Número 1 no tênis, Serena Williams usa fé como arma secreta e agradece a Deus pelo sucesso

2

A tenista Serena Williams, 33 anos, foi campeã do Torneio de Wimbledon no último sábado, 11 de julho, ao derrotar a espanhola Garbiñe Muguruza, e mais uma vez, destacou sua gratidão a Deus pelo sucesso no esporte. A norte-americana agora tem 25 títulos nos torneios de Grand-Slam.

Número 1 no ranking mundial feminino, Serena fez carreira deixando como marcas sua velocidade e vontade implacáveis, e sempre destacou a importância de sua fé.

Testemunha de Jeová, ela quebra algumas das recomendações doutrinárias da denominação, que não vê com bons olhos a ideia de participar de competições esportivas, pois entende que isso promove o patriotismo, a violência e a fama, coisas que devem ser evitadas pelos membros da igreja.

De acordo com o Religion News Service, Serena Williams usa sua fé como “arma secreta” no esporte, uma força e perseverança extra.


Sua irmã, Venus, também tenista e ex-número 1 do mundo, também é cristã, mas adota uma postura diferente quanto à fé na hora de competir e conceder entrevistas.

Mas Serena Williams não se importa com as diferenças entre ela e sua irmã, ou entre ela e as recomendações doutrinárias de sua denominação. “Eu tenho que agradecer ao Deus Jeová por isso”, disse Serena Williams à multidão depois de receber o troféu do Aberto da Austrália em janeiro deste ano, sua sexta vitória no torneio.

“Eu estava para baixo e deslocada, e Ele me ajudou hoje e eu só fiz orações, não para ganhar, mas para ser forte e ser saudável e, no final, eu fui capaz de passar por isso e tenho de dar a glória a Ele em primeiro lugar”, acrescentou a tenista na ocasião.

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma pessoa pode aderir uma determinada fé, sem no entanto ser um praticante engajado, atuante 100%, como é o caso desta tenista, gosta do que faz profissionalmente apesar de ser recomendado que para alguém ser uma Testemunha de Jeová plena teria que se afastar totalmente do tipo de esporte que pratica visto que envolve constantes viagens e contato com o mundo da fama e destaque pessoal, ela terá que lutar com esse paradigma por muito tempo, talvez ela tenha determinado isso por um tempo. O livre arbítrio é algo inerente do ser humano, apesar de sua fé estar latente, ser diferente dos demais mas em determinado momento ele pode decidir melhor sobre sua atuação. Enquanto isso vamos apreciar o dom e a capacidade de desenvolver bem o que sabe fazer de melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA