Príncipe Charles diz que “ora fervorosamente” pelos 150 milhões de cristãos perseguidos no mundo

7

A perseguição religiosa contra cristãos atinge 150 milhões de fiéis ao redor do mundo, segundo revelou um estudo francês coordenado pelo jornalista Samuel Lieven.

O trabalho resultou na publicação do Livro Negro da Situação dos Cristãos no Mundo. O projeto descobriu ainda que 80% das pessoas que sofrem perseguição religiosa no planeta são cristãs.

Anualmente, 100 mil cristãos são mortos em média por não abandonarem sua fé. Esse número significa que a cada minuto, cinco fiéis perdem a vida por seguirem a Jesus Cristo, de acordo com informações da Epoch Times.

Diante do genocídio de cristãos ao redor do mundo, o príncipe Charles – primeiro na linha de sucessão da rainha Elizabeth II – afirmou que tem orado fervorosamente em favor dos cristãos perseguidos.


Durante uma visita à Igreja Ortodoxa Siríaca de Londres, Charles contou que tem estado em contato com comunidades cristãs com relação próxima com os perseguidos pela causa de Cristo, segundo informações do Christian Post.

“Esta é a terceira visita que faço nas últimas semanas a igrejas cujas congregações têm a experiência da perseguição desumana e destruidora de almas. Neste tempo de Advento, uma época de celebração, é de partir o coração profundamente que muitos cristãos sejam perseguidos por sua fé”, afirmou o Príncipe de Gales.

O herdeiro do trono do Reino Unido afirmou que além das orações, tem feito esforços diplomáticos para pôr um fim à perseguição religiosa.

“Por mais de 20 anos eu tento construir pontes entre pessoas de diferentes crenças e apelar para uma maior compreensão, por uma maior tolerância e para a harmonia entre as grandes religiões do mundo. Num momento em que tão pouco é considerado sagrado, é literalmente diabólico que essas pontes simbólicas estejam sendo destruídas”, lamentou o príncipe.

Ao final de sua fala, o príncipe Charles lembrou as palavras do apóstolo Paulo na segunda carta a Coríntios: “De todos os lados somos pressionados, mas não desanimados; ficamos perplexos, mas não desesperados; somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos. Trazemos sempre em nosso corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus também seja revelada em nosso corpo”.

7 COMENTÁRIOS

  1. Príncipe,

    O teatro dessa discussão é a ONU.

    Diante disso, importa que a rainha e o primeiro ministro inglês junto com sua pessoa exerçam o poder e a autoridade junto a essa instituição com vistas a estabelecer penalidades aos países que permitem tais perseguições, boicotando-os comercialmente, financeiramente e doutros modos.

      • Precisa executar as normas internacionais, principalmente quando os direitos básicos do ser humano não estão sendo objeto de respeito.

        O direito ao culto é um deles, de se expressar também.

        Não se vê uma linha de manifestação da ONU contra essa postura dos intransigentes,

        Que sejam demitidos todos esses que se dizem servidores de tal instituição, bem como retirado o seu presidente face a clara e evidente omissão.

        • É que DEUS é da paz e o mundo clama por paz e paz.Guerra só mesmo após
          acabar os acordos diplomáticos e em legítima defesa.Guerra não é de DEUS e
          é a pior coisa do mundo.Viva a cultura da paz com JESUS e seu evangelho social e não do fanatismo e muito menos da exclusão.DEUS não faz acepção de pessoas como acreditam os fariseus que se acham santos dos santos e salvos.Estes iludidos e pretenciosos.JESUS nuncarejeitou ninguém,só os fariseus foram rejeitados.É só ler na Bíblia.

    • janio
      É verdade, eles escolheram a fé inteligente, e por isto mesmo expatriaram milhares de pessoas que receberam o batismo com o Espirito Santo, e graças aos ingleses hoje existe os Estados Unidos. estes sim patriarcas de direitos civis.

  2. olha acho que ninguém deve ser perseguido , mas os gay acham que são so eles , que são vitimas , vejam os dados , sera que eles vão lutar pelos cristão perseguidos duvido .

DEIXE UMA RESPOSTA