Brasil

Teólogo sugere que Igreja Católica deveria eleger uma Papisa para o lugar de Bento XVI “Não seria absurdo”. Leia na íntegra

Comments (7)
  1. Alex disse:

    “O teólogo e SOCIÓLOGO Dirceu Benincá…”

    Sociólogo esquerdista? Adepto da teologia da libertação? Talvez ele tenha feito alguma consulta com Leonardo Boff.

  2. Pedro Júnior disse:

    É cada ideia de gente estúpida…Meu Deus do Céu…..

  3. mauro disse:

    A falha fundamental na lenda da Papisa Joana e o motivo de qualquer historiador sério reijeitá-la é que não há “lacuna” no registro histórico real rastreável onde a “Papisa Joana” teria se adequado se a lenda fosse verdadeira. A lenda coloca a Papisa Joana no papado de 855 a 857, eleita como “João Ânglico”. Mas o Papa Leão IV, que morreu em junho de 855, foi imediatamente sucedido pelo Papa Bento III. Sabemos disso porque a eleição de Bento não foi sem controvérsia. O imperador bizantino tentou fazer com que seu filho se instalasse como Papa em seu lugar. Roma foi invadida e Bento, preso. Quando os romanos se opuseram a isso, Bento foi libertado da prisão em setembro. Simplesmente não havia espaço de tempo histórico em que um Papa imaginário pudesse ter tomado lugar.

    De igual importância para os historiadores é a ausência de qualquer registro, menção ou referência a uma “Papisa Joana” até quase 400 anos depois de sua eleição. Como Blondel percebeu, teria sido impossível que um evento como esse acontecesse ou que um papado tivesse existido por aproximadamente três anos sem algum registro contemporâneo daqueles anos. E mesmo quando algumas versões avançam a data, uma lacuna de séculos antes de ela ser mencionada pela primeira vez permanece, e o registro histórico dos papas existentes naqueles tempos é irrefutável.

    Duas questões permanecem: Onde a lenda surgiu pela primeira vez e por que nós ainda lidamos com ela hoje?

    Quanto a de onde veio a lenda, os historiadores só podem conjecturar. Pham afirma que “o cerne da história geralmente é considerado como sendo um antigo conto popular romano” (Heirs 254). Outros veem uma possível fonte saindo de alegações de que o Papa João VIII (872-882) fosse efeminado, mesmo que essa acusação pareça ter carência substancial. Ainda outros sugerem que a história possa ter vindo do papado do Papa Sérgio (904-911), a quem os romanos viam como fraco e dominado por mulheres poderosas e corruptas. Alguns historiadores acreditam que a lenda possa ter vindo do Império Bizantino do Oriente como um meio para desacreditar o papado “ocidental”.

    Qualquer que seja a fonte, a história é repleta de lendas de mulheres disfarçadas de homens subindo até grandes posições. A Grécia e a Roma Antigas as tinham. Mas o propósito de tais lendas geralmente era satírico: pretendia-se mostrar quão fracos ou corruptos tinham se tornado os homens do tempo e do lugar. A moral do conto foi que os homens eram tão sem coragem que uma mulher podia assumir a liderança. E isso significa que a lenda da Papisa Joana é dificilmente uma hagiografia feminista. Isso reflete, no mínimo, um ânimo degradante e persistente com respeito às mulheres que tardou desde a cultura pagã.

    Por que ainda estamos lidando com a Papisa Joana hoje quando milhares de lendas medievais parecidas desapareceram? Pesquise “Papisa Joana” no Google e você vai encontrar milhões de referências na internet. A lenda persiste pela mesma razão que todas as lendas urbanas católicas persistem elas se encaixam com a propaganda anticatólica contemporânea. Joana sobreviveu apesar das primeiras formas de crítica histórica mostrando-a ser um mito porque ela se adapta uma ordem do dia.

    Como Bayle poderia dizer a Blondel: “O interesse secular requer que a história de Joana seja verdadeira.”

    1. Georges disse:

      Ou a papisa teria sido suprimida da História intencionalmente, para não aparecer nas listas oficiais? Toda história tem pelo menos 3 ou 4 lados…

  4. clamando disse:

    pedro não vai perder aq boca é nunca

  5. mauro disse:

    “Neste sentido, entre outros importantes artigos, destaco um escrito pelo especialista no assunto, o teólogo Leonardo Boff, intitulado “Que Papa esperar que não seja um Bento XVII?”

    Pra variar mais um que nos odeia oriundos de uma teologia condenada.

    1. edy disse:

      AVISO aos incautos..
      Um senhor de nome Jairo tomazelli se apossou do Nick “JGMIX”,que pertence a uma loja de som para carros e este criou até um perfil falso no facebook com rosto de um rapaz de mais ou menos 30 anos mais não era ele,agora eu pergunto pra que isso?
      Sendo que ele já tinha o perfil dele Jairo tomazelli,ai pessoas talvez sinceras vivem trocando emails com ele cuidado “PESSOAL”,ele é um famoso 171 cuidado.
      CUIDADO!!!!

  6. Pitagoras disse:

    Fraco. – Não precisa ser “teólogo” para fazer essas especulações. Tudo que Benincá falou é uso corrente entre a população interessada no assunto.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *