Destaque

Saiba como chegar ao Louvorzão 2009 da MK

Comments (3)
  1. Paulo disse:

    Reflitam nessa parte de excelente artigo sobre a liturgia na Igreja:
    Os dias em que vivemos são dias maus para a Igreja. Estamos, de forma generalizada, correndo a passos largos no culto que desagrada a Deus e satisfaz o coração do homem. As emoções e o pragmatismo teatral e administrativo tomaram conta das igrejas. A comunhão dos santos nos dias de hoje, mais do que nunca está transformada num grande “buffet” gospel .

    As igrejas são, na sua maioria, salões festivos, convidativos, iluminados, ornamentados, enfim, os esforços criativos das lideranças evangélicas para atrair as pessoas aos templos são imensuráveis. O entusiasmo, o fanatismo e o marketing mundano imperam. A ordem do dia é inovar, enquanto o preceito bíblico é ser fiel às Escrituras.O Sola Scriptura está cada vez mais diluído em coquetéis pragmáticos e mundanos na grande festa de babel das igrejas modernas. Os oficiais eclesiásticos quando deveriam ser os guardiões da Palavra se transformaram em efeminados recepcionistas do grande “buffet” gospel .

    Os ministros quando deveriam defender a verdade e alimentar o rebanho focalizam suas forças em ministérios chamados “levíticos”, tornando-se ótimos anfitriões de “talk-show” (convenhamos, eles sabem animar a festa!).

    O que dizer dos jovens e adolescentes? Amantes das luzes, da fumaça, do barulho, das festas, do exibicionismo e do entusiasmo, não sabem discernir verdades de heresias, fidelidade doutrinária de apostasia, ovelhas de lobos. Fala-se muito em adoração, mas será adoração em espírito e em verdade?

    Como não poderia deixar de ser, o cardápio do grande bufê gospel não poderia ser outro: carne. A carnalidade impera no lugar dos elementos fundamentais do culto público e solene. Heber Campos diz que “a perda da reverência e do santo temor é patente nos movimentos modernos de liturgia. Muitos adoradores não têm em sua adoração o senso de santa reverência por aquele a quem adoram”. Podemos concluir dizendo que as inovações litúrgicas são tão cheias de irreverência e criatividade que perdem em solenidade até para as reuniões seculares. Os adoradores profanos e blasfemos estão tratando Deus como se Ele fosse um mero mortal como eles. Precisamos urgentemente reformar a liturgia do culto público, precisamos resgatar com coragem princípios que verdadeiramente regulem o culto ao Santo Deus, a fim de que não sejamos consumidos pelo Fogo Consumidor.

  2. claudia januaria de oliveira do nascimento disse:

    a paz do senhor ! eu fui no evendo da 93;3amei foi uma bençao ,todos os cantores principalmente da fernanda brum ,ela é uma bençao que deus abençoe vcs da 93 fuiiii beijos

  3. Ivone Boechat disse:

    Ministro de música

    1. Toda pessoa tem sagrado o direito de frequentar os cultos e atividades da igreja e de sentir muito feliz, sereno, confortado, em qualquer idade.

    2. O ouvido tem alta sensibilidade e suporta confortavelmente, por uma, duas horas, no máximo, 50 decibéis. Passou disso, além do mal que faz à saúde, incomoda muito.

    3. Todo instrumento pode ser usado no louvor, mesmo sabendo que há aqueles próprios para o culto.

    4. Culto não é show.

    5. Não existe hino ou música velhos.

    6. É preciso selecionar hinos próprios para cada ocasião, com mensagem, poesia, melodia, harmonia, ritmo. Ritmos assincrônicos desorganizam a química cerebral. Derrubam pessoas e até muros. Josué 6:20 Juízes 7:18

    7. Fundo musical durante o culto não pode interferir, desconcentrar, incomodar; use-o com muita inteligência. Ninguém suporta um teclado dedilhado pra lá e pra cá, aleatoriamente. Se for um hino próprio para a ocasião, baixinho, tudo bem, mas notas soltas…nem pensar.

    8- A música tem o poder de mobilizar as estruturas mentais.

    9- Culto animado não é sinônimo de barulho. Reverência, participação, adoração, comunhão, consagração, dedicação, apontam para o equilíbrio. O templo não é um lugar sombrio, triste, com silêncio sepulcral, é um espaço de alegria, louvor, transformação, decisões.

    10- Se você faz parte da equipe de músicos, nunca fique se distraindo e brincando com os instrumentos no altar, após o culto.

    “E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensinava-os a entoá-lo, porque era entendido nisso.” 1º livro de Crônicas 15.22.

    Ivone Boechat

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *