Cristãos são espancados durante culto por se recusarem a adorar ídolos hindus; Ore

115

A perseguição religiosa a cristãos na Índia teve um novo e triste episódio na última terça-feira, 15 de setembro, quando radicais hindus, armados com machados, tacos e pás agrediram um grupo de fiéis que estavam reunidos em oração.

O ataque, registrado no estado de Jharkhand, deixou seis pessoas feridas gravemente, de acordo com informações do Christian Post.

O grupo de extremistas tinha em torno de 15 pessoas, que prometeram “acabar” com os cristãos que estavam cultuando. No total, incluindo os pastores, os fiéis somavam 30 pessoas.

O pastor Akash Nandi relatou que os hindus ordenaram que o culto fosse interrompido, mas os fiéis se negaram: “Depois disso, dois homens entraram e pediram ao pastor e aos outros para irem para fora do local, mas os cristãos se recusaram a ir”, contou Nandi.


Enquanto uma parte dos extremistas agredia os fiéis, outros vandalizavam a moto do pastor Sarvajit Bharti. Outro pastor, Mitilesh Kumar, foi arrastado para fora do local onde estavam reunidos e ouviu dos radicais que eles deveriam adorar os ídolos hindus.

“Mitilesh respondeu que eles não estavam fazendo nada de errado por adorar a Cristo, e eles não iriam parar”, disse Nandi, acrescentando que vários fiéis foram “impiedosamente espancados” pelos extremistas, incluindo uma idosa de 60 anos, que teve as mãos fraturadas.

“Desde abril deste ano, temos sido pressionados a escolher entre Cristo e as nossas vidas, e somos constantemente ameaçados de sermos expulsos da aldeia se não renunciarmos a Cristo”, afirmou o pastor, chamando a atenção para o fato de que a perseguição inclui ainda a restrição do acesso dos cristãos da região aos poços de água.

“A situação é tensa, já que os extremistas estão perseguindo fortemente os cristãos e os ameaçam a serem queimados se eles não deixarem Cristo. É difícil para as crianças estar sem água adequada para beber, já que os cristãos são impedidos de tirar água do poço”, lamentou.

115 COMENTÁRIOS

      • LOPEZ DISSE
        Pelo que entendi na matéria ., parece que estava tendo um ritual hindiano., ai os protestantes como sempre vão lá querer se aparecer e atrapalhar a festa de outras culturas .. Igual fazem no Brasil quando depredam os centros d espíritas . As igrejas católicas quebrando tudo., ai pensam que os outros têm a paciência de Jó.

        Claro que é lamentável esta atitude radical., mais é preciso saber levar a mensagem da Cruz ., vejo que eles foram avisados para se retirarem do local , mas não saíram pagaram pra ver e levaram uma surra .,
        Falo isso por que aqui também no meu bairro na praça da matriz em frente à paróquia ., os evanjegues vão lá em plena missa aos domingos e colocam Cxs de som e fazem uma roda e ficam gritando alto e batendo violentamente nas suas bíblias e pulando como bodes e falam ou glórias ., ou alaquezumbianda , suamezuanebias., sai capeta ., sai calado., etc

    • Clamando,

      isso que você escreveu é incitação à violência e, portanto, crime.

      É nisso que consiste seu cristianismo? No incitação a violência?

      Você é tão cego e destituído de discernimento que não percebe que na Bíblia esta escrito que a vingança pertence ao Senhor, sendo o Senhor misericordioso de tal forma que isso explica porque não somos todos consumidos.

      E observe que você diz “vamos”, ou seja, você também se coloca como agressor.

      Pois saiba você que qualquer pessoa que praticar agressão por inspiração dessa tua convocação para a violência, a culpa recairá não apenas sobre ela, mas sobre você também, culpa tanto do ponto de vista penal como espiritual.

        • Não tem nada disso, juridicamente falando, pois, se fosse assim, a vingança seria aceita nos tribunais. Além do mais, foi isso o que você aprendeu na escola do Evangelho, onde Cristo mandou oferecer a outra face, orar pelos que nos perseguem, bendizer aos que nos maldizem?

    • Este seu comentário é digno do moderador exclui lo imediatamente deste site.,

      Peço também que as autoridades que aqui postam ou vinculam que abre imediatamente um processo a este clamando herege protestante ., urgente

      É um incitador de violência , filho de satanás.,

  1. Pelo que entendi na matéria ., parece que estava tendo um ritual hindiano., ai os protestantes como sempre vão lá querer se aparecer e atrapalhar a festa de outras culturas .. Igual fazem no Brasil quando depredam os centros d espíritas . As igrejas católicas quebrando tudo., ai pensam que os outros têm a paciência de Jó.

    Claro que é lamentável esta atitude radical., mais é preciso saber levar a mensagem da Cruz ., vejo que eles foram avisados para se retirarem do local , mas não saíram pagaram pra ver e levaram uma surra .,
    Falo isso por que aqui também no meu bairro na praça da matriz em frente à paróquia ., os evanjegues vão lá em plena missa aos domingos e colocam Cxs de som e fazem uma roda e ficam gritando alto e batendo violentamente nas suas bíblias e pulando como bodes e falam ou glórias ., ou alaquezumbianda , suamezuanebias., sai capeta ., sai calado., etc

    Quando os sinos da matriz tocam o Angelus ., os evanjegues entram em transe é incrível ., começam a girar feito baratas tontas e falar palavras de baixo calão., parecem possuídos .,.

    Só que os católicos desviam do circo e se adentram em grande número para dentro da matriz com suas famílias ., e organizadamente sobem as escadarias.,. Não ligando para aquela aberração protestante., que se acham no direito de invadir a praça da matriz com suas estripulias e arrogâncias.,

    Uma criança após observar a gritaria dos evanjegas , falou pai eles estão brigando ., o pai pacientemente respondeu , não filho estão querendo desviar o povo católico do caminho.,.

    Ai o filho disse ., então pai o Deus deles é outro .,
    O pai disse não filho ., Deus é um só., mas os homens querem dividi-los com suas seitas e imposições e doutrinas ….

    Este comentário ouvi de um amigo meu de infância que me confidenciou a observação de seu filho de apenas 11 anos de idade., ao ir na missa dominical.

    É assim caminha a humanidade .,. Oremos

    • Caro amigo Lopes,

      acabei de publicar um post que fala justamente dessa intromissão evangélica na cultura e na religião do povo indiano. Por favor, leia o texto se ainda não o fez.

        • Muito obrigado pelo elogio, caríssimo Lopes. Saiba que também aprecio muito seus comentários. Quanto ao livro, estou pensando em escrever. Paz e bem, caríssimo irmão na adoração ao DEUS SUPREMO.

          • Lopes,

            Depois que o homem do Brás resolver, diga a ele para fazer perigrinações em Aparecida, no Juazeiro de padim padre cícero, em fátima portugal, e por fim na cidade, vejam a ironia, santa de Roma.Mas tem que ir com os beatos, ou seja, os doentes pela igreja católica.

          • Lopes,

            Depois que o homem do Brás resolver, diga a ele para fazer perigrinações em Aparecida, no Juazeiro de padim padre cícero, em fátima portugal, e por fim na cidade, vejam a ironia, santa de Roma.Mas tem que ir com os beatos, ou seja, os doentes pela igreja católica.

    • Lopes,

      Meu caro, se fosse você, com certeza eu filmaria essa cena inusitada.

      Trazendo depois aqui, é mais que certo que site publique.

      Esperamos que o povo da cidade reconheça.

      É aí que mora o problema. Quando observado direitinho a tua filmagem, eis que nos depararemos com uma farsa, onde o que mais faz estrepolia é um tal de Lopes, o principal sacristão da matriz.

      Ou seja, mais um escândalo contra a tua igreja, a matriz, a praça, o sacristão lopes, e o papa excomungando você e seus comparsas de fraude.

  2. Lopes és Católico tu?
    Não julguem os envagelicos!
    Oremos para que Deus possa perdoar as suas falhas pk muitas vezes nos tornamos juizes.
    Quanto a atitude dos Hindus penso que foi muito bizzarra e negativa.

  3. “Fundamentalistas cristãos evangélicos são expulsos da Índia

    A presença proselitista de chamados “cristãos evangélicos”, ignorantes da cultura indiana, tem feito da tradicional convivência pacífica e de tolerância religiosa milenar da Índia um inferno sem precedentes. Sudheer Birokar comenta que, “A religião ‘hindu’ é única no sentido de que ela é a única maior religião hoje sobrevivente que acumulou uma contínua ligação com suas indistintas origens na antiguidade. O Hinduísmo não tem um fundador, nem dogmas de crenças, e jamais teve qualquer organização (instituição) que exercesse poder repressor sobre seus seguidores. Estas características diferenciadas estão na sua multiplicidade e diversidade. O termo Sanatana Dharma, o qual é usado para referir-se a esta ‘religião’, reflete o Seu caráter. Sanatana , significa, “contínuo”, “sucessivo”, etc. As religiões dos mesopotâmios, antigos gregos e romanos, eram muito semelhantes ao Hinduísmo. Mas quando elas foram substituídas pelo Islamismo e pelo Cristianismo, ambas se tornaram religiões distintas, calcadas no que chamam de ‘monoteísmo institucional'”.

    Desrespeitando totalmente hábitos milenares da cultura daquele povo, alguns que se vestem sob abrigo proselitista de uma “religião” que denominam de “cristã”, querem fazer à força a conversão de pessoas na Índia. Desconhecem as raízes, e os princípios básicos dos Direitos Humanos com relação a liberdade de crença e religião. Como alguém acha que pode ir numa outra cultura e impor a sua para os outros?

    A região de Orissa, recentemente, teve o mais notável dos abomináveis acontecimentos, que culminou na expulsão, por parte do governo indiano, de um grupo de intitulados evangélicos brasileiros da Igreja Universal. Não contentes com a forma proselitista e desrespeitosa que agiam, como o fato de chutarem as imagens de adoração locais como do Senhor Siva, Ganesha, Krishna, etc., chegaram à autoconclusão que o “problema da pobreza da Índia era devido `à má alimentação sem carnes de vaca”. De forma camuflada, colocaram carne de gado dentro da sopa que serviam aos miseráveis famintos – grande maioria resultado da trágica dominação inglesa dos últimos séculos. Ocorre que no conhecimento deste fato lamentável milhares de hindus se reuniram para protestar e exigir a expulsão dos fanáticos brasileiros. A expulsão deu-se em fevereiro de 2006, e contou com a resolução da Suprema Corte que se embasou na Constituição Federal e no Código Civil, que proíbem atitudes proselitistas por parte de qualquer grupo religioso.

    A imensa maioria do povo indiano é seguidora do Sanatana Dharma, a expressão mais pura e antiga da religiosidade, que está além de “religiões”, e quase todos adotam o vegetarianismo por opção, sendo que a carne de gado é considerada sagrada e não é comida jamais. A Índia é constituída de um povo que clama e age pelo princípio do Ahimsa ou não-agressão, que se aplica a tudo e a todos, tendo no gado vacuno, principalmente na vaca, um respeito como a segunda mãe, porque a vaca na Índia fornece a maior parte do combustível, além de ser declarada divina pelos textos védicos, os quais são os fundamentos do Sanatana Dharma, chamado pejorativamente de “hinduísmo” pelos Ocidentais de tradição judaico-cristã-islâmica.

    Para o seguidor do Sanatana Dharma, qualquer que seja a violência contra os seres e a natureza é abominável, o exemplo de “comer o corpo e beber o sangue” de um deus é totalmente abjeto para a filosofia da não agressão indiana. Contudo, atitudes que desrespeitam a cultura milenar da Índia, como o hábito de não comer carne de gado, não é tolerada, tendo frequentemente culminado com atos de violência em resposta ao desrespeito de fanáticos “cristãos”, principalmente brasileiros, que não se contentam com a sua própria fé e ignorância, achando que “os pobres indianos são ignorantes e pagãos, e um exemplo disso é o desconhecimento dos Evangélicos”, dizem alguns defensores do fundamentalismo evangélico brasileiro.

    Disfarçados em nomes de diferentes denominações de ajuda voluntária, a Igreja Universal e subderivações tem aderido outros fanáticos evangélicos que querem a toda ordem impor a sua cultura de consumo de carnes na Índia. Desconhecendo a realidade econômica-cultural da Índia, pensam ingenuamente que o consumo de carnes de vaca e a prática exógena de uma religião que prega a discórdia e a confusão, falsos “pastores” querem impor a sua forma de pensar no povo da Índia. Vendo como o mundo “cristão” tem agido através da história vemos com clareza que pregam tão somente a discórdia, ódio e desrespeito. Que religião é esta que não respeita a cultura de um povo e se coloca acima dos Direitos Humanos fundamentais, como liberdade de praticar sua própria religião no seu próprio país? Muito longe estão estes fanáticos brasileiros, até mesmo da Declaração dos Direitos Humanos, quem dirá sejam respeitadores das leis divinas da diversidade religiosa no mundo. Quando veem a população local reagindo contra as atitudes proselitistas e agressivas da cultura, os tais pastores e comunidade cristã colocam os seguidores da cultura milenar da Índia como sendo fanáticos. “Imagine alguém que é vegetariano ter a sua casa invadida por comedores da carne e obrigá-lo a comer a carne à força ou de modo dissimulado?”, contrargumenta Swami Krsnapriyananda, “é o mesmo que ir a Índia e impor uma cultura exógena a uma tradição milenar de não agressão para que coma carne de gado. Absurdo, ignorância e desrespeito”, conclui Sua Santidade.

    Apesar disso, o “neopentecostalismo” não é uma ameaça para a cultura da Índia. A resposta que estão recebendo do povo indiano irá ensinar a eles que religião não pode prescindir da cultura, nem sequer ser colocada à força, antes disso, deve ser praticada com amor e tolerância, principalmente mantendo o devido respeito ao local onde estão invadindo com ações de violência sem precedentes.

    O exemplo da expulsão da Igreja Universal está servindo para outros fanáticos evangélicos da Índia, o que irá, sem dúvida, eliminar os conflitos que desrespeitam os Direitos Humanos dos povos. Uma imensa cruzada mundial contra o proselitismo e violência de vilipêndio neopentecostal brasileiro está se formando no mundo inteiro, e todos estão convocados a defenderam o direito de não intromissão cultural na Índia.”

    Fonte: bharatanews#.blog#spot#.com.#br

    • Sandro,

      Coisa de católico da idade medieval essa tua postura.

      Você conseguiu transformar em vítima o povo indiano quando quem se encontra gravemente ferido são 15 cristãos, independente se católico ou evangélico.

      Se os evangélicos aqui do Brasil fossem como vocês querem que seja, ao certo não havia essa migração em massa. O povo evangélico sempre soube respeitar. A maior democracia do mundo é feita de evangélicos, os EUA.

  4. Vejam, caros leitores, a que ponto chega o ódio e fanatismo:

    “VAMOS ESPANCAR OS GAYS PARA NOS VINGAR” (Clamando)

    Isso que ele escreveu é incitação à violência, portanto, crime.

    É nisso que consiste o cristianismo desse homem? No incitar a violência?

    Ele é tão cego e tão destituído de discernimento que não percebe que na Bíblia esta escrito que a vingança pertence ao Senhor, sendo o Senhor misericordioso de tal forma que isso explica porque não somos todos consumidos, pois todos cometemos erros.

    E observe que ele diz “vamos”, ou seja, ele também se coloca como agressor.

    A partir de agora, qualquer pessoa que praticar agressão por inspiração da convocação à violência que ele fez, a culpa recairá não apenas sobre essa pessoa, mas sobre o Clamando também, e culpa tanto do ponto de vista penal como espiritual.

  5. Os cristão sempre estiveram presentes na Ìndia e nunca incomodaram os hindus, até porque no hinduísmo Jesus também é venerado como um enviado de Deus. Problemas começaram a aparecer com a chegada, no país, de evangélicos fundamentalistas que não respeitam a cultura, a religião e as leis do povo hindu. No texto que publiquei abaixo, ou seja, “Fundamentalistas cristãos evangélicos são expulsos da Índia”, os leitores poderão entender o porquê desses eventos de violência e que não são aprovados pelo pacífico e tolerante povo hindu. Por favor, leiam para, pelo menos, saber o outro lado, não o lado, obviamente, que justificaria a violência – porque nada, nada justifica a violência! – mas o outro lado no sentido de entender o que evangélicos fanáticos estão fazendo na Índia e como isso precisa ser enfrentado dentro da lei.

  6. “Hoje no mundo globalizado, muitas culturas e religiões interagem. Por isso é importante reconhecer que Deus não tem religião, mas está presente em toda tradição legítima e ouve todo clamor sincero. É preciso respeitar as diferenças como diferentes aspectos do mesmo Divino e saber apreciá-Lo em tudo.” (vendanta108, canal do Youtube)



    Assine o Canal
    • “Se uma pessoa é profunda em sua prática religiosa e espiritual, não vai ter medo de comparar e compartilhar com pessoas de outras tradições sem precisar convencer as outras pessoas para ele estar satisfeito” (Yadunandana Swami)

      De modo diferente age o fanático, e cujas ações são explicadas neste vídeo:



      Assine o Canal
    • E o engraçado é que aqui neste mesmo site,uma pessoa que eu não citarei o nome pra não atrair a atenção para mim,disse que os hindus são pessoas pacíficas.
      Se isso é ser pacífico,eu não quero nem saber como eles são quando estão nervosos!

      • Você não leu na matéria que se trata de ação de “radicais hindus”?

        A propósito, você leu o texto “Fundamentalistas cristãos evangélicos são expulsos da Índia”, ou você é dessas pessoas que não ouvem o outro lado?

        Radicalismos existem inclusive entre hindus e cristãos, mas do mesmo modo que os radicalismos evangélicos – como no caso da lei de prisão perpétua contra pessoas homoafetivas aprovada pelo parlamento evangélico da Uganda, repudiado por todo o mundo civilizado e tornada inválida pela suprema corte da referida nação, ou como nos casos de ataques à religiões de matriz africana – sim, como esses graves radicalismos evangélicos não representam a maioria dos cristãos, também as ações dos radicais hindus não representa a maioria dos hindus. Sinto dizer, mas você age claramente como uma radical evangélica, você, o Clamando, o Delldellphone, et caterva.

          • Deveria se envergonhar de representar tão diabolicamente o cristianismo. Você, o Clamando, o Delldellphone, et caterva.

            Graças ao verdadeiro DEUS, ao SENHOR SUPREMO, o amor e acolhimento que não encontrei na igreja evangélica fui encontrar justamente em uma religião fundamentada nas Escrituras Védicas.

          • Vanessa,

            Não são perfeitos, não. Por falar nisso costumam atacar de bando e estuprar mulheres. Lembra-se da fronteira com a Cassimira(algo parecido) uma eterna luta contra o Paquistão. Por falar nisso, nunca houve da parte de ambos a paz, nem dos hindus e nem dos seus irmãos muçulmanos, sendo que estes últimos dividiram o território, onde hoje é o Paquistão. Nunca houve paz entre eles, e justamente por razões tão apenas de cunho religioso, de intolerância.

          • LEVI
            Realmente,só um retardado pra achar que esse povo é pacífico,eu sei que eles não são, pois não é a primeira vez que esse tipo de coisa acontece,fora os casos que não vem à tona.Pra falar a verdade meu amigo,os cristãos são os que mais sofrem com perseguições pelo mundo afora,só que a grande mídia não dá destaque!
            Um bom dia pra você!

      • VANESSA

        Olá, querida amiga!
        O hindus são tão pacíficos que lá tem o diabólico sistema de castas, com os de cima olhando com superioridade e desprezo pelas pessoas de casta inferior.
        Isso sem falar nos que não são considerados seres humanos, pessoas que não são tocadas com a ponta do dedo, chamadas “intocáveis”.
        Se a sombra de um deles tocar alguém de casta superior, o mesmo diz que foi contaminado.
        E todos eles são idólatras, se prostram diante de Shiva, Ganesh e outros ridículos pedaços de pedra e madeira adorados como deuses.
        Um dia ocorreu um incêndio no templo X e os brâmanes correram para salvar seus deuses, que nem sequer podiam salvar a si mesmos, quanto mais salvar seus “adoradores”…
        São tão pacíficos que volta e meia irrompem guerras lá dentro mesmo, irmão contra irmão.
        Eu tb não queria ver esses caras nervosos, se o normal deles é assim.
        E vale lembrar, tratam a mulher como lixo, por ordem dos “deuses”.

    • Só na sua cabeça para imaginar que alguém poderia ser espancado apenas por não concordar com as práticas sexuaiss homoafetivas. Agora, nós, gays, temos sido espancados e mortos por pessoas cheias de fanatismo: esta é a verdade!

    • VANESSA

      É mesmo, querida amiga.
      Lá na Coréia do Norte tem o ditadorzinho Kim Jong Pum, que é homo sexual do tipo Borboleta Deslumbrada.
      Se ele mandar todo mundo andar de saia, ai de quem desobedecer.
      Dizem que ele vai banir a heterossexualidade de seu paisinho.
      Onde o louco demente é adorado como um deus.
      Todo homem vai ser obrigado a fazer sex0 com outro homem.
      Senão, a cabeça rola.

    • Sinto sempre um desalento ao ler os comentários da Vanessa, do Clamando, do Delldellphone, et caterva, pois essas pessoas destilam ódio, nada dizendo do verdadeiro caráter cristão que é amor, humildade, tolerância, espírito de paz.

      Essa gente vive perseguindo os gays em luta por direitos civis igualitários, bem como os religiosos que não comungam das estreitas e falsas visões que eles têm de Deus. Não se conformam com seu próprio fanatismo e querem que o mundo inteiro seja fanático como eles são. Veja, caro Lopes, que eles se incomodam tanto com os gays que apenas queremos direitos iguais – sim, pois o casamento gay, por exemplo, não é para casar gays com héteros, mas apenas gays com gays -, mas nada dizem dos corruptos que eles elegem para, além de roubar as igrejas através da sórdida e vil mercantilização da Palavra de Deus, ainda roubam a nação como os políticos corruptos que são. Essa gente representa de maneira satânica, diabólica o Evangelho de Cristo e são pedra de tropeço para muitos. Só resta orar por eles.

      • SANDRO

        Quem é que tentou tirar as palavras “pai” e “mãe” dos documentos?
        Quem é que tentou eliminar o Dia dos Pais e o Dia das Mães?
        Quem é que tentou banir até o contos de fadas e substituí-los por versões gays?
        Quem é que tentou fazer apologia do homo sexualismo nas escolas?
        Quem é que tentou obrigar as igrejas a fazer casamento de 2 barbados?
        Quem é que tentou instituir cotas para gays em concursos e vestibulares, sem nem sequer informar como o candidato ia provar que é gay?
        (Só a palavra dele vale ou os candidatos iriam ao proctologista?
        Dependendo do estado do c… seria deferido o pedido pra entrar na cota?)
        Quem fez tudo isso????????????????????????????????????????
        OS ATIVISTAS / EXTREMISTAS / GAYZISTAS
        Considerando tudo o que citei acima, não diferem muito dos NAZISTAS.
        E depois dizem que querem igualdade…
        E depois dizem que não querem acabar com a família…

        LIAR LIAR PANTS IN FIRE…

        • Senhora, por sua petulância, egolatria e pedantismo não debaterei contigo. Se quer respostas para as perguntas tendenciosas que fez, e que a senhora as retirou de sites como os de Julio Severo, Olavo de Carvalho, entre outros que deliram com teorias conspiratórias, saiba que elas já foram respondidas com brilhantismo por gente que de fato tem inteligênica. Mas se quer conhecer essas respostas, procure por si mesma, pois a senhora tem capacidade para tal. No dia em que a senhora deixar seu pedantismo ridículo de lado, e essa sua mania idiota, ególatra e narcisista de se referir a si mesma como “princesa” – e ainda, pasmem os leitores, de Arendelle! – debaterei com a senhora. Do contrário, perderá seu tempo dirigindo-me a palavra.

          • Apenas por compaixão de você, direi algumas palavras que a ajudarão a entender as questões que você coloca.

            Sem entrar no mérito das questões, entenda isso:

            a) antes de aceitar algo, examine a idoneidade das fontes;

            b) desconfie das alegações de fanáticos – eles distorcem;

            c) não confunda iniciativas de um só com as de um grupo;

            d) chamar os gays de “nazistas” só revela sua ignorância.

    • Vai orar, Vanessa, vai, e lembre-se sempre disto:

      “O Homem não é importante pelo seu Ego ou pela sua personalidade. O Homem é importante porque, como alma, ele é parte de Deus.” (Paramahansa Yogananda)

      • Sandro,sai do meu pé,eu não quero ser sua amiga…….E não me mande solicitação no face,esses dias um homossexual me mandou mas eu não aceitei pensando que fosse vc.Né por nada não,mas vc é muito chato!

        • E quem disse que eu quero ser seu amigo? Nunca enviei solicitação alguma para você, pois amizade pressupõe respeito entre as partes e você não respeita ninguém que pense diferente de você. Você deve ser muito infeliz para ficar aqui só postando ódiozinhos contra os gays.

          • Para seu governo, só respondi seus comentários provocadores porque você primeiro se dirigiu à minha pessoa. E vê se me erra VOCÊ, cara-pálida fingida, hipócrita e cheia de cinismo. Toma jeito!

          • Lembre-se disso, Vanessa: foi VOCÊ quem provocou. Agora, por favor: toma vergonha nessa tua cara – você e sua falsa “princesa” – e não me dirija mais a palavra!

            Você e sua amiga falsa “princesa” são desonestas intelectuais e pedantes, e eu NÃO GOSTO DE DEBATER COM VOCÊS!

            Com pessoas sensatas e inteligentes eu debato, mas com vocês duas definitivamente NÃO, pois vocês só sabem xingar, dizer mentiras, provocar as pessoas e causar tumultuo!

            Vão cuidar de seus maridos e filhos, suas desocupadas!

        • VANESSA

          Não adianta debater com esse sujeito.
          Largue ele falando sozinho.
          Ou melhor, largue ele falando com ele mesmo, pois esses nomes de comentaristas aqui do Gospel Mais são todos dele mesmo.
          Ele comenta, ele mesmo responde, ele mesmo curte…
          É a única explicação, pois não pode haver tanto idiota num site só.
          Podiam fazer um filme sobre ele, como aquele “Eu, eu mesmo e Irene”.
          Só que o dele seria “Eu, eu, eu mesmo, ainda eu e o Gospel Mais.
          E quanto a você, apedeuta Sandro, larga da Vanessa.
          Você não é digno nem de escrever o nome dela.
          Minhas amigas eu defendo até contra todos os poderes infernais, imagine um zé-ninguém, insignificante, inseto, bobalhão e tonto feito você.
          Não é por você ser gay, é por ser idiota mesmo.
          Um cara que chama Jean BBB Wilis de inteligente, fala sério.
          BBB – Burro, Besta, Babaca.
          Para um idiota, os outros idiotas são inteligentes.
          Ela quer a mim como amiga, vc ela dispensa.
          No nosso grupo, aceitamos apenas mulheres héteros reais.
          Imitações não.
          Não ofendemos ninguém, apenas não aceitamos.
          Simples assim.
          Vai lá ver se as uvas já amadureceram, vai…

          • Princesa
            Vc aqui é uma luz em meio as trevas,é uma querida amiga nesse mundo virtual,nunca me ofendeu mesmo não concordando com algumas coisas que eu penso,isso sim é amizade♡♡♡♡♡
            Quanto ao Sandro,só rindo mesmo da cara dele,pois como Vc mesma disse,ele é um fã de carteirinha do IDIÓTA do Wyllys,não se pode esperar muita coisa dele né?!
            Esses dias eu recebi uma solicitação de amizade no face de um cara homossexual,aí eu pensei;será que é o Sandro chatonildo?Na dúvida eu recusei,pois não quero uma pessoa invejosa e maldizente como amigo.
            Um beijo amiga e obrigada por sua amizade fiel!

          • “Não adianta debater com esse sujeito.”

            Por favor, senhora, dê o exemplo e não me dirija mais a palavra!

            Você é insuportável – todos sentem isso aqui. Me ignore, chata!

  7. Os judeus brasileirosOs judeus brasileiros

    Muitos brasileiros, quando estavam na escola, inclusive eu, aprenderam que o povo brasileiro foi formado por três raças básicas a saber: o branco português, o negro africano e o índio. 

    Entretanto, novas pesquisas históricas têm revelado que um povo em especial esteve presente na formação do povo brasileiro desde o período colonial: os judeus. A Prof.ª Dr.ª Anita Novinsky, renomada historiadora da USP, diz que um em cada três portugueses que vieram para o Brasil durante o Brasil Colônia, eram na verdade judeus portugueses.

    Como assim, judeus portugueses? Há muitos anos os judeus habitavam em Espanha, vivendo em liberdade religiosa, porém com a ascensão de Fernando e Isabel, os Reis Católicos, ao trono espanhol, começa uma perseguição implacável aos judeus espanhóis através da Inquisição, o temido tribunal da Igreja Católica. 

    Muitos judeus espanhóis são perseguidos, têm seus bens confiscados e queimados nas fogueiras da Inquisição. Em 1492, os reis da Espanha expulsam os judeus espanhóis da Espanha e estes fogem para Portugal.

    Nessa época também já viviam em Portugal muitos judeus, aos quais iriam se somar os judeus da Espanha.

    Em 1497, o rei português D. Manuel também publica um edito de expulsão, obrigando os judeus que estavam em Portugal a se converterem ao Catolicismo ou a saírem de Portugal. 

    Os judeus espanhóis e portugueses foram obrigados a se converterem à força ao Catolicismo, abandonando seus nomes judaicos e adotando nomes e sobrenomes espanhóis e portugueses, como Silva, Cardoso, Lopes, Costa, Nunes, David, Oliveira, Mesquita, Borges, Ferreira, Rezende, dentre vários outros, como nos mostra a história e o Dicionário Sefaradi de sobrenomes de origem judaica. 

    Esses judeus espanhóis e portugueses ficaram conhecidos como judeus sefarditas, isto é, que habitaram em Sefarad, nome judaico da Península Ibérica. 

    Também ficaram conhecidos como cristãos-novos, para se diferenciarem dos cristãos-velhos (portugueses e espanhóis que eram católicos há muito tempo ), como b`nei anussim ( os filhos dos forçados, isto é, forçados a se converterem ao Catolicismo), e como os marranos, os descendentes de judeus que abraçaram a fé católica de maneira forçada. 

    Mas o que tem a ver os judeus portugueses e espanhóis como Brasil? 

    No século XVI, a população de Portugal era de um milhão de habitantes. 
    Desses um milhão de habitantes, duzentos mil eram judeus, isto é, 20% da população de Portugal. Em 1497, os judeus que moravam em Portugal começam a ser perseguidos, torturados, tendo seus bens confiscados e queimados na fogueira.

    Muitos judeus desejam fugir dessa cruel perseguição imposta pelo governo português e pela Inquisição, mas fugir para onde? Então algo acontece: Em 1500, O Brasil é “descoberto”, e junto com frota de Cabral vêm para o Brasil judeus como Gaspar da Gama, Fernando de Noronha e após o descobrimento, milhares de judeus, fugindo da Inquisição, vêm para o Brasil, habitando principalmente no Nordeste, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. 

      • Poucos casamentos mudaram tanto a história como o da rainha Isabel, de Castela, com o rei Fernando, de Aragão. A boda de 1469 deu impulso à unificação da Espanha e selou o destino dos judeus na península Ibérica. Logo que subiram ao trono, os reis católicos viram que precisavam do apoio da Igreja e da burguesia para consolidar seu poder. Também tinham de encher os cofres para expulsar os mouros de Granada, o último bastião muçulmano na península desde a invasão no século 8 pelos exércitos islâmicos. A solução? Reeditar a Inquisição, tendo agora como alvo principal os judeus convertidos, e usar os lucros dos confiscos das vítimas para financiar a guerra contra os mouros.

        Fernando, de Aragão e Isabel, de Castela

        O plano deu certo. Em 1478, o papa Xisto IV autorizou a criação oficial do Tribunal da Inquisição na Espanha – embora duvidasse das intenções religiosas, acabou aceitando a ideia para manter a cooperação entre a coroa e a Santa Sé. “Apesar das funções santas que alegou, o Tribunal da Inquisição foi uma instituição vinculada ao Estado e respondia aos interesses das facções do poder: coroa, nobreza e clero”, diz Anita. Sevilha foi o palco do primeiro auto-de-fé da Inquisição moderna em 1481, quando seis pessoas morreram na fogueira. Segundo o historiador espanhol Andrés Bernáldez, mais de 700 convertidos seriam queimados e outros 5 mil presos ali até 1488. “Diferentemente da Inquisição medieval, cujos inquisidores eram nomeados pelo papa, na moderna eles eram nomeados pelos reis e atuavam por intermédio dos tribunais criados nos reinos, com a autorização do papa”, diz Anita.

        Em 1483, Xisto IV autorizou a criação de tribunais em Aragão, Catalunha e Valência. Quem assumiu como inquisidor-geral foi Tomás de Torquemada, chefe do mosteiro dominicano de Santa Cruz em Segóvia. Torquemada iniciava os processos com base em denúncias de todo tipo, inclusive por carta anônima. Não era preciso provar nada e o acusado não sabia quem era seu delator. Os tribunais julgavam dois tipos de crime. Os que eram contra a fé (e tinham como acusados judeus, islâmicos e protestantes, entre outros) eram mais graves e passíveis de morte. Já contra a moral (acusados de bigamia, sodomia e bruxaria, por exemplo) eram punidos com prisão e outros castigos mais leves. O confisco de bens valia para todas as vítimas.

        Com a grana dos confiscos, Fernando e Isabel conseguiram derrotar os mouros em Granada em 1492, enquanto a Inquisição começava a se expandir pelas colônias da América. Naquele mesmo ano, os reis católicos decretaram a expulsão da Espanha de todos os judeus que não aceitassem a conversão imediata. Quase 150 mil judeus atravessaram a fronteira em direção a Portugal, enquanto outros 50 mil se dirigiram ao norte da África e à Turquia. Os mouros da Espanha também tiveram que se converter ao cristianismo. Seus descendentes seriam desterrados de lá mais tarde, em 1609.

        Em Portugal, até então, cristãos, muçulmanos e judeus ainda mantinham uma boa convivência. Mas o rei português dom Manuel I acabara de fazer um contrato de casamento com Isabel, filha dos reis católicos espanhóis. E uma das cláusulas exigia que ele expulsasse os judeus também de Portugal. Como os judeus eram grandes negociantes e respondiam por uma parcela importante da economia, o monarca preferiu transformá-los em cristãos-novos, com um batismo forçado em 1497.

        Claro que muitos não abriram mão da fé com aquele banho coletivo de água benta. Por isso, os portugueses começaram a acusar os cristãos-novos de serem falsos cristãos. A violência explodiu em 1506, numa missa de Páscoa no mosteiro de São Domingos, em Lisboa. Um cristão-novo dissera que um suposto milagre era apenas um reflexo da luz e foi espancado até a morte. A raiva contra ele se espalhou pelas ruas, instigada por frades. Resultado: três dias de carnificina e cerca de 2 mil mortos.

        Em 23 de maio de 1536, o rei dom João III conseguiu autorização definitiva do papa para instalar a Inquisição em Portugal. Nos anos seguintes, as fogueiras dos autos-de-fé arderam em Lisboa, Coimbra, Évora e outras cidades. Muitos judeus fugiram para lugares onde podiam assumir sua identidade, como Amsterdã e Istambul. Outros continuaram a professar secretamente sua fé nos porões das casas, correndo o risco de serem pegos.

         

        Legado totalitário

        A Inquisição acabou oficialmente em 1821 em Portugal e em 1834 na Espanha. Depois disso, o Santo Ofício ainda vigorou na Itália e mudou duas vezes de nome até, em 1965, passar a ser chamado de Congregação para a Doutrina da Fé. No ano 2000, o papa João Paulo II oficializou o pedido de desculpas pelos “erros cometidos a serviço da verdade, por meio do recurso a métodos não-evangélicos”.

        Para os estudiosos, o problema da Inquisição vai muito além da quantidade de mortos: sua herança discriminatória é sentida ainda hoje. “A Congregação para a Doutrina da Fé advertiu e puniu teólogos contemporâneos que têm questionado alguns aspectos da doutrina católica e a infalibilidade da Igreja”, diz Anita. Um deles foi o brasileiro Leonardo Boff, condenado em 1984 pelo então cardeal (atual papa) Joseph Ratzinger a um ano de “silêncio obsequioso” por causa dos questionamentos à hierarquia eclesiástica expostos no livro Igreja: Carisma e Poder. Durante o interrogatório, Boff se sentou na mesma cadeira ocupada mais de 300 anos antes pelo físico Galileu Galilei.

        Mas o legado da Inquisição ultrapassa as fronteiras do cristianismo. “Com seu caráter de polícia do pensamento, ela impôs um estado de paranóia e perseguição institucional que é um claro antecedente dos totalitarismos atuais”, diz o historiador inglês Toby Green. Exemplo disso foi o regime nazista, que levou às últimas conseqüências a noção de pureza da raça.

        Para Neusa Fernandes, o trabalho do Santo Ofício continua vivo no racismo, na censura, no controle moral, na miséria, na violência. Os movimentos fundamentalistas atuais, embora de origens diversas, também compartilham a atitude dos inquisidores. “Eles pensam que são donos de toda a verdade e que os outros são hereges”, diz o escritor americano Richard Zimler, autor de O Último Cabalista de Lisboa.

         

         

        Fonte:

        http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/inquisicao-morte-aos-hereges-435979.shtml

    • Luciano,

      Acerca de dois anos, a Espanha editou lei garantindo cidadania a membros de cinco mil famílias expulsas do país e estando morando nas terras do além mar, ou seja, na América Latina.

      Os judeus usavam como forma da não perda total de identidade sobrenomes de árvores e de animais, no caso as pessoas das famílias: coelho, pinto, bezerra, formiga, barata, leão, leitão, ramos, pinheiro, pereira, silva, oliveira, filgueira, carvalho…

      Os judeus já estavam de orelha em pé com a igreja católica desde a expulsão dos mouros.

      A escola de sagres foi criada pelos judeus em portugal pra encontrar uma fuga estratégica pelo mar, tendo descoberto e permanecido calados as américas. isso cerca de duzentos anos antes da data oficial, 1500.

      A igreja quando soube dessa descoberta determinou a conversão obrigatória, tendo inventado o tratado de tordesilhas pra ficar com as terras, momento em que permitiu os judeus virem pro Brasil.

      Procure no Youtube por um documentário por nome estrela oculta no sertão.

      • “The golden age of equal rights [in Spain] was a myth, and belief in it was a result, more than a cause, of Jewish sympathy for Islam. The myth was invented by Jews in nineteenth-century Europe as a reproach to Christians.” — Bernard Lewis, “The Pro-Islamic Jews” in Islam in History (Chicago: Open Court, 1993), p. 148.

  8. Poucos casamentos mudaram tanto a história como o da rainha Isabel, de Castela, com o rei Fernando, de Aragão. A boda de 1469 deu impulso à unificação da Espanha e selou o destino dos judeus na península Ibérica. Logo que subiram ao trono, os reis católicos viram que precisavam do apoio da Igreja e da burguesia para consolidar seu poder. Também tinham de encher os cofres para expulsar os mouros de Granada, o último bastião muçulmano na península desde a invasão no século 8 pelos exércitos islâmicos. A solução? Reeditar a Inquisição, tendo agora como alvo principal os judeus convertidos, e usar os lucros
    dos confiscos das vítimas para financiar a guerra contra os mouros.

    Fernando, de Aragão e Isabel, de Castela

    O plano deu certo. Em 1478, o papa Xisto IV autorizou a criação oficial do Tribunal da Inquisição na Espanha – embora duvidasse das intenções religiosas, acabou aceitando a ideia para manter a cooperação entre a coroa e a Santa Sé. “Apesar das funções santas que alegou, o Tribunal da Inquisição foi uma instituição vinculada ao Estado e respondia aos interesses das facções do poder: coroa,
    nobreza e clero”, diz Anita. Sevilha foi o palco do primeiro auto-de-fé da Inquisição moderna em 1481, quando seis pessoas morreram na fogueira. Segundo o historiador espanhol Andrés Bernáldez, mais de 700 convertidos seriam queimados e outros 5 mil presos ali até 1488. “Diferentemente da Inquisição medieval, cujos inquisidores eram nomeados pelo papa, na moderna eles eram nomeados pelos reis e atuavam por intermédio dos tribunais criados nos reinos, com a autorização do papa”, diz Anita.

    Em 1483, Xisto IV autorizou a criação de tribunais em Aragão,
    Catalunha e Valência. Quem assumiu como inquisidor-geral foi Tomás de Torquemada, chefe do mosteiro dominicano de Santa Cruz em Segóvia. Torquemada iniciava os processos com base em denúncias de todo tipo, inclusive por carta anônima. Não era preciso provar nada e o acusado não sabia quem era seu delator. Os tribunais julgavam dois tipos de crime. Os que eram contra a fé (e tinham como acusados judeus, islâmicos e protestantes, entre outros) eram mais graves e passíveis de morte. Já contra a moral (acusados de bigamia, sodomia e bruxaria, por exemplo) eram punidos com prisão e outros castigos mais leves. O
    confisco de bens valia para todas as vítimas.

    Com a grana dos confiscos, Fernando e Isabel conseguiram derrotar os mouros em Granada em 1492, enquanto a Inquisição começava a se expandir pelas colônias da América. Naquele mesmo ano, os reis católicos decretaram a expulsão da Espanha de todos os judeus que não aceitassem a conversão imediata. Quase 150 mil judeus atravessaram a fronteira em direção a Portugal, enquanto outros 50 mil se dirigiram ao norte da África e à Turquia. Os mouros da Espanha também tiveram que se converter ao
    cristianismo. Seus descendentes seriam desterrados de lá mais tarde, em 1609.

    Em Portugal, até então, cristãos, muçulmanos e judeus ainda mantinham uma boa convivência. Mas o rei português dom Manuel I acabara de fazer um contrato de casamento com Isabel, filha dos reis católicos espanhóis. E uma das cláusulas exigia que ele expulsasse os judeus também de Portugal. Como os judeus eram grandes negociantes e respondiam por uma parcela importante da economia, o monarca preferiu transformá-los em cristãos-novos, com um batismo forçado em 1497.

    Claro que muitos não abriram mão da fé com aquele banho coletivo de água benta. Por isso, os portugueses começaram a acusar os cristãos-novos de serem falsos cristãos. A violência explodiu em 1506, numa missa de Páscoa no mosteiro de São Domingos, em Lisboa. Um cristão-novo dissera que um suposto milagre era apenas um reflexo da luz e foi espancado até a morte. A raiva contra ele se espalhou pelas ruas, instigada por frades. Resultado: três dias de carnificina e cerca de 2 mil mortos.

    Em 23 de maio de 1536, o rei dom João III conseguiu autorização
    definitiva do papa para instalar a Inquisição em Portugal. Nos anos seguintes, as fogueiras dos autos-de-fé arderam em Lisboa, Coimbra, Évora e outras cidades. Muitos judeus fugiram para lugares onde podiam assumir sua identidade, como Amsterdã e Istambul. Outros continuaram a professar secretamente sua fé nos porões das casas, correndo o risco de serem pegos.

     

    Legado totalitário

    A Inquisição acabou oficialmente em 1821 em Portugal e em 1834 na
    Espanha. Depois disso, o Santo Ofício ainda vigorou na Itália e mudou duas vezes de nome até, em 1965, passar a ser chamado de Congregação para a Doutrina da Fé. No ano 2000, o papa João Paulo II oficializou o pedido de desculpas pelos “erros cometidos a serviço da verdade, por meio do recurso a métodos não-evangélicos”.

    Para os estudiosos, o problema da Inquisição vai muito além da quantidade de mortos: sua herança discriminatória é sentida ainda hoje. “A Congregação para a Doutrina da Fé advertiu e puniu teólogos contemporâneos que têm questionado alguns aspectos da
    doutrina católica e a infalibilidade da Igreja”, diz Anita. Um deles foi o brasileiro Leonardo Boff, condenado em 1984 pelo então cardeal (atual papa) Joseph Ratzinger a um ano de “silêncio obsequioso” por causa dos questionamentos à hierarquia eclesiástica expostos no livro Igreja: Carisma e Poder. Durante o interrogatório, Boff se sentou na mesma cadeira ocupada mais de 300 anos antes pelo físico Galileu Galilei.

    Mas o legado da Inquisição ultrapassa as fronteiras do cristianismo. “Com seu caráter de polícia do pensamento, ela impôs um estado de paranóia e
    perseguição institucional que é um claro antecedente dos totalitarismos atuais”, diz o historiador inglês Toby Green. Exemplo disso foi o regime nazista, que levou às últimas conseqüências a noção de pureza da raça.

    Para Neusa Fernandes, o trabalho do Santo Ofício continua vivo no racismo, na censura, no controle moral, na miséria, na violência. Os movimentos fundamentalistas atuais, embora de origens diversas, também compartilham a atitude dos inquisidores. “Eles pensam que são donos de toda a verdade e que os outros são hereges”, diz o
    escritor americano Richard Zimler, autor de O Último Cabalista de Lisboa.

     

     

    Fonte:

    /guiadoestudante.abril/aventuras-historia/inquisicao

    • “À luz de sua reputação atormentadora, certamente surpreenderá aqueles que acreditam que milhões de pessoas morreram na Inquisição Espanhola aprender que durante os séculos 16 e 17 menos de três pessoas por ano foram sentenciadas à morte pela Inquisição em todo o Império Espanhol, que ia da Espanha à Sicília e Peru [1]. “[…] O que significa que através dos seus infames 345 anos [considerando três breves suspensões], a terrível Inquisição Espanhola foi, numa base anual, cerca de catorze vezes menos letal que bicicletas infantis [2]”.

      [1] Henry Kamen, The Spanish Inquisition: A Historical Revision. New Haven: Yale University Press, 1997, pág. 203;

      [2] Facts About Injuries To Children Riding Bicycles. Safe Kids Worldwide.

  9. A todos que postam seu comentários nesse site, quero dizer as duas frases que JESUS disse quando perguntando por um jovem qual seria o grande mandamento..

    Resposta de JESUS pai da eternidade e príncipe da paz.

    Amarás o Senhor teu DEUS , te todo teu coração, te toda tua alma,
    te todas as tuas forças, com toda a tua capacidade intelectual
    Segundo> Amarás teu próximo como a ti mesmo…

    E Amarás o teu próximo como a ti mesmo…

    De uma maneira muito simples, DEUS fala que só devemos adora-lo, não existe outro DEUS ou outra divindade na qual merece nossa adoração. Oração , louvor e sacrifício . Só DEUS é Onipotente , Onisciente e Onipresente. Só DEUS tem o poder o que tanto precisamos nos momentos mais difíceis de nossa vida. Só DEUS sabe o momento certo de agir, só DEUS vê os momentos que estamos passando só DEUS sonda a nossa mente nosso coração e sabe o que fazemos e pretendemos fazer..

    Amarás teu próximo como a ti mesmo.
    Se alguém diz que ama a DEUS mais odeia seu irmão, é mentiroso, pois quem não ama seu a irmão a qual viu. como pode amar DEUS , a quem não viu?

    Sé nós não amamos o nosso próximo, então nós em vão tentaremos manter o que somente através do amor pode ser mantido….
    .

  10. Sandro eles disfarçam quando se dizem de Deus ., na verdade são hereges protestantes da pior espécie., olha caro Sandro sou pai de família .. Porém tenho amigos homossexuais ., e olha são pessoas boníssimas honestas educadas e que superam em humanidade muitos heteros principalmentes os fundamentalistas protestantes .

    Paz. E bem

  11. o que eles pa$$tores gostam é de MUIIIIITA SACANAGEM mesmo!!!!

    “Pastor americano Howard Curtis é acusado dar tapas nos traseiros de mulheres em ritual

    de violentar outras sete mulheres, além de agredir crianças, no Sul de Londres”

    IG

  12. Amigos,

    debater nesse site é um desafio muito grande, pois algumas pessoas que aqui postam – gente com natureza mental claramente desequilibrada – tornam este ambiente virtual extremamente pesado, hostil e que induz até as pessoas do bem a desequilíbrios.

    A solução – é triste dizer – é não debater mais com essas pessoas, mesmo que elas provoquem com suas mentiras, cinismo, hipocrisia, pendantismo e agressividade.

  13. Princesa das trevas.

    Se te entreguei a satanás foi devido as tuas ofensas em relação a minha pessoa..

    Se vc não quer ter carater de uma mulher virtuosa pelo amor, então o diabo toma conta de vc, quando vc sentir na carne o efeito de satanás quem sabe vc se arrepende e serve o DEUS vivo.

  14. Princesa querida,o Sandro chatonildo falou que não quer mais debater com a gente.Olha,eu vou parar de namorar,de comer,de beijar o meu filho por causa disso é muita tristeza pra eu aguentar amiga,eu acho que vou mooorreeerrrr………kkkkklkkkkkkkkkkkkkk……………Ai,ai,que belo dia de domingoooooo……..Agora eu vou ali e volto depois.Bom dia amiga queridaaaaaaaaaaa♡♡♡♡♡♡♡

DEIXE UMA RESPOSTA