Pré-candidato ao governo do Rio, Garotinho é acusado de tramar ataques do tráfico juntamente com o pastor Marcos Pereira

19

O deputado federal Anthony Garotinho (PR), pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, está sendo acusado de ter orquestrado uma onda de violência nas comunidades cariocas para atrapalhar a reeleição de Sérgio Cabral (PMDB) em 2010, juntamente com o pastor Marcos Pereira.

A denúncia veiculada pela revista Época diz que na madrugada do dia 03 de outubro de 2010, a poucas horas da eleição, Marcos Pereira e outros líderes da Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD) teriam se reunido com Anthony Garotinho e definido que pediriam a traficantes da Vila Cruzeiro para efetuar ataques em diversos locais da cidade.

O relato acima foi feito por Alex Ramos de Mesquita, ex-funcionário do pastor Marcos Pereira, à Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) e mantido sob segredo de Justiça. O deputado Garotinho não respondeu às perguntas da reportagem sobre ter ou não participado da reunião com Marcos Pereira.

Em 2010, quatro dias após as eleições, Garotinho – já eleito deputado federal – publicou em seu blog um artigo que previa uma onda de violência na cidade: “A farsa da pacificação acabou. Agora, salve-se quem puder e que Deus nos proteja”. Poucos dias depois, arrastões e tiroteios começaram a acontecer, e no final do mês de novembro, o Rio de Janeiro já enfrentava uma das piores crises de segurança pública dos últimos anos, com carros e ônibus incendiados e mais de 30 mortos.


O mote da campanha de reeleição de Sérgio Cabral era uma política de segurança pública que previa o enfrentamento do tráfico. A testemunha que depôs à DCOD disse que Marcos Pereira recebia dinheiro dos traficantes para realizar cultos nas comunidades, valores que variavam entre R$ 25 mil e R$ 35 mil, e temia perder a renda caso Cabral se reelegesse e enfraquecesse o tráfico.

O Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro fez gravações com autorização da Justiça e diz que o pastor Marcos, “sob o manto de aconchego espiritual”, foi mensageiro de ordens cifradas, repassadas a bandidos em liberdade para efetuarem ações contra “a implantação da política de pacificação, a ocupação pela PM de favelas dominadas pelo tráfico”.

A defesa do pastor Marcos nega a ligação do líder da ADUD com o tráfico de drogas e com a trama contra a pacificação: “É absurdo e chega às raias da leviandade”, afirmam os advogados.

19 COMENTÁRIOS

  1. Quem deixa de votar no garotinho tem opção melhor no RJ? Se eu não me engano todos os candidatos querem o voto evangélico… quem oferecer maiores vantagens aos pastores-lideres das denominações leva o voto de cabresto.

  2. Crentes novos ou neófito o senho tem os pecados deles como veniais, agora os pecados dos crentes velhos e ainda pregadores da palavra são gravíssimas, por isso pense muito bem antes de querer virá pregador da palavra de deus, aqui na terra você pode aprontar, mais no dia do julgamento do senho não vai escapar.

  3. Eu só não entendo por-quê pulblicar essas notícias só agora exatamente depois q o ibope divulgou há três dias garotinho liderando nas pesquisas, seria desespero dos adversários de garotinho vendo ele crescer nas pesquisas?

  4. Eu sou policial e sei quem manda na polícia é a politica,não estou dizendo que houve manobra política no Rio,mas sei que existe muitos interesses em jogo,principalmente quem está no poder e não quer largar o osso,prefiro desconfiar e não acreditar de primeira tudo que chegar,ok.

  5. O eleitor brasileiro é mesmo um completo IDIOTA. Como é que se pode votar em um BANDIDO como o garotinho e sua esposa. Dois estelionatários da fé religiosa, pública e do DINHEIRO DO CONTRIBUINTE. Deveriam estar na cadeia junto com seu colega Marco Pereira.

  6. Tudo politica. A politica é assim mesmo. O Caiado pegou pesado. O garotinho mostrou provas. E agora? Terminou em paz? Até agora sim. São pessoas necessárias a nossa vida em sociedade. Devemos aprender a viver com a politica e com a democracia. Mas, o que nos interessa é uma divisão mais justa de renda, tudo que é arrecadado vem do trabalho dos brasileiros, se o Brasil é a sétima economia do mundo, graças a Deus, ao povo brasileiro e aos governantes, aqueles que não são egoistas. Porém, ainda pode melhorar. Temos três calcanhar de Aquiles. A Saúde, a Educação e os meios de Transportes. Devemos aprender a fazer o máximo com o minimo. O resto é conversa fiada. O povo em primeiro lugar, incluindo ai todos os segmentos da sociedade que fazem parte da pirâmide social. Amém?

DEIXE UMA RESPOSTA