Pastores deixam coalizão evangélica após encobertarem caso de colega que abusou sexualmente de crianças

2

O pastor Nathaniel Morales, de 56 anos, integrante de uma importante coalizão evangélica nos Estados Unidos admitiu ter praticado abusos sexuais contra crianças durante os anos 1983 e 1991, e foi condenado pelos crimes na última quinta-feira, 15 de maio.

No entanto, a revelação do crime expôs a conduta de outros dois pastores membros da coalização, e os forçou a abandonar o grupo. Segundo o Religion News Service, os pastores Joshua Harris e CJ Mahaney sabiam do que havia acontecido e não haviam tomado nenhuma atitude, encobertando o crime.

Mahaney e Harris já tiveram seus nomes removidos do site da The Gospel Coalition, entidade que reúne grandes líderes evangélicos norte-americanos, como o pastor Al Mohler, presidente do Seminário Teológico Batista do Sul; Tim Keller, pastor da Igreja Presbiteriana Redentor, em Nova York; e Mark Dever, pastor da Igreja Batista Capitol Hill, em Washington, DC.

A assessoria de imprensa da coalizão afirmou que não vai comentar o assunto, e que a tentativa de diálogo com os dois pastores que deixaram o grupo não deram resultado.


No último domingo, o próprio Harris comentou o caso, chorando, durante o culto da igreja que dirige: “Temos uma política de tolerância zero em relação ao abuso, de qualquer tipo”, disse o pastor, que deu liberdade à igreja para decidir se ele deveria ser afastado até o esclarecimento completo dos fatos. Já o pastor CJ Mahaney optou pelo silêncio sobre o caso.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA