Silas Malafaia, Marco Feliciano, Magno Malta e Sarney comentam polêmica com as notas de real: “Tenho pena de quem não acredita em Deus”

178

Após a ação movida pelo procurador federal Jefferson Aparecido Dias à Justiça Federal pedindo a retirada da frase “Deus seja louvado” nas cédulas da moeda nacional, as lideranças cristãs e políticos se pronunciaram com fortes críticas à representação.

A Redação do Gospel+ consultou o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) sobre o assunto, e obteve com exclusividade a antecipação do discurso que será feito por ele ainda hoje, 14/11, na Câmara dos Deputados.

Feliciano questiona se o “procurador já não tem preocupação com lides de maior importância” e afirma que “essa frase é tão abrangente que só não é relevante para menos de 2% (dois por cento), da população, manifestamente ateia”. O pastor pondera ainda que Jefferson Aparecido Dias não estaria “atinando para o fato de que em países aonde o respeito à individualidade do cidadão e a liberdade religiosa chega aos limites de extremos, ostentam frases semelhantes em suas cédulas e não temos conhecimento de ninguém que tenha se sentido ofendido a ponto de movimentar estruturas do Estado de tamanha relevância”.

O deputado Marco Feliciano afirmou ainda que apresentará projeto de lei para impedir qualquer iniciativa de retirada da frase “Deus Seja Louvado” das notas da moeda oficial do país: “Para por fim a essa polêmica, com constantes investidas desse Excelentíssimo Senhor Procurador da República, no sentido de retirar essa tradicional frase de nosso dinheiro, estou apresentando um Projeto de Lei, dispondo da obrigatoriedade da inscrição em nossas cédulas, dessa frase, e que, além do papel, a tenhamos gravada em nossos corações”.


O pastor Silas Malafaia afirmou, num vídeo publicado em seu site, que o procurador é o mesmo que aceitou e encaminhou uma denúncia de homofobia contra ele: “Eu to desconfiado que esse procurador não tem nada o que fazer. Eu acho que o procurador-geral da República tinha que arrumar um trabalho para esse cidadão”, disse o pastor Silas Malafaia.

Segundo o pastor Malafaia, “há uma tentativa de mudança do modelo judaico-cristão na sociedade ocidental para o modelo humanista-ateísta. A cultura de um povo não pode ser jogada no lixo por causa de alguém que tem uma convicção religiosa”, disse, lembrando: “E quem tá falando aqui é um pastor”.

Malafaia lembrou ainda que a Constituição Federal se apresenta como sendo elaborada “sob a proteção de Deus”, e que o procurador deveria propor também a mudança do nome de estados como Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo, além dos feriados católicos nacionais.

O senador Magno Malta se pronunciou sobre o assunto, e afirmou que recebeu a informação a respeito da ação com “tristeza e indignação”. Malta lembrou que a frase é uma “expressão de gratidão a Deus por todas as bênçãos recebidas no país que é um grande produtor, livre de guerras civis e catástrofes naturais”, e afirmou que pedirá explicações à procuradoria sobre o fundamento da ação judicial, pois apesar de o Estado brasileiro ser laico, o Brasil é um país formado por cristãos.

O presidente do Senado Federal, José Sarney, afirmou à agência de notícias da casa que considerava a iniciativa imprópria: “Eu acho que é uma falta do que fazer, porque, na realidade, precisamos cada vez mais ter a consciência da nossa gratidão a Deus por tudo o que ele fez por todos nós humanos e pela criação do universo. Nós não podemos jamais perder o dado espiritual. Eu tenho pena do homem que na face da terra não acredita em Deus”, disse.

O jornalista Reinaldo Azevedo, da revista Veja, ironizou a ação: “Volte e meia, tudo indica, o procurador Jefferson Aparecido Dias, do Ministério Público Federal, fica com síndrome de abstinência dos holofotes e decide, então, inventar uma causa para virar notícia. Aprendeu, com a experiência, que dar uns cascudos em Deus — nada menos — ou na fé de mais de 90% dos brasileiros, que são cristãos, rende-lhe bons dividendos”.

Azevedo foi contundente em seu comentário sobre a iniciativa e o procurador Dias

-Jefferson é um homem destemido. Não tem receio de demonstrar a sua brutal e profunda ignorância […]Como é que o doutor Jefferson tem o topete de evocar uma Constituição promulgada “sob a proteção de Deus” para banir das notas do real a expressão “Deus seja louvado”, sustentando que ela “impede a coexistência em condições igualitárias de todas as religiões”? Doutor Jefferson é macho o bastante (em sentido figurado, claro, como o emprega o povo) para dar início a um movimento para cassar Deus da Constituição? Ou, acovardado, ele se limita a perseguir crucifixos em repartições públicas e a expressão genérica da fé em cédulas de dinheiro? […]O nome disso é intolerância.

O pastor Ciro Zibordi, também em tom de ironia, criticou a iniciativa do procurador: “Ora, se a aludida frase incomoda tanto o MPF, bem como os ateístas, ativistas LGBTUVWXYZ e adeptos do laicismo, de modo geral, sugiro que eles façam propostas ou exigências mais amplas, além de requererem a exclusão dos ‘abomináveis’ dizeres contidos nas cédulas do real. Se o Estado é laico, como eles advogam, que não haja mais nenhum feriado ou comemoração religiosa no Brasil. Não seria bom para todos eliminar o calendário católico, em nome da laicização? Imagine o que aconteceria com o comércio, se não houvesse mais os dias de N.S. Aparecida, Páscoa, Finados e Natal”, pontuou.

Zibordi ainda questionou a relevância da iniciativa, e eventuais resultados práticos desse requerimento: “Ironias à parte, será que todo esse empenho em laicizar o Estado tornará o Brasil melhor? Será que a “relevante” conduta do MPF contribuirá para a diminuição dos índices de homicídio nas grandes cidades, melhorará a educação, a saúde pública e o trânsito, bem como tornará o nosso país mais civilizado?”.

Confira abaixo, a íntegra do vídeo publicado pelo pastor Silas Malafaia, onde ele discorre sobre o assunto:

Assine o Canal

Confira abaixo a íntegra do discurso do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP):

“DEUS SEJA LOUVADO”

Senhor Presidente,

Senhoras e Senhores Deputados.

Novamente faço uso desta tribuna para protestar minha indignação, e, com certeza de grande parte do Povo Brasileiro, com a atitude do Senhor Procurador da República, do Estado de São Paulo, Senhor Jefferson Aparecido Dias, que, em nova investida, tenta retirar das cédulas de dinheiro, que, circula em todo o Brasil a frase “Deus Seja Louvado”. Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, em São Paulo, o que esse Senhor vê na expressão, que lembra a presença insuperável de Deus em nossas vidas. Será que os direitos do cidadão em São Paulo, estão em um nível de perfeição tão avançado que esse Procurador já não tem preocupação com lides de maior importância? Vejamos, quando esse Procurador argumenta em sua petição que “o Estado Brasileiro é laico, e que deve desvincular-se de qualquer manifestação religiosa”. Sim, o Estado é laico, mas essa simples referência a Deus passa longe de qualquer matiz religiosa.

Essa frase é tão abrangente que só não é relevante para menos de 2% (dois por cento), da população manifestamente ateu, mesmo assim duvido que algum ateu de bom censo, estaria preocupado com fatos tão rasos, e, que em sã consciência não prejudicam a ninguém, e, não atinando para o fato de que em Países aonde o respeito à individualidade do cidadão e a liberdade religiosa chega aos limites de extremos, ostentam frases semelhantes em suas cédulas e não temos conhecimento de ninguém que tenha se sentido ofendido a ponto de movimentar estruturas do Estado de tamanha relevância. Sou pregador do evangelho, andei dezenas de Países do mundo, e, todos os Estados Brasileiros e nunca vi ninguém desprezar uma cédula de dinheiro por conter essa frase.

Para por fim a essa polêmica, com constantes investidas desse Excelentíssimo Senhor Procurador da República, no sentido de retirar essa tradicional frase de nosso dinheiro, estou apresentando um Projeto de Lei, dispondo da obrigatoriedade da inscrição em nossas cédulas, dessa frase, e que, além do papel, a tenhamos gravada em nossos corações. Como já citei nesta tribuna, em outra ocasião, quando esse assunto foi apresentado pela primeira vez, lembrei ao Senhor Jefferson Aparecido Dias, Procurador da República, que ele mesmo carregava em seu nome uma referência à Santa, e, nem por isso, tenho certeza, tenha se sentido constrangido.

Muito Obrigado!

Marco Feliciano, Deputado Federal PSC-SP.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

178 COMENTÁRIOS

  1. E muit0 pr0veit0s0 pra cristã0s chamarem iss0 de b0bagem !!quand0 nã0 e nehuma b0bagem , e s0 a Iei c0meçand0 a ser cumprida !!ja que vcs chaman iss0 de b0bagem pq vcs se pre0cupam tant0 c0m 0 casament0 gay ? vcs nã0 tem mais nada 0que fazer nã0 ? p0is é , essa e a Iinha I0gica d0s c0mentari0s desse site afff

  2. Cambada de gente que não tem o que fazer,o ministerio publico está fazendo uma grande contribuição,querendo tirar o nome “Deus seja louvado” das notas de dinheiro.
    Deus é santo,seu nome tambem,ele não precisa de slogan em cifras,ou em qualquer tipo de outdoor dizendo que ele deva ser louvado.
    Outra coisa,o dinheiro é importante,mas tambem é um mecanismo de destruição e cobiça.Tanto pode ser usado para o bem como para o mal.
    Deus deve estar é feliz,uma coisa que os crentes nunca quiseram fazer,impios estão rsrs

    • Phedro

      discordo, os objetivos do estado laicista radical é outro, a cada recuo é uma nova inicitiva a surgir pela frente, seja por força de lei ou força segmentada. Quais são os reais interesses deles ?

      Acho que você e muitos de nós desconhecemos.

      • Mauro

        Mauro,os motivos deles é bem claro,silenciar aos poucos o cristianismo,e qualquer influencia que o cristianismo ainda pode estar exercendo sobre a sociedade.
        E o poder é o melhor meio para isso.
        Se eles querem implantar uma nova sociedade,ou um criar um novo homem,com uma mentalidade nova,eles primeiro precisa quebrar toda influencia que é exercida sobre esse homem,eles vao atingir o que primeiro,a crença e os dogmas.

  3. O problema pastor, não é acreditar em Deus. E sim, cumprir os seus mandamentos. Jesus falou: “Aquele que diz que me conhece e me ama e não cumpre os meus mandamentos, é um MENTIROSO!” (1João 2:4), O irmão de Jesus, Tiago, escreveu: “Tu, que diz que ensina aos outros, por que não ensina a ti mesmo?” Tiago 2:21-24 – A Bíblia ensina: “Tira primeiro a trave do teu olho para depois falar do teu irmão” Mateus 7:3-5 – A respeito da frase no real, o próprio Jesus disse: “A César o que é de César” e “Amigos do mundo, inimigos de Deus” (Mat. 22:17-21; Tiago 4:4) Jesus também disse que o “seu governo não faz parte desse mundo” (João 15:18,19) Vão ler a Bíblia e praticá-la seus HIPÓCRITAS! (Mateus 23:27,28)

  4. esse imbecil deveria se preocupar com coisas mais importantes para ele fazer ,ele ganha muito dinheiro que sai de nossos bolsos para ficar enchendo nosso saco com coisas tão insignificantes,DEUS sera sempre DEUS com ele ou sem ele, DEUS é infinitamente superior a essas coisas mediocres de alguns homens que se considerão donos do mundo um mundo que foi feito e pertence a nosso grande DEUS………..

  5. Ter o seu nome ou não em uma cédula, com certeza que DEUS pouco tá se lixando para com coisas tão pequeninas como está. Em nada isso diminui ou acrescenta a grandeza e a Glória de DEUS QUE SÃO ETERNAS.

    Eis a questão.!

  6. Complementando, este procurador devia sim é de estar preocupado em resoluções mais hábeis para resolver estas corrupções que vem ocorrendo diariamémte em determinados orgãos publicos, e fazer o que compete a ele fazer na função de Procurador, e não perder tempo com besterelogias como esta.

  7. Todo Ser Que Respira Louve ao Senhor! E o dinheiro?

    Todo Ser Que Respira Louve ao Senhor! (Salmos 150:6) Dinheiro não respira. Dinheiro não louva ao Senhor.

    O que louva a Deus em nós não é nada que seja “nosso”, pois não há nada de bom em nós que não proceda de Deus. O que louva a Deus é o que é de Deus e há em nós.

    Bem assim…

    A Folha de São Paulo divulgou nesta segunda-feira (12/11/2012) que o Ministério Público Federal está promovendo uma ação civil pública para que a expressão “Deus seja louvado” seja retirada das novas cédulas do Real.

    O promotor Jefferson Aparecido Dias entende que o uso desta expressão “configura uma predileção pelas religiões adoradoras de Deus como divindade suprema” e acaba prejudicando a coexistência com outras religiões.

    Aqui já cabem duas questões:

    – São Paulo está vivendo dias de guerra civil. A instituição da polícia sofre ataque grave e o ministério público de São Paulo entende que a sua prioridade é provocar um debate religioso? Alguém pode ajudar o promotor Jefferson Aparecido Dias a encontrar a relevância perdida?

    – Por sua vez, a procuradoria do próprio Banco Central lembrou que o Brasil é um país laico, mas não laicista, muito menos ateu, já que a própria Constituição Federal estabelece que o povo brasileiro se mantém sob a proteção de Deus. O "Deus" referido na constituição não é somente o Deus dos evangélicos (alvo preferencial da implicância do procurador), dos católicos ou dos cristãos em geral, mas também é o dos judeus e dos muçulmanos – Sim, meu caro, Alá não é o nome do Deus do Islã, mas a palavra árabe para designar Deus. De maneira que Deus (como escrito nas notas) se refere Àquele de todas as fés abraâmicas e também ao Deus dos demais monoteístas… E, colocando melhor, até mesmo dos politeístas, posto que a maioria absoluta das confissões religiosas politeístas também crê em um Deus supremo, sobre os demais deuses, criador de todas as coisas… Isto valendo para a maioria das religiões politeístas de matriz africana ou oriental que são relevantes em número de adeptos no Brasil. Ou seja, não tão prezado ‘especialista em teologia comparada do ministério público’, esta 'dificuldade potencial na coexistência entre as religiões' alegada em seu processo só existe na sua cabeça desocupada e pouco instruída do tema.

    Deixando a discussão jurídica entre MP e Banco Central de lado (e sem nenhuma pretensão de esgotar o assunto aqui nestes poucos parágrafos), e pensando que a frase estampada em nosso dinheiro é uma lembrança especial para nós mesmos, não um louvor para Deus… Será que já não apagamos isso do "nosso" dinheiro há muito tempo?

    Nunca tinha percebido que uma simples expressão com letras tão pequenas em um pedaço de papel moeda deveria, na verdade, nos alertar de um princípio tão negligenciado por nós cristãos a cada vez que destinamos o dinheiro que recebemos: a mordomia.

    Não 10% dos nossos rendimentos, ou parte do que recebemos, mas a Palavra nos ensina que 100% do que possuímos pertence ao Senhor! Somos mordomos porque a Ele pertencem todas as coisas (Salmos 24:1) e porque a nós Ele confiou tudo o que está em nossas mãos (Mateus 25:14-29).

    Mas como cidadãos, será que estamos recolhendo todos os impostos que são devidos? E como mordomos, será que estamos multiplicando com responsabilidade tudo aquilo que recebemos de Deus para podermos nos repartir da forma como Ele ensinou (Mateus 25:35-40)? Servimos a Jesus na missão integral da igreja com tudo o que nos foi confiado?

    Por isso, seja você músico, taxista, cantor, professor, compositor, advogado, artista, estudante, pastor, engenheiro, etc… Seja o seu salário R$ 500, R$ 5.000, R$ 50.000 ou mais… Cumpra a vontade de Deus, sem hipocrisia em sua profissão ou em seu ministério fazendo bom uso do dinheiro que Ele coloca em suas mãos!

    Louvamos a Deus de todo o nosso coração. Todo ser vivente louvará o Seu criador, independentemente do resultado desta ação judicial.

    E que a cada nota recebida ou repassada, com ou sem a frase “DEUS SEJA LOUVADO”, os imitadores de Cristo façam aquilo que o Mestre nos ensinou.

    Nunca esquecendo que "Deus seja louvado" está escrito no coração novo que Deus nos deu quando nascemos de novo e… ninguém apaga isto!

    http://www.genizahvirtual.com/2012/11/todo-ser-que-respira-louve-ao-senhor-e.html

  8. De que adianta ter a impressão “Deus seja louvado” em nossas cédulas, enquanto o País tem uma das piores distribuições de renda do mundo?

    Os romanos já cunhavam suas moedas com inscrições religiosas. Geralmente, destacava-se a suposta divindade dos imperadores. Mesmo assim, os cristãos primitivos não fizeram qualquer boicote à moeda romana. Ela circulava normalmente entre eles. O que os preocupava não era a inscrição que havia no dinheiro, e sim, a justa distribuição entre eles. Lucas, o médico, relata que não havia entre eles necessitado algum, porque ninguém dizia que coisa alguma era sua, mas todos tinham tudo em comum. A moeda dizia que César era o senhor, mas o estilo de vida dos cristãos dizia outra coisa: JESUS É O SENHOR.

    Só os judeus tinham problema com a moeda romana. Tanto que ela não era aceita nas atividades do Templo. Se alguém quisesse doar alguma oferta, ou mesmo comprar algum animal para o sacrifício, teria que antes passar pelos cambistas, trocando a moeda romana por uma que não trouxesse aquela inscrição blasfema. Mas o que estava por trás disso era a ganância. Os sacerdotes ganhavam rios de dinheiro com o ágio cobrado na troca de moedas.

    http://www.hermesfernandes.com/2012/11/deus-nao-faz-menor-questao-de-ter-seu.html

  9. ESTA FRASE COM CERTEZA NÃO FOI O VERDADEIRO DEUS QUE PERMITIU QUE COLOCASSEM NA CEDULA DO REAL ,OS CRISTÃO FICAM SE PREOCUPANDO COM ESTAS BESTEIRAS VAI VER O SIGUINIFICADO É BEM PIOR QUE IMAGINAMOS ,TEM UNS QUE SENTA NO TRONO DE DEUS OSTENTA COMO SE FOSSE DEUS ,MAS NÃO É DEUS QUEM SABE FOI ELE QUE MANDOU COLOCAR ESSA FRASE NO DINHEIRO,TEMOS QUE ESTAR BEM ATENTO PORQUE ESTAS DIVINDADES ESPIRITUAIS QUEREM OCULPAR O LUGAR DE DEUS E SABEM BEM LIDAR COM O NOME DE DEUS ,ENGANAM SE POSSIVEL OU ATÉ MESMO ESCOLHIDOS QUE PODE SER NÓS CRISTÃO ,

  10. DEUS SEJA LOUVADO… que deus? o da nota de real… notem que a imagem da nota de real é a mesma da estatua da liberdade e trata-se de semiramis, columbia, afrodite, diana, rainha dos ceus…. e em se tratando desse suposto deus, eu sempre serei a favor de que se tire essa frase de nossa moeda, ou melhor, tirem a cara da semiramis………..

  11. MEXEU NO DEUS DESTES INDIVIDUOS ELES VIRAM FERAS.EITA !!!IGREJA EMPRESA DE HOMENS CORRUPTOS.O QUE E INCRIVEL SAO PESSOAS QUE AINDA DEFENDEM ESSES SENHORES.NAO ENTENDO. E PASSIVIDADE,PREGUIÇA,BURRICE,CEGUEIRA,LOUCURA..SERA QUE TEM ALGO NA AGUA DESTA GENTE???ACORDA POVO O REINO DE DEUS E MAIS DO QUE TUDO O QUE ESSES CAROS SENHORES ESTAO OFERTANDO OU DIZENDO.VAO PARA A BIBLIA LEIAM COM ENTENDIMENTO,PAREM DE LER SO O QUE ESTES “lideres” MANDAM E NA FORMA COMO ELES INTERPRETAM.ELES ESTAO LONGE DE DEUS E DE SUA OBRA.ESTES homenzinhos NAO SAO NADA.ELES SO FALAM E FALAM,MAS NADA MUDA,PRESTEM ATENÇAO NAS PALAVRAS DELES,ESTAO CHEIAS DE ODIO,AVAREZA,RACISMO,PRECONCEITO E PRINCIPALMENTE PRESUNÇAO.PAREM DE CONFIAR NO HOMEM.

  12. VEJAM BEM ELES NEM MAIS CITAM JESUS OU SUAS PALAVRAS ELES EXTRAEM PEDAÇOS DE TEXTOS E CONTEXTUALIZAM ESTES SEGMENTOS DE ACORDO COM SUAS INTENÇOES,GERALMENTE E PRA ARRANCAR DINHEIRO.O REINO DE DEUS CONSISTE EM PODER E NAO EM BENS MATERIAIS CORRUPTIVEIS.VOLTEM A LER AS PALAVRAS DE JESUS,ALI NOS EVANGELHOS ELE DA TODO O TREINAMENTO E ORDENANÇAS DE COMO ENFRENTAR ESTE MUNDO TAO DECADENTE,E LHES DIGO MAIS ESTA IGREJAS EMPRESAS ESTAO FAZENDO MILHARES DE PESSOAS SE MANTEREM EM UM ENGANO TAO GRANDE QUE QUANDO A COISA ESTOURAR VAI SER UM DESESPERO SO.PODEM OBSERVAR,E MAIS IMPORTANTE QUE OBSERVAR OREM BUSQUEM A DEUS E SUA UNÇAO,AS TREVAS ESTAO AI TOMANDO CONTA,PRECISAMOS DE LUZ QUE VEM DO ALTO E NAO DA ILUMINAÇAO ARTIFICIAL DE CONSTRUÇOES FEITAS POR HOMENS PRESUNÇOSOS E ORGULHOSOS.A UNICA FORMA DE ROMPER ESTA NUVEM NEGRA QUE ESTA COMBRINDO O MUNDO E BUSCAR DIREÇAO QUE VEM DO ALTO,CLAMEM A DEUS PARA LEVANTAR VERDADEIROS HOMENS DE DEUS E RESTAURAR SUA IGREJA.A SITUAÇAO ESTA PRA FICAR MAIS FEIA.VAO OCORRER SUICIDIOS EM LARGA ESCALA POR DESESPERO,DEPRESSAO,SOLIDAO,A VIOLENCIA JA ESTA SE MULTIPLICANDO,MAIS DESASTRES NATURAIS,MAIS GUERRAS E REVOLTAS.E A IGREJA ATUAL NAO TEM CONDIÇAO NENHUMA DE SOCORRER OS AFLITOS,LONGE DISTO ESTA MAIS PREOCUPADA COM CULTO A PERSONALIDADES DO QUE AGRADAR A DEUS E FAZER O QUE ELE MANDA.COMO PODEMOS AJUDAR O PROXIMO SE ESTAMOS TAO PREOCUPADOS EM CRIAR UM FUTURO MELHOR PARA NOS MESMOS.CHEGA DESTE EVANGELHO ARTIFICIAL E MENTIROSO QUE ESTE homens REPROVADOS NA FE VEM ENSINANDO,CHEGA DE AVAREZA,GANANCIA E EGOISMO DENTRO DA IGREJA.PARA MUDAR E SO OS QUE BUSCAM DE VERDADE A FACE DE NOSSO SENHOR,TEREM UM OBJETIVO COMUM,ORAR PELA RESTAURAÇAO DA IGREJA,E ISSO AI ORAR,A MAIOR ARMA DE UM CRISTAO.

  13. Mafalaia não perderia tempo comentando sobre esse cara se nao tivesse um motivo pessoal CONTRA ELE.
    E TEM. rs POR ISSO ficou irritadinho. rs
    Claro q nome de estado, feriado não se muda nem cancela.
    Mas algumas coisas podem SIM serem feitas por um estado mais livre desse ranço pernicioso da religião.

  14. Fazendo a exegese rastaquera do fundamentalismo neo pentecostal, não vejo porque os religiosos crentes em Deus (eu sou e totalmente submetido a Deus com toda a força, de todo coração e todo entendimento, e por isso mesmo sou muito diferente deles) estão se preocupando com a tal frase no dinheiro. Ora, "não se pode servir a Deus e ao dinheiro". Quer dizer, Dinheiro e Deus são antagônicos, não combinam. Essa frase nas propriedades do demônio até ofendem a Deus, parece deboche. E acho que é mesmo. Escrever "Deus seja louvado" em coisa do capeta é debochar de Deus. Aliás, é o próprio Diabo debochando de Deus.

    E claro que os neo pentecas fundamentalistas como Malafaia, Feliciano e Malta, que são escravos do demônio, o Dinheiro, não vão querer que retirem o deboche dali das notas que pertencem ao Estado. Claro, porque eles querem o Estado sob a égide do demônio. E Deus debochado no "panfleto" que mais circula no pais é coisa perfeita pro demo.

  15. "Tradicional frase de nosso dinheiro"??!! Essa aberração é criação de Zé Sarney (de triste memória)! Não está no mesmo nível do "In God we trust" dos gringos, essa sim tradicional, vem desde a fundação dos EUA. A retirada da frase não implica em ateísmo, mas a sua permanência é sim proselitismo monoteísta e não cabe ao Estado laico fazê-lo! Para o louvor de qualquer deus é que existem os templos, as igrejas etc E mais: qualquer referência a Deus em órgão público poderá ser (e é) usada para imposição da religião cristã, tal como vimos no julgamento da união estável homoafetiva e da descriminalização do aborto de anéncefalos, na lei do pai nosso em escolas, na aberrante lei de leitura obrigatória da bíblia em assembleias legislativas e câmaras municipais (inclusive, um cidadão foi retirado pela força de uma câmara por recusar-se a levantar-se durante a leitura da bíblia) etc. O Estado tem que ser laico simbólica e efetivamente.

    • E há que se notar que a frase "Em Deus confiamos" tem significado oposto ao "Deus seja louvado". A primeira reconhece que o dinheiro se opõe a Deus, enquanto a segunda, atribuí a Deus a "divina graça" do dinheiro. A primeira faz uso do dinheiro sem "tocá-lo" e a 2ª coloca o dinheiro como essência para alcançá-Lo, alcançar a "deus" (aqui, o Demônio). A primeira confere dimensão justa ao Sagrado a segunda profana o sagrado. A primeira é coisa do Homem e a segunda, do Demônio.

  16. Tenho nojo de ouvir esses salafrários meliantes falando das coisas de Deus com se fossem dignos de tal, todos corruptos inescrupulosos.
    É uma blasfêmia termos essa frase nas notas. O dinheiro é a raiz de todos os males e existem dois grandes males associados a ele no Brasil: A corrupção dos políticos, inclusive bancada evangélica (Os senadores acabaram de aprovar isenção de impostos nos seus 13º e 14º, que já é uma vergonha, e nenhum se manifestou contra, nehum) e a corrupção dos líderes evangélicos, como esse Malafaia, por exemplo.
    Sou cristão e sinto-me envergonhado de ter esses representantes se fazendo passar por tais.
    Disse Jesus: mostrai-me uma moeda. De quem tem a imagem e a inscrição? E, respondendo eles, disseram: De César. Disse-lhes então: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. Lucas 20:24-25

  17. Não constrange, mas pode incomodar aos que afirmam não crer. As pessoas que vivem a sua fé, em suas diversas expressões, certamente não se sentem constrangidas, pois vivem da grandeza da transcendência. É que fé não é em primeiro lugar culto a um deus, mas relação. Se a frase lembra uma relação, poderia lembrar que o próprio dinheiro deve estar a serviço das pessoas, especialmente dos pobres, na partilha e na solidariedade.

    Se assim for, Deus seja louvado!

  18. Será que esta frase que estar no dinheiro Brasileiro é louvando ao Deus de Abraão, Isac e Jacó mesmo? ou é louvando outro deus, pois a foto que estar nas notas do dinheiro brasileiro, é de Semíramis( deusa pagã). Sabemos que o nosso Salvador Jesus Cristo disse a respeito de uma moeda que tinha a cara de César imperador Romano gravada naquela época, veja: “…Mostrai-me a moeda do tributo. E eles lhe apresentaram a moeda de quatro gramas de prata. Então, disse o Salvador: De quem é esta efígie e esta inscrição? Responderam: De César. Então disse o Salvador: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus”( Mateus 22.19,20,21). Estes pastores deveriam se preocuparem em pregar o evangelho, e não ficarem perdendo tempo com coisas que não afeta e nunca vai afetar a fé dos verdadeiros Cristãos que não estão nem ai com este assunto, pois para nós crentes sinceros,estamos preocupados com as coisa lá do alto( Colossenses 3.2). Temos a nossa fé fundamentada na Rocha que é Cristo, e não fudamentada em mamom. Para terminar eu quero dizer o seguinte: Tanto faz prá mim tirar esta frase do dinheiro, ou não tirar, eu continuo sendo fiel ao meu Salvador Jesus Cristo sempre amém.

  19. Tem que tirar mesmo e não pode parar por aí. Tem que desvincular totalmente o país e a constituição desse bando de desmiolados religiosos que só estão preocupados com a lavagem cerebral que realizam nos seus fiéis e no dízimo pago no fim do mês. Deveriam ampliar a lei e vetar a existência de banca religiosa ou qualquer citação ou utilização de deus em assuntos que envolvam a população.

  20. […] a divulgação da polêmica ação do Ministério Público de São Paulo, diversas lideranças cristãs se manifestaram contra a iniciativa, e questionaram se o procurador Jefferson Aparecido Dias não teria […]

DEIXE UMA RESPOSTA