pedindo que eles também perdoassem aqueles que os perseguiram no passado.

Essa não é a primeira vez que o líder católico se desculpa com os evangélicos. Em junho do ano passado, durante visita a Turim, na Itália, Francisco foi a um templo da Igreja Valdense, fundada em 1170 como um movimento de renovação espiritual e que mais tarde tornou-se parte da Reforma Protestante, e lá, expressou uma posição oficial de arrependimento, dizendo que os católicos “não podem deixar de lamentar” a violência cometida em nome da fé contra os irmãos cristãos. “Em nome do Senhor Jesus Cristo, perdoem-nos!”, disse.

Francisco celebrará a Reforma

De acordo com o Vaticano, o papa visitará a Suécia ainda este ano para celebrar os 500 anos da Reforma Protestante. O plano é que no dia 31 de outubro Francisco desembarque na cidade de Lund, onde a Federação Luterana Mundial, fundada em 1947, está sediada.

Martinho Lutero, ex-padre católico que iniciou a Reforma Protestante, em 1517, ao publicar 95 teses em Wittenberg, criticando a doutrina da Igreja Católica na época, que vendia indulgências, uma negociata por perdão de pecados em troca de dinheiro.

A história registra que, em toda a Europa houve cisões dentro do cristianismo, marcada por violência e disputas políticas. Alguns dos fatos mais marcantes são a Guerra dos 30 anos, a destruição de mosteiros ingleses e a condenação à morte na fogueira de vários “hereges”, de ambos os lados.

De acordo com informações do jornal O Povo, católicos tradicionalistas se queixam do papa, afirmando que ele faz concessões aos luteranos de forma demasiada, e rejeitam a “oração comum” que ambas as tradições cristãs vão usar durante as comemorações de 2017.

Shopping

106 COMENTÁRIOS

  1. ** A todos demais como eu que assiste essa guerra “virtual” entre Católicos Fundamentalistas e Evangélicos Fundamentalistas…vai um recado…

    Cristo esta passando muito longe de tudo isso!
    Se ele viesse a terra hoje ficaria horrorizado com tudo isso,

    Nada mais parece que um banco de fariseus, que sentavam à sua mesa como pseudodoutores, dizendo-se cheios de sabedoria, mas como sabemos, Cristo não lhes deus confiança de forma que na era atual, estão praticamente extintos; :(

  2. O Papa pediu perdão pelos pecados dos Católicos contra os Protestantes e pediu para os Católicos perdoarem o pecados do Protestantes.
    A Idade média é chamada fraudulentamente, a idade média foi o período da cristandade, toda a Europa era Cristã.
    A Inquisição Católica foi instaurada em 1231 para cessar a matança desenfreada que o estado civil estava fazendo sem pre julgamento. Com a Inquisição os processos foram investigados e julgados. Oque temos que entender é que na média, a heresia era um crime civil com punição prevista de pena de morte. 200 anos antes, no século X o poder civil já estava punindo hereges desordeiros e assassinos, que é o caso dos Cátaros, os Cátaros não eram cristãos, eles acreditavam que o Deus do velho testamento era mal e material, e acreditavam que o ?Deus do novo testamento era bom e espiritual. Eles acreditavam que toda matéria era ruim, por isso incentivavam o suicídio, matavam gravidas, não permitiam o casamento e destruíam propriedades, foram combatidos por 200 anos, se prevalecem o cristianismo acabaria e levaria a instição da humanidade se se espalha-se por todo o mundo.
    As traduções da bíblia para as linguás locais a partir de meados do século XII e XIII aumentaram com novas técnicas de impressão. A Igreja sempre se preocupou com sua divulgação sem auxilio de bispos e padres para instruir as pessoas conforme o sagrado magistério interpreta a bíblia. Muitas dessas traduções, algumas mal feitas, causaram grande perturbação da ordem social da época, pois surgiu com elas diversas heresias e grupos considerados revoltosos pelo poder civil, A Igreja se preocupava e excomungava tal hereges pois não aceitava suas novas doutrinas. Como o poder civil considerava crime a heresias o braço secular dos reis desmantelavam esses grupos.
    A Reforma Protestante em 1517 foi por cunho religioso, e só foi possível porque Lutero foi acolhido e defendido pelos príncipes Alemães e ganhou cunho politico a partir dai. Diversos conflitos entre católicos e protestantes aconteceram, o mais famoso a Guerra do 30 anos, muitas atrocidades foram cometidas por ambos os lados.
    A Inquisição Protestante, causou muito mais morte que a Católica. Sendo que os tribunais eclesiasticísticos Católicos eram mais piedosos e mais brando que o civil da época.
    A Inquisição protestante matou até crianças e implacável com os hereges.
    Enquanto que a Inquisição Católica em 600 anos queimou 99 bruxas, a Inquisição Protestante Protestante em menos de 50 anos queimou mais de 40 mil supostas bruxas. A matança dos tribunais eclesiasticísticos Protestante segundo renomados história dores ceifou a vida de 9 milhões de pessoas em poucos anos.
    Em 1998 o Papa João Paulo II convocou o sínodo da Inquisição entregou todos os documentos referente a época da inquisição para os 30 maiores historiadores do mundo independentemente de cor, raça religião ou credo, para estudassem e chegassem a verdade sobre esse período.
    O Livro hoje é o mais completo e o mais confiável e mais importante obra histórica sobre a Inquisição Católica. Foi desmentido o mito que a Inquisição Católica matou milhões, A Inquisição na Espanha considerada a mais violenta seus dados beiram 45 mil processos, sendo desses todas 2,5% condenado a morte e sendo 1,8% desses 2,5% queimados em seus lugares bonecos de palha.
    O Mito acabou, ouvi sim abusos e erros da parte Católica, porem a Inquisição Protestante beirou a selvageria e seus tribunais não pouparam nem crianças e os números de mortos supera de em muito a dos organizados e brandos tribunais eclesiasticísticos da Inquisição Católica.

  3. 19Eu sou o SENHOR vosso Deus; andai nos meus estatutos, e guardai os meus juízos, e executai-os. 20E santificai os meus sábados, e servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR vosso Deus. 21Mas também os filhos se rebelaram contra mim, e não andaram nos meus estatutos, nem guardaram os meus juízos para os fazer, os quais, cumprindo-os, o homem viverá por eles; eles profanaram os meus sábados; por isso eu disse que derramaria sobre eles o meu furor, para cumprir contra eles a minha ira no deserto.

  4. vamos ser sinceros com a palavra de Deus em apocalipse fala que a verdadeira igreja de Cristo seria aquela que Guarda sua lei e tem a tema testemunha de Jesus e pelo geito a poucas denominação religiosa hoje em dia que Guarda os mandamentos de Deus na verdade faz até mesmo filmes que fala do tema mas não guarda nada infelizmente muitos não estão estudando isso porq e algo muito sério não sejamos ignorantes com a palavra de Deus!

  5. Voltando a comentar nesta página, o Papa, não deveria pedir perdão aos protestantes, pelas perseguições do passado, se o Vaticano antigo pecou por isso, o pedido de perdão do Papa atual, não terá nenhum efeito sobre os cometidos pela ICR, da antiguidade.
    Observando a palavra de Deus (bíblia), diz: “A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele” Ezequiel 18:20.
    Portanto, em vão, o Papa, pede perdão pelos que já morreram. Com um gesto de humildade, deveria apenas reconhecer o erro, tornar público e explicar teologicamente.

  6. Janete disse: 27 de janeiro de 2016 ás 3:49 pm
    QUE TAL TAMBÉM PEDIR AOS EVANJEGUES PARA DEIXAREM DE PRESTAR CULTOS DE ADORAÇÃO À VASSOURAS UNGIDAS, LENCINHOS DE SUOR UNGIDOS,PEDRINHAS DA TERRA SANTA UNGIDAS, CANETAS UNGIDAS, CHAVES DA PROSPERIDADE, PERFUME DE CRISTO,VALE DO SAL GROSSO, SPRAY ANTI-CAPETA,SABONETES UNGIDOS,ROSAS UNGIDAS,FOGUEIRA $ANTA, CARNÊ DA MULTIPLICAÇÃO, TRÍZIMO, E SOBRETUDO O CULTO AO DINHEIRO, AOS CARGOS POLÍTICOS, AO PODER E A DIZIMOLATRIA.
    RESPOSTA PARA JORGE VINICIUS VULGO JANETE
    muito bem! vamos deixar bem claro vamos deixar estabelecido como uma ordem do universo: gay jegues são esta raça que nasceu nas latrinas do ativismo que recebem fortunas do governo do pt, para enriquecer seus líderes e estes fazer comércio dos ativistas analfabetos funcionais que premeiam por aqui..ex. janete sandro wanderlei e outros, enquanto isto seus líderes andam de carro blindado almoçam caviar com vinho importado, moram em mansões, enquanto ativistas pagos por eles, comem farofa com rapadura andam de buzão e moram nos bolsões da pereferia, nas comunidades.
    E TEM O CLODOVIL…
    https://youtu.be/p8jB27VAKa8

  7. Pergunta: “É a adoração a santos e a Maria bíblica?”

    Resposta:A Bíblia é absolutamente clara ao dizer que devemos adorar somente a Deus. As únicas ocorrências na Bíblia de alguém, além de Deus, recebendo adoração, são em relação a falsos deuses, que são Satanás e seus demônios. Todos os seguidores do Senhor Deus rejeitam adoração a eles dirigida. Pedro e os apóstolos se recusaram a ser adorados (Atos 10:25-26; 14:13-14). Os santos anjos se recusaram a ser adorados (Apocalipse 19:10; 22-9). A resposta é sempre a mesma: “Adora a Deus!”

    Os católicos romanos tentam “fazer vista grossa” a estes claros princípios escriturais dizendo que não “adoram” Maria ou santos, mas que, ao invés, somente “veneram” Maria e os santos. Usar uma palavra diferente não muda a essência do que está sendo feito. Uma definição de “venerar” é “olhar com respeito e reverência”. Em nenhum lugar da Bíblia a nós é dito para que reverenciemos qualquer um que não seja Deus, e apenas Deus. Não há nada de errado em respeitar estes cristãos cheios de fé que nos antecederam (veja Hebreus capítulo 11). Não há nada de errado em honrar Maria como a mãe
    terrena de Jesus. A Bíblia descreve Maria como “agraciada” do Senhor (Lucas 1:28). Ao mesmo tempo, não há qualquer instrução na Bíblia para que reverenciemos aqueles que já foram para o Céu. Devemos sim seguir o exemplo que deram, mas não adorá-los, reverenciá-los ou venerá-los, não isso!

    Quando forçados a admitir o que eles fazem, ou seja, adorar Maria, os católicos dizem que eles adoram a Deus através dela, louvando a maravilhosa criação que Deus fez. Maria, em suas mentes, é a mais bela e maravilhosa criação de Deus, e louvando-a, eles estão louvando seu Criador. Para os católicos, isto
    é o mesmo que elogiar um artista por meio do elogio a sua escultura ou pintura. O problema com isto é que Deus explicitamente ordena contra a adoração a Ele através das coisas criadas. Não devemos nos curvar e adorar qualquer semelhança do que há em cima nos céus nem embaixo na terra (Êxodo 20:4-5). Romanos 1:25 não poderia ser mais claro: “Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.” Sim, Deus criou coisas maravilhosas e surpreendentes. Sim, Maria era mulher piedosa, que é digna de nosso respeito. Não, absolutamente
    não devemos adorar a Deus de forma “indireta” ao louvarmos outras coisas (ou pessoas) que Ele criou. Fazê-lo é óbvia idolatria.

    A maioria dos católicos “venera” Maria e os santos orando a eles. Como demonstra o artigo seguinte, a oração a qualquer um que não seja apenas Deus é antibíblico – orar a santos e Maria. Se Maria e/ou os santos recebem orações, ou petições, isto é prática não-bíblica. A oração é um ato de adoração. Quando oramos a Deus, estamos admitindo que precisamos de Sua ajuda. Direcionar nossas orações a qualquer um que não seja Deus é roubar de Deus a glória que é
    somente Sua.

    Outra forma que os católicos têm de “venerar” Maria e os santos é criando estátuas e imagens deles. Muitos católicos usam imagens de Maria e/ou dos santos como “amuletos de boa sorte”. Qualquer leitura superficial da Bíblia irá revelar que esta prática é evidente idolatria (Êxodo 20:4-6; I Coríntios 12:2; I João 5:21). Rezar passando os dedos nas contas do rosário é idolatria. Acender velas perante uma estátua ou retrato de santos é idolatria. Enterrar uma estátua de José na esperança de vender sua casa (e outras incontáveis práticas católicas) é idolatria.

    A terminologia não é a questão. Se a prática é descrita como “adoração” ou “veneração”, ou qualquer outro termo, o problema é o mesmo. A qualquer momento que creditarmos algo que pertence a Deus a qualquer outro alguém, isto é idolatria. A Bíblia, em nenhum lugar, nos instrui para que reverenciemos, oremos, confiemos ou “idolatremos” qualquer um que não seja Deus. Devemos adorar somente a Deus. Glória, louvor e honra pertencem somente a Deus. Somente Deus é digno de “…receber glória, e honra, e poder…” (Apocalipse 4:11). Somente Deus é digno de receber nossa adoração,
    exaltação e louvor (Neemias 9:6; Apocalipse 15:4).

  8. Quem tá te enganando que saímos do meio do catolicismo? Jesus, vei para os judeus, João 1:11. Da mesma forma que os católicos tiveram origem com base na bíblia feita pelos judeus, assim foi nós os protestantes. Com uma diferença: Nós os crentes, temos só e unicamente a Jesus, como nosso único Salvador, assim nos ensina a bíblia. Vocês católicos reconhecem a Jesus, mas julgam Ele incapaz, pois ainda precisam da maria e do santo morto para se chegarem a Deus, com isso, deturpam a palavra de Deus, só Jesus é Mediador 1 Timóteo 2:5, examine aí mesmo na sua bíblia.

  9. Emanuelle, e os demais católicos, vcs podem defenderem a fé católica, é um direito que todos tem de seguir o que quiser. Uma coisa temos que saber: Não é a fé dos crentes em Jesus, (fé protestante), mas a palavra de Deus, que nos diz: Quem faz as esculturas e comercializa, compra, adora ou venera, não herdará o Reino de Deus.
    Veja aí mesmo na sua bíblia. “Que aproveita a imagem de escultura, depois que a esculpiu o seu artífice? Ela é imagem de fundição que ensina mentira, para que quem a formou confie na sua obra, fazendo ídolos mudos?
    Ai daquele que diz ao pau: Acorda! e à pedra muda: Desperta! Pode isso ensinar? Eis que está coberta de ouro e de prata, mas dentro dela não há espírito algum”
    Habacuque 2:18,19.
    “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus”
    1 Coríntios 6:10

    • Em relação ao protestantismo, CUMPRE-SE A PROFECIA : 1Jo 2,19 – “Eles Saíram do nosso meio, mas não eram dos nossos; pois, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco. Mas, [saíram] para que se mostrasse que nem todos são dos nossos, nem do número dos eleitos.
      “Recomendo-vos, irmãos, que tomeis cuidado com os que produzem divisões contra a doutrina que aprendestes. Afastai-vos deles” (Rm 16, 17)Lucas 21,8 “Cuidado para não serdes enganados, porque muitos virao em MEU NOME” (JESUS)
      Mateus 24,4-5 “Respondeu-lhes Jesus: Cuidai que ninguém vos seduza. Muitos virão em MEU NOME.”
      Mateus 24, 11-12 “Levantar-se-ão muitos falsos profetas e seduzirão a muitos. E, ante o progresso crescente da iniqüidade, a caridade de muitos esfriará“
      Col 2,23 “Elas podem, sem dúvida, dar a impressão de sabedoria, enquanto exibem culto voluntário, de humildade e austeridade corporal. Mas não têm nenhum valor real, e só servem para satisfazer a carne.”
      II Tim 3,5 “Ostentarão a aparência de piedade, mas desdenharão a realidade. Dessa gente, afasta-te!“
      II Cor 11,13-15 “Esses tais são falsos apóstolos, operários desonestos, que se disfarçam em apóstolos de Cristo, o que não é de espantar. Pois, se o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz, parece bem normal que seus ministros se disfarcem em ministros de justiça, cujo fim, no entanto, será segundo as suas obras”.
      Mateus 7,15-16 “Guardai-vos dos falsos profetas. Eles vêm disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos arrebatadores, pelos seus frutos os conhecereis”
      “Caríssimos, não deis fé a qualquer espírito, mas examinai se os espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas se levantaram no mundo” (1 João 4,1).
      “Assim como houve entre o povo falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos doutores que introduzirão disfarçadamente seitas perniciosas. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, atrairão sobre si uma ruína repentina. Muitos os seguirão nas suas desordens e serão deste modo a causa de o caminho da verdade ser caluniado. Movidos por cobiça, eles vos hão de explorar por palavras cheias de astúcia. Há muito tempo a condenação os ameaça, e a sua ruína não dorme”
      (2Pe 2,1-3).
      “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Tendo nos ouvidos o desejo de ouvir novidades, escolherão para si, ao capricho de suas paixões, uma multidão de mestres. Afastarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas.”
      (2 Tim 4,2-4).

    • Para vocês protestantes que ficam destilando ódio contra a Igreja Católica, leiam Mateus 16,18.
      “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela”;
      A Igreja Católica possui mais de dois mil anos de história, sendo a mais antiga instituição ainda em funcionamento. Sua história é integrante à História do Cristianismo e a história da civilização ocidental.
      Enquanto que muitas desta ´pseudo- igrejas protestante já sucumbiram e outra tantas estão por sucumbir, justamente por negar o Evangelho de Cristo.
      17.9-14

      • Emanuelle, no grego koine a lingua original de traducao do nt nao esta escrito conforme vc foi ensinada,viu boneca.Ah,vc nao estuda e nem questiona so engole as mentiras que te falam.

    • Nem todo aquele que me diz “Senhor, Senhor’, entrará no Reino do Céu. Só entrará aquele que põe em prática a vontade do meu Pai, que está no céu.Naquele dia muitos me dirão: “Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizamos? Não foi em teu nome que expulsamos demônios? E não foi em teu nome que fizemos tantos milagres?’. Então, eu vou declarar a eles: Jamais conheci vocês. Afastem-se de mim, malditos !!!”
      Pensem nisto meus amados,

      “Existem pouquíssimas pessoas neste mundo que realmente odeiam CEGAMENTE a Igreja Católica, mas infelizmente há milhões que odeiam o que eles PENSAM ser a Igreja Católica, pois se o que eles odeiam, realmente fosse a religião Católica – os católicos também a odiariam. (Fulton J. Sheen)”.
      “Não sabei que o protestantismo também possui um fundador sobrenatural? Sabeis agora, trata-se de um anjo e seu nome é Lúcifer” (São Pio)
      “Não penses que as heresias são frutos de mentes obtusas. É necessário uma mente brilhante para conceber e gerar uma heresia. Quanto maior o brilho da mente, maiores as suas aberrações” (Santo Agostinho)
      “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas.” (2Tm 4, 3-4)
      Eles tentarão de todas as formas, arrebatando ovelhas queridas por Jesus à ilusão das falsas religiões e falsos profetas que continuam a seduzir os “ignorantes na fé” sendo que todos os meios para nossa salvação esta contidos na Igreja Católica em seus sacramentos.
      Lembre se: “Católico ignorante é o primeiro protestante!”
      Que fique claro, a termologia “evangélica” para os protestantes esta errada; já que não há cunho evangélico em sua fundação, então chamemos por seus nome verdadeiro, outro erro comum a palavra, “nossos irmãos” esta errado, pois a Igreja Católica não é irmã de nenhuma seita protestante e sim Mãe daqueles que Cristo resgatou pelo seu sangue e Esposa do Cordeiro. E eles filhos desta Igreja, e que por rebeldia ou engano protestaram e estão no covil de lobos. Não estamos sendo intolerantes, com os protestantes, mas não podemos permite a afronta da verdade, pois é nossa intenção que cheguem ao conhecimento desta verdade e batam no peito pedindo misericórdia ao Senhor.
      “Não sabei que o protestantismo também possui um fundador sobrenatural? Sabeis agora, trata-se de um anjo e seu nome é Lúcifer” (São Pio)
      – Luterana: Martinho Lutero, 1517 – Alemanha
      – Anglicana: Henrique VII, 1534 – Inglaterra
      – Calvinista: João Calvino, 1541 – Suiça
      – Menonita: Meamo Simoms, 1550 – Holanda
      – Prebiteriana: John Knox, 1567 – Escócia
      – Congregacionalista: Robert Browee, 1580 – Inglaterra
      – Batista: Jonh Smith, 1604 – Holanda
      – Metodista: John Wesley, 1739 – Inglaterra
      – Mórmom: Joseph Smith, 1830 – EUA
      – Adventista: Willian Miller, 1831 – EUA
      – Pentecostais: Charles Parham, 1900 – EUA
      – Assembléia de Deus: Gunnar Vingren e Daniel Berg missionários chegaram no Brasil em 1910.
      – Congregação Cristã do Brasil: Luigi Francescon – 1910
      – Testemunhas de Jeová: Charles Taze Russel, 1916 – EUA
      – Igreja do Evangelho Quadrangular: Aimeé Semple McPherson, 1944 – EUA
      – Universal: Edir Macedo, Brasil – 1977
      Destas quantas outras não surgiram e não surgirão?
      “Assim como houve entre o povo falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos doutores que introduzirão disfarçadamente seitas perniciosas. Eles, renegando assim o Senhor que os resgatou, atrairão sobre si uma ruína repentina. Muitos os seguirão nas suas desordens e serão deste modo a causa de o caminho da verdade ser caluniado. Movidos por cobiça, eles vos hão de explorar por palavras cheias de astúcia. Há muito tempo a condenação os ameaça, e a sua ruína não dorme.” (2Pd 2, 1-3)

    • Realmente: o pior cego é aquele que não quer enxergar. Como éTRISTE o VÍCIO de MENTIR. Nós, católicos, ADORAMOS somente o DEUS Vivo e Verdadeiro.

      O ÓDIO que o senhor tem contra a IGREJA CATÓLICA é que o mantém vivo… mas do JUÍZO de Deus o senhor NÃO ESCAPARÁ: “Porquanto, todos nós teremos de comparecer manifestamente perante o tribunal de Cristo, a fim de que cada um receba a retribuição do que tiver feito durante a sua vida no corpo, seja para o bem, seja para o mal” (2 Cor 5, 10).

      Por favor me mostre algum Documento da Santa Igreja Católica ordenando os católicos a ADORAREM IMAGENS.

      Vocês conseguem TOLOS para as suas SEITAS através da CALÚNIA… a religião de vocês é a LÍNGUA e a “Doutrina” é a CALÚNIA.

      • Emanuelle,interessante vc dizer isto, e sua igreja nao se parecer com a igreja dos apostolos,nem em atitudes e nem em poder.Filosofoca,e por isto esta sendo dizimada.O evangelho, precisa ser transformador e nao meras palavras,ou atitudes politicas.

    • Deus não divide sua glória com ninguém: (Is 42,8) – SERÁ MESMO ?

      Quem nunca viu um protestante soltando este versiculo como se Deus não honrasse seus santos?

      Em hebraico:אֲנִייְהוָההוּאשְׁמִיוּכְבוֹדִילְאַחֵרלֹא־אֶתֵּןוּתְהִלָּתִילַפְּסִילִים׃
      Tradução :“Eu sou o Senhor e no meu nome está a minha honra e não a darei a ídolos (לַפְּסִילִים).”

      Deixo em parenteses a palavra idolos para que vejam que a tradução protestante não corresponde com os originais em hebraico onde nunca aparece como imagens.

      Superado esta fase mostraremos que esta honra não se da a falsos deuses(idolos) mas aos santos que a recebem por parte de Cristo:

      AFINAL O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE DEUS DAR OU NÃO SUA GLÓRIA A OUTROS ?

      1)-“Eu lhes dei a glória que me deste” (Jo 17,22)

      2)-“Deus concede graça e glória“ (Salmo 84,11) ou (Salmo 83,12);

      3)-“O que… Deus preparou para nossa glória“ (1 Cor 2,7);

      4)-“Os que chamou, também os justificou, e os que justificou, também os glorificou“ (Rm 8,30);

      5)- “Vi outro Anjo descendo do céu, tinha um grande poder e a terra ficou iluminada com a sua glória” (Ap 18,1);

      6)-”Eu lhes dei a glória que me deste” (Jo 17,22);

      7)-“Glória, honra e paz para todo aquele que pratica o bem” (Rm 2,10).

      O pior Cego é o que não quer ver, concordam ?

      Nossa Resposta:

      Quando enaltecemos uma obra, a glória é recebida pelo seu autor.

      Quando admiramos e elogiamos o quadro “Monalisa”, estamos elogiando o autor dele, Leonardo da Vinci.

      Quando homenageamos (veneramos) os santos, não estamos dividindo glória alguma, mas estamos glorificando a Deus, pois a santificação é obra d’Ele:

      “EU SOU o Senhor que vos santifico.”(Ex 31,13; Lv 20,8; 21,8; 21,15; 21,23) !

      Adorar é o mesmo que Venerar conforme dizem os estudiosos Protestantes?

      Atos 5,34: “ Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, VENERADO por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos…”(Segundo a bíblia Protestante : João Ferreira de Almeida)

      Neste caso todo povo Judeu ADORAVA Gamaliel, se adorar for o mesmo que Venerar ?

      E mais:
      Leiam a GRANDE HOMENAGEM AOS SANTOS em Hebreus-11 !!!

      • Emanuelle, homenagem nao e adoracao,nem prostracao diante deles.Observe Paulo atos 14/8a16, destaque versiculo 15,Pedro atos3,olhe o versiculo 13,Joao em apocalipse 22/8e9.Eles simplesmente recusaram qualquer honra ou adoracao.

    • Como é que é ??? – Evangélicos agora também usam imagens em seus templos ?

      Fazer Culto e adoração a Arca ? Onde isto na bíblia ?
      Quer dizer que agora os protestantes podem rezar diante da imagem da arca, Cristo, cruz etc, e poder dizer que não se ora ao objeto, mas a quem ele representa como sempre os Católicos entendem e tentam explicar, mas os católicos não podem é isto ?…
      E depois ficam a dizer que os idólatras são os Católicos. Quanta contradição !!!

      Veja a relação das Igrejas:
      IGREJA EVANGÉLICA BATISTA
      IGREJA EVANGÉLICA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS
      IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA
      IGREJA EVANGÉLICA LUTERANA
      IGREJA EVANGÉLICA METODISTA
      IGREJA EVANGÉLICA QUADRANGULAR
      IGREJA EVANGÉLICA SARA NOSSA TERRA
      IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS

      1)- IGREJA PRESBITERIANA, TODA COMUNIDADE SE PROSTAM DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA A ARCA:
      2)- SEMINÁRIO EVANGÉLICO SHEKNAH– MUITOS GRITOS, LOUVORES, TOQUES E PROSTRAÇÃO DIANTE DA ARCA:
      3)- IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS NOVA IGUAÇU— MOMENTO SOLENE NA ENTRADA DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA COM MUSICA TOCAR DO SHOFAR LUZES E GLORIFICAÇÕES COM A VÓZ:
      4)- IMAGEM DE LEÃO DE JUDA EM ESTANDART PRINCIPAL É RECEBIDA COM APLAUSOS EM ASSEMBLÉIA DE DEUS Festa realizada em 2005 na Catedral das Assembléias de Deus em Brasília, sede da Convenção de Madureira:
      5)- CDJDI IGREJA EVANGÉLICA Casa Deus Jundiaí:
      IGREJA EVANGÉLICA IEPNABE, VEJAM COMO ELES SE RETORCEM DIANTE DA IMAGEM DE ESCULTURA A ARCA:
      6)- IGREJA EVANGÉLICA ENSINANDO QUE FAZER USO DA IMAGEM DE ESCULTURA DA ARCA DENTRO DE SUA CASA SERÁ TREMENDAMENTE ABENÇOADO SEGUNDO AS ESCRITURAS.

      • Emanulle, por favor não viaje.

        Na Convenção da CGADB, a imagem do Leão de Judá representava Cristo.
        É muito diferente de uma imagem de “nossa senhora” que representa ela mesmo, de acordo com o credo católico.

        Além disso, observe que como você mesmo afirmou são “eventos solenes”, ou seja, ocasiões específicas que ocorrem para representar um determinado evento ou passagem bíblia por meio de ilustrações.

        Não significa que há alí uma adoração ou penitência diária.
        Não tire as coisas do contexto ok?

        Protestantes não “Rezam” rezar é repetir as mesmas palavras em vão. Deus abomina isso!

        Além disso a Arca representa a Aliança entre Deus e o seu povo…Quando fazemos eventos com essa representação teatral, o objetivo é reforçar o conceito de aliança…

        Mas isso Bah! Dá uma aula de ao menos 2h de Teologia … mas hoje estou com preguiça de escrever :)

    • PROVAS QUE OS VERDADEIROS IDOLATRAS SÃO OS PROTESTANTES

      É comum vermos protestantes acusando católicos de idolatria, devido ao culto aos Santos. Isso ocorre por uma razão muito simples: os protestantes não adoram a Deus, mas O veneram. Os católicos adoram a Deus e veneram Seus Santos. Assim, ao ver um católico venerando um Santo, o protestante – que venera a Deus – acha que o católico está prestando a um Santo uma homenagem que só compete a Deus. A veneração é aquilo que os filhos têm para com seus pais: eles pedem ao pai e à mãe, eles agradecem e eles louvam seus pais. A adoração é aquilo que um macumbeiro faz com seus orixás (oferecendo-lhes sacrifícios de bichos) e um católico faz de maneira incruenta e infinitamente superior para Deus (no Sacrifício único e perfeito de Cristo, tornado novamente presente em cada Missa).
      O protestante presta a Deus um culto de veneração, reunindo-se com outros protestantes para cantar louvores a Deus, pedir-Lhe graças e agradecer as graças concedidas por Sua Misericórdia. Ao ver assim um católico prestando culto de veneração a um Santo, reunindo-se com outros católicos para cantar louvores ao que um Santo fez pela graça de Deus, para pedir ao Santo que peça a Deus graças e para agradecer as graças concedidas por Deus em resposta ao pedido feito pelo Santo, o protestante acha imediatamente que o católico estaria dando a um Santo – uma criatura, que não é Deus – o que é devido a Deus. É um lamentável engano. O mais engraçado, porém, neste engano é ver que os protestantes fazem exatamente a mesma coisa que os católicos, mas em referência a pessoas que ainda estão aqui na terra, pessoas que ainda podem cair em pecado e afastar-se de Deus. O protestante pede aos amigos que orem por ele a Deus, como um católico pede a um Santo; o protestante agradece aos amigos que intercederam por ele junto a Deus quando suas orações são atendidas; o protestante louva o que é feito por outro protestante e que ele acha ser devido à graça de Deus.
      Apesar de acusar injustamente os católicos de idolatria, porém, o protestante parece não perceber que quem aponta um dedo para alguém está apontando três para si mesmo: os protestantes vivem e pregam a idolatria.
      Como assim?
      Ora, Nosso Senhor Jesus Cristo disse e fez muitíssimas coisas que não estão na Bíblia. São João afirma isto com todas as letras no fim de seu Evangelho (Jo 20,30; Jo 21,35). Do mesmo modo, vemos por exemplo Nosso Senhor explicando no caminho de Emaús (Lc 24,27) as profecias do Antigo Testamento referentes à Sua Paixão e Ressurreição; a explicação dada por Ele, porém, não está escrita na Bíblia, do mesmo modo como muitíssimas pregações e explicações que fez aos Apóstolos. Ora, Ele disse para os Apóstolos ensinarem *tudo* o que Ele ensinou a eles (Mt 28,20).
      O protestante, porém, afirma que o que não está na Bíblia não interessa, esquecendo-se de que não só não está escrito na Bíblia que só vale o que lá está, quanto que não está escrito na Bíblia que Nosso Senhor mandou escrever Bíblia alguma.
      A Bíblia, esquece ele, é porém uma mera criatura de Deus. Criatura santa, inspirada e boa, mas criatura. Ao dar maior importância à criatura (a Bíblia) que ao Criador (os atos e palavras de Cristo que não estão contidos na Bíblia e que Ele mandou que fossem ensinados), o protestante está caindo em idolatria. Ele coloca a criatura (a Bíblia) como sendo mais importante que o Criador.
      Esta idolatria torna-se ainda mais negra quando percebemos que os protestantes na verdade colocam acima da própria Bíblia a sua idéia particular do significado da Bíblia. Assim, por exemplo, apesar das claríssimas palavras do próprio Senhor (Jo 6,32-59) – corroboradas por São Paulo, aliás (1Cor 11,23-29) -, os protestantes negam que Seu Corpo e Seu Sangue sejam verdadeira comida e bebida, sem a qual ninguém terá a vida eterna, assim como negam, contra as palavras de Cristo (Jo 20,23) que o pecado que não for perdoado por um homem que recebeu de Cristo este poder não será perdoado.
      Temos, portanto, que:
      Idolatria é colocar criaturas acima do Criador.
      Ora, os protestantes colocam criaturas (a Bíblia e suas interpretações pessoais da Bíblia) acima do Criador.
      Logo, os protestantes são idólatras.
      Autor: Carlos Wylker

    • Aos protestantes – apenas uma pergunta: o amor ao dinheiro é idolatria ?
      A minha resposta: é. Vocês são idólatras!

      1)-Os fiéis protestantes não são tão inocentes assim, pois são levados a doar tudo que tem na ganância de receber o dobro, o triplo,conforme as promessas dos seus pastores e bispos…”

      2)-São Paulo classifica a avareza como idolatria:

      Mortificai, pois, os vossos membros terrenos: fornicação, impureza, paixões, desejos maus, cupidez e a avareza, que é idolatria´ (Cl 3,5). A razão do
      Apóstolo ver como idolatria o apego aos bens materiais, sobretudo ao dinheiro, é que isto faz a pessoa amá´lo como a um deus.
      3)-Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou odiará a um e amará o outro, ou dedica´se a um e desprezará o outro. Não podeis servi a Deus e a Mamom´ (Mt 6,24).

      4)-São Paulo afirma que ´a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro´. (1Tm 6,10) Veja que, portanto, o mal, não é o dinheiro em si, mas o ´amor´ ao dinheiro; isto é, o apego desordenado que faz a pessoa buscar o dinheiro como um fim, e não como um meio.

      5)-Ajuntai para vós tesouros no céu, onde não os consomem nem as traças nem a ferrugem, e os ladrões não furam nem roubam´. (Mt 6,19´20) Se Jesus recomenda ´não ajuntar tesouros na terra´, é porque esta riqueza e segurança são ilusórias e não podem satisfazer´nos, por mais que o mundo nos diga que sim
      6)-O nosso Catecismo diz: ´Toda prática que reduz as pessoas a não serem mais do que meros meios que têm em vista o lucro escraviza o homem, conduz à idolatria do dinheiro e contribui para difundir o ateísmo´. (CIC § 2424).

      7)-Jesus recomendou ao povo: ´Guardai´vos escrupulosamente de toda avareza, porque a vida de um homem, ainda que ele esteja na abundância, não depende de suas riquezas´ (Lc 12,15). Depois de fazer esta recomendação o Senhor contou´lhes aquela parábola do homem rico, cujos campos produziam muito, e que mandou derrubar os celeiros antigos, para construir novos e maiores; e depois disse à sua alma: ´ Minha alma, tens muitos bens em depósito para muitíssimos anos; descansa, come, bebe, e regala´te´. Mas Deus lhe disse na mesma noite: ´Nesta noite ainda exigirei de ti a tua alma. E as coisas, que ajuntaste, de quem serão ? Assim acontece ao homem que entesoura para si mesmo e não é rico para Deus´. (Lc 12,16´21)
      8)-O jovem rico rejeitou segui´lo, porque ´tinha muitos bens´ ! (Mc 10,22). Depois deste episódio Jesus disse aos discípulos: ´Filhinhos, quão difícil é entrarem no Reino de Deus os que põem a sua confiança nas riquezas´. (Mc 10,24)

      9)-A grande crise dos nossos tempos é o conflito do ´ter´ e do ´ser´. Santo Agostinho dizia: ´não andes averiguando quanto tens, mas o que tu és.

      Com relação aos protestantes adoradores de Mamom: I João 2,19: Eles saíram dentre nós, mas não eram dos nossos. Se tivessem sido dos nossos, ficariam certamente conosco. Mas isto se dá para que se conheça que nem todos são dos nossos.

      “Se enxerguei além dos outros, é por que estava no ombro de gigantes” (Isaac Newton)

    • OS PROTESTANTES FANÁTICOS COMO VOCÊ SABEM QUE IMAGEM NÃO É ÍDOLO ?

      Parece que o deus dos protestantes anda meio esclerosado e esquecido mandando fazer imagens em um lugar e proibindo noutros…

      A Bíblia reza no livro de Josué: “Josué prostrou-se com o rosto em terra DIANTE DA ARCA DO SENHOR, e assim permaneceu até à tarde, imitando-o todos anciãos de Israel” (Jos 7, 6).

      Terão sido idólatras Josué e os anciãos de Israel?
      Apocalipse 5, 6-14: Os Anciãos estão PROSTRADOS e ADORANDO a IMAGEM do CORDEIRO. Afinal, será que podemos interpretar que ATÉ os ANCIÃOS na Glória Celeste são Idólatras ?
      1)- Para ser CONSIDERADO IDOLATRIA : Teríamos que achar que os três elementos: Deus o santo e a imagem são a mesma coisa.
      2)- Nunca se ouviu algum católico defendendo que o Santo era Deus, logo não existe Idolatria.

      3)- Se Considerar que a prostração diante das Imagens Santas é Idolatria, então Josué e os anciãos de Israel teria, cometido Idolatria, logo qualquer relação com Idolatria está descartada.
      4)- Para se dizer que os católicos adoram os santos, eles teriam que dizer que S. Francisco, por exemplo, não é S.Francisco, mas Deus.
      5)- E, ainda mais difícil, os católicos teriam que afirmar que S. Francisco é a própria estátua.
      6)- Nisto demonstra que somos mais esclarecidos que os protestantes, pois para os protestantes a imagem eles consideram o próprio Deus,o que não se aplica aos Católicos esclarecidos.
      7)- Nenhum católico acredita que o santo seja Deus ou que ele seja a madeira da estátua (como uma divindade). Logo, não há idolatria possível, (visto que esta consiste em adorar um falso deus , portanto um ídolo).Os Santos foram apenas Imitadores perfeitos de Cristo. Nas imagens sacras e obras de arte católicas se representam os santos, que são pessoas que possuem virtudes que os tornam “imitadores” de Cristo, como aconselhou o próprio S. Paulo:
      “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” ( I Coríntios 11:1).
      8)- Parece-nos que o deus dos protestantes, ou as suas interpretações quanto à questão da imagens sacras, andam meio esclerosadas (Esquecendo-se).Pois o mesmo Deus, que no livro do Êxodo proíbe que sejam feitas imagens, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança (Ex 25, 18-20).

      9)- Manda-lhe, também, fazer uma serpente de bronze e colocá-la por cima duma haste, para curar os mordidos pelas serpentes venenosas (Num 21, 8-9).
      10)- Manda, ainda, a Salomão enfeitar o templo de Jerusalém com imagens de querubins, palmas, flores, bois e leões (I Reis 6, 23-35 e 7, 29).
      11)- Ora, se Deus manda fazer imagens em várias passagens das Sagradas Escrituras (Ex 25, 17-22; 1Rs 6, 23-28; 1 Rs 6, 29s; Nm 21, 4-9; 1Rs 7, 23-26; 1 Rs 7, 28s; etc) e proíbe que se façam imagens em outra, de duas uma, ou Deus é contraditório ou, está havendo uma má interpretação teológica.
      Mais clareza, só cego para não querer ver e entender, o que seria puro orgulho espiritual e falta de humildade, que são atitudes não Cristãs.
      “Pregando a Verdade e confirmando os irmãos na verdadeira fé, com a graça de Deus construo Catedrais nas almas para que nelas possam habitar o Espírito Santo de Deus” ( Pierry de Craon )

    • Imagem não é o mesmo que ídolo. Chama-se ídolo: uma imagem falsa, um simulacro a que se atribui vida própria, conforme explica o profeta Habacuc (2, 18). Eis o que claramente indica Habacuc, dizendo: “Ai daquele que diz ao pau: Acorda, e a pedra muda: Desperta” (Hc 2, 19)
      A Bíblia reza no livro de Josué: “Josué prostrou-se com o rosto em terra diante da arca do Senhor, e assim permaneceu até à tarde, imitando-o todos anciãos de Israel” (Jos 7, 6).
      Terão sido idólatras Josué e os anciãos de Israel?
      Foi Deus ainda que ordenou a Moisés levantar uma “serpente” de metal (Nm 21,8) e todos os que olhassem para ela seriam curados. Ora, que “olhar” é esse que confere uma cura milagrosa diante de uma estátua de metal?
      Temos as provas de como esse culto era já uma pré-figura do culto à Deus nas palavras de S. João, que diz que tal “serpente” era o símbolo do Cristo crucificado: “Bem como ergueu Moisés a serpente no deserto, assim cumpre que seja levantado o Filho do Homem” (Jo 3, 14).
      Por acaso caíram também Moisés e S. João, e até o Espírito Santo (autor da Sagrada Escritura) em crime de idolatria? É claro que não.
      A idolatria consistiria em achar que a divindade está em uma estátua, por exemplo. Ou seja, teríamos que colocar alimentos para as imagens, como faziam os romanos, os egípcios e os demais povos idólatras. Teríamos que achar que Deus e o santo são a mesma pessoa. No fundo, seria dizer que S. Benedito não é e nem foi S. Benedito, mas foi Deus, etc.
      Nunca se ouviu algum católico defendendo que o Santo era Deus! Mesmo porque isso seria cair em um panteísmo (defendido por Calvino e Lutero em algumas de suas obras). Para se dizer que os católicos adoram os santos, eles teriam que dizer que S. Benedito, por exemplo, não é S. Benedito, mas Deus.
      E, ainda mais difícil, os católicos teriam que afirmar que S. Benedito é a estátua, uma espécie de amuleto mágico…
      Nenhum católico acredita que o santo seja Deus ou que ele seja a madeira da estátua (como uma divindade). Logo, não há idolatria possível, visto que esta consiste em adorar um falso deus. (Ver a diferença entre os cultos de “latria”, “hiperdulia” e “dulia”).
      Alguns protestantes argumentam que só é possível fazer imagens quando Deus expressamente permite. Pergunta-se: onde está essa norma na Bíblia? É uma contradição dos protestantes, pois tudo para eles está na Bíblia, todavia, para condenar os católicos, não é necessária a Bíblia…
      Deus proíbe a idolatria e não o uso de imagens
      O mesmo Deus, no mesmo livro do Êxodo em que proíbe que sejam feitas imagens, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança (Ex 25, 18-20). Manda-lhe, também, fazer uma serpente de bronze e colocá-la por cima duma haste, para curar os mordidos pelas serpentes venenosas (Num 21, 8-9). Manda, ainda, a Salomão enfeitar o templo de Jerusalém com imanges de querubins, palmas, flores, bois e leões (I Reis 6, 23-35 e 7, 29).
      Ora, se Deus manda fazer imagens em várias passagens das Sagradas Escrituras (Ex 25, 17-22; 1Rs 6, 23-28; 1 Rs 6, 29s; Nm 21, 4-9; 1Rs 7, 23-26; 1 Rs 7, 28s; etc) e proíbe que se façam imagens em outra, de duas uma, ou Deus é contraditório ou fazer imagens não é idolatria!
      Portanto, fica claro que o erro não está nas imagens, mas no tipo de culto que se presta à elas.
      Os Judeus, saindo da dominação egípcia, um povo idólatra, tinham muita tendência à idolatria. Basta ver o que aconteceu quando Moisés desceu do Monte Sinai com as Tábuas da Lei e encontrou o povo adorando o “Bezerro de Ouro” como se ele fosse uma divindade, um amuleto. É claro, como permitir que um povo tendente à idolatria fosse fazer imagens.
      Nas imagens católicas se representam os santos, que são pessoas que possuem virtudes que os tornam “semelhantes” a Deus, como afirmou S. Paulo: “já não sou eu quem vivo, mas é Cristo que vive em mim”.
      Nas catacumbas encontram-se, em toda parte, imagens e estátuas da Virgem Maria; prova de que tal culto existia no tempo dos apóstolos e foi por eles praticado, ensinado e transmitido à posteridade. Uma das imagens de Nossa Senhora, segundo a tradição, foi pintada pelo próprio S. Lucas e está na catedral de Loreto, exposto à veneração dos fiéis.
      As imagens católicas representam pessoas virtuosas. Virtude essa que provém da graça de Deus. O mesmo não se dava na idolatria, pois os povos idólatras representavam as virtudes e os vícios em seus ídolos.
      O Concílio de Trento formalmente legitimou o uso das imagens: As imagens de Jesus Cristo, da Mãe de Deus, e dos outros santos, podem ser adquiridas e conservadas, sobretudo nas Igrejas, e se lhes pode prestar honra e veneração; não porque há nelas qualquer virtude ou qualquer coisa de divino, ou para delas alcançar qualquer auxílio, ou porque se tenha nelas confiança, como os pagãos de outrora, que colocavam a sua esperança nos ídolos, mas, sim, porque o culto que lhes é prestado dirige-se ao original que representam, de modo que nas imanges que possuímos, diante das quais nos descobrimos ou inclinamos a cabeça, nós adoramos Cristo, e veneramos os santos que elas representam (Sess XXV).
      O Concílio de Nicéia, o primeiro celebrado na Igreja, no ano de 325, sob o Papa S. Silvestre I e o imperador Constantino, defende o culto das imagens contra os iconoclastas, com um vigor admirável.
      Lê-se nos atos deste concílio: Nós recebemos o culto das imagens, e ferimos de anátema os que procedem de modo contrário. Anátema a todo aquele que aplica às santas imagens os textos da escritura contra os ídolos. Anátema a todo aquele que as chama ídolos. Anátema àqueles que ousam dizer que a Igreja presta culto a ídolos.

    • Mas Deus proibiu mesmo toda Imagem?
      Deus proibiu a adoração de estátuas, mas não proibiu o uso delas. Em vez disso, ele de fato mandou que fossem usadas em contextos religiosos, como provarei abaixo. Portanto, aqueles que se opõem à iconografia e estatuária religiosa esquecem das muitas passagens onde o Senhor ordena a confecção de estátuas. Por exemplo:
      “Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Colocarás a tampa sobre a arca e porás dentro da arca o testemunho que eu te der. Ali virei ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a arca da aliança, que te darei todas as minhas ordens para os israelitas.” “Farás uma mesa de madeira de acácia, cujo comprimento será de dois côvados, a largura de um côvado e a altura de um côvado e meio. Recobri-la-ás de ouro puro e farás em volta dela uma bordadura de ouro. Farás em volta dela uma orla de um palmo de largura com uma bordadura de ouro corrente ao redor. “(Ex. 25,18-20).
      Davi deu a Salomão a planta do templo ”Também determinou a quantidade de ouro refinado que o altar do incenso deveria ter. Deu-lhe o modelo do carro dos querubins de ouro, que cobriam com as suas asas a Arca da Aliança de Javé. Tudo isso estava num escrito que Javé havia entregado a David, explicando a fabricação do modelo. “(1 Cr. 28,18-19). A planta de Davi para o templo, que o autor bíblico nos diz que foi “escrita pela mão do Senhor”, incluía estátuas de anjos.
      Da mesma forma Ezequiel 41,17-18 descreve escultura (talha) das imagens do templo idealizado, que lhe havia sido mostrada em uma visão, pois ele escreve: ”Nas paredes ao redor na sala interior e [sobre] a nave foram esculpidos semelhanças de querubins. “
      O Uso Religioso de Imagens
      Durante uma praga de serpentes enviadas para punir os israelitas durante o êxodo, Deus disse a Moisés para “fazer [a estátua de] uma serpente e coloque-a em um poste, e todo aquele que for picado e vêr a serpente viverá. Então Moisés fez uma serpente de bronze, e prendeu-a em um poste, e se qualquer pessoa picada olhasse para a serpente de bronze e vivia.”(Num. 21,8-9).
      Bastava olhar para a estátua de bronze da serpente para ser curado, o que mostra que as estátuas poderiam ser usadas ‘sacramentalmente’, ou seja, como símbolo externo que manifesta a fé existente interior, e não apenas como ornamentos religiosos. Eis aqui apenas mais uma evidência Bíblica que Deus de fato utilizou de símbolos ou sinais físicos para dispensar suas Graças ao Seu Povo já no Antigo Testamento. O mesmo pode ser dito do método escolhido por Deus para saciar a sede dos israelitas no deserto, quando ordenou a Moisés que usasse seu cajado contra uma pedra, que somente então jorraria agua e salvaria o povo de Israel de morrer de sede. Não poderia Deus ter apenas feito chover? Obviamente que sim, mas o Senhor escolheu um modo simbólico de apresentar sua benção ao seu povo, permitindo assim que através do gesto de Moisés a fé de todos aqueles presentes fosse aumentada.
      Os Católicos usam estátuas, pinturas e outros recursos artísticos para “recuperarem” a pessoa ou cena representada na arte. Da mesma forma que ao olharmos para uma fotografia lembramos da pessoa nela capturada, ao olharmos uma estátua nos remetemos mental e espiritualmente àquilo que ela representa.
      Os católicos também usaram as estátuas como ferramenta de ensino. No início da Igreja elas foram especialmente úteis para a instrução dos analfabetos. Muitos protestantes usam imagens de Jesus e outras figuras da Bíblia na escola dominical para ensinar as crianças, uma tradição tipicamente católica.
      Os católicos também usam estátuas para imortalizarem a lembrança de certas pessoas e eventos, do mesmo modo muitas igrejas protestantes nos EUA e no mundo usam presépios tridimensionais no Natal.
      Sendo assim, se o mesmo peso e a mesma medida forem usados, os protestantes também estariam praticando a “idolatria” de que acusam os católicos. Mas não há idolatria em nenhuma dessas situações, pois Deus proíbe a adoração de imagens como deuses, mas não proíbe sua realização. Se fosse o caso, os filmes religiosos, vídeos, fotografias, pinturas, e todas as coisas semelhantes seriam idolatria. Mas, como no caso da serpente de bronze de Moisés, Deus não proibiu o uso ritual de imagens religiosas.
      O problema é quando as pessoas começam a adorar a estátua como um ‘deus’ que o Senhor se zanga. Assim, quando os judeus do Antigo Testamento começaram a adorar a serpente de bronze como um ‘deus-serpente’ (a quem chamaram de “Neustã”), o rei justo Ezequias mandou destruí-la (2 Rs. 18:4).
      Prostração: Postura Idólatra?
      Às vezes os anti-católicos citam Deuteronômio 5,9, onde Deus disse a respeito de ídolos, “Vós não deveis vos curvar a eles.” para formularem sua acusação. Uma vez que muitos católicos às vezes se ajoelham diante de estátuas de Jesus e mesmo dos santos, as pessoas confundem esse ato de veneração com o pecado da idolatria.
      Apesar da curvatura e a genoflexão (ato de ajoelhar-se) poderem ser posturas de adoração, isso não quer dizer que sempre que elas ocorrem esteja caracterizada a adoração. Assim, um católico que se ajoelha diante de uma imagem sacra não está prestando adoração à estátua, mas apenas assumindo uma postura de oração. Ou seja, a genuflexão é uma postura de reverência que exterioriza um sentimento de humildade e piedade interior, ela somente caracterizaria um ato de adoração se houvesse a atribuição do status de divindade ao objeto ( imagem sacra) em substiuição à Deus, o que não ocorre na prática Católica. A Bíblia Sagrada nos prova isso:
      Moisés saiu ao encontro do sogro e, prostrando-se, o beijou. Em seguida, depois de mútua saudação, os dois entraram na tenda. Ex. 18,17
      Josué rasgou suas vestes e prostrou-se [diante da Arca da Aliança] com a face por terra até a tarde diante da arca do Senhor, tanto ele como os anciãos de Israel, e cobriram de pó as suas cabeças. Seria esse o desejo de Deus?~
      Obadias ajoelhou-se diante de Elias e esse por sua vez não o repreendeu, pois percebia o gesto de Obadias como ato de respeito:
      “Enquanto Obadias caminhava, eis que veio Elias a seu encontro. Abdias reconheceu-o e prostrou-se com o rosto por terra, dizendo: És tu, meu senhor Elias?” (1 Reis 18,7)
      Eliseu também para se pos de joelhos:
      “Os filhos dos profetas que estavam em Jericó, vendo o que acontecera defronte deles, disseram: O Espírito de Elias repousa em Eliseu. Foram-lhe ao encontro, prostraram-se por terra diante dele.”(2 Reis 2,15)
      As mulheres se ajoelharam diante dos anjos no sepulcro:
      “Não sabiam elas o que pensar, quando apareceram em frente delas dois personagens com vestes resplandecentes. Como se estivessem amedrontadas, inclinaram o rosto para o chão, disseram-lhes eles: Por que buscais entre os mortos aquele que está vivo?”[Lucas 24, 4-5)
      Alguns recorrem ainda à Deuteronômio 4,15-18 para condenarem o uso de estátuas religiosas: “No dia em que o Senhor, vosso Deus, vos falou do seio do fogo em Horeb, não vistes figura alguma. Guardai-vos, pois, de fabricar alguma imagem esculpida representando o que quer que seja, figura de homem ou de mulher, representação de algum animal que vive na terra ou de um pássaro que voa nos céus, ou de um réptil que se arrasta sobre a terra, ou de um peixe que vive nas águas, debaixo da terra”
      Já mostramos que Deus não proíbe a confecção de estátuas ou imagens de várias criaturas para fins religiosos (cf. 1 Rs 6,29-32, 8:6-66;.. 2 Crônicas 3,7-14) mas sim o ‘endeusamento’ de estátuas em subistuição ao culto a Deus. Muitos protestantes diriam que mesmo assim essa prática é errada, pois Deuteronômio 4 nos diz que os israelitas não viam a Deus sob uma forma concreta e, portanto, não devemos fazer representações simbólicas de Deus. Mas será que Deuteronômio 4 proíbe tais representações?
      A resposta é não
      No início de sua história, Israel foi proibida de fazer quaisquer representações de Deus, porque Ele não havia se revelado de uma forma visível. Dada a cultura pagã ao seu redor, os israelitas poderiam ter sido tentados a adorarem a Deus sob a forma de um animal ou algum objeto natural (por exemplo, um touro ou o sol), como de fato o fizeram.
      Mais tarde, porém, Deus revelou-se sob formas visíveis, como em Daniel 7,9 “Enquanto eu olhava, foram colocados tronos e um que era Ancião de Dias, tomou o seu lugar, o seu vestido era branco como a neve, e o cabelo da sua cabeça como a pura lã; o seu trono era chamas de fogo, suas rodas eram fogo ardente.” Os Evangélicos e protestantes em geral fazem representações de Deus Pai, de acordo com essas descrições quando fazem ilustrações das profecias do Velho Testamento.
      O Espírito Santo revelou-se sob pelo menos duas formas visíveis, a de uma pomba, no batismo de Jesus (Mateus 3,16, Marcos 1,10, Lucas 3,22, João 1,32), e como línguas de fogo, no dia de Pentecostes (Atos 2,1-4). Os cristãos não-Católicos usam essas imagens para representarem episódios bíblicos, nos EUA por exemplo, usam alfinetes na lapela com a representação do Espírito Santo em forma de pomba, ou ainda emblemas em seus carros, etc…
      Mas, mais importante, na encarnação de Cristo, Seu Filho, Deus mostrou à humanidade um ícone de si mesmo. Em Colossenses 1,15 Paulo disse: “Ele é a imagem. (Em grego imagem = ikon) do Deus invisível, o primogênito de toda a criação.” Cristo é o tangível “ícone” divino do invisível, do Deus infinito.
      Nós lemos que, quando os Reis Magos foram “entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e prostrando-se, o adoraram. Então, abrindo os seus tesouros, ofereceram-lhe presentes: ouro, incenso e mirra” (Mt 2,11). Embora Deus não tivesse revelado uma forma no Monte Horebe, ele revelou uma na casa em Belém.
      A questão é, quando Deus estabeleceu Sua nova aliança conosco, ele revelou-se sob uma forma visível em Jesus Cristo. Por esse motivo, nós podemos fazer representações de Deus em Cristo. Até mesmo os protestantes usam todos os tipos de imagens religiosas: Imagens de Jesus e outras personagens bíblicas aparecem em uma variedade de Bíblias, livros de fotos, camisetas, bijuterias, adesivos, cartões, discos compactos, e presépios. Cristo ainda é simbolicamente representado pela Icthus ou “emblema de peixe.”
      O bom senso nos diz que, uma vez que Deus se revelou em várias imagens, sobretudo na encarnação de Jesus Cristo, não é errado para nós usarmos imagens destas formas para aprofundar o nosso conhecimento e amor à Deus. É por isso que Deus revelou-se nessas formas visíveis, é por isso que são feitos ícones e estátuas.

    • Adorar é o mesmo que “Venerar” conforme dizem os “estudiosos” Protestantes?

      Atos 5,34: “ Mas, levantando-se no conselho um certo fariseu, chamado Gamaliel, doutor da lei, VENERADO por todo o povo, mandou que por um pouco levassem para fora os apóstolos…”(Segundo a bíblia Protestante : João Ferreira de Almeida)

      Neste caso todo povo Judeu ADORAVA Gamaliel, se adorar for o mesmo que Venerar ? E agora Sr. Falso pastor, mentiroso e embusteiro ? Como sair desta enrascada que você mesmo se meteu ?

      E ainda, criminosamente tentando deturpar outro assunto, dizia o herege: – “Muito mais estranho é a doutrina dos jesuítas no ‘ELUCIDARIUM DE POSA’, onde descreve Maria, concorrendo como homem e mulher para produzir o corpo de Cristo”.

      PURA DETURPAÇÃO! Os Jesuítas apenas referem-se que na terra, fique claro, Maria foi mãe e pai de Jesus em sua geração carnal, visto que Jesus não teve o pai carnal na terra, apenas. Nada de anormal nisto. E encerrando esse capítulo de blasfêmias dizia o vilipendiador: – “As Igrejas protestantes não são irreverentes assim com o nome da mãe do Salvador!”
      Quanto a irreverência das “igrejas protestantes” são as piores possíveis, chamam a MÃE DO SALVADOR de: “IDOLO”, “BONECA”, “UMA COMO OUTRA QUALQUER”, “DEMÔNIO”, “DEUSA”, “DEFUNTA”, etc. E a irreverência física das “igrejas protestantes” vai além: tem uma chamada “Acalanto” só para gays, uma chamada “Sinos de Belém” para pederastas, uma chamada “Universal” que faz “descarrego”, uma chamada “Bola de Neve” só para surfista tatuado, uma chamada “Assembléia de deus” para quem grita na rua, uma chamada “Catedral Esperança” só para lésbicas e Draig Queens, outra chamada “Cuspe de Jesus”, “Cobra de Moisés” e por aí vai. Acabam assim as lorotas do “pastor”.

    • Os protestantes maldosamente confundem que todo o tipo de imagem é um ídolo, que não deveriam ser feitas imagens do que existe em cima no céu, os evangélicos omitem que o texto se refere a imagens de falsos deuses, que negam que há um só Deus e o próprio Deus nunca foi contra imagens religiosas, Ele mesmo ordenou a fabricação de gigantescas imagens de criaturas que existem no céu: No santuário interno ele esculpiu dois querubins de madeira de oliveira, cada um com quatro metros e meio de altura. 1 Reis 6:23

      “De tanto se repetir uma mentira, ela acaba se transformando em verdade” (Joseph Goebbels). É por isso que acreditam tanto nas calunias contra a igreja católica. É a força do mal imperando! O diabo é mesmo o pai das mentiras.
      “Não farás para ti escultura alguma do que está em cima nos céus, ou abaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra”( Ex 20,4).
      O mesmo Deus, no mesmo livro do Êxodo, manda Moisés fazer dois querubins de ouro e colocá-los por cima da Arca da Aliança ( Ex 25,18-20 ). Manda-lhe, também fazer uma serpente de bronze e colocá-la por cima duma haste, para curar os mordidos pelas serpentes venenosas ( Num 21,8-9 ). Manda, ainda, a Salomão enfeitar o templo de Jerusalém com imagens de querubins, palmas, flores, bois e leões ( I Reis 6,23-35 e 7,29 ), etc.
      Seria uma grave blasfêmia desses “crentes” considerar Deus como incoerente, já que num lugar da Bíblia manda fazer imagens, esquecido que no outro lugar o teria proibido! Ora, os primeiros cristãos martirizados aos milhares porque se recusaram a adorar imagens de deuses falsos, estudaram a Bíblia com mais atenção e respeito. Eles não tiravam esses trechos proibitivos de seu contexto e, comparando-os com outros, ficaram convencidos de que Deus proíbe apenas fazer imagens de deuses falsos, e adorá-los, como o faziam os vizinhos pagãos, mas Ele não proíbe fazer outras imagens.
      Eis o verdadeiro sentido desta proibição bíblica, no seu contexto: “Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura alguma do que (daqueles deuses, que na errada imaginação dos pagãos) está em cima nos céus, ou abaixo sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles e não lhes prestarás culto, (à imitação dos pagãos) ( Ex 20,2-5). Esta proibição, intencionada por Deus, repete-se em vários lugares da Bíblia, como por ex. “Não adores nenhum outro deus”( Ex 34,14 ) ou “Não farás para ti deuses fundidos”( Ex 34,17).
      Por isso os primeiros cristãos pintaram nas catacumbas muitas imagens das cenas bíblicas do Antigo e Novo Testamento e legaram, para a veneração dos séculos posteriores, as imagens de Cristo-Sofredor, na toalha de verônica, e no sudário sepulcral, guardado em Turim, na Itália.
      Alguns santos dos primeiros séculos afirmavam que as imagens da Bíblia, da Via Sacra, de Jesus crucificado e dos Santos são o único “livro” que também os pobres e analfabetos entendem e aproveitam. Isso vale, ainda hoje, para milhões de pessoas.
      O culto às imagens hoje em dia é muito discutida. As igrejas protestantes dizem se tratar de idolatria.
      O livro do Êxodo proíbe aos israelitas a confecção de imagens. Por quê? Porque poderiam dar a oportunidade dos israelitas imitarem os povos pagãos. Mas essa proibição não era de tudo. Deus mesmo mandou a confecção de Imagens.
      EX 25,17-22: “Igualmente farás um propiciatório, de ouro puro; o seu comprimento será de dois côvados e meio, e a sua largura de um côvado e meio. Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório. Farás um querubim numa extremidade e outro querubim na outra extremidade; de uma só peça com o propiciatório fareis os querubins nas duas extremidades dele. Os querubins estenderão as suas asas por cima do propiciatório, cobrindo-o com suas asas, tendo as faces voltadas um para o outro; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. E porás o propiciatório em cima da arca; e dentro da arca porás o testemunho que eu te darei. E ali virei a ti, e de cima do propiciatório, do meio dos dos querubins que estão sobre a arca do testemunho, falarei contigo a respeito de tudo o que eu te ordenar no tocante aos filhos de Israel.”
      É.. Deus mandou a construção de dois querubins… Por isso a Bíblia costuma dizer que “Javé está sentado sobre os querubins” (cf 1sm 4,4; 2Sm 6,2; Rs 10,15; Sl 79,2; 98,1).
      Existem outras leituras que eu aconselho a fazer para um melhor esclarecimento. Abaixo vão as leituras e uma breve descrição:
      1 Rs 6,23-28: O texto menciona os querubins postos junto à Arca da Aliança no Templo de Salomão. 1Rs 6,29s: As paredes do Templo de Salomão foram revestidas de imagens de querubins.
      Nm 21,4-9: O Senhor Deus mandou confeccionar a serpente de bronze para curar o povo mordido por serpentes.
      1Rs 7,23-26: O mar de bronze colocado à entrada do palácio de Salomão era sustentado por 12 bois de metal.
      1Rs 7,28s: Havia entre os ornamentos do palácio de Salomão imagens de leões, touros e querubins. Os próprios judeus compreenderam que a proibição de fazer imagens era condicionada por circunstâncias transitórios, de modo que aos poucos foram introduzindo o uso de imagens nas suas sinagogas. Vide o caso, por exemplo, da famosa sinagoga de Dura-Êuropos, na Babilônia, na qual estavam representados Moisés diante da sarça ardente, o sacrifício de Abraão, a saída do Egito e a visão de Ezequiel.
      Vocês não leem a Bíblia, mas quando leem, não entendem. É que na Bíblia só contém verdades, mas parece que preferem a mentira !

    • Deus proibiu terminantemente no decálogo esculpir estátuas ou imagens(protestantes)
      O que diz a Bíblia:
      “Farás um propiciatório de ouro puro, 125 cm de comprimento e 75 cm de largura. Farás dois querubins de ouro polido, nas duas extremidades do propiciatório, um de um lado do outro lado, de modo que os querubins estejam nos dois extremos do propiciatório. Os querubins com as asas estendidas por cima estarão encobrindo o propiciatório, um de frente do outro, voltados para o propiciatório. Porás o propiciatório sobre a arca, e dentro da arca o documento da aliança que te darei. Ali me encontrarei contigo, e de cima do propiciatório, no meio dos dois querubins colocados sobre a arca da aliança, eu te comunicarei o que eu ordenar aos israelitas”. (Ex 25, 10-22).
      “O Senhor respondeu-lhe: “Esculpi uma serpente venenosa e colocai-a sobre um poste. Quem for mordido por uma víbora e contemplar a serpente esculpida viverá. Moises obedeceu, fez uma serpente de bronze e a colocou sobre um poste; se alguém era mordido por uma víbora, contemplava a serpente de bronze e vivia. (Nm. 21, 8-9)
      “ Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem”. (João 3, 14).
      * Protestantes alemães pedem perdão pela iconoclastia (destruição das imagens) da Reforma
      A Igreja Protestante Alemã (EKD) pediu desculpas pela destruição generalizada de imagens religiosas durante a Reforma.
      “A Igreja Protestante rejeita a destruição de imagens. As imagens há muito tempo se tornaram uma expressão da piedade protestante”, ressaltou a ‘bispa’ protestante Petra Bosse-Huber em um encontro de delegações do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla e da EKD.
      Os clérigos se reuniram em Hamburgo para discutir a palavra “imagem” a partir dos pontos de vista ortodoxo e protestante. O Patriarca Ecumênico Bartolomeu e o presidente da EKD, o bispo Heinrich Bedford-Strohm, enviaram saudações e bênçãos ao encontro de Hamburgo.
      Destruir imagens foi mais comum no período posterior à Reforma. Na primeira metade do século XVI, as estátuas da Virgem Maria e dos santos, as janelas com vitrais, os órgãos e quaisquer outros objetos associados a milagres e ao sobrenatural foram removidos das igrejas católicas e das capelas de beira de estrada e, em muitos casos, destruídos. Particularmente a Suíça, Holanda, Inglaterra e o sul da Alemanha sofreram com isso.
      No sul da cidade alemã de Ulm, em um chamado “Götzentag” (“Dia da idolatria”) em 1531, os defensores da Reforma que estavam convencidos de que os artefatos da igreja eram uma idolatria supersticiosa removeram à força 60 altares e órgãos da catedral.
      Genebra testemunhou uma das ondas mais devastadores de quebra de imagens religiosas. Incitados por um grupo de teólogos protestantes, incluindo o próprio João Calvino, algumas das peças de arte cristã mais preciosas da cidade foram destruídos.
      Christa Pongratz-Lippitt, publicada na revista The Tablet.
      Blog. Comshalom.org/carmadelio

      • Emanuelle,

        A primeira igreja a colocar nome, placa, denominação foi a tua.

        Pena que foi criada pelo pior fundador, o homicida constantino.

        Pena que foi a seita que mais criou teologia própria, inclusive escancaradamente defende a tal da tradição, que não é outra coisa, senão tentativa de legalizar os absurdo contrários à bíblia, como: missa pra salvar morto ruim do inferno.

  10. Janete,certamente você não sabe, mas o perdão é incondicional,não se perdoa por partes ou se somente o outro lado também perdoar,ai você não estará perdoando estará negociando,e as coisas do reino dos Céus não são negociáveis por nos,isto não nos cabe,ou você perdoa,ou não perdoa,é sim sim,não não,esta de dizer eu ti perdoou disto mas não perdoou daquilo,não existe,o fato de você perdoar,não pode obrigar o outro a perdoar também,tem que ser espontâneo,o perdão ele tem que vir de dentro para fora,e não para que os outros vejam e comentem,que você praticou algo que na verdade você não praticou.

  11. Pobre Emanuelle,perdeu completamente a razão de viver,pois vivia uma mentira,dizendo a todo mundo que era verdade,o deus dela,o papa,foi quem declarou que tudo aquilo que ela diz e faz esta errado,e muito em breve ele falará que todos estes adoradores de imagens,cegos espirituais,realmente tapados,que não conseguem ver nem mesmo a ponta do focinho,pois tem sido enganados,com pedaços pau,barro,lata ,ferro,cerâmica e outro objetos,sem vida,substituindo o DEUS vivo,sempre procurando enganar,o povo,mostrando uma porta larga que não é a da salvação.
    Agora fica ai tentando dar vida justificar uma mentira,você ganhara muito mais tirando umas férias,quando voltar apareça com assuntos verdadeiros,caso contrário o que é visto em você é que você continua acreditando,que a mentira de tanto ser repetida acaba se acreditando ser uma verdade,só que você se esquece,com DEUS a mentira todo tempo é mentira, e nunca vai virar verdade,então não perca o seu tempo,insistindo na mentira.

    Faz suas longas postagens para não postar nada.

  12. Quando se prossegue na leitura de Atos, vê-se a perseguição brutal que os primeiros cristãos sofreram, em todos os lugares. Sabe-se que durante os três primeiros séculos, os cristãos foram ridicularizados, feridos, maltratados, perseguidos, despojados, exilados, aprisionados, acorrentados, torturados, arrastados pelas ruas, crucificados, queimados vivos, jogados aos leões.

    Por causa da fé, os primeiros cristãos enfrentaram tudo isso, até que no ano 313 Constantino resolveu oficializar o cristianismo. Os judeus, que se opunham aos cristãos, bem como outras religiões,
    foram obrigados por decreto a se tornarem cristãos. Obviamente, isto é um erro, pois a Palavra diz: “não por força e nem por violência, mas pelo meu Espírito” (Zacarias 4:6).

    No entanto, Constantino também aboliu todos os deuses do mundo antigo e seus templos foram transferidos para a administração da agora poderosa “igreja”, com patrocínio estatal. Começava aí a tão falada prostituição religiosa, a promiscuidade político/religiosa, o ressurgimento da antiga prática babilônica de misturar religião e estado, que a igreja católica nunca abandonou. Constantino imaginava estar fazendo um grande serviço
    para Deus, mas na verdade criou um monstro que nunca mais pode ser contido, e avacalhou muito o projeto de Deus para a Humanidade. Especula-se muito sobre suas razões, porém uma coisa é certa: sua conversão duvidosa le proporcionu aproveitar-se politicamente da situação. Até mesmo em concílios religiosos ele dava seu pitaco. 

    Em suma, Constantino fez todos se “converterem” por decreto, e chamou a essa agora enorme comunidade de “universal”, em grego katholikós – geral, universal, latinizado para catholicus. Esse era o projeto do imperador, uma religião
    global – algo que o futuro inimigo de Cristo também tentará fazer em breve. O poder dessa igreja foi dado aos sacerdotes mais próximos da corte, que logo buscaram ser os chefes de todos os outros.  Passando a denominar-se “o pai de todos” (em latim: “papa”), criaram uma espécie de “genealogia” que regredia trezentos anos. 

    Ou seja, para legitimar que estava assumindo a cadeira (“cathedra”, de onde derivou mais tarde a palavra “catedral”) não apenas por decreto imperial, os “papas” afirmaram ser os chefes da igreja porque eram “sucessores legítimos de Pedro”.
     Segundo essa teoria, Pedro teria sido o primeiro “papa”. Esta pretensão choca-se frontalmente com as palavras de Jesus em Mateus 23:9: “E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus”.

    Até hoje essa informação (a árvore genealógica ou “linha sucessória”) tem chegado ao mundo como se fosse não apenas a partir do ano 313, mas desde o primeiro século. Isso não é verdade. Atos 11:26 mostra que antes de 313 não havia igreja católica e, sim, Igreja Cristã. As pessoas que acreditavam em Cristo não eram católicas, mas cristãs! Se você ler todo o livro de
    Atos dos Apóstolos, que abarca o primeiro século, verá que em nenhum momento a igreja foi chamada de católica. Tudo isto está não só nos livros de religião, mas nos livros de História. A história do mundo nos explica como surgiu a igreja católica apostólica romana. Além do mais, o apóstolo Pedro foi um líder conhecido pelos cristãos primitivos, mas nunca foi de fato “papa”

    • Só há uma Religião verdadeira, como diz São Paulo aos Efésios: “Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (4, 5). Por outro lado, Cristo Jesus, quando concedeu o primado a Pedro, disse-lhe: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja” (Mt 16, 18). Ressalta com muita propriedade o Pe. Júlio Maria que Ele diz “a minha”, para mostrar que só a dEle é a verdadeira Igreja.
      Uma Igreja, para ser verdadeira, deve ter quatro qualidades que a diferencie das não verdadeiras: deve ser una, santa, católica e apostólica.
      Una: deve sê-lo nos pontos essenciais da fé, culto e em sua constituição hierárquica.
      Santa: tem que sê-lo em sua doutrina, em seu culto, e em muitos de seus membros.
      Católica: tem que ser universal, como diz a palavra, devendo existir em todas as épocas, e estar difundida pelo mundo inteiro.
      Apostólica: deve ter origem nos Apóstolos.
      Perguntamos: que Igreja preenche esses requisitos?
      Vejamos, por exemplo, a religião protestante.
      Não forma uma Igreja una porque está dividida em várias “denominações” (há milhares de seitas, e a cada dia estão surgindo outras); ademais, não têm unidade de doutrina, nem de culto, nem de governo.
      Não é Santa, nem quanto a seus fundadores, nem no tocante a suas doutrinas, nem no referente a suas obras. Lutero foi um homem violento e libidinoso, um sacrílego concubinatário, cheio de orgulho e pretensão. Em sua doutrina, afirmou: “Crê firmemente, e peca sem cuidado”, e que “tudo que vem da fé é tão falso, como é certo que Deus existe” etc. É uma doutrina baseada na adulteração das Sagradas Escrituras (só Lutero fez, o que é reconhecido mesmo por protestantes, mais de 3 mil alterações na Bíblia) a seu bel prazer: pior ainda, rejeitou muitas das coisas instituídas por Jesus Cristo.
      Essa doutrina não produz a santidade eminente entre seus membros. O próprio Lutero renegou seus votos, inclusive o de celibato, juntando-se sacrilegamente com uma ex-monja, que fez o mesmo. Henrique VIII, fundador do anglicanismo, casou-se várias vezes, depois de mandar decapitar duas de suas mulheres. Para ficarmos aqui. O próprio Lutero disse de seus discípulos: “A maioria dos meus discípulos são uns epicuros. Eles se chamam reformados: eu os chamo demônios encarnados …”.
      Não é católica, isto é, universal, pois, como uma só confissão, não existe desde o princípio, nem está disseminada pelo mundo inteiro. Suas igrejas são locais, regionais ou nacionais, não existindo uma igreja universal.
      Por fim, não é Apostólica, pois nasceu em 1516, fundada por um padre apóstata, desenvolveu-se mediante adulterações da doutrina dos Apóstolos, um milênio e meio depois da era apostólica.

      • E quando eu nao consigo dete-los em seus avancos, uso o ecumenismo para tentar dissolver a sua fe,retirando seu foco,santas intencoes papais.Onde a biblia relata sobre ecumenismo se o caminho e a mediacao e unica.Joao14/6,1tm2/5.

    • O que é a Igreja Católica em comparação ao protestantismo?
      O protestantismo só pode viver da negação do catolicismo. Assim, se o catolicismo pudesse morrer – o que é impossível – no mesmo dia e na mesma hora estaria morto o protestantismo.
      A Igreja católica é o objeto positivo; o protestantismo é a sua negação. A Igreja católica é o sol luminoso e resplandecente do dia; o protestantismo é as trevas da noite onde se tropeça e perde o caminho: “Vae ponentes tenebras lucem” (Is 5, 20)
      A Igreja católica é uma instituição que mantém a unidade através do Papa, o protestantismo é a anarquia, a desordem, onde cada pastor é livre em sua interpretação, onde cada fiel é ‘inspirado pelo espírito santo’: “Super hanc petram aedificabo ecclesiam meam” (Mt 16, 18).
      A Igreja católica é a árvore frondosa, em cujos ramos as aves do céu, que são os santos, fazem seus ninhos; o protestantismo procura envolver o tronco e chupar-lhe a seiva, para esterilizá-lo. “Fit arbor, ita ut volucres caeli… habitent in ramis ejus” (Mt 13, 32).
      A Igreja católica é o farol luminoso, que Deus colocou à beira da estrada humana, para indicar aos homens a verdade e a virtude; o protestantismo é a noite escura da ‘interpretação pessoal’, do subjetivismo e do orgulho individual, que cega o olhar do viajante e o faz precipitar-se no abismo. “Possui te in lucem gentium” (At 13, 47).
      A Igreja católica é a ponte que liga a terra ao céu, e onde os homens devem passar para, da terra, subirem ao céu; o protestantismo é o abismo que desvia as almas da ponte. “Arcta via est, quae ducit ad vitam” (Mt 7, 14).
      A Igreja católica é a arca fora da qual ninguém se salva, sendo todos – como no dilúvio – arrastados pelas ondas em furor; o protestantismo é o arrecife, formado pelas árvores arrancadas, pelas casas destruídas, que procura atalhar a navegação da arca. “Tanquam navis quae pertransit fluctuantem aquam” (Sab 5, 10).
      A Igreja é a barca de S. Pedro que leva, através do oceano do mundo, os filhos de Deus, até aportar no céu; o protestantismo é o vento rígido que sopra contra a barquinha procurando afogá-la. “Navicula… in medio maris factabatur fluctibus” (Mt 14, 24).
      A Igreja católica é a salvação prometida pelo Salvador; é a porta do céu; o protestantismo é a perdição das almas na negação da Igreja. “Si ecclesiam non audierit, sit tibi sicut ethnicus” (Mt 18, 17).
      A Igreja católica é o Reino de Deus, reino triunfante no céu; reino padecente no purgatório, reino militante na terra; o protestantismo, estando fora deste tríplice reino…
      Para terminar, resumamos tudo em duas palavras: a igreja católica é a obra de Deus, fundada por Deus, sustentada por Deus, inspirada por Deus, fazendo as obras de Deus; o protestantismo é obra dos homens.
      c) A Contradição dos protestantes protestando
      1) Apenas a Bíblia
      A Bíblia, só a bíblia… é o grito dos filhos de Lutero.
      Onde, porventura, encontram eles na Bíblia esta passagem: “só a bíblia”?
      Como eles podem defender “só a bíblia” se essa afirmação não consta na Bíblia?
      E como fica frase de S. Pedro: “Assim vos escreveu também o nosso caríssimo irmão Paulo, segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando-vos dessas coisas, como faz também em todas as suas cartas. Nelas há, porém, alguma coisa difícil de compreender, que as pessoas pouco instruídas ou pouco firmes deturpam, como fazem também com as outras escrituras, para sua própria ruína” (2Pd 3, 15-16). Se só a Bíblia, como pode ela levar ao engano?
      2) As incoerências do “livre exame”
      Aqui aparecem outras contradições aberrantes. .
      Segundo a tese protestante, cada um com a sua Bíblia não precisa de explicação de ninguém, ele mesmo pode e deve interpretá-la segundo a “iluminação” ou “inspiração” do espírito santo. Ora, é para que servem os seus pastores, oradores, debatedores, etc?
      E como fica o “exame” católico? Por que não vale? Todos tem liberdade, menos os católicos? No fundo, cada um dos ‘intérpretes’ se julga juiz da “Bíblia”
      E como é possível o mesmo ‘espírito santo’ interpretar de forma diferente o mesmo texto em cada denominação protestante? Mas que contradição absurda! Ou Deus é contraditório, ou o “livre exame” leva ao erro!
      Bem disse São Paulo, que viria o tempo, em que as pessoas desviariam os ouvidos da verdade para aplicá-los às fábulas!

      • Sugiro cara Emanuelle que ao inves de filosofar o que qualquer um pode fazer,va trabalhar para Cristo, levando a salvacao a vidas perdidas.Ah vc nao sabe fazer isto, e nunca apresentou o evangelho a alguem,ou se preocupou em esclarecer a obra redentora de Cristo as pessoas.Desculpe se estiver errado,mas e o que parece.

    • A Igreja Católica não pode ser vencida
      porque Jesus mesmo garantiu a perpetuidade de sua Igreja no mundo “todos os dias até o fim dos séculos”(Mt. 28,20); e a sua invencibilidade contra as forças infernais do maligno, seus seguidores e seus erros: “As portas do inferno não prevalecerão contra Ela”. (Mt. 16,18)
      A Grande Promessa de Jesus:
      “Tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a MINHA Igreja; Eu te darei as chaves do Reino dos céus; tudo o que ligardes na Terra será ligado no Céu… e as potências do inferno jamais prevalecerão contra ela” (Mt 16, 16s)
      Prudêncio (348-410), escritor cristão e conselheiro do imperador Teodósio:
      “ Este é o significado das vitórias e dos triunfos do Império. A paz romana preparou o caminho para a vinda de Cristo.”
      Tertuliano, leigo, escritor cristão de Cartago (†220) disse que:
      “Nunca houve entre os cristãos um revoltado, um conspirador, um assassino”. “Nós nos multiplicamos quando nos ceifam”. “Sanguis martyrum est semen christianorum”.
      AS PROVAS DA HISTÓRIA
      – É a única Instituição que já tem mais 2000 anos.
      – É a única Instituição que já teve 266 Chefes
      – Não foi destruída pelo Império Romano.
      – Não foi destruída pelos bárbaros, pelos comunistas e nazistas Stalin, ditador e comunista soviético:
      “Quantas legiões de soldados tem o Papa?
      – Não foi destruída pelas heresias: Gnosticismo, Adocionismo, Montanismo, Marcionismo, Donatismo, Novacianismo, Priscilianismo, Arianismo, Macedonismo, Pelagianismo, Nestorianismo, Apolinarismo, Monofisismo, Monoteletismo… Jansenismo, Quietismo, etc.
      – Não foi destruída pelos pecados dos seus filhos: leigos e clero: investidura leiga, nicolaismo, simonia, etc.
      – Não foi vencida pelo nazismo, pelo comunismo, pelo islamismo.
      – Não foi vencida pelos racionalistas e iluministas.
      – A Igreja é divina porque sua cabeça é Jesus Cristo. Jamais será vencida.
      Santo Agostinho (354-430), assim explicou esta verdade:
      “Alegremo-nos, portanto, e demos graças por nos termos tornado não somente cristãos, mas o próprio Cristo. Compreendeis irmãos, a graça que Deus nos concedeu ao dar-nos Cristo como Cabeça? Admirai e rejubilai, nós nos tornamos Cristo, com efeito, uma vez que Ele é a Cabeça, e nós somos os membros, o homem inteiro é constituído por Ele e por nós. A plenitude de Cristo é, portanto, a Cabeça e os membros; que significa isto: a cabeça e os membros? Cristo e a Igreja ( Comentários ao Evang. de João 21,8).
      O Concílio Vaticano II disse:
      “Pois somente por meio da Igreja católica de Cristo, a qual é meio de salvação, pode ser atingida toda a plenitude dos meios da salvação. Cremos que o Senhor confiou todos os bens da Nova Aliança somente ao Colégio dos Apóstolos, do qual Pedro é o chefe, a fim de constituir na terra um só Corpo de Cristo, ao qual é necessário que se incorporem plenamente todos os que, de alguma forma, já pertencem ao Povo de Deus. (Unitatis Redintegratio, 3)
      Teilhard de Chardin: “Sem a Igreja o Cristo se esfacela”.
      TESTEMUNHOS DA TRADIÇÃO
      Santo Inácio de Antioquia (†110):
      “Onde está o Cristo Jesus está a Igreja Católica”.
      Lactâncio (Luccius Caccilius Firmianus, 260-325), apologista cristão, dizia no século III:
      “Somente a Igreja sustenta tudo”.
      Santo Agostinho: “Os que tomam a nascente da água e do Espírito são como criancinhas. Precisam de uma mãe que lhes ofereçam o leite que sustenta e faz crescer. “Essa mãe é a Igreja”!
      – Fazei-vos Corpo de Cristo se quereis viver do Espírito de Cristo. Somente o Corpo de Cristo vive do seu Espírito.
      Santa Catarina: “Foi na dispensa da hierarquia da Igreja que Eu guardei o Corpo e o Sangue do meu Filho” “Tenham a certeza de que quando eu morrer a única causa de minha morte será meu amor pela Igreja”.
      São João da Cruz: (1512-1591) “Guiemo-nos, pois, agora pela doutrina de Cristo-homem, de sua Igreja e de seus ministros; e por esse caminho, humano e visível, encontraremos remédios para a nossa ignorância e fraqueza espiritual”.
      Santa Teresa: (1515-1591) “Em tudo me sujeito ao que professa a Santa Igreja Católica Romana, em cuja fé vivo, afirmo viver e prometo viver e morrer.”
      São Francisco Sales: (1567-1622) “À Igreja quero submeter para sempre meus escritos, minhas ações, minhas palavras, minha vontade e meus pensamentos”.
      São Leão Magno: “Não podemos caríssimos, de modo algum duvidar de que toda a observância cristã procede de instruções divinas e de que tudo o que a Igreja recebeu como costume de devoção provém da tradição apostólica e do ?
      São Vicente de Lerins (†450):
      “A Igreja de Cristo, cuidadosa e cauta guardiã dos dogmas que lhe foram confiados, jamais os altera; em nada os diminui, em nada lhes adiciona; não a priva do que é necessário, nem lhe acrescenta o que é supérfluo; não perde o que é seu, nem se apropria do que pertence aos outros, mas com todo o zelo, recorrendo com fidelidade e sabedoria aos antigos dogmas, tem como único desejo aperfeiçoar e purificar aqueles que antigamente receberam uma primeira forma e esboço, consolidar e reforçar aqueles que já foram evidenciados e desenvolvidos, salvaguardar aqueles que já foram confirmados e definidos” (Commonitorium, XXIII).
      “Perguntando eu com toda atenção e diligência a numerosos varões, eminentes em santidade e doutrina, que norma poderia achar, segura, enquanto possível genérica e regular, para distinguir a verdade da fé católica da falsidade da heresia, eis a resposta constante de todos eles: quem quiser descobrir as fraudes dos hereges nascentes, evitar seus laços e permanecer sadio e íntegro na sadia fé, há de resguardá-la, sob o auxílio divino, duplamente: primeiro com a autoridade da Lei divina, e segundo, com a tradição da Igreja Católica” (Commonitorium).
      Santo Epifânio (†403), batalhador contra as heresias:
      “A Igreja é a finalidade de todas as coisas”. (Haer. 1,1,5)
      “Há um caminho real, que é a Igreja católica, e uma só senda da verdade. Toda heresia, pelo contrário, tendo deixado uma vez o caminho real, desviando-se para a direita ou para a esquerda, e abandonada a si mesma por algum tempo, cada vez mais se afunda em erros.
      Eia, pois, servos de Deus e filhos da Igreja santa de Deus, que conheceis a regra segura da fé, não deixeis que vozes estranhas vos apartem dela nem que vos confundam as pretensões das erroneamente chamadas ciências” (Haer.59,c. 12s).
      São Leão Magno (400-461), Papa e doutor da Igreja:
      “Quem se aparta da confissão da verdade, muda de caminho e o percurso inteiro se torna afastamento. Tanto mais próximo da morte estará quanto mais distante da luz católica.”
      São Máximo Confessor (580-662):
      “Com efeito, desde a descida até nós do Verbo encarnado, todas as Igrejas cristãs de toda parte consideram e continuam considerando a grande Igreja que está aqui em Roma como única base e fundamento, visto que, segundo as próprias promessas do Salvador, as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela.” (Opus., PG 91, 137-140).
      São Bernardo (1090-1153), doutor da Igreja:
      “Permaneceremos na fé e combateremos até à morte, se for necessário, pela Igreja, nossa Mãe, com as armas que nos são permitidas: não com escudos e espadas, mas com as orações e as lágrimas a Deus” (Epist. 221, 3; Migne, P.L.; CLXXXII, 36,387).
      São Tomás de Aquino (1225-1274), doutor da Igreja:
      “O bem de Cristo é comunicado a todos os membros, e essa comunicação se faz através dos sacramentos da Igreja”.
      Santa Tereza de Ávila (1515-1582), doutora:
      “Procurai a limpeza de consciência e humildade, desprezo de todas as coisas do mundo e fé inabalável no que ensina a santa Madre Igreja” (Caminho de Perfeição, Ed. Paulinas, 2. ed., pag 129,1979, SP ).
      Aristides de Atenas (†130), apolista cristão, em defesa deles, escreveu assim ao imperador romano Adriano (Apologia) :
      “Os cristãos ó rei… não cometem adultério, não praticam a fornicação, não levantam falso testemunho, não recusam devolver um depósito, não se apropriam do que não lhes pertence. Honram pai e mãe, fazem bem ao próximo e, quando em juízo, julgam com equidade. Não adoram os ídolos – semelhantes aos homens. O que não desejam que lhes façam os outros não o fazem também; não comem alimentos de sacrifícios idolátricos, pois são puros. Exortam os que os afligem, a fim de fazê-los amigos.
      Suas mulheres, ó rei, são puras como virgens, suas filhas são modestas. Seus homens se abstém de toda união ilegítima e da impureza, esperando a retribuição que terão no outro mundo. Aos escravos e escravas, bem como a seus filhos – se os têm – persuadem a tornar-se cristãos, em razão do amor que lhes dedicam, e quando se tornam, chamam-nos indistintamente irmãos. Não adoram a deuses estranhos e vivem com humildade e mansidão, sem qualquer mentira entre eles.
      Amam-se uns aos outros, não desprezam as viúvas. Protegem o órfão dos que os tratam com violência. Possuindo bens, dão sem inveja aos que nada possuem. Avistando o forasteiro, introduzem-no na própria casa e se alegram por ele, como se fora verdadeiro irmão: pois se dão o apelativo de irmãos, não segundo o corpo, mas segundo o espírito e em Deus.
      Se algum pobre passa deste mundo, alguém sabendo, encarrega-se – na medida de suas forças – de dar-lhe sepultura. Se conhecem um encarcerado ou oprimido por causa do nome do seu Cristo, ficam solícitos a seu respeito e se possível libertam-no. Quando um pobre ou necessitado surge entre eles e não possuem abundância de recursos para ajudá-lo, jejuam dois ou três dias para obter o necessário para o seu sustento.
      Guardam com diligência os preceitos de Cristo, vivem reta e modestamente – conforme lhes ordenou o Senhor Deus. Todas as manhãs e horas louvam e glorificam a Deus pelos benefícios recebidos, dando graças por seu alimento e bebida. Mesmo se acontece que um justo – entre eles – passa deste mundo, alegram-se e dão graças a Deus, ao acompanharem o cadáver, como se emigrasse de um lugar para outro. E assim como quando nasce um filho louvam a Deus, também se ele morre na infância glorificam a Deus, por quem atravessou o mundo sem pecados. Mas vendo alguém morrer na malícia e nos pecados, choram amargamente e gemem por ele, supondo-o ir ao castigo. Tal é, ó rei, a constituição da lei dos cristãos e tal a sua conduta”.

    • Os inimigos da Igreja de Cristo, desesperadas quando denunciamos que suas seitas foram inventadas no ano de 1517, então vieram com mais esta mentira, aliás eles vivem da mentira para tentar destruir a Igreja Católica. Eles servem ao pai da mentira.
      Essa mentira de que Constantino fundou a Igreja Católica é tão torpe, que não engana nem uma criança. É só dar uma olhada na História da Igreja nos três primeiros séculos(não somente na história da igreja, mas da história em geral).
      A Igreja tem uma série ininterrupta de 267 Papas: De Pedro até Papa Francisco
      De Pedro até Constantino foram TRINTA E DOIS PAPAS !!!
      Então se Constantino fundou alguma Igreja…
      – De qual igreja foram os 32 papas antes dele ?
      – Se Constantino fundou alguma igreja, onde estão as provas…?
      – Onde está um só documento histórico comprovando?
      – Onde está o EDITO DO IMPERADOR Constantino ?
      O que Constantino fez foi dar liberdade de culto aos cristãos, através do Edito de Milão, 313. Esses falsários não são novidade….
      Bem disse São Paulo, que viria o tempo, em que as pessoas desviariam os ouvidos da verdade para aplicá-los às fábulas!
      Essa mentira demonstra mais uma vez que os perseguidores da Igreja Católica tem uma língua perigosa, agem de má fé, sobrevivem a custa da mentira e da calúnia, servem ao pai da mentira, são desprovidos de cultura e usam a Bíblia para benefício próprio.
      Estudem a História… Não tenham medo da Verdade que liberta! Aprofundem!
      “Aprofundar o conhecimento acerca da história é abdicar ao protestantismo”.
      John Henry Newman, ministro ex-protestante convertido ao catolicismo.

      Os protestantes, não raro, seguem o conselho de Voltaire: “Menti, menti, porque sempre fica alguma coisa!”É por isso que pessoas como você insiste em falar essas asneiras.
      Dizia Marcus Moreira Lassance Pimenta: “Ao ignorante, basta uma mentira bem contada para que a tenha como verdade. E ao sábio, não há mentira que o impeça de buscar a verdade”.
      “Cristão é meu nome e Católico é meu sobrenome. Um me designa, enquanto o outro me especifica.
      Um me distingue, o outro me designa.
      É por este sobrenome que nosso povo é distinguido dos que são chamados heréticos”.
      São Paciano de Barcelona, Carta a Sympronian, ano 375 D.C.
      O Protestante fanático diz: “A Igreja Católica foi fundada por Constantino.”
      O Protestante fanático diz: “Martinho Lutero foi indispensável para por fim a tirania de Roma.”
      Pergunta católica: Sr.Protestante, eternamente contraditório, por que você dá ouvidos ao Martinho Lutero que era tão e somente um frei da Igreja de Constantino ? Por que você copia deste frei as doutrinas do Sola Scriptura(Só a Bíblia) e Sola Fide(Só a fé), sabendo que ele pertencia a Igreja de Constantino que segundo você é a Babilônia ?

    • Para sermos totalmente justos com os protestantes, iremos utilizar os critérios que são habitualmente e insistentemente defendidos por eles.
      Aliás, trata-se de apenas um único critério.
      E qual seria este critério?
      O critério “Sola Scriptura” de Lutero que em outras palavras significa “Só a Bíblia”.
      Como se sabe, os protestantes rejeitam a tradição apostólica e o magistério da Igreja. Pois bem, vamos ver se algum protestante pode responder as questões abaixo a partir da “Sola Scriptura”:
      Onde está na Bíblia que foi Constantino que fundou a Igreja Católica?
      Onde está na Bíblia que Lutero deveria consertar os erros da Igreja de Constantino?
      Onde está na Bíblia que após os consertos de Lutero, alguns protestantes deveriam permanecer com ele e outros deveriam fundar novas denominações para consertar também os erros de Constantino e do próprio Lutero?
      Aliás, Sr. Protestante, como é possível seguir um reformador de uma Igreja de Constantino?
      Sr.Protestante, o senhor rejeita a Igreja Católica, descartando que a mesma tenha sido fundada sobre Pedro por Jesus Cristo, mas tão e somente por Constantino e acaba por abraçar o seu pretenso reformador e sua pretensa reforma?
      Me dê o texto bíblico para esta aberração por favor.
      Para tentar responder a qualquer destas perguntas acima o protestante terá que sair da Bíblia necessariamente.
      Terá que dizer que leu, ouviu, pesquisou, etc…
      Mas o fato concreto é que terá que sair da Bíblia e inventar visões e revelações dos seus “ungidos”.
      Pela Bíblia o protestante não pode provar Lutero e nem o protestantismo.
      Pela Bíblia o protestante não pode provar a necessidade de qualquer da milhares de seitas que andam por aí.
      Na prática, o que estamos dizendo é que o protestantismo é contraditório em si mesmo.
      Meras doutrinas de homens. E nada além disto.
      O que impera no protestantismo ?
      Pode-se encontrar soberba ?
      Certamente.
      Pode-se encontrar orgulho ?
      Seguramente.
      Mas o que encontramos no protestantismo em 100% dos casos é o ACHISMO.
      “Eu acho que está certo.”
      “Eu acho que está errado.”
      Quem promoveu a reforma achou que a Igreja estava errada.
      Quem não ficou com Lutero achou que Lutero não estava completamente certo.
      Quem copiou de Lutero o Sola Scriptura achou que Lutero estava certo.
      Quem não ficou com Calvino achou que Calvino estava errado.
      Quem ficou com Wesley achou que ele melhor do que Lutero e Calvino.
      E também discordando da Bíblia, o protestante achou que Paulo estava errado e achou que deve desprezar as tradições.
      Achando ainda o protestante que Tiago estava errado também despreza as obras.

    • A Igreja Católica foi fundada por Constantino ?.
      Constantino

      A igreja não foi inventada por Constantino. A igreja teve seu início no Pentecoste com a descida do Espírito Santo. Logo após o derramar do Espírito houve a pregação do Evangelho e 3.000 almas entram no Reino de Deus (At 2:41). Mais uma pregação de Pedro e outros 5.000 adentram (At 4:4), a igreja crescia (At 2:47), mesmo sob perseguição, chegando a expandir em todo império (At 17:6).

      Constantino (274-327 d.C.) já imperador nos territórios que hoje conhecemos como França e Inglaterra, em 312d.C. expandiu seu reinado no Oeste quando venceu a batalha de Milvia contra seu inimigo Maxentius. Ele teve uma visão de uma cruz no céu com as seguintes palavras em Latim: “com esse sinal vencerás” (Earle Cairns, O Cristianismo Através do Séculos, p.100). Ele atribuiu sua vitória ao Deus cristão e conduziu o Império Romano pela primeira vez à uma política pro-cristã. Em 313 d.C. juntamente com o imperador Licinius (naquela época haviam 2 imperadores romanos, um no oeste e outro no leste do império) formularam o Edito de Milão que introduziu uma política de tolerância ao Cristianismo. Somente em 380 d.C., o imperador Teodósio I baniu o paganismo e elevou o cristianismo ao status de religião oficial do império (Jeffrey Bingham, Pocket history of the Church, p.45).

      Percebe aqui que não foi nem Constantino que formalizou o cristianismo como religião imperial? O edito de Milão foi uma tolerância, tanto que o próprio Constantino após se tornar o imperador supremo nunca se colocou sob a autoridade dos professores cristãos e bispos, ele se considerava “o bispo dos bispos,” o supremo pontífice mas ainda permitia o paganismo no império tanto que ele praticava sua própria religião e diante da igreja ele não tinha sido batizado ainda, o sendo no final de sua vida somente. Teodósio I foi quem tornou proibido todo culto pagão e o cristianismo então se tornou a religião oficial do Império Romano (Justo Gonzalez, The History of Christianity, vol1, pp 137-41).
      Os apóstolos morreram e outro grupo de cristãos começaram a liderar a igreja e a escrever com o mesmo objetivo dos apóstolos, para corrigir, edificar, exortar e ensinar. Esse grupo é chamado de pais apostólicos, ou pais da igreja.

      Temos na parte ocidental do império homens como Clemente de Roma e Hermas e no leste do império Inácio de Antioquia, Policarpo, Papias. Esse homens continuaram firmes na teologia apostólica da autoridade das Escrituras, da salvação somente através de Cristo, trinitarianismo, divindade de Jesus, eclesiologia, etc…
      Nesse período tempos também a era dos mártires, que se estendeu até Constantino, onde os cristãos experimentaram a morte por causa de sua fé. Não se prostraram diante ao panteão de deuses romanos, nem ao culto ao imperador, mas se submetiam e adoravam somente a Jesus, sendo então acusados de ateísmo, incesto, canibalismo e foram condenados a morte sendo jogados vivos aos animais no Coliseu ou queimados vivos como verdadeiras tochas humanas, dentre outros.
      Chega a ser uma ofensa pensar que o cristianismo começou com Constantino, sendo que muitos cristãos deram suas vidas por Cristo, enfrentaram as feras pela sua fé, o cristianismo estava vivo e atuante de uma forma que nós aqui no oeste nunca compreenderemos claramente.

      Podemos rapidamente perceber que os 300 anos do cristianismo que antecedem Constantino, foram cenário do nascimento, crescimento e desenvolvimento da igreja. Constantino não formou ou instituiu cristianismo apenas o tolerou, e preparou o caminho para que se tornasse a religião do império trazendo enormes benefício e prejuízos para a fé cristã, mas isso é assunto para um outro momento.

      Artigo completo em:
      Sem o sinal #
      marceloberti.#wordpress.#com/2013/09/10/#chega-de-por-a-culpa-em-constantino/
      CONSTANTINO

      Diz o protestante que foi Constantino que fundou a Igreja Católica. Assim sendo, na visão protestante, se Constantino fundou uma igreja outros homens também poderiam fazê-lo. Pergunta-se:

      Onde está na Bíblia e somente na Bíblia, já que o protestante não admite outra fonte de revelação que, apenas a Igreja de Constantino estaria errada em sua interpretação ?
      Aliás, onde está na Bíblia que foi Constantino que fundou a Igreja Católica ?

      E se apenas a interpretação da Igreja de Constantino é a única condenável, por que o protestante abraça as teorias “Sola Scriptura” e “Sola Fide” de Lutero, respectivamente, Só a Bíblia e Só a fé, sabendo que o mesmo era sacerdote da Igreja de “Constantino” e aparentemente tão e somente pretendia reformá-la para nela manter-se ?
      Tivesse a Igreja de “Constantino” abraçado as teorias de Lutero, de que igreja hoje fariam parte os protestantes ?
      Quer dizer que o protestante abraça as teorias e “teologias” de um pretenso reformador da Igreja que ele considera ser a “Grande Babilônia” ?

    • Constantino fundou a Igreja Católica?
      Não vou postar a lista toda, porque ninguém ira ler
      Mas provar que houve uma sucessão que legitima o trono de Pedro após a sua Morte em Roma:

      São Pedro – Betsaida, papa de 32 a 67
      São Lino – Túscia, papa de 67 a 76
      Santo Anacleto – Roma, papa de 76 a 88
      São Clemente I – Roma, papa de 88 a 97
      Santo Evaristo – Grécia, papa de 97 a 105
      Santo Alexandre IRoma, papa de 105 a 115
      São Sisto I – Roma, papa de 115 a 125
      São Telésforo – Grécia, papa de 125 a 136
      Santo Higino – Grécia, papa de 136 a 140
      São Pio I – Aquiléia, papa de 140 a 155
      Santo Aniceto – Síria, papa de 155 a 166
      São Sotero – Campânia, papa de 166 a 175
      Santo Eleutério – Epiro, papa de 175 a 189
      São Vitor I – África, papa de 189 a 199
      São Zeferino – Roma, papa de 199 a 217
      São Calisto I – Roma, papa de 217 a 222
      Santo Urbano I – Roma, papa de 222 a 230
      São Ponciano – Roma, papa de 230 a 235
      Santo Antero – Grécia, papa de 235 a 236

      1)- As heresias a todo custo tentam, em vão, derrubar a Igreja Católica. Digo em vão, por que o próprio Cristo disse que as portas do inferno não prevaleceriam sobre ela (Mt 16,18).

      2)- Os protestantes não são unânimes ao ofender a Igreja Católica dizendo quem fundou a Igreja Católica, alguns dizem que foi o penúltimo Imperador Romano, Constantino, outros dizem que foi Teodósio, o último Imperador Romano. Estes dois viveram no século IV d.C., o século de transição entre a queda do Império Romano (fim da Idade Antiga) e o início da Idade Média.

      3)- O que houve por parte destes dois Imperadores Romanos foi o reconhecimento do cristianismo como religião oficial do Império Romano, Constantino, através do Edito de Tolerância de Milão, fez cessar as perseguições aos cristãos e Teodósio, através do Edito de Tessalônica proscreveu o culto pagão do Império Romano em substituição apenas isto, pois a Igreja já existia e já tinha papas e era perseguida.

      4)- A sucessão é prevista na Bíblia? Em At 1,15-26 vemos que Pedro toma a iniciativa de preencher a vaga de Judas Iscariotes (que entregou Cristo e se matou depois) baseado na passagem de Sl 68,26; 108,8. Propuseram dois candidatos: José (não o Esposo de Maria) e Matias. Após uma oração, “Deitaram sorte e caiu a sorte em Matias, que foi incorporado aos onze apóstolos” (At 1,26).

      5)- São Pedro teve sucessores, o primeiro deles é Lino (O mesmo citado em 2Tm 4,21), depois vieram Anacleto (ou Cleto), Clemente I, Evaristo, Alexandre I, Sisto I, Telésforo, etc… Existem documentos históricos que comprovam a sucessão, desses podemos destacar a obra “Contra as Heresias” de Irineu de Lião; escrita por volta de 180 d.C., século II, dá um testemunho da lista de Papas até aquela época; a obra “Liber Pontificalis”, escrito no século VI, apresenta uma lista de São Pedro até Félix II (526-530), esses documentos são respeitados pela história oficial.

      6)- Com Teodósio, o paganismo e o culto dos deuses foram proscritos e condenado.” Veja que Teodósio se submete à penitência da Igreja e mais, se o culto aos santos católicos é pagão como vocês dizem, então como Teodósio fundou a nossa Igreja se ele proscreveu esse culto pagão que reitero vocês dizem ser pagão?

      7)- Aliás, será que vocês sabem pelo menos o que é idolatria para ficar usando essa palavra desmedidamente ? Tenho minhas dúvidas…

      • Emanuelle, Constantino nunca fundou igreja,ele era um estadista.O que ele fez foi abrir as portas do paganismo ao seu imperio,que estava sendo ameacado pelos cristaos,propondo um certo Ecumenismo,afim de que todos se tornassem cristaos de fachada,e assim aliviando a pressao,como na sua igreja por exemplo,que vcs conhecem bem.Observe o Francisco,com batismo de criancas inocentes e nao cristas,abrindo o caminho para o batismo sem arrependimento, e sem consciencia de pecados,diferente do que Pedro propos em atos 3/19,Jesus Mc16/16.Se puder cite-me uma fonte biblica para batizar pessoas sem consciencia de pecado.E estranho pois em toda a biblia,so se batizava apos arrependimento de pecados, coisa impossivel a criancas menores.

    • Perguntas aos protestantes com o critério da sola scriptura
      Para sermos totalmente justos com os protestantes, iremos utilizar os critérios que são habitualmente e insistentemente defendidos por eles.
      Aliás, trata-se de apenas um único critério.
      E qual seria este critério?
      O critério “Sola Scriptura” de Lutero que em outras palavras significa “Só a Bíblia”.
      Como se sabe, os protestantes rejeitam a tradição apostólica e o magistério da Igreja. Pois bem, vamos ver se algum protestante pode responder as questões abaixo a partir da “Sola Scriptura”:
      1) Onde está na Bíblia a permissão para Lutero promover uma reforma na Igreja Católica?
      2) Onde está na Bíblia a permissão para que qualquer um promova reformas na Igreja Católica?
      3) Onde está na Bíblia a permissão para que alguém promova reformas em qualquer igreja, seja católica ou não?
      Considerando que nós católicos “não” lemos a Bíblia, mas apenas os protestantes, iremos considerar que algum protestante não só encontrou permissão bíblica para que alguém promova reformas na Igreja Católica, mas também encontrou referências a Lutero como o escolhido e enviado por DEUS.
      Então perguntamos:
      4) Considerando que DEUS teria levantado Lutero para rever os “erros” do catolicismo, onde está na Bíblia a permissão para alguém separar-se de Lutero e do Luteranismo e fundar uma nova denominação protestante?
      Vamos considerar agora que o protestante, assíduo leitor da Bíblia e ao mesmo tempo mestre e teólogo de si mesmo, também encontrou um texto bíblico que lhe permita fundar uma nova denominação protestante se constatar que Lutero cometeu também equívocos com sua pretensa reforma.
      Assim perguntamos:
      5) Onde está na Bíblia os critérios para que se conclua com total êxito as situações em que Lutero errou ou acertou?
      6) Qual o texto bíblico que ensina ao protestante quando ele tem o direito ou não de consertar o Luteranismo?
      7) Onde está na Bíblia as situações que permitem a qualquer protestante fundar novas denominações?
      8) Onde está na Bíblia as situações que permitem a qualquer protestante mudar de denominação?
      Se fosse possível aos protestantes responderam as questões acima pela Bíblia, ainda assim perguntaríamos:
      9) Onde está na Bíblia as explicações necessárias ao protestante para que ele saiba quando e quem deve fundar denominações e quando e quem deve apenas trocar de denominações?
      E dentro desta pergunta, como se sabe que um crente deve mudar de igreja duas, três ou dez vezes?
      Qual o protestante pode mudar mais, qual protestante pode mudar menos, qual deles não pode mudar e qual deles deve fundar uma nova denominação?
      Quero texto bíblico para tudo isto.
      Mas então vem o protestante e diz em alto e bom som: “Foi Constantino que fundou a Igreja Católica.
      Temos o direito de fundar denominações também.”
      Então vamos lá.
      Lembrem-se protestantes: “Só a Bíblia”.
      10) Onde está na Bíblia que foi Constantino que fundou a Igreja Católica?
      11) Onde está na Bíblia que Lutero deveria consertar os erros da Igreja de Constantino?
      12) Onde está na Bíblia que após os consertos de Lutero, alguns protestantes deveriam permanecer com ele e outros deveriam fundar novas denominações para consertar também os erros de Constantino e do próprio Lutero?
      Aliás, Sr. Protestante, como é possível seguir um reformador de uma Igreja de Constantino?
      Sr.Protestante, o senhor rejeita a Igreja Católica, descartando que a mesma tenha sido fundada sobre Pedro por Jesus Cristo, mas tão e somente por Constantino e acaba por abraçar o seu pretenso reformador e sua pretensa reforma?
      Me dê o texto bíblico para esta aberração por favor.

    • CONSTANTINO – Uma das características destas seitas é a ênfase de que teria sido Constantino fundador da Igreja Católica. Nota-se que os protestantes históricos não fazem tal afirmação e por isto mesmo se consideram católicos reformados.
      O que não consegue explicar o mau protestante é como ele abraça as teses de Lutero que seria tão e somente um sacerdote da igreja de Constantino. Este mau protestante toma a igreja Católica por criação humana e sua pretensa reforma por criação divina. É o ápice da contradição.
      Como é possível a estas seitas abraçarem o Sola Scriptura e o Sola Fide de Lutero que seria membro da Igreja de Constantino ?
      Pior ainda fazem os que alegam pertencer a Igreja primitiva ou que dizem que antes de Lutero já havia outros grupos. Estes desconhecem que Lutero desaprovava tais grupos e não se dão conta não ser possível a Igreja Primitiva gritar “Só a Bíblia” em uma época que não existia Bíblia.

    • Quem persegue a Igreja, persegue o Cristo
      A princípio nada haveria a opor a esta doutrina essencial da fé cristã, pela qual reconhecemos que a figura e a pessoa de Jesus Cristo é, por si só, o centro de nossa vida e esperança.
      Indubitavelmente, sem Cristo não há cristianismo.
      Contudo, acontece que na Bíblia ocorre uma realidade muito clara: uma vez que Jesus Cristo se encarnou e fundou sua Igreja, não podemos mais separar a realidade de Cristo da realidade da Igreja.
      A Palavra de Deus é clara neste ponto: a Igreja é o Corpo de Cristo (Cl 1, 18).
      Diz mais: a Igreja é a Sua Plenitude (Ef 1, 23).
      Quem persegue a Igreja, persegue o Cristo (At 9, 1-6) e, caso a relação não esteja suficientemente nítida, podemos perceber que a relação entre Cristo e a Igreja é um mistério, ao qual São Paulo compara o mistério da união entre o homem e a mulher (Ef 5, 31-32).
      Portanto dizemos a verdade se ensinamos que não pode crer em “Solus Christus” aquele que aceita o Cristo, mas rejeita a Igreja, indissoluvelmente unida a Ele por todo o sempre.
      Por isso o Símbolo Niceno-Constantinopolitano afirma em um de seus pontos:
      “Creio na Santa Igreja Católica e apostólica”.
      Ou seja, desde a antigüidade era demonstrado que a fé ou crença na Igreja era parte da fé cristã.
      E se o Cristo em pessoa afirmou, sobre o matrimônio, que “o que Deus uniu o homem não separe”, mais ainda devemos crer que a união de Cristo com a Igreja está selada eternamente por vontade divina.

      Se isto está claro, cabe aqui uma pergunta: atacar a unidade da Igreja não é exatamente o mesmo que atacar o Cristo?
      É cristão, portanto, dividir o corpo de Cristo em milhares de fragmentos?
      Ou, pelo contrário, a divisão da unidade do corpo de Cristo não é a arma mais poderosa de que Satanás se poderia servir durante a história da Igreja?
      Protestante VÊEM como secundário este assunto de unidade da Igreja e, acima de tudo, sacrificável ao “deus” da pureza doutrinária.
      Ou seja, a verdadeira doutrina expressa “somente na Bíblia” seria um tesouro de muito mais valor que a unidade visível da Igreja de Cristo.
      Porém não era somente isso.
      Assim como a imensa maioria dos protestantes, tem um conceito sobre a Igreja que não se acha em lugar nenhum da Bíblia, a não ser através de interpretações torcidas e contorcidas.
      É o que eu chamo de conceito “docetista” da Igreja, conceito que nega possa haver uma Igreja visível, organizada e hierarquizada, para se aceitar uma Igreja desorganizada, invisível, pseudo-etérea, sem unidade orgânica real.
      Sem muita demora, vejamos o que diz a Bíblia sobre a Igreja:
      1. Cristo deixou muito claro que a unidade dos cristãos deveria ser semelhante à sua unidade com o Pai e que por essa unidade o mundo deveria crer.
      2. A Igreja teria uma hierarquia muito bem definida: apóstolos, entre eles Pedro, o primeiro, e logo os bispos e anciãos (presbíteros).
      3. A Igreja adotaria um sistema de análise chamado Conciliar, tal como se vê em Atos 15, com o particular fato de que Pedro iniciou os debates sobre os temas em pauta naquele Concílio. Além disso, as disposições do Concílio eram de aceitação obrigatória por toda a Igreja.

      4. Os apóstolos eram intolerantes com aqueles que causavam divisões. Encabeçados por Paulo, que teve que se deparar com os “denominacionalismos” de Corinto (1Cor 1, 10-13).
      Também ele deu a Tito uma ordem bem clara sobre o que ele deveria fazer com aqueles que causassem divisões.
      Deveria admoestá-los primeiro e depois expulsá-los da Igreja, porque se haviam pervertido (Tt 3, 10-11). Judas (Jd 19) afirma que os que causam divisão não possuem o Espírito.
      E, digamos alto e claro, o apóstolo João mostra em 1Jo 2, 18-19 que os que saem da Igreja são anti-cristos, ainda que alguns queiram interpretar este versículo de uma forma mais suave.

      É evidente que um sistema religioso que afirma aceitar inteiramente o Cristo e todo o seu ensinamento, mas que leva em sua essência o vírus mortal da divisão do corpo de Cristo, somente pode ser definido como anti-cristo.
      Não há justificativa alguma para o fato de que o protestantismo tem sido absolutamente incapaz de manter uma unidade eclesial interna minimamente respeitável.
      Quando os protestantes se insurgem em apontar, com seus tratados e comentários bíblicos, os erros doutrinários do catolicismo, não se dão conta de que a simples existência de uma miríade de denominações protestantes independentes umas das outras é, nos seus olhos, uma trave de proporções apocalípticas.
      Parece forte dizer isso, mas a verdade é que o protestantismo é a negação de Cristo desde o momento em que, na prática,nega a existência de uma só Igreja de Cristo, com uma só fé, com um só batismo e um só credo.
      E, negando a existência dessa Igreja, que é o corpo de Cristo, está negando o próprio Cristo, ainda que inconscientemente. Ponto final!

      Se o protestantismo tivesse a capacidade de ter-se organizado em uma só denominação, poderíamos hoje contemplar a reforma a partir de um prisma totalmente diferente.
      Porém, a reforma não foi o que pretendia ser, senão o maior levante de aniquilação da Igreja, com a desculpa de uma verdadeira mudança.
      Aproveitaram da fraqueza da Igreja da época para tentar destrui-la por completo, mas, graças a Deus, foi na fraqueza que a Igreja despertou com força para novos desafios, ainda que lhe custasse muito recuperar o que havia perdido com a corrupção interna e os desajustes doutrinais e externos.
      Para finalizar, ainda me caberia verificar muitas das ramificações desse desastre que é o protestantismo para a cristandade, mas me contentarei em assinalar pelo menos algumas poucas incoerências da agressiva dinâmica dialética que os protestantes usam contra a Igreja Católica:
      1. Os protestantes rejeitam a Igreja Católica por não se basear somente na Bíblia.
      A verdade é que eles, que dizem basear-se somente na Bíblia, não conseguem chegar a um acordo sobre doutrinas como a Eucaristia, sacramentos, organização eclesial, doutrinas da graça e salvação (calvinismo e arminianismo), etc., etc., etc.
      2. Os protestantes atacam a Igreja Católica por valorizar o papel da Tradição, mas eles mesmos são escravos de suas próprias tradições interpretativas da Palavra de Deus. e, ainda por cima, aceitam grande parte da linguagem e do conteúdo doutrinal que a eles chegou através da Tradição (Trindade, Cânon da Bíblia, Pecado Original, Domingo como dia do Senhor).
      3. Os protestantes usam a Bíblia como uma arma contra determinadas doutrinas e práticas católicas, porém nada dizem sobre o que essa mesma Bíblia fala sobre divisões na Igreja, tão presentes nas suas igrejas.
      4. Os protestantes atacam a Igreja Católica acusando-a de possuir um sistema de governo ditatorial, porém resulta que boa parte das igrejas protestantes exercem uma tirania a nível denominacional.
      Por fim, para não estender-me demais, terminarei com uma reflexão.
      Creio que tanto aqueles que nasceram numa família protestante, como aqueles que saíram da Igreja Católica para o protestantismo deveriam voltar com urgência para a Igreja de Cristo.

      É incompatível ser de Cristo e pertencer a um sistema religioso que está dividindo continuamente o Corpo de Cristo, que nega o princípio da eficácia regeneradora que o Espírito Santo possui na sua condução da Igreja.
      É nossa missão evangelizá-los e/ou resistir às suas tentativas de levar católicos da Igreja de Cristo.
      Sem dúvida, muitos católicos precisam de um contato maior com Cristo, porém este encontro não se dá fora do Corpo de Cristo, nas igrejas protestantes, mas um encontro na Igreja do Cristo verdadeiro.
      Dirá alguém: os homens da Igreja podem falhar, de modo que se torna necessária uma reforma periódica.
      Reconhecemos o que há de verídico nessa afirmação, mas acrescentamos que a reforma não pode equivaler a uma ruptura com a Igreja fundada por Cristo.

      Este assegurou à sua Igreja infalível assistência até o fim dos tempos (cf. Mt 28, 18-20); prometeu-lhe também o Espírito Santo como Mestre da verdade (cf. Jo 14, 26; 16, 14s).
      Por conseguinte, não se pode crer que tenha deixado sua Igreja entregue ao léu, de modo a ser necessário que os homens refaçam “a obra abandonada por Cristo“.
      O que os homens podem fazer é uma sociedade humana e animada por boas intenções, mas nunca farão um Sacramento ou uma realidade divino-humana.
      Dirão ainda: a Igreja Católica tem suas muitas denominações (franciscanos, jesuítas, beneditinos, salesianos…) como o protestantismo tem suas denominações (luteranos, metodistas, adventistas, neopentecostais…).
      Em resposta registramos que as Ordens e Congregações Religiosas do Catolicismo não quebram a unidade da Igreja, pois estão sujeitas à mesma autoridade suprema, professam a mesma fé e recebem os mesmos sacramentos.
      No protestantismo, ao contrário, cada denominação toma o nome de Igreja e existe independentemente das demais; assim dividem a Igreja e o próprio bloco protestante.
      E a propalada pureza de doutrina dos protestantes?
      Já os reformadores divergiam entre si no tocante a pontos importantes (SS. Trindade, Eucaristia, hierarquia da Igreja…).
      A tese do livre exame da Bíblia favorece o subjetivismo, as múltiplas interpretações do texto sagrado, donde a pluralidade de orientações doutrinárias do protestantismo.

      Possam estas considerações falar fundo ao coração dos irmãos de boa vontade.
      Publicado por afeexplicada
      Quem fundou a Igreja Católica Apostólica Romana?
      A Igreja foi prefigurada desde a criação do mundo. O Antigo Testamento se refere às alianças de Deus com o justo Abel, com Noé e com Abraão. Dessas alianças, voltadas para a adoração do Criador e para a busca da salvação, nasceu verdadeira comunhão de Deus com os seres humanos. A Igreja foi preparada na história do antigo Israel e na antiga aliança. Segundo São Paulo, ela é herdeira das promessas que Deus fez a Abraão (cf. Gl 3,15-19), pois a descendência de Abraão não foi segundo a carne, mas segundo a fé. Do antigo Israel, a Igreja recebeu as escrituras do Antigo Testamento. Mesmo o Novo Testamento originou-se, de certo modo, de uma leitura cristológica do Antigo Testamento, pois Cristo é a realização das promessas nele contidas. A Igreja foi fundada por Cristo nos últimos tempos, ou seja, no tempo do Jesus terreno e do Cristo pascal. A Lumen Gentium fala de atos fundantes da Igreja, realizados pelo Senhor. Atos fundantes da Igreja foram, por exemplo, a convocação dos Doze; a instituição da Eucaristia; a Ressurreição de Jesus e a vinda do Espírito Santo. A Igreja é a comunidade em que o Ressuscitado está presente: “Eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mt 28,20). Foi manifestada em Pentecostes: “Ide, portanto, e ensinais a todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.” (Mt 28,19).

    • Esta é mais uma das “invencionices” dos nossos pobres irmãozinhos afastados. Respondemos à pergunta logo de cara: claro que não, a Igreja Católica NÃO foi fundada por Constantino, e nem poderia ser. Este é um disparate sem tamanho, uma tolice tão grande e evidente por si mesma que dispensa explicações. No entanto, como vivemos num país de ingênuos e de maioria inculta, dou o trabalho de fazer esse comentário.

      O imperador Constantino, também conhecido como Constantino Magno, o Grande, ou Constantino I, nasceu em 274 e faleceu em 337; foi imperador durante 31 anos (de 306 a 337). Era filho de Constâncio Cloro e Helena, uma cristã que se tornou Santa Helena. Casou-se com Faustina, filha de Maximiliano Hércules.

      Tudo isso é história. Certo. Bem, então não precisamos dizer mais nada, pois é fato incontestável que no início do século terceiro o cristianismo já estava espalhado por quase todo o mundo, penetrando inclusive nas classes nobres, mas ainda perseguido pelos imperadores romanos, que tentavam, pelo poder das armas, destruir a Fé.

      Após a morte do imperador Galério, o poder ficou dividido entre Maxêncio (que se autoproclamou imperador) e Constantino (aclamado imperador por seus soldados). Os dois ambicionavam o poder, e a luta entre eles encerrou-se no dia 28 de outubro de 312, com a histórica vitória de Constantino junto à Ponte Mílvia.

      À ocasião, Constantino testemunhou ter visto no céu uma cruz com a inscrição “In Hoc Signo Vinces” (‘Com este Sinal vencerás’). – Este foi um marco para a sua conversão, que não se deu de uma hora para outra: ele foi batizado somente em 337, no fim de sua vida. Alguns historiadores contestam a conversão de Constantino. De fato, objetivamente não há como se afirmar se a sua conversão foi sincera ou se ele, antes de tudo, adotou uma inteligente estratégia política e militar, pois, ao se declarar cristão, obteve o apoio de uma parcela importante da população e inclusive da nobreza. Essa questão, porém, não tem a menor importância para o fato que estamos demonstrando aqui, pois é fato que Constantino concedeu total liberdade de culto aos cristãos, a partir do ano 313, com o chamado Édito de Milão, documento no qual constava: “Havemos por bem anular por completo todas as restrições contidas em decretos anteriores acerca dos cristãos; – restrições odiosas e indignas de nossa clemência, – e dar total liberdade aos que quiserem praticar a religião cristã”.

      Nesse tempo, o Papa era Melcíades, 32º Sumo Pontífice da Igreja depois de São Pedro. Assim, não há como se afirmar que Constantino seja o fundador da Igreja de Cristo, já que ele apenas deu liberdade aos cristãos, – que obviamente já existiam desde o século I, – acabando com mais de dois séculos e meio de perseguição e martírios.

      Como disse no começo, trata-se de uma questão extremamente simples, fácil de compreender e impossível de negar. É preciso um altíssimo grau de alienação da realidade para aceitar a ideia de que tenha sido um imperador romano que tenha fundado a Igreja, a partir do século IV. Nenhuma igreja protestante histórica (as mais antigas) adota esse tipo de teoria da conspiração absurda para renegar a autoridade da Igreja Católica, pois tanto seus pastores quanto seus adeptos são pessoas esclarecidas e bem formadas. E agora que já demonstramos que sem dúvida não foi Constantino quem fundou a Igreja Católica, a pergunta que fica é: então quem fundou a Igreja Católica?

      Foi o próprio Senhor Jesus Cristo. A palavra “igreja” deriva de outra palavra grega que significa assembléia convocada. Neste sentido a Igreja é a reunião de todos os que respondem ao chamado de Jesus: “…Ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor” (Jo 10,16).

      Ao contrário do que às vezes ouvimos por aí, dito por pessoas sem nenhum conhecimento de causa, Jesus Cristo sem dúvida tinha a intenção de fundar a sua Igreja, e a prova bíblica desta intenção é explícita, em Mt 16,18 (‘Tu és Pedra e sobre esta Pedra edificarei a minha Igreja…’), bem como em diversas outras passagens do Novo Testamento.

      A escolha dos doze Apóstolos:

      “O Senhor subiu ao monte e chamou os que ele quis. E foram a Ele. Designou doze entre eles para ficar em sua companhia”. (Mc 3,13-14). A escolha precisa de doze Apóstolos tem um significado muito importante. O Senhor lança os fundamentos do novo povo de Deus: doze eram as tribos de Israel, surgidas dos doze filhos de Jacó; assim, doze foram os Apóstolos para testemunhar a continuidade do Plano de Deus por meio da Igreja.

      Segundo Sto. Agostinho, a Igreja começou “onde o Espírito Santo desceu do Céu e encheu 120 pessoas que se encontravam na sala do Cenáculo”. O derramar do Espírito, em Pentecostes, foi como a inauguração oficial da Igreja para o mundo.

      Sim. Jesus Cristo fundou e instituiu uma Igreja neste mundo. Atualmente, porém, estamos vivendo um momento em que muitas “igrejas” são inventadas todos os dias, pois são encaradas como se fossem empresas, como um negócio. Basta um sujeito bom de lábia, que tem facilidade para convencer as pessoas mais ingênuas. Ele lê a Bíblia, interpreta do seu jeito, abre firma (os custos são mínimos) e aluga um salãozinho, de preferência em local movimentado. Compra cadeiras e um púlpito. Pronto! Já nasceu mais uma “igreja”! Para ser “pastor” não precisa entender de história, nem de filosofia, nem de teologia: basta querer. Simples assim!

      # A igreja protestante mais antiga é a luterana. Foi fundada por Martinho Lutero em 1524. – Note que a Igreja Católica já existia há mais de mil e quinhentos anos quando ela surgiu. Foi chamada de “protestante” justamente porque ela protestava contra a primeira Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, a católica;

      # A igreja anglicana foi fundada pelo rei Henrique VIII, em 1534, porque o Papa (Clemente VII) não permitiu que ele se divorciasse de sua primeira esposa para se casar com Ana Bolena;

      # A igreja presbiteriana foi fundada por John Knox, em 1560;

      # A igreja batista foi fundada por John Smith, em 1609;

      # A igreja metodista foi fundada por John Wesley, em 1739, quando decidiu separar-se dos anglicanos (aqui começaram as divisões das divisões das divisões… que existem até hoje);

      # Os adventistas do sétimo dia começaram com Guilherme Miller e Helen White, no século passado;

      # A congregação cristã do Brasil foi fundada por Luigi Francescom, em 1910;

      # As “assembleias de Deus” têm a sua origem no chamado “despertar pentecostal” dos anos 1900, nos EUA. Muitas pessoas saíram de diferentes igrejas protestantes para formar novas congregações pentecostais. Em 1914 mais de cem destas novas “igrejas”(!) se juntaram para formar esta nova organização religiosa;

      # A “igreja do evangelho quadrangular” foi fundada na década de 1920, pela missionária canadense Aimeé Semple McPathersom, que passou da igreja batista para a pentecostal (o tradicional ‘pula-pula’ dos ‘evangélicos’, de ‘igreja’ em ‘igreja’);

      # A “igreja Deus é Amor” foi fundada por David Miranda, em 1962;

      # A “renascer em Cristo” surgiu há poucos anos, já na década de 1990, fundada pelo empresário (e criminoso) Estevan Hernandez;

      # A “igreja universal do reino de deus Mamon” surgiu em 1977, fundada pelo salafrário, charlatão e falso profeta empresário (e criminoso) Edir Macedo;

      Nos últimos anos, milhares e milhares de outras denominações menores foram surgindo, com os nomes mais criativos. Cada uma delas se afirma a mais fiel; todas se declaram “conduzidas pelo Espírito Santo”, apesar de ensinarem coisas totalmente diferentes umas das outras. Todas elas foram fundadas por homens ou mulheres comuns. A pergunta é simples: como o Espírito Santo poderia animar tantas divisões, Ele que é Fonte da Unidade?

      Como identificar a Igreja de Cristo? São duas as chaves para se chegar à conclusão definitiva: a Bíblia Sagrada, que os protestantes/evangélicos dizem seguir, e a Igreja primitiva, que os protestantes/evangélicos dizem representar.

      Segundo a Bíblia: a Epístola aos Hebreus (12,22-24) fala da Igreja Celestial, que é a Jerusalém Celeste. O texto bíblico diz que as almas dos justos aperfeiçoados estão no rol da Igreja triunfante: “À Assembleia Universal, que é a Igreja dos Primogênitos arrolados nos Céus, e a Deus, Juiz de todos; aos espíritos dos justos aperfeiçoados”. O ponto fundamental aí é notar que a tradução do manuscrito original em grego diz kαθολικός eκκλησία, que se pronuncia katholikón ekklésia, e quer dizer, exatamente, Igreja Católica. Na próxima vez em que alguém lhe perguntar onde é que está escrito na Bíblia que a Igreja de Jesus Cristo é a católica, você já sabe o que responder…

      A Igreja Primitiva, no Concílio de Constantinopla (381), os cristãos definiram os traços que definem a verdadeira e única Igreja de Jesus Cristo: “Creio na Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica…”.

      Una: A Igreja deve ser una, isto é uma só, indivisível, uma só Igreja, do mesmo modo como existe “um só Senhor, uma só fé, um só batismo” (Ef 4,5). Jesus Cristo fundou uma só Igreja neste mundo, e Jesus só pode ser a Cabeça de um Corpo, do mesmo modo como somente pode desposar uma noiva, assim como Deus teve um povo entre os vários povos;

      Santa: em virtude do seu fundador: Jesus Cristo. Foi ela que recebeu uma promessa fundamental: “…as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16,18). Deste modo, a razão da própria existência da Igreja está em ser um instrumento de santificação dos homens: “Santifico-me por eles para que também eles sejam santificados pela verdade” (Jo 17,19).

      Católica: a palavra católica quer dizer universal; a Igreja de Cristo é Universal porque foi estabelecida para reunir todos os povos e nações para formar o único Povo de Deus: “Ide, pois, ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).

      Apostólica: porque está edificada sobre o “fundamento dos Apóstolos…” (Ef 2,20). A garantia da legitimidade da Igreja está na continuidade da obra de Jesus por meio da Sucessão Apostólica. Tudo o que Jesus quis para a sua Igreja foi entregue aos cuidados dos Apóstolos: a doutrina, os meios para santificação e a hierarquia.

      “Onde quer que se apresente o bispo, ali também esteja a comunidade, assim como a Presença de Jesus nos assegura a presença da Igreja Católica” – Sto. Inácio Bispo de Antioquia, Carta aos Esmirnenses 8,2 (séc. II).

      Aos poucos, a palavra católica foi sendo usada para definir aqueles que estavam de fato seguindo a doutrina de Jesus. No final do século II, a igreja cristã já era conhecida em toda parte como Igreja Católica.

    • Se você é protestante, e duvida que a Igreja Católica é a única criada e fundada por Jesus Cristo, aconselho-te a fazer um estudo aprofundado e sério que descobrirás a verdade. E como deve saber: “conhecereis a verdade e a verdade vos livrará” (cf. João 8,32). De antemão posso fazer você pensar em algo pra tentar descobrir se a denominação que você participa é ou não Igreja de Jesus Cristo: Quem a fundou? (Se a resposta for você, um parente, um amigo, ou qualquer outra pessoa que não seja Jesus Cristo, esta não é a Igreja fundada por Jesus Cristo!) Ela tem sucessão apostólica? Ou seja, a fé foi ensinada pelos apóstolos?
      Para adquirir essa resposta é muito simples, veja quem são os superiores de sua denominação (ou no caso você – se for fundador e/ou superior) e veja de quem ele recebeu a fé. E de quem essa pessoa que lhe passou a fé recebeu a mesma fé, e assim sucessivamente… Chegaram a Jesus? Creio que se tratando de protestantes muitos esbarrem em Lutero como raiz dessa árvore genealógica. E Lutero antes de apostatar da fé era de que religião? Opa, chegamos a Igreja Católica, certo? E essa Igreja, tomemos os nossos Bispos como exemplo: De quem receberam a fé? E estes de quem receberam? Se você estudar com sinceridade, com toda certeza chegará a Pedro, Paulo, Tiago, Simão, e todos os outros apóstolos. E estes apóstolos receberam a fé do próprio Jesus.
      E como disse Jesus: “Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco TODOS OS DIAS, ATÉ O FIM DO MUNDO”. (Mateus 28,20) Como veem, Jesus fala pro colégio dos Bispos (Apóstolos) que ensinem o que Cristo ensinou, e que estaria Ele (Jesus) com eles (Igreja) todos os dias até o fim do mundo. Opa, então Jesus teria descumprido sua palavra de que “o céu e a terra passariam, mas sua palavra não passaria” (cf. Mateus 24,35)?
      Alguém está errado nessa história: ou Jesus Cristo é um mentiroso; ou então, estava equivocado Lutero e os seus seguidores atuais que dizem que ele foi erguido por Deus para reconstruir Sua igreja. Como se a Igreja fosse corruptível. Sendo que, o próprio Cristo, outra vez disse que as portas do inferno não prevaleceriam contra a Igreja (cf. Mateus 16,18-19). Eu prefiro acreditar em Jesus Cristo, que não é falho.
      I. A Igreja é Mãe Educadora, Infalível e Sobrenatural
      Isaias 35,8; 45,8; 54,13-17 – Essas profecias referem-se ao reino do Messias, a Igreja infalível que o Cristo edificaria, como sendo o “Caminho Santo” onde os seus filhos serão ensinados pelo Senhor. A Igreja é Mãe educadora de seus filhos. À Igreja, foi dado o dom de infabilidade quando ensina sobre Fé e Moral, onde seus filhos são ensinados na justiça diretamente por Deus. Este dom de infabilidade significa que a Igreja é preservada de ensinar errado, pelo poder do Espírito Santo (isso não significa que os líderes da Igreja não pecam!).
      Salmo 2,8-9, 45,4-7 [44,5-8] – Deus Pai dá a Seu Filho todas as nações por herança, para governá-las com cetro de ferro, em justiça e verdade. É o que Ele faz por meio de Sua Igreja. E para essa Igreja ensinar a justiça e a verdade – literalmente “fundada sobre a justiça” (Isaías 54,13), ela deve ser dotada com um dom especial de Deus para não ensinar o erro, pois, “Lá se acham os tronos de justiça” (Salmo 122[121],5).
      Isaías 2,2-3; Miquéias 4,1-3 – Mais profecias sobre o reino do Messias. Aqui foi profetizado que os povos, “todas as gentes”, reconheceriam que é deste reino que o Senhor ensinaria os Seus caminhos. Além de ter o dom de infabilidade, este reino é o local onde o próprio Senhor ensina a todas as nações: É dele que sai a doutrina e a lei. Este reino não pode ser outro, senão a Igreja edificada por Cristo, a Igreja Católica.
      Isaías 9,6 – Isaías novamente descreve que o reino do Messias seria para sempre firmado e mantido, por Ele mesmo, pelo direito e pela justiça. De uma forma ou de outra, nós temos que procurar esta Igreja que ensina infalivelmente, só a verdade e a justiça, isenta de ensinar erro nas questões de Fé e Moral. E os resultados sempre serão um: Somente a Igreja Católica pode ser a Igreja infalível de Cristo.
      Mateus 10,20; Lucas 12,12 – Jesus disse a Seus Apóstolos que não são eles que falam, mas o Espírito do Pai falando neles. Se o Espírito é quem fala e guia a Igreja, a Igreja não pode errar em matérias de Fé e Moral.
      Mateus 16,18 – Jesus promete que as portas do Hades não prevalecerão contra a Igreja. Isso requer que a Igreja ensine infalivelmente. Se a Igreja não tivesse o dom da infabilidade, as portas do Hades (inferno) e o erro prevaleceriam. Também, desde que a Igreja Católica era a única Igreja que existiu até a Reforma, aqueles que seguem a reforma protestante chamam Cristo de mentiroso por estarem dizendo que as portas do inferno prevaleceram contra Sua Igreja.
      Salmo 144,11-13 – O Reino de Deus é, certamente, glorioso e eterno. O Reino de Cristo não sucumbiria e nem se corromperia após os Apóstolos, ou este reino não seria eterno e muito menos, glorioso. Mas certamente “o Senhor é fiel em suas Palavras e santo em tudo o que faz”. Se a Igreja Católica não é a Igreja infalível e gloriosa que Cristo comprou com Seu próprio Sangue, qual outra Igreja seria ela? Uma Igreja “invisível”? Esta não existe.
      Hebreus 11,33 – Paulo diz que este reino é inabalável. Qualquer um que queira seguir os verdadeiros ensinamentos de Jesus Cristo, tem que procurar uma Igreja que começou desde os Apóstolos e que subsista até o dia atual, ensinando a mesma sã doutrina durante estes 2.014 anos.
      Mateus 16,19 – Para Jesus dar a Pedro e os Apóstolos (meros seres humanos) a autoridade para ligar no Céu o que eles ligarem na terra, requer que lhes outorgue autoridade também para ensinar infalivelmente. Isto é um dom do Espírito Santo e não tem nada a ver com a santidade da pessoa que recebeu o dom.
      Mateus 18,17-18 – A Igreja (não a Escritura) é a autoridade final nas questões de Fé e Moral. Isso demanda infabilidade quando no ensinamento sobre fé e moral. Ela tem que ser prevenida do ensino errado em ordem para liderar seus membros para a completa salvação.
      C.CIC, §184 – «Como os bispos realizam a sua missão de ensinar? – Os bispos, em comunhão com o papa, têm o dever de anunciar a todos, fielmente e com autoridade, o Evangelho, como testemunhas autênticas da fé apostólica, revestidos da autoridade de Cristo. Mediante o sentido sobrenatural da fé, o Povo de Deus adere indefectivelmente à fé sob a guia do Magistério vivo da Igreja.»
      Romanos 14,17 – Paulo diz que o Reino de Deus (a Igreja) é justiça, paz e gozo no Espírito Santo. É o Espírito Santo mesmo que ensina a justiça por meio da Igreja.
      Mateus 28,20 – Jesus prometeu que Ele estará permanentemente com a Igreja. Ora, Jesus não pode estar com a Igreja e mesmo tempo permitir que ela ensine a fé e moral erradamente.
      Lucas 22,32 – Jesus orou por Pedro, para que sua fé não possa falhar. A oração de Jesus por Pedro é de perfeita eficácia, e isso permite que Pedro ensine a Fé e Moral sem erro (o que significa infabilidade).
      João 11,51-52 – Alguns protestantes argumentam que pecadores não podem ter o poder para ensinar infalivelmente. Mas neste verso, Deus permite a Caifás profetizar infalivelmente, mesmo ele sendo mau e tendo conspirado a morte de Jesus. Deus permite aos pecadores ensinar infalivelmente, assim como Ele permite pecadores se tornarem santos. Como um amoroso Pai, Ele exalta Seus filhos, dando-lhes um mecanismo para conhecer e seguir a verdade sem nenhum erro.
      Lucas 10,16 – Esse mecanismo é o Magistério infalível da Igreja (e não a Escritura sozinha): o sucessor de Pedro (bispo de Roma, o Papa) e os bispos em comunhão com ele. “Quem vos ouve, a Mim ouve; e quem vos rejeita, a Mim rejeita.” Jesus é muito claro, os bispos da Igreja podem ensinar sim, sob a autoridade do sucessor de Pedro (o bispo de Roma), com a autoridade infalível de Cristo, e quem os rejeita, estão rejeitando a Jesus Cristo.
      I e II Pedro – Por exemplo, Pedro negou Cristo, ele foi repreendido pelo seu notável bispo (Paulo), e ele ainda escreveu duas Epístolas infalíveis. Adiante, se Pedro pôde ensinar infalivelmente por escrito, por que ele também não ensinaria infalivelmente pregando, como o fez desde o dia de Pentecostes? E por que então seus sucessores não poderiam ensinar infalivelmente também?
      Gênesis à Deuteronômio; Salmos; Romanos à Filêmon – Moisés cometeu um assassinato. Davi providenciou a morte de um homem para tomar a mulher dele. Paulo foi um tremendo perseguidor da Igreja e condenava os cristãos à morte. Mas eles ainda ensinaram infalivelmente. Deus usa-nos, seres humanos pecadores que somos, porque quando respondemos à Sua graça e mudamos nossa vida, nós damos a Deus maior glória e Sua presença é feita mais manifesta em nosso mundo pecaminoso, nos tornando santos em Seu Filho e nos guiando pelo Espírito Santo.
      João 14,16 – Jesus promete que o Espírito Santo ficaria com a Igreja para sempre. O Espírito impede a Igreja de ensinar algum erro em questões de fé e moral. Isto é garantido porque a garantia vem de Deus mesmo, o qual não pode mentir.
      João 14,26 – Jesus promete que o Espírito Santo ensinaria aos Seus Apóstolos, todas as coisas. Isto significa que a Igreja pode nos ensinar sobre as posições morais, como fertilização in vitro, manipulação de embriões humanos, clonagem, e outros assuntos que não estão endereçados na Bíblia, mas que são de extrema importância e necessários para a salvação. Deus não deixaria tão importantes assuntos a serem decididos por nós pecadores sem Sua divina assistência.
      João 16,12 – Jesus tinha muitas coisas a dizer, mas os Apóstolos não podiam suportá-las naquele momento. Isto demonstra que a infalível doutrina de Cristo se desenvolve com o tempo, conforme o nosso entendimento. Toda a Revelação pública foi completada com a morte do último Apóstolo, mas a explicação de cada doutrina da Revelação de Deus desenvolve-se com o tempo, de modo que nossas mentes e nossos corações são capazes de compreendê-las. Deus ensina Seus filhos somente o quanto eles suportam, para o próprio bem deles.
      João 16,13 – Jesus promete que o Espírito “guiará” a Igreja em toda a verdade. Nosso conhecimento da verdade desenvolve-se como o Espírito guia a Igreja, conforme nós suportamos as verdades espirituais. E isto acontece com o tempo. Para aceitarmos o que Jesus nos diz, que o Espírito Santo nos guiaria em toda a verdade, temos que olhar para uma Igreja que ensine infalivelmente, pois, tem que ter a assistência deste mesmo Espírito Divino, o qual não pode ensinar nada errado, mas somente as eternas verdades. Isto não se cumpre no protestantismo, onde cada comunidade ensina doutrinas diversas das outras sobre todas as questões. Há um caos sem fim nas questões doutrinárias e morais.
      C.CIC, §185 – «Quando se exerce a infalibilidade do Magistério? – A infalibilidade se exerce quando o Romano Pontífice, em virtude da sua autoridade de supremo Pastor da Igreja, ou o Colégio dos bispos em comunhão com o papa, sobretudo reunido num Concílio Ecumênico, proclamam com ato definitivo uma doutrina referente à fé ou à moral, e também quando o papa e os bispos, em seu Magistério ordinário, concordam em propor uma doutrina como definitiva. A esses ensinamentos todo fiel deve aderir com o obséquio da fé.»
      Atos 15,1-2; Gálatas 2,1-2 – Ora! Ora! Paulo expondo o seu evangelho à autoridade máxima da Igreja, temendo que tivesse corrido em vão, 14 anos??? Paulo não somente reconhece o Magistério infalível da Igreja e a autoridade máxima de Pedro, como também que o evangelho que ele (Paulo) tinha que pregar, deveria estar em comunhão com o ensino infalível de Pedro. Por isso ele subiu à Jerusalém, para decidirem com os Apóstolos sobre a circuncisão ser necessária ou não. Como um bom servo e jamais rebelde, foi conferir o seu evangelho com os bispos da Igreja e submeter-se ao que seria decidido em um Concílio Infalível.
      Atos 15,6-29 – Assim foram, Paulo e Barnabé, decidir sobre a questão da circuncisão no primeiro Concílio da Igreja. E após Pedro ter lançado o decreto na questão da circuncisão (7-12) todos acataram as ordens de Pedro. E os Apóstolos reconhecem que os seus ensinamentos, num Concílio Ecumênico, são guiados pelo Espírito Santo (27-28).
      Atos 16,4-5 – Paulo ensina que devemos seguir as decisões que são tomadas num Concílio da Igreja. Assim é que somos “confirmadas na fé” verdadeira e doutrina santa de Cristo.
      II Coríntios 2,17 – O Magistério vivo da Igreja (o sucessor de Pedro e os bispos em comunhão com Ele, assistidos pelos presbíteros) ensina, por Cristo, a autêntica Palavra de Deus na Sua integridade, sem erros e nem heresias, tal como procede de Deus e sob os Seus olhares. Assim como os versos que vimos até aqui, este também aniquila todas as injúrias e acusações contra a Igreja de Cristo. Ou os protestantes reconhecem que há uma Igreja que prega a doutrina íntegra de Cristo, sem falsificar a Palavra de Deus, ou reconhecem que a própria Bíblia não é Palavra infalível de Deus.
      Efésios 4,13-16 – Paulo indica que alcançar a unidade da fé e o conhecimento do Filho de Deus à natureza humana madura, é um processo que se desenvolve. Nós devemos crescer com o tempo, em cada caminho em Cristo. A doutrina (o que significa “ensino”) de Cristo é desenvolvida e explicada mais detalhadamente pela Igreja com o tempo, conforme nossas mentes são capazes de suportar e entender o seu conteúdo riquíssimo.
      Colossenses 1,9-10 – Estes versos provam que a perfeita sabedoria, penetração espiritual e o conhecimento de Deus se desenvolvem com o tempo. Nós não suportaríamos receber a doutrina de Cristo de uma só vez. Os próprios Apóstolos ainda não suportavam a íntegra doutrina de Jesus Cristo (João 16,12.25).
      I Coríntios 3,1-2 – Os Coríntios mesmo não suportavam todas as verdades espirituais da doutrina quando Paulo pregou a eles oralmente, e nem ainda estavam preparados para suportarem quando Paulo estava escrevendo esta carta.
      II Coríntios 4,7 – Paulo diz claramente que o poder extraordinário que atua pelos apóstolos provém de Deus, e não deles mesmos.
      II Coríntios 5,20 – Paulo diz que eles – os bispos – são “embaixadores” em Nome de Cristo, e que “é Deus mesmo que exortar por intermédio deles”. Somos exortados e ensinados diretamente por Deus (João 6,45), por intermédio do Magistério vivo da Igreja.
      Gálatas 2,11-14 – Os anti-Papas, às vezes usam este verso para diminuir a evidência da autoridade de Pedro sobre a Igreja. Isto é um desencaminhamento total. Neste verso, Paulo não se opõe ao ensinamento de Pedro, mas à sua falha no vivê-lo. Infabilidade (ensinar sem erro) não significa impecabilidade (viver sem pecar). Pedro foi quem ensinou infalivelmente sobre a salvação dos gentios em Atos 10,11. Com essa repreensão, Paulo está realmente dizendo “Pedro, tu és nosso líder, tu ensinas infalivelmente, e tua conduta ainda é inconsistente com estes fatos. Tu deves ser íntegro em seu proceder, pois és o mais eminente exemplo que o fieis podem ter!”. O verso realmente sublinha – não diminui – a importância da liderança de Pedro na Igreja.
      Efésios 3,9 – De fato, isto é um mistério escondido desde todos os séculos – que Deus manifesta Sua sabedoria por uma Igreja infalível a todos os povos.
      Efésios 3,10 – A sabedoria de Deus é conhecida pela Igreja (não pela Escritura). Este é um verso incrível, por ele dizer-nos que a infinita sabedoria de Deus vem a nós por Sua Igreja. Para isso acontecer, a Igreja deve ser protegida do erro, ensinando infalivelmente a Fé e a Moral (ou ela não seria dotada com a sabedoria de Deus). Os protestantes devem se vergar e reconhecer que “Sola Scriptura” (somente a Escritura) não tem fundamento nenhum, pois, a própria Escritura aponta a Igreja como a autoridade pela qual devemos ser instruídos diretamente por Deus, sem falhas.
      Efésios 3,4-5.7 – Paulo diz que é o Espírito Santo quem dá a compreensão do mistério cristão aos Apóstolos e Profetas. É pela graça do Espírito que somos ensinados infalivelmente e diretamente pelo Senhor Deus, através do Magistério da Igreja.
      I Coríntios 2,7-13 – De fato, os líderes da Igreja pregam a sabedoria de Deus, misteriosa e secreta, mas revelada a eles pelo Espírito. Paulo explica que, o que os ministros ensinam, é ensinado, não pela sabedoria humana, mas pela sabedoria do Espírito. Os ministros são conduzidos pelo Espírito Santo a interpretar e entender as verdades espirituais que Deus lhes quer ensinar, com o tempo, pela Sagrada Tradição, Sagrado Magistério e Sagradas Escrituras.
      Efésios 3,20-21 – A glória de Deus é manifestada na Igreja pelo poder do Espírito que trabalha em seus líderes. Como um Pai, Deus exalta Seus filhos aos cargos de liderança na Sua Igreja.
      Efésios 5,23-27; Colossenses 1,18 – Cristo é a Cabeça da Igreja, Sua Esposa, pela qual Ele morreu para fazê-la santa, sem mácula e sem defeitos. A Igreja é submissa a Cristo. Isto significa que a Igreja não pode, mesmo se quisesse, ensinar o erro nas questões de fé e moral, quando exerce o Magistério infalível. Só há uma Igreja; Cristo tem uma só Esposa, e ela é infalível, incorrupta, isenta de todas as heresias e erros dos falsificadores da Palavra de Deus.
      Efésios 5,25-27; I Coríntios 6,15 – A Igreja é a Esposa de Cristo, e não pode ser contaminada pelas heresias e erros que cada denominação protestante prega. Jesus só pode ter uma única Esposa, não várias, como o protestantismo quer dizer, cada uma mais contaminada de erros e heresias que a outra.
      I Timóteo 3,15 – Paulo diz que a Igreja (não a Escritura) é a coluna e o sustentáculo da verdade. Mas para a Igreja ser a coluna e fundamento da verdade, ela tem que ser protegida de ensinar algum erro; ela tem que ser – literalmente – infalível. E não só isso. A Igreja tem que ser instruída e guiada por Deus, que não pode mentir jamais. Ela também tem que ser a Igreja Católica, a única que proclama ter a autoridade de ensino de Cristo e o dom de infabilidade, e da qual os ensinamentos sobre a fé e moral não têm mudado por 2.014 anos. Deus nos ama tanto que Ele nos presenteou com uma Igreja que ensina infalivelmente a verdade, ou melhor, Ele mesmo nos ensina por meio dela, para que então tenhamos a plena compreensão dos verdadeiros ensinamentos que Ele quer nos dar para nossa própria salvação.
      I Tessalonicenses 5,21 – Paulo manda-nos testar tudo. Mas nós temos que ter alguma coisa contra o que testar. Isso requer um infalível guia que esteja disponível para nós, e esse guia visível é a Igreja Católica, de quem os ensinamentos sobre fé e moral jamais têm sido mudados. Nenhuma comunidade protestante diz ter o dom de infabilidade e autoridade de ensino e ser coluna e fundamento da verdade. Isto nos obriga a olhar para a Igreja Católica como sendo a única Igreja que Jesus Cristo instituiu.
      Mateus 13,11; Marcos 4,11.34; Lucas 8,10 – Quando os Apóstolos perguntaram a Jesus do porque ensinava em parábolas ao povo, eis que Jesus abertamente declarou que o mistério do reino é revelado a eles (ao Magistério da Igreja), mas aos de fora não. Por isso, não é tão difícil compreender que foi da vontade do Senhor que a Sua Sabedoria e o mistério do Seu Reino sejam conhecidos pela Sua Igreja (não pela Escritura sozinha), tornando-a coluna o sustentáculo da verdade, com o dom da infabilidade, para ensinar aos Seus filhos o que é certo e o que é errado, para a sua salvação.
      I João 4,6 – João escreve que “quem conhece a Deus ‘ouvi-nos’” (aos bispos e sucessores dos Apóstolos). Depois Ele escreve “É nisto que conhecemos o Espírito da Verdade e o espírito do erro.”. João não diz “lendo a Bíblia é a maneira para conhecer a verdade do erro.”. Se ouvindo a meros seres humanos ajuda-nos a discernir a verdade do erro, Deus teria que dotar esses Seus escolhidos a serem líderes da Igreja, com o dom especial de infabilidade, de modo que fossem impedidos de ensinar o erro.
      Mateus à Apocalipse – Nós temos que notar que nem todas as doutrinas cristãs estão explícitas nas Escrituras (por exemplo, o dogma da Santíssima Trindade). Entretanto, a infabilidade e liderança de Pedro são fortemente provadas pelas passagens mostradas até aqui. Os cristãos não-católicos deveriam perguntar a si mesmos, por que eles aceitam alguns dos ensinamentos da Igreja, por exemplo, sobre as Três Pessoas da Trindade, as duas naturezas de Cristo em uma divina Pessoa, e o cânon das Escrituras do Novo Testamento (todos definidos pela Igreja Católica), mas não outros ensinamentos, como a Eucaristia, os Sacramentos da salvação, justificação, Purgatório (todas doutrinas explícitas), Maria e os Santos?
      II. A Igreja é Visível e Una
      Mateus 5,14 – Jesus diz que uma cidade situada numa montanha não pode ser escondida, e isto é em referencia à Igreja. A Igreja não é uma presença invisível, cosmo-espiritual, atmosférica (como dizem muitos protestantes); mas um único, visível e universal Corpo de Cristo. A Igreja é uma extensão da Encarnação.
      Mateus 12,25; Marcos 3,25; Lucas 11,17 – Jesus diz que um reino dividido contra si mesmo não pode subsistir e será destruído. Isso descreve o protestantismo e seus milhares de denominações que continuam a se multiplicar a cada ano. Também temos que notar que a Igreja Católica deve ser vista como a Igreja de Cristo, o reino que se iniciou há dois mil anos atrás e que jamais será destruído (Daniel 2,44; 7,14).
      Mateus 16,18 – Jesus diz “Eu edificarei ‘minha Igreja’” (não, minhas igrejas). Há uma só Igreja edificada sobre uma só rocha com uma só autoridade de ensino; não muitas diferentes denominações edificadas sobre várias opiniões e sugestões pastorais diversas umas das outras.
      Mateus 16,19; 18,18 – Jesus deu aos Apóstolos a autoridade de ligar e desligar. Mas essa autoridade requer uma Igreja visível, porque “ligar e desligar” são atos visíveis. A Igreja não pode ser invisível e deve haver unidade de fé, ou ela não poderia ligar e desligar.
      João 10,16 – Jesus diz que só pode haver um único rebanho e um único pastor. Isso não pode significar várias denominações e vários pastores, todos ensinando doutrinas diferentes. Aqueles que estão fora do aprisco devem ser trazidos para dentro da única Igreja que é o único aprisco do Bom Pastor, e que é pastoreada por este único Pastor, através do sucessor de Pedro, o Papa, único pastor visível para o único rebanho visível.
      João 17,11.20-21 – Jesus reza para que Seus seguidores possam perfeitamente serem um, como Ele é Um com o Pai. A unidade de Jesus com o Pai é perfeita. E essa unidade que Ele pede, não pode ser menos que perfeita. Assim, a unidade pela qual Jesus pede não pode significar a variedade de divisões do cristianismo que tem se resultado desde a Reforma Protestante. A perfeita unidade de fé só há na Igreja Católica. Os que se rebelam dentro da Igreja, já estão se desligando da unidade, mas eles mesmos não podem quebrar a unidade, que Jesus conquistou para Sua Igreja, por se afastarem dela ou não estarem em comunhão com o que ela ensina.
      João 17,9-26 – A oração de Jesus, é claro, é de perfeita eficácia, como evidenciado pela milagrosa unidade da Igreja Católica durando os seus 2.000 anos de história.
      João 17,21 – Jesus afirma que a unidade visível da Igreja seria um sinal que mostraria ao mundo que Ele foi enviado por Deus. Este é um verso extremamente importante. Jesus nos diz que a unidade da Igreja é o que Lhe dá testemunho e a realidade de quem Ele é, e o que Ele veio fazer por nós. Há uma única Igreja que é unida universalmente, e esta é a Igreja Católica. Somente a unidade da Igreja Católica realmente testemunha a realidade de que Jesus Cristo foi enviado pelo Pai.
      João 17,22-23 – E não somente isto. Jesus deu aos Apóstolos, a glória que recebeu do Pai, para que a Igreja tenha uma perfeita unidade. Esta glória que os Apóstolos receberam de Jesus, não é nada menos que a autoridade de ensino e disciplina, para confirmar o povo de Deus na única doutrina santa e íntegra de Jesus. Jesus também se refere ao tesouro infinito de Seu próprio Corpo e Sangue, que Ele confiou a Sua Igreja, para serem distribuídos aos Seus seguidores, pelos seus sacerdotes e assim, serem um só Corpo de Cristo, pelo Santíssimo Sacramento da Eucaristia.
      I Coríntios 10,16-17; 12,13.20; Romanos 12,5; Efésios 5,29-32 – Pelo sacramento do Batismo, a Igreja é chamada a formar o Corpo de Jesus Cristo, e sendo consumada essa união como o Seu Corpo pelo Sacramento da Eucaristia, onde a Igreja encontra a sua unidade corporal e universal com todos os seus filhos que participam deste mesmo Sacramento ao redor do mundo; todos unidos em Cristo. Uma vez que os protestantes não possuem e não aceitam este sacramento da unidade corporal da Igreja de Cristo, nós devemos reconhecer que nenhuma das milhares de denominações protestantes pode ser o único Corpo de Cristo, a Igreja; e consequentemente, olharemos para a Igreja Católica como sendo o Corpo de Cristo.
      C.CIC, §161 – « Por que a Igreja é una? – A Igreja é una porque tem origem e modelo a unidade na Trindade das Pessoas de um só Deus: como fundador e chefe, Jesus, que restabelece a unidade de todos os povos num só corpo; como alma, o Espírito Santo, que une todos os fiéis na comunhão em Cristo. Ela tem uma só fé, uma só vida sacramental, uma única sucessão apostólica, uma comum esperança e a mesma caridade.»
      Romanos 15,5 – Paulo diz que os cristãos devem viver em harmonia uns com os outros. Mas isso só pode acontecer se houver uma Igreja com um único ensino, o qual, os fieis deveriam aceitá-lo e não seguir as heresias e erros dos que causam divisões. Isso só pode acontecer pela caridade do Espírito Santo que reside na Igreja.
      Romanos 16,17 – Paulo nos alerta para evitar aqueles que criam dissensões (divisões) e escândalos contra a doutrina. Isto inclui aqueles que se afastam da Igreja e criam uma denominação após outra, ou mesmo espalhando seus erros dentro da Igreja para tentar confundir os fieis. Nós precisamos evitar seus ensinamentos e seguir o verdadeiro ensinamento da Igreja, repreendendo-os com caridade para abrir-lhes os olhos da verdadeira fé.
      I Coríntios 1,10 – Paulo suplica-nos para não haver dissensões e discórdias entre nós cristãos, mas para sermos de uma mesma mente e o mesmo julgamento. Como os pastores protestantes dizem que eles são todos do mesmo pensamento e o mesmo julgamento nas questões de fé e moral?
      Efésios 1,22-23; 5,23-32; Colossenses 1,18-24 – Novamente, a Igreja não significa unidade “invisível”, porque Paulo chamou-a de Corpo (não alma) de Cristo. Corpos são visíveis, e almas são invisíveis.
      Efésios 4,11-14 – Deus dá aos membros da Igreja uma variedade de dons de acordo que alcancem a unidade da fé. Esta unidade é encontrada somente na Igreja Católica. Atualmente tem surgido muitas denominações protestantes que se dizem ser cheias dos dons do Espírito. Por que eles não possuem a unidade entre si?
      Efésios 4,3-5 – Nós devemos conservar a unidade do Espírito, com uma só fé, num só Corpo, pois, há um só Senhor. Isso requer unidade doutrinal, não 30 mil denominações diferentes. Essa unidade universal na caridade do Espírito, de uma só Fé, com um só Batismo, num só Corpo, só se torna real na Igreja Católica.
      Filipenses 1,27 – Paulo manda-nos que permaneçamos em um só espírito, lutando unanimemente pela fé do Evangelho. Não como no protestantismo, cada denominação pregando um evangelho diferente.
      Filipenses 2,2 – Paulo pede para que os cristãos sejam de acordo uns com outros e unidos de uma mesma mente. Contudo, os mais de 30 mil denominações protestantes diferentes são unidos na fé?
      Colossenses 1,18 – Cristo é a Cabeça do único Corpo, a Igreja. Ele não é a Cabeça de vários corpos ou partidos.
      I Timóteo 6,4 – Paulo alerta sobre aqueles que buscam contendas e disputas de palavras. Deve haver uma autoridade universal de Cristo para a qual podemos apelar e diferenciarmos a verdadeira doutrina e evitar os erros e heresias que os rebeldes espalham.
      II Timóteo 2,14 – Evitar discussões de palavras, que traz a ruína dos ouvintes. Dois mil anos de unidade doutrinal é um sinal da Igreja de Cristo. Essa unidade só há na Igreja Católica.
      II Timóteo 4,3 – Isto é um alerta no que diz em seguirmos nossos próprios desejos e não os ensinamentos de Deus. Seguir a Cristo não é uma lanchonete onde nós escolhemos e pegamos o que queremos e desprezamos o que não gostamos. Nós devemos nos humilhar e aceitar todos os ensinamentos de Cristo que Ele nos dá por Sua Igreja.
      Apocalipse 7,9 – O Reino Celeste é cheio daquela gente de todas as nações e de todas as tribos, povos e línguas. Isto é “católico”, o que significa universal.
      I Pedro 3,8 – Pedro encarrega-nos de ter a unidade de um só espírito. Isso é impossível, a não ser que tenha uma autoridade central de ensinamento dado a nós por Deus. A Igreja é “católica” também por abarcar toda a doutrina íntegra de Jesus Cristo, e não apenas partes dela.
      Gênesis 12,2-3 – Desde Abrão, Deus disse que todas as famílias da terra seriam abençoadas. Essa unidade familiar se cumpre somente na Igreja Católica, nela somos “concidadãos dos santos e membros da família de Deus” (Efésios 2,19).
      Daniel 7,14 – Daniel profetizou que todos os povos, nações e línguas serviriam o reino do Filho do Homem. Novamente, essa catolicidade é encontrada somente na Igreja Católica.
      I Coríntios 14,33 – Deus não pode ser o autor da confusão protestante. Somente a Una, Santa, Católica e Apostólica Igreja, proclama e prova ser a única Igreja de Cristo.
      C.CIC, §32 – «De que modo a fé da Igreja é uma só? – A Igreja, embora formada por pessoas diferentes língua, cultura e ritos, professa, com voz unânime, a única fé recebida de um só Senhor e transmitida pela única Tradição Apostólica. Professa um só Deus Pai, Filho e Espírito Santo – e mostra um só caminho de salvação. Portanto, nós cremos, com um só coração e com uma só alma, em tudo o que está contido na Palavra de Deus, transmitida ou escrita, e é proposto pela Igreja como divinamente revelado.»
      Salmo 46,4 [45,5]; 48,2 [47,3]; 52,8 [51,10]; 74,2 [73,2];78,68 [77,68]; 87,3 [86,3]; 125,1 [124,1]; Isaías 18,7; 24,23; Abdias 1,17; Miquéias 4,7; Zacarias 8,3; 13,1; I Timóteo 3,15; Hebreus 10,21; 12,22; I Pedro 4,17; Apocalipse 14,1; 21,9.14 – A seguintes palavras empregadas pela Sagrada Escritura: “Monte Sião”, “Casa de Deus”, “Cidade de Deus”, “Esposa do Cordeiro”, a “Nova Jerusalém” são todas metáforas para a Igreja que Jesus comprou com o Seu próprio Sangue (Atos 20,28).
      III. A Igreja é Hierárquica
      Mateus 16,18; 18,18 – Jesus usa a palavra “ecclesia” apenas duas vezes nas Escrituras do Novo Testamento, o que demonstra que a intenção de Jesus é de uma Igreja visível, unificada, hierárquica e autoritária.
      Atos 20,17.28 – Paulo refere-se a ambos, os anciãos ou sacerdotes (“presbyteroi”) e os bispos (“episkopoi”) da Igreja. Ambos são ordenados líderes, exercendo o sacerdócio ministerial de Cristo, dentro da estrutura hierárquica da Igreja.
      I Coríntios 12,28 – Deus mesmo aponta as várias posições de autoridade dentro da Igreja. Como um Pai amoroso, Deus dá aos Seus filhos a liberdade e autoridade para atuar com caridade e justiça para realizar Seu trabalho de salvação.
      Êxodo 18,24-26 – Moisés exerceu, com liberdade, a autoridade que tinha recebido de Deus para colocar chefes sobre o povo de Deus. Vemos uma grande hierarquia e, consequentemente, uma prefiguração da hierarquia da Igreja de Deus na Nova Aliança.
      Efésios 4,11 – A Igreja é hierárquica e incluem-se apóstolos, profetas, evangelistas, pastores, e doutores, todos encarregados à construção do Corpo de Cristo a Igreja. A Igreja não é uma entidade invisível dentro de uma fundação invisível, exercendo atos invisíveis.
      Filipenses 1,1 – Paulo endereça os bispos e os diáconos da Igreja. Eles todos podem seguir sua inquebrantável linhagem de volta até aos Apóstolos.
      I Timóteo 3,1; Tito 1,7 – A Igreja de Cristo tem bispos (“episkopoi”) que são sucessores diretos dos Apóstolos. Os bispos podem seguir a autoridade conferida neles de volta até aos Apóstolos.
      I Timóteo 5,17; Tito 1,5; Tiago 5,14 – A Igreja de Cristo também tem presbíteros (“presbyteroi”) que estão sob a autoridade dos bispos.
      I Timóteo 3,8 – A Igreja de Cristo também têm diáconos (“diakonoi”). Assim, a Igreja de Jesus Cristo têm uma autoridade hierárquica – bispos, presbíteros e diáconos, todos eles podem seguir sua linhagem de volta até Pedro e os Apóstolos.
      CIC, §179 – «Por que Cristo instituiu a hierarquia eclesiástica? – Cristo instituiu a hierarquia eclesiástica com a missão de apascentar o povo de Deus no seu nome, e por isso lhe deu autoridade. Ela é formada pelos ministros sagrados: bispos, presbíteros, diáconos. Graças ao sacramento da Ordem, os bispos e os presbíteros agem, no exercício de seu ministério, em nome e na pessoa de Cristo Cabeça; os diáconos servem o povo de Deus na diaconia (serviço) da palavra, da liturgia, da caridade.»
      Êxodos 28,1; 19,6 – Mostra os três ofícios sacerdotais do Antigo Testamento; (1) Sumo sacerdote – Aarão (Ex 28,1); (2) Sacerdotes ministeriais – filhos de Aarão (Ex 19,6; 28,1); e (3) Sacerdotes universais – todos os israelitas (Ex 19,6). O sacerdócio do Novo Testamento também possui três ofícios: (1) Sumo Sacerdote – Jesus Cristo (Heb 3,1); (2) Sacerdotes ministeriais – os bispos e sacerdotes ordenados (Rom 15,16; I Tim 3,1.8; 5,17; Tito 1,7); e (3) Sacerdotes universais – todos os cristão batizados (I Pd 2,5.9; Ap 1,6).
      C.CIC, 325-326 – «De quantos graus se compõe o sacramento da Ordem? – Compõe-se de três graus, que são insubstituíveis para a estrutura orgânica da Igreja: o episcopado, o presbiterado e o diaconato.»

    • Igreja Católica Biblicamente.

      Umas das maiores heresias protestante é o sofismo esquizofrênico de perguntar onde está escrita Igreja Católica Apostólica Romana dentro da Bíblia? A primeira heresia é perguntar onde está escrita na Bíblia; até porque a própria Bíblia diz não conter tudo escrito e a Biblia diz que a coluna que sustenta a verdade é a Igreja e não a Bíblia (I Timóteo 3-15), também porque foi a igreja quem edificou a Bíblia e não a Bíblia quem edificou a Igreja, no caso a Bíblia sim tem que estar totalmente de acordo com os ensinamentos da Santa Igreja que
      foi o seu criador, já a Igreja não tem a necessidade de se submeter apenas ao que está escrito na Bíblia.
      Todos os ensinamentos da Santa Igreja Católica possuem respaldos Bíblicos, mesmo sabendo que os ensinamentos da Igreja não precisam estar diretamente relacionados com o que está escrito na Bíblia, pode estar relacionada a Santa Tradição ou pode ser uma revelações futuras da parte de Deus para sua Igreja, pois todos nós sabemos que Deus não se calou com a humanidade, ele continua orientando sua Igreja apesar de alguns rebelados acharem que o cristianismo morreu no século I com a morte de São João e Deus se calou com a humanidade, mas nós Católicos sabemos que o cristianismo na verdade nasceu no século I.
      Mas vamos voltar ao assunto, como podemos encontrar o nome da única Igreja de Jesus Cristo na Bíblia? Vamos lá:
      1º) O por que se chama Igreja Católica?
      Porque era o nome dado pelos Apostolo a união Apostólica segundo a sua fé universal em Jesus Cristo Nosso Senhor, em (hebreus 12-23) podemos observar que o autor escreve exatamente isso, ele chama a Igreja de (Assembléia Universal) para os protestantes que não sabem os significados das palavras, assembléia universal e o mesmo que Igreja Católica.
      Hebreus 12
      23 à universal assembléia e igreja dos primogênitos inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;
      Assembléia = Igreja
      Universal = Católica
      Sendo assim sabemos que desde o século I a Igreja era conhecida por Igreja Católica.
      2º) O por que ser chamada Apostólica?
      Essa é bem simples, em Efésios São Paulo explica que a Igreja onde Jesus Cristo é a cabeça, está edificada sobre os fundamentos Apostólicos.
      Efésios 2
      19. Conseqüentemente, já não sois hóspedes nem peregrinos, mas sois concidadãos dos santos e membros da família de Deus,
      20. edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, tendo por pedra angular o próprio Cristo Jesus.
      21. É nele que todo edifício, harmonicamente disposto, se levanta até formar um templo santo no Senhor.
      22. É nele que também vós outros entrais conjuntamente, pelo Espírito, na estrutura do edifício que se torna a habitação de Deus.
      3º) O por que a Igreja Católica Apostólica é chamada de Romana?
      Nesse ponto todos os protestantes querem pegar os Católicos e tentar deixá-los sem respostas com argumentos chulos como: (a Igreja de Cristo nasceu em Jerusalém e não em Roma) ou argumentos como: (Jesus era judeu e não Romano), e assim eles ficam perdidos nessas esquizofrenias protestantes, mas a Bíblia que por sinal é a única fonte de fé deles afirma claramente que o reino de Deus foi retirado de Jerusalém e dado aos Romanos para que Roma produzisse frutos desse Reino.
      Aqui Jesus retira o reino de Jerusalém:
      Mateus 21
      42. Jesus acrescentou: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor, e é admirável aos nossos olhos (Sl 117,22)?
      43. Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele.
      Aqui São Paulo explica que o reino foi dado aos Romanos:
      Romanos 11
      17. Se alguns dos ramos foram cortados, e se tu, oliveira selvagem(ROMANOS), foste enxertada em seu lugar(JUDEUS) e agora recebes seiva da raiz da oliveira,
      Esse texto São Paulo envia para a Igreja Romana, parece meio confuso, mas eu vou esclarecer para vocês; no texto de (Mateus 21-43), Jesus Cristo retirar o reino de Jerusalém e promete dar a um outro povo, já no texto de (Romanos 11) São Paulo faz uma alegoria de duas oliveiras, uma original (JUDEUS) e outra selvagem (ROMANOS), ele diz que a oliveira original foi cordada seus ramos, sobrando apenas alguns, e que em seu lugar foste enxertada a oliveira SELVAGEM que seria o povo Romano e que desde então esse povo passaria a receber a seiva da raiz, essa raiz que São Paulo cita se chama ABRAÃO, nas sua carta aos (Gálatas capitulo 3,16) ele diz que a promessa de Deus foi feita de (ABRAÃO a Jesus Cristo), ou seja, Abraão é a raiz da oliveira original no qual desde que fostes retirado o reino de Jerusalém ROMA recebeu esse reino sendo enxertada no lugar da oliveira original e assim passou a receber a seiva da raiz, onde nós Católicos Romanos que somos os descendente de Abraão o Pai da fé.
      Só para terminar esse assunto, São Paulo termina sua carta aos Romanos escrevendo e deixando registrado um oráculo que em nenhuma outra carta ele deixa registrado, uma profecia que só está prometida para Igreja ROMANA à única de Jesus Cristo :
      Romanos 16
      19. A vossa obediência se tornou notória em toda parte, razão por que eu me alegro a vosso respeito. Mas quero que sejais prudentes no tocante ao bem, e simples no tocante ao mal.
      20. O Deus da paz em breve não tardará a esmagar Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja convosco!
      Preste bem a atenção nessa profecia, nenhuma outra comunidade recebeu um oráculo desses, “o Deus da paz não tardará em esmagar satanás debaixo dos pés dos romanos”.
      Por isso somos a única Igreja de Cristo e por sinal de todas as igrejas no qual São Paulo escreveu suas cartas, hoje é a única que não perdeu terreno para o islamismo, o protestante que tem conhecimento dessas particularidades Bíblicas e não se converte ao Catolicismo está cometendo o pior sacrilégio de sua vida, não haverá conversão no dia do Juízo, o momento é agora.

          • Emanuelle,

            O problema não perseguir igreja, tal é uma ficção jurídica.

            O problema é perseguir um ser humano, tal é uma alma pela qual Cristo morreu.

            Cristo não morreu por igreja, portanto essa historinha de igreja católica perseguida por causa de Cristo é balela, seja por conta do que acima apregoei, seja pelo fato de que, em verdade, a perseguidora mor do mundo foi a igreja católica, foi ela quem criou esse estado de coisas, foi ela que desestabilizou o mundo sob a égide de querer ser a única, a poderosa, a que manda em tudo.

            Tal postura católica de mandatária do mundo nos remete à passagem bíblica, “de que adianta ganhar o mundo inteiro mas perder a salvação?” Vocês, irmãos separados, ganharam poder, juntaram em seus cofres dinheiro, enfrentaram os reinos, mas usou meios não autorizados por Cristo, qual seja, o de impingir ao próximo a morte em face de descumprir os seus ditames;

            Cristo sofreu homicídio, minha cara, tendo em suas mãos somente o seu sangue espirrado na cruz, só o seu sangue, ou seja, em suas mãos santas não foi encontrado o sangue de nenhum ser humano, mesmo que seja mal tal pessoa, mesmo que tenha feito grande perversidade com Ele, mesmo dos que os mataram. Só o sangue dele, mãos limpas, mãos santas, diferente, lamenta-se, da tua igreja, embebedada com o sangue de inocentes, do próximo, do bom e do mal, do perverso e santo, ou que mãos sujas.

          • Luciano,
            Eu sei que vc gosta de mim, eu tb sinto uma empatia por vc. Voltei a comentar porque te encontrei aqui. Não vou me calar, podes crer, rsrs.

  13. o ser humano e sua mania de querer ser o correto em tudo. Todos perseguiram a todos em algum momento. Muita coisa mudou, também porque muitas descobertas põe tradições e costumes em foco. O que se acreditava como verdade absoluta já não é mais.

  14. QUE TAL TAMBÉM PEDIR AOS EVANJEGUES PARA DEIXAREM DE PRESTAR CULTOS DE ADORAÇÃO À VASSOURAS UNGIDAS, LENCINHOS DE SUOR UNGIDOS,PEDRINHAS DA TERRA SANTA UNGIDAS, CANETAS UNGIDAS, CHAVES DA PROSPERIDADE, PERFUME DE CRISTO,VALE DO SAL GROSSO, SPRAY ANTI-CAPETA,SABONETES UNGIDOS,ROSAS UNGIDAS,FOGUEIRA $ANTA, CARNÊ DA MULTIPLICAÇÃO, TRÍZIMO, E SOBRETUDO O CULTO AO DINHEIRO, AOS CARGOS POLÍTICOS, AO PODER E A DIZIMOLATRIA.

  15. Tudo na vida espiritual do ser humano começa com o arrependimento,pois o arrependimento é o reconhecimento de algo que foi de forma incorreta,sendo ele o líder maior da igreja católica,que sempre foi conduzida de forma errada,quem sabe talvez seja ele,aquele que venha,a dar inicio, a um novo tempo a igreja,que tem como alvo o reino dos céus,pode ser o primeiro líder maior a influenciar a igreja católica em prol da verdade bíblica,porque para mim,o conhecimento e pratica das verdades bíblicas,nos levará a salvação,e quantos mais aceitar estas verdades,o nosso Senhor Jesus Cristo,não rejeitará a nenhum destes arrependidos,como sabemos nada ficará encoberto,mais cedo ou mais tarde virá a luz,para que todos tenham oportunidade de se arrepender e aceitar o nosso Senhor Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador.

    OBS: Não devemos nos deixar levar simplesmente por palavras,mas também por atitudes e obras, que são os frutos do arrependimento,as palavras,a conduta e seus ensinamentos serão o testemunho do seu arrependimento,e a comprovação de aceitação do nosso Senhor Jesus Cristo como seu único e suficiente salvador,então será um exemplo a ser seguido,até lá aguardaremos,tudo no tempo de DEUS.

  16. “EM VÃO ME ADORAM(JESUS CRISTO – ÚNICO SALVADOR), ENSINANDO(ROMA PAPAL E SUAS FILHAS IGREJAS EVANGÉLICAS) DOUTRINAS QUE SÃO PRECEITOS DE HOMENS(MANDAMENTOS INVENTADOS PELO HOMEM – A GUARDA DO DOMINGO).” MATEUS 15:9

  17. ” E ADORÁ-LA-ÃO (ROMA PAPAL – PRIMEIRA BESTA DO APOCALIPSE)TODOS OS QUE HABITAM SOBRE A TERRA, AQUELES CUJOS NOMES NÃO FORAM ESCRITOS NO LIVRO DA VIDA VIDA DO CORDEIRO(JESUS CRISTO – ÚNICO SALVADOR) QUE FOI MORTO DESDE A FUNDAÇÃO DO MUNDO.” APOCALIPSE 13:8

    • Emanuelle
      O pai da mentira é o diabo, João 8:44. Todo aquele que mente é como se tivesse chamando de pai o “próprio” diabo.
      Crente em Jesus (protestante), nunca matou alguém pela fé em Jesus, e se assim o fizesse, estaria negando o Salvador.
      Não foi o caso do catolicismo antigo, eles mataram…mas a culpa não é dos atuais, mas dos inquisidores da idade média.

      • Realmente: o pior cego é aquele que não quer enxergar. Como éTRISTE o VÍCIO de MENTIR.

        O ÓDIO que o senhor tem contra a IGREJA CATÓLICA é que o mantém vivo… mas do JUÍZO de Deus o senhor NÃO ESCAPARÁ: “Porquanto, todos nós teremos de comparecer manifestamente perante o tribunal de Cristo, a fim de que cada um receba a retribuição do que tiver feito durante a sua vida no corpo, seja para o bem, seja para o mal” (2 Cor 5, 10).

        Vocês conseguem TOLOS para as suas SEITAS através da CALÚNIA… a religião de vocês é a LÍNGUA e a “Doutrina” é a CALÚNIA.
        o DIABO é aquele a quem vocês adoram.

  18. “O papado é exatamente o que a profecia declarou que havia de ser; a apostasia dos últimos tempos (II Tessalonicenses 2:3-4). Faz parte de sua política assumir o caráter que melhor cumpra o seu propósito; mas sob a aparência variável do camaleão, oculta o invariável veneno da serpente.”

  19. Uma igreja que proclamam ser padroeira do Brasil, aquela boneca feiosa maria-aparecida, achada no fundo do rio paraíba do sul no ano de 1.718? O que esperar desse ídolo?
    Diz a bíblia. “Mas o nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou.
    Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens.
    Têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem.
    Têm ouvidos, mas não ouvem; narizes têm, mas não cheiram.
    Têm mãos, mas não apalpam; pés têm, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta.
    A eles se tornem semelhantes os que os fazem, assim como todos os que neles confiam”
    Salmos 115:3-8.
    Quem gostaria de se tornar uma coisa tão ruim assim?

  20. agora SÓ falta os evanjegues pedirem perdão aos católicos pela inquisição protestante, pedir perdão aos umbandistas pela atroz perseguição, aos espíritas pela constante difamação, a todos os credos por maledicências e sobretudo PEDIR PERDÃO A DEUS PELO CONSTANTE JULGAMENTO QUE SUBMETEM A HUMANIDADE.

    • Janete,

      Até ovelha, quando castigada berra. Aí você queria que os agentes passivos das perversidades de tua igreja sequer reagisse, mínimo que foi.

      Você deve seguir seu pastor, o papa, porquanto deixar de tentar trazer pra si a condição de vítima, vitima são os credos diversos perseguidos por tua igreja.

      • QUE TAL TAMBÉM PEDIR AOS EVANJEGUES PARA DEIXAREM DE PRESTAR CULTOS DE ADORAÇÃO À VASSOURAS UNGIDAS, LENCINHOS DE SUOR UNGIDOS,PEDRINHAS DA TERRA SANTA UNGIDAS, CANETAS UNGIDAS, CHAVES DA PROSPERIDADE, PERFUME DE CRISTO,VALE DO SAL GROSSO, SPRAY ANTI-CAPETA,SABONETES UNGIDOS,ROSAS UNGIDAS,FOGUEIRA $ANTA, CARNÊ DA MULTIPLICAÇÃO, TRÍZIMO, E SOBRETUDO O CULTO AO DINHEIRO, AOS CARGOS POLÍTICOS, AO PODER E A DIZIMOLATRIA.

        • Maior praticantes que vocês católicos, evidente que não, minha cara;

          Mas os evangélicos não adoram, apenas possuem como uma referência, como o foi a estátua da cobra do deserto para os judeus,

          Nunca a bíblia fez menção dos judeus se ajoelhando para a cobra, fazendo orações pedindo a cobra, apenas olhavam, e isso bastava pra curar.

    • Pedir perdão a católicos como? Qual o protestante já matou algum católico pela fé nos bonecos de barro? Apenas avisamos aos idólatras que a idolatria é uma grande ingratidão para com Jesus.

        • O que sei, os protestante sempre se defenderam dos católicos, fugindo da perseguição, nada de briga. Até hoje, lutamos pela palavra de Deus, para que o evangelho seja pregado, tendo a Jesus como único Salvador, sem os ídolos, mas nunca lutar contra seres humanos, quem conhece a Jesus, luta pela vida e busca a paz.

  21. O Papa, pedir perdão aos protestantes, por erros de séculos atrás, acho nisso tudo uma bobagem, os atuais líderes da igreja romana, não cometeram os crimes. Portanto, não deve pagar por erros dos outros.
    Uma coisa o Papa, deveria fazer: Deixar os bonecos de barro e adorar somente a Deus.
    Deixar de dizer, que Maria, é medianeira, isso é mentira… Mediador só Jesus, 1 Timóteo 2:5.
    Deixar de dizer, “santa maria mãe de Deus” Deus, não tem mãe, quem criou a Maria, foi Deus, como pode o Criador, ser filho de quem Ele a fez?
    Será que com esse gesto, pedir perdão, não tá querendo dizer que é bonzinho?
    Papa, e seus auxiliares, preguem em nome do único que pode salvar o homem da perdição, seu nome é Jesus…Não pensem que com os elogios dado a Maria, Deus, irá se compadecer de vocês.
    Só Jesus, tem o poder, Ele depois de haver ressuscitado, disse: “É-me dado todo o poder no céu e na terra” Mateus 28:18

    • agora SÓ falta os evanjegues pedirem perdão aos católicos pela inquisição protestante, pedir perdão aos umbandistas pela atroz perseguição, aos espíritas pela constante difamação, a todos os credos por maledicências e sobretudo PEDIR PERDÃO A DEUS PELO CONSTANTE JULGAMENTO QUE SUBMETEM A HUMANIDADE.

      • Nós os crentes em Jesus (protestantes), não perseguimos a ninguém e nem mesmo a você, mas mostramos a todos na palavra de Deus.
        Não há salvação em Maria, Pastor, Papa, Bispo ou Padre, mas só e unicamente em Jesus, Atos 4:12.

          • Janete diz: “SOU PROTESTANTE” que desgraça é essa, se diz protestante, e fica a brigar com aqueles que pregam e têm a Jesus, como seu Salvador?
            Se vc é viadão, aí sim, tá explicado.

          • QUE TAL TAMBÉM PEDIR AOS EVANJEGUES PARA DEIXAREM DE PRESTAR CULTOS DE ADORAÇÃO À VASSOURAS UNGIDAS, LENCINHOS DE SUOR UNGIDOS,PEDRINHAS DA TERRA SANTA UNGIDAS, CANETAS UNGIDAS, CHAVES DA PROSPERIDADE, PERFUME DE CRISTO,VALE DO SAL GROSSO, SPRAY ANTI-CAPETA,SABONETES UNGIDOS,ROSAS UNGIDAS,FOGUEIRA $ANTA, CARNÊ DA MULTIPLICAÇÃO, TRÍZIMO, E SOBRETUDO O CULTO AO DINHEIRO, AOS CARGOS POLÍTICOS, AO PODER E A DIZIMOLATRIA.

  22. ESTOU AGUARDANDO OS COMENTÁRIOS DOS DEFENSORES CATÓLICOS,PARA DESMENTIR O QUE TENHO DITO A MUITO TEMPO,FOI PRECISO PRÓPRIO PAPA ABRIR OS OLHOS DE VOCÊS,PARA TEREM CERTEZA QUE SEMPRE ESTIVERAM ERRADOS. ESTOU AGUARDANDO A OU EMANUELLE A OU O DISSIMULADA(O),E OS DEMAIS NOMES QUE SE TEM,O LOPES BOCA DE VASO SANITÁRIO DE RODOVIÁRIA, A OU JANETE E TODOS OS DEFENSORES DO CASO PERDIDO.AGUARDO OS VOSSOS COMENTÁRIOS, SE POSSÍVEL COM COM URGÊNCIA.

    • É…depois que o Lopes, disse que preferia a santa madre Tereza de Calcutá, Nada contra a saudoso velhinha, mas por causa da possível canonização dela, (mais um ídolo), escrevi “santa” madre Tereza de Qual-cu-tá, nunca mais ele apareceu por aqui, sumiu…

    • agora SÓ falta os evanjegues pedirem perdão aos católicos pela inquisição protestante, pedir perdão aos umbandistas pela atroz perseguição, aos espíritas pela constante difamação, a todos os credos por maledicências e sobretudo PEDIR PERDÃO A DEUS PELO CONSTANTE JULGAMENTO QUE SUBMETEM A HUMANIDADE.

      • Janete ou seja lá quem for, e a todos os católicos,eu e todos os que são evangélicos,temos um mestre um líder ao qual seguimos,JESUS CRISTO O FILHO DO DEUS VIVO, QUE SOMENTE ATRAVÉS DELE TEREMOS SALVAÇÃO,o qual devemos ser fiel aos seus ensinamentos. Quanto a vocês católicos, que tem como MESTRE E SALVADOR O PAPA,E QUE TEM AS IMAGENS COMO SEUS INTERCESSORES,DEVEM SER FIEL AS PALAVRAS DO SEU PAPA SEM CONTESTA-LO,PORQUE SE VOCÊ DISCORDAR DELE VOCÊ SERÁ EXCOMUNGADA,E VAI PENAR NO PURGATÓRIO,E SE NÃO PAGAR UMA BOA GRANA,VAI VIRAR ALMA PENADA,acate caladinha as palavras do seu senhor o papa,porque já sabe o que vai lhe acontecer depois não diga que eu não ti avisei.

        obs: Com certeza,vocês católicos,não estão aceitando o papa Francisco,porque começou a falar verdade,mas vocês preferem viver no mudo da mentira e do engano,agora estão mais perdidos que cachorro que caiu do caminhão de mudança,mas não foi falta de aviso,foi a cegueira espiritual tamanha de vocês que não permitiu que vissem a verdade tão perto de vocês.

        • QUE TAL TAMBÉM PEDIR AOS EVANJEGUES PARA DEIXAREM DE PRESTAR CULTOS DE ADORAÇÃO À VASSOURAS UNGIDAS, LENCINHOS DE SUOR UNGIDOS,PEDRINHAS DA TERRA SANTA UNGIDAS, CANETAS UNGIDAS, CHAVES DA PROSPERIDADE, PERFUME DE CRISTO,VALE DO SAL GROSSO, SPRAY ANTI-CAPETA,SABONETES UNGIDOS,ROSAS UNGIDAS,FOGUEIRA $ANTA, CARNÊ DA MULTIPLICAÇÃO, TRÍZIMO, E SOBRETUDO O CULTO AO DINHEIRO, AOS CARGOS POLÍTICOS, AO PODER E A DIZIMOLATRIA.

          • Janete,vou lhe repetir o que sempre digo e afirmo,A BÍBLIA É O MEU MANUAL DE FÉ E PRATICA,FORA DELA NÃO CONTE COMIGO, sou contrário a toda e qualquer denominação, que use qualquer que seja o meio,para levar o pecador a igreja do Senhor Jesus Cristo,que não seja a sua palavra em primeiro lugar, se não aceitar,não receberá nenhuma motivação que não seja a salvação,pois Ele,nos falou para pregar o evangelho,e não oferecer qualquer coisa como pretexto para que as pessoas,pude-sem aceita-lo, é buscar a Cristo,para que tenha a sua salvação,não interessa o nome da denominação,o Senhor quer,que o procure por amor a ele não pelas coisas que ele pode nos favorecer.
            Mateus 6:33 – Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

            Porque se não for assim, será,desta outra forma,as pessoas vão as igrejas não por Cristo mas por aquilo que eles querem,receber, se interessam somente pela benção, mas desprezam por completo o abençoador, estes receberão os seus galardões aqui na terra, não lhe restando,nada para que possa entrar no reino dos céus. Ao invés de procurar a Cristo passou seu tempo procurando bens materiais,para usufruir em sua vida,e acreditando com isto também comprar a sua salvação.
            2 Timóteo 3: 13 Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.

  23. Se todo católico fosse um iluminado como esse papa é, já seria um grande passo para a paz no mundo.

    Os muçulmanos precisam saber que a doutrina mediante a força, tal não se traduz como ato urbano, sendo que a igreja católica, ela própria, arrepende-se desta hegemonia forçada. Matar pessoas para forçar os demais seguir o que eu sigo? Isto não é de Deus.

  24. …EM NOME DE JESUS ENSINE AO POVO QUE SUA IGREJA ENSINA IDOLATRIA E FACA COMO MOISES E OUTROS, DESTRUA ESTE BAAL DAGOM ASTAROTE AZERA E PREGE A SALVACAO SO NO SANGUE DE JESUS QUE TIRA O PECADO E SEU ESPIRITO NOS GUIA A DEUS!

DEIXE UMA RESPOSTA