A vida e o universo são a prova que Deus existe, é inteligente e soberano, afirma cientista

1

O professor Marcos Eberlin, cientista cristão, afirmou que a Criação é uma prova de que Deus existe, planejou e pôs em prática a vida e fez tudo isso de forma inteligente.

Eberlin, que leciona no Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), participou do Seminário Ciência e Fé, realizado no último sábado, 25 de junho, em Fortaleza (CE), na companhia do professor Glauco Magalhães, da Universidade Federal de Fortaleza (UFC).

Para Eberlin, “o fundamento primeiro, o grande alicerce da ciência é exatamente o tema central da bíblia: Deus”, o que coloca a matéria como uma grande amiga e validadora dos relatos da Bíblia Sagrada.

“Foi o pressuposto de que há um Deus, um único Deus, que governava seu Universo com leis imutáveis, e coerentes e consistentes, mais ainda, que havíamos sido feitos à sua imagem e semelhança, e assim teríamos uma mente confiável para entender o como Ele fez e mantinha em pleno funcionamento sua criação, que impeliu os homens a fazerem a ciência que praticamos hoje”, disse, em entrevista ao portal Guia-me.


Os pais da ciência foram homens que enxergavam a clara evidência de um criador, e na busca para desvendar os mistérios da criação, deram início às pesquisas que hoje formam o conhecimento que a humanidade acumula.

“Os grandes pais da ciência como Boyle, Pascal, e Newton, eram em sua imensa maioria homens que ao observarem o universo e a vida, à luz da ciência, enxergavam em seus dados evidências claras de um criador. Mas o iluminismo, e mais Darwin, Freud, Max, Sagan, e seus discípulos, desviaram a ciência de seu bom caminho, e levaram muitos cientistas à falsa crença – uma fé naturalista – de que só havia matéria, energia e espaço nesse universo”, afirmou.

No entanto, a própria evolução das pesquisas e a ampliação dos campos do saber proporcionaram uma volta aos princípios basilares da ciência, segundo Eberlin, que citou a química e a bioquímica como exemplos.

“[O exame do] universo e da vida ao nível atômico e molecular tem nos revelado assinaturas indesculpáveis de uma ação inteligentíssima na construção, através de átomos e moléculas, de tudo que vemos ao nosso redor. Desde o núcleo dos átomos, passando pelas estrelas, galáxias e cometas, até o planeta terra, a água, as moléculas da Vida, e suas máquinas nano moleculares, e ao software de extrema sofisticação e eficiência que tudo governa, o DNA, vemos evidências científicas que não deixam dúvidas de que há um Deus, um único, e que este Deus é do jeitinho que a Bíblia o descreve: eterno, imaterial, detentor de toda a informação, todo-poderoso e incrivelmente sábio e inteligente”, comentou.

Para o professor, existe um grande desafio para reaproximar a Igreja e a ciência, mostrando que a segunda é “amiga” da primeira: “Um casamento perfeito, e que os dados científicos, contrários aos boatos, são de fato de longe favoráveis aos pressupostos de nossa fé, e à descrição literal desse universo como o faz a Palavra”, disse.

Outro grande desafio é o de não se submeter às teorias naturalistas de que “os homens criaram [a religião] na esperança de explicar tudo só com matéria, energia e espaço”.

“[É importante] não sucumbir à tentação do Big Bang e da evolução química e bioquímica, para assim ‘ficar de boa’ com a ciência naturalista, forçando o nosso Deus a ‘colaborar’ com elas fazendo obrigatoriamente os seus milagres, como o fazem hoje os evolucionistas teístas ou os que defendem um criacionismo progressivo”, acrescentou o professor.

Ao final da entrevista, Eberlin falou sobre a Teoria do Design Inteligente, que é um campo do saber que estabelece “critérios científicos para esta escolha”, e que “um designer inteligente projetou tudo, desde o início, e deu a partida”.

“Temos então a complexidade irredutível, a informação abstrata e a antevidência como parâmetros de decisão entre forças naturais ou ação inteligente como causas dos efeitos da vida e universo. E quando avaliamos o nível de complexidade irredutível das maquinarias que operam na vida, sincronizadamente, e quando vemos tantas soluções de problemas mortais à vida que foram resolvidos de antemão para que a vida pudesse dar a partida e funcionar, e quando além de tudo isso, vemos o exagero de arte e beleza, como o sorriso humano – pura decoração – não nos resta saída senão concluirmos que o coeficiente de inteligência (QI) do Universo e da Vida são altíssimos, quase infinitos. E esse QI atesta a ação inteligente como de longe a melhor opção da causa primeira de estarmos aqui”, terminou.


1 COMENTÁRIO

  1. Falar e escrever isso é muito fácil, papel aceita qualquer coisa. Provar que tudo foi feito por uma divindade são outros 500. Goste o senhor Erberlin ou não, a natureza continua não dando a mínima para seus mitos e dogmas.
    É realmente bizarro e até cômico o contorcionismo que essas pessoas fazem para distorcer as evidências, os fatos e os dados do mundo para se enquadrarem nos seus dogmas de fé.

  2. Os ateus não suportam imaginar sequer a idéia de que não possuem o domínio sobre a naturesa e com isso não podem deter o controle do mundo e até de suas próprias vidas. Se existe um Deus, logo não posso controlar inteiramente o meu destino. A arrogância e orgulho os cegam impiedosamente. E digo isso porque eu era assim. "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis" Rm 1:20.

  3. Eliel Telles de Camargo Não se acredita em teorias científicas. Teorias científicas são compostas por duas partes indissociáveis: evidências VERFIFICÁVEIS (mas não necessariamente reprodutíveis em laboratório) e hipóteses, ideias, que as conectam logicamente e causalmente quanto a causalidade faz-se presente. Sinto. Não se acredita em teorias científicas. Nelas, verificam-se as ideias frente ao conjunto universal de evidências. Por isso o nome: ciência. Dentro do factualmente até o momento conhecido, você tem ciẽncia que é da forma que se afirma! A medida que o conjunto de evidências se amplia, modificam-se as ideias quando necessário.
    Design inteligente é pseudociência até o momento. Basta pesquisar e entender o porquê! Até a wikipédia tem isso bem explicado. Pesquise lá, desenho inteligente.
    Sim, desenho inteligente não consegue convencer nem seus próprios seguidores após lhes ser dada uma boa aula de biologia, como foi o caso do juiz que julgou a legitimidade científica da proposta lá nos EUA, berço dessa ideia.
    Abraços.

  4. "Os ateus não suportam imaginar sequer a idéia de que não possuem o domínio sobre a naturesa e com isso não podem deter o controle do mundo e até de suas próprias vida".

    Oh meu amigo, ledo engano. Quem desespera-se por descobrir pouco a pouco que não há ninguém com superpoderes capaz de controlar a natureza a bel prazer (e a quem se possa bajular para que se possa mudar a natureza por interesses particulares) por certo não são os ateus… Eles já sabem e aceitam isso muito bem. Já os teístas…

    Tudo se resume muito bem nos feitos da humanidade dos últimos 500 anos comparados os 9500 anos de história registrada anteriores sob o qual se viveu sob os reinados de deus(es) [não é preciso extrapolar o prazo para os últimos milhões de anos]. Bem explicado na frase de Jacob Bronowski:

    "O homem domina a natureza não pela força, mas pela compreensão. É por isto que a ciência teve sucesso onde a magia fracassou: porque ela não buscou um encantamento para lançar sobre a natureza"

    Pense nisso. Abraços.

  5. Lauro Chieza Os ateus é que estão desesperados para que a teoria do design inteligente não entre nas escolas. Mas ninguém pode impedir, por muito tempo, a verdade de vir a tona. Pode escrever: o evolucionismo ateu ja esta com os dias contados.

  6. Hercules Cerqueira Quanto ao ensino do DI, nas aulas de religião, ninguém nunca se opôs, acho que nem mesmo os professores lá em Dover que levaram o DI aos tribunais. Vale lembrar que as aulas de religião são facultativas em qualquer estado laico, não devem fazer proselitismo de religião específica (o que deve ser uma raridade aqui no Brasil…), e nesses termos até que o DI cai muito bem como "matéria" (embora diretamente ligado à religião protestante) …

    Quanto a querer que seja ensinado em aulas de ciências ou biologia como se ciência fosse, junto, equiparado, e para alguns até mesmo como mais estruturada e científica do que o de fato cientificamente estabelecido acerca da diversidade da vida, sinto muito.

    DI não é ciência. Palavra de um juiz adepto da causa criacionista, indicado pelo próprio presidente dos EUA à época para julgar o caso, outro criacionista declarado, após uma boa aula de ciência e biologia em seu tribunal.

    Em relação a este anseio dos "desenhistas inteligentes", todos os orgãos científicos constituídos, da Sociedade Brasileira de Genética à Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, da Sociedade Brasileira de Biologia ao MEC, que seguem igualmente todos os outros órgãos internacionais, já se manifestaram sim veementemente contra o ensino do DI como ciência.

    Existe uma dieferença fundamental que faz com que os dinossauros figurem nos livros de biologia sérios, e os dragões não…

    Que faz com que a reprodução sexuada e evolução humana sejam partes obrigatórias no currículo de medicina de qualquer faculdade credenciada, mas a "teoria da cegonha" ou mesmo a "teoria dos correios", não…

    Descubra o porquê, e entenderá porque, ao menos sobre o conjunto de evidências atualmente conhecido, o DI não fará parte do currículo de ciências…

    Abraços.

  7. Lauro Chieza Pode não ser agora, por razões puramente políticas e ideológicas. Ou voce acha que a classe científica vai entregar de bandeja o poder de ditar as regras dentro da sociedade que adquiriu anos a fio de domínio acadêmico ateista. A DI ainda é uma criança que acabou de nascer.
    Mas o que faz de um estudo científico ou não são os seus pressupostos e não as conclusões a que ele nos leva de encontro. Assim são os pressupostos da DI, baseados em dados puramente científicos. Se as conclusões nos levam ao âmbito metafísico, isto não afeta em nada o seu caráter científico, pois do contrário devemos retirar o ensino do idealismo alemão das aulas de filosofia. Os dados mostram que a DI esta crescendo em adeptos até mesmo dentro do ambito acadêmico. Não há como reverter esse processo.
    A verdade prevalecerá, doa a quem doer.

  8. Lauro Chieza Toda a natureza é uma prova aberrante da existência de Deus. Eu acho que os ateus estão devendo e muito a prova contra a existencia de Deus. Sabe aquele poema de Carlos Drumond: "existe uma pedra no caminho". A DI não é uma pedra, mas sim uma pedreira. Ta difícil para voces hein!!!

  9. Hercules Cerqueira O universo é prova da existência de deus(es) assim como ovinis (com o auxílio em vários casos do fotoshop, que hoje já deve ter um botão "Insert UFO" embutido) são provas da existência de extraterrestres mais evoluídos visitando a terra …
    Em lógica formal, a corretamente encontrada em meio científico, amplamente estudada na matemática, a existência do universo não implica a existência de deus(es); assim como a existência de ovinis não prova que estamos sendo visitados por ETs; em absoluto.
    Este é o ponto. Até onde as evidências levam factualmente…
    Abraços.

  10. Hercules Cerqueira Bem, como resposta peço apenas que contextualize historicamente sua afirmação. Há 500 anos atrás, teísmo reinava absoluto explicando o mundo segundo o criacionismo (cristão, no ocidente)… E assim o foi por mais de dois mil anos… Ateus, os poucos encontrados, eram assados em praça pública, junto com outros hereges (como alguns milhares de protestantes durante a Inquisição)! Praticamente todos os cientistas daquela época eram teístas devotos declarados, a exemplo, Newton e o próprio Galileu…
    Hoje, sobretudo entre aqueles que se devotam às ciências naturais, o ateísmo é notoriamente predominante, como você mesmo reconhece …
    Sim, a história realmente mostra o que disse ao fim do comentário: a verdade prevalecerá, doa a quem doer.
    Dê tempo ao tempo… a história já aponta o caminho.
    Abraços.

  11. o que ele quis dizer, é de pleno naturalismo na esféra da sapiência humana. Deus é a suprema palavra que engloba todo cosmo. O maior problema é que a biblia é interpretada misticamente. p entender a ciência é preciso ter uma visão profunda e conhecimentos, e poucas pessoas se interessa, tendo até medo de falar o que pensa, por não ter convicção própria.

DEIXE UMA RESPOSTA