Vídeo: pescador que ficou à deriva por mais de um ano no Oceano Pacífico diz que “fé em Deus” o ajudou a sobreviver

2

José Salvador Alvarenga, 37 anos, náufrago por 14 meses, foi resgatado na última terça-feira, 04 de fevereiro, nas Ilhas Marshall. Segundo o pescador, o que o ajudou a sobreviver por tanto tempo à deriva foi sua fé em Deus.

“Achava que ia ficar louco”, disse o homem, que havia naufragado em novembro de 2012 na costa mexicana durante uma pescaria de tubarões.

Alvarenga relatou que os problemas começaram quando estavam a 70 Km da costa do México e um vento forte começou soprar do norte. Sem motor, ele e seu ajudante, Ezequiel, ficaram à deriva no barco de pesca. O jovem, que tinha entre 16 e 18 anos, morreu quatro meses depois por não conseguir se alimentar de animais crus.

“[Ezequiel] aguentou quatro meses. Mas depois fiquei sozinho. ‘Meu Deus, quando vou sair, quando vai me levar?’, eu pensava”‘, disse o náufrago, que precisou lançar o corpo do colega ao mar.


A sobrevivência se deu através da ingestão de água da chuva ou de sua própria urina, além de comer peixes, tartarugas e aves: “Levantava esperando patos, pássaros que viessem a minha lancha”, disse Alvarenga, que passava os dias “sentado, vendo o céu, vendo o sol”.

Ao ser questionado sobre o que o ajudou a superar os momentos de dificuldade, respondeu: “Deus… Minha fé em Deus […] Não pensava em morrer, pensava que ia sair, forte. Mas em duas ocasiões quis me matar, agarrava a faca quando não havia água ou comida”, contou, de acordo com informações do G1.

Os médicos que fizeram a primeira avaliação após o resgate chegaram à conclusão de que, apesar de certa atrofia dos músculos das pernas, de forma geral o estado de saúde de Alvarenga era bom.

“Está melhor do que o esperado”, avaliou o embaixador dos Estados Unidos nas Ilhas Marshall, Thomas Ambruster, um dos primeiros a ter contato com o pescador, que é salvadorenho, mas antes de ficar à deriva no mar, havia vivido por 15 anos no México.

A mãe do pescador, María Julia Alvarenga, vive em El Salvador e reconheceu o filho através de fotografias. Aliviada, demonstrou gratidão por saber que ele estava vivo: “Agradeço a Deus por ver meu filho, acreditava que estava morto […] Só quero tê-lo aqui conosco”, disse. Assista:

Assine o Canal

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


2 COMENTÁRIOS

  1. João Lucas dos Santos, muitos historiadores ressaltam a contribuição do cristianismo à humanidade. Onde haviam doentes os cristãos estavam lá para prestar socorro, onde haviam presos os cristão estavam lá para convencer do erro e do juízo divino, quando haviam guerras os cristão foram os precursores da paz. Muitos cristãos são os grandes responsáveis pela manutenção da moral (ainda)! Esse Jesus (Deus) do cristianismo, existindo ou não, temos que convir que em nome dele a humanidade ainda não se deteriorou.
    Ps. Admirei sua inteligencia argumentativa.
    Abç

  2. anton mendel;sou crente,evangelico,ministro da palavra de Deus e te digo;sei que ninguém;ninguém mesmo pode mudar seus raciocínios e fazer você se render a Deus;,sei que você não acredita em Deus e na bíblia,mas tenha certeza que jesus cristo te ama mesmo que você o rejeite.mas você ainda pode ter um encontro com Deus.paulo na bíblia escreveu quase todo o novo mandamento e era o homem que perseguia os cristãos muito mais do que com palavras como você meu irmão;mas de maneira devastadora e foi o homem escolhido por Deus para ministrar sua palavra.voce teve em sua vida suas decepções e foram fortes elas;não é verdade;mas lembre-se antes de me xingar jesus te ama e quer entrar em seu coração…

DEIXE UMA RESPOSTA