Após Ana Paula Valadão participar do Festival Promessas, marido da cantora compara Rede Globo à Babilônia

9

Em um texto publicado no blog da Ana Paula Valadão, o pastor Gustavo Bessa, marido da cantora, compara a Rede Globo ao império babilônico. O pastor faz um paralelo entre a aproximação da emissora com os evangélicos às manobras políticas do rei Ciro, o persa.

O pastor começa o texto contando a história da Babilônia e de sua tentativa de fazer com que os outros povos assimilassem sua cultura: “era uma estratégia de guerra e conquista que tinha a intenção de fazer com que os povos conquistados não mais levantassem a bandeira de sua terra natal, de seus costumes, de sua religião e de seus princípios, mas antes fossem engolidos e assimilados por outros povos, culturas e religiões” descreve Bessa que completa dizendo que a intenção dessa manobra “era fazer com que os judeus assimilassem e fossem assimilados pela cultura babilônica”.

Gustavo Bessa continua seu texto contando que após a queda do império babilônico os persas assumiram o poder e mudaram a sua forma de abordagem aos outros povos, resgatando a identidade deles e os colocando como aliados. “Não que Ciro tivesse se convertido ao Deus do Céu. Ele não pensava religiosamente, mas sim politicamente. Ele queria ter aliados políticos, a fim de manter o seu império”, explica o pastor comparando a abordagem persa com as recentes aproximações da Rede Globo aos evangélicos.

O marido de Ana Paula Valadão, que tem um contrato com a Som Livre, afirmou que “antes, havia uma tentativa de desacreditar e descaracterizar a igreja evangélica por meio de caricaturizações, hoje existe uma tentativa de aproximação dos evangélicos”. Ele diz que essa aproximação não ocorre porque a emissora “tenha se convertido a Jesus, mas, sim, porque reconheceu que os evangélicos se tornaram numerosos no país, e, consequentemente, uma força consumidora”.

Ele finaliza dizendo que o povo evangélico deve orar “agradecendo por essa porta aberta” e diz que os evangélicos devem aproveitar essa aproximação assim como os judeus aproveitaram a ajuda de Ciro para reconstruir o Templo de Jerusalém.

Fonte: Gospel+

9 COMENTÁRIOS

  1. Interessante é que constantino fez a mesma coisa com a igreja romana, pois ele não se converteu ao cristianismo, mas sua intenção era associar o Estado e a Igreja – Política e Religião…fazendo isso ele teria o controle absoluto sobre o povo e foi exatamente isso que aconteceu.
    A emissora foi comparada com o império babilônico, como diz o Gustavo Bessa…
    A Bíblia diz em Apocalipse 18:4 – "Sai dela povo meu para não participar de seus pecados…" – é claro que não é da emissora que a bíblia fala, mas percebem a contradição?
    Obs: BABILÔNIA – morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável.
    Se ele próprio comparou a globo com a babilônia, como pode usufruir e tirar algo de bom de um lugar como esse?

  2. Eu só quero entender uma coisa: o cristao tem que fazer a diferença, nao é? entao porque esses comentários? tá errado o pastor Bessa dizer essas coisas? alguém me explique melhor.

  3. Na minha opniao como um pobre pecador, acho que se a igreja desse testemunho no seu dia a dia não precisaria nem de mídia, o próprio boca a boca seria o suficiente. O problema é que a grande maioria não entrega 100 por cento a vida pra Deus, quer viver vida dupla e não tem contraste nenhum com o mundo pois já aderiu seus costumes pagãos então ninguém olha pra igreja com bons olhos mais, por que a igreja ta mais pecadora do que o mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA