Influência das igrejas evangélicas pode ser decisiva nas eleições municipais desse ano

1

Os analistas políticos garantem que o eleitorado evangélico foi decisivo para a realização de um segundo turno nas eleições presidenciais de 2010. Questões que são cruciais para esses eleitores como aborto e casamento homossexual foram extensivamente debatidas nos palanques e nos púlpitos. Líderes de igrejas evangélicas como Malafaia e Valdomiro Santiago chegaram até a participar do horário eleitoral.

Nas eleições municipais desse ano essa influência tende a ser ainda maior. A Folha de São Paulo publicou uma matéria que relata a aproximação de partidos políticos com lideranças evangélicas. Como exemplo do Partido Social Cristão (PSC), próximo da Assembleia de Deus, que se uniu ao Partido Republicano Brasileiro (PRB), ligado à Igreja Universal para lançar Celso Russomanno como seu candidato em São Paulo.

O jornal relata também que partidos com maior força como PT, PSDB e PMDB também buscam uma aproximação com os religiosos, querendo que essa aliança dê uma melhor imagem para seus candidatos. Um destaque é o pré-candidato do PT Fernando Haddad, atual ministro da Educação, que certamente terá dificuldades para conquistar o voto dos evangélicos por conta do polêmico “kit gay”.

O vereador evangélico Carlos Apolinário (DEM) falou sobre o assunto: “O pastor mantém a neutralidade o máximo que pode. Por que vai pedir voto antes da hora e correr o risco de alguém da congregação simpatizar com o adversário?”

Segundo o cientista político Cesar Romero Jacob “os pentecostais estão em regiões com nível de escolaridade menor, então é mais fácil construir um discurso”, mas Jacob ressalta que isso não garante que pastores possam impor um “voto de cabresto religioso”.

Para o sociólogo Antônio Flávio Pierucci, da USP, a maior influência das igrejas é o poder de veto. Segundo ele “não existe voto religioso no sentido de um grupo votar em quem o pastor manda, mas a religião pode levar o cidadão a não escolher determinado candidato que apoia bandeiras contrárias a sua fé”.

O que é unanimidade para todos os estudiosos é o crescente interesse dos partidos políticos nos eleitores cristãos, sobretudo nos evangélicos, que vem ganhando grande espaço no país.

Fonte: Gospel+

1 COMENTÁRIO

  1. não está certa pessoa votarem só porque estão dizendo que um candidato já ganhou e ir de embalo como ´´mariazinha vai com as outras´´ e não deve votar em uma pessoa só porque é parente , padre , pastor , católico ou crente , devem votar por achar o candidato profissional e que sabe o que fazer com a cidade, estado, ou país etc!
    por isso que existem tantas pessoas sem saber nada de política e também que não ligam para a população!
    isso é tão errado e´´ dá tão errado ´´votar sobre influências de outra coisa a não ser melhoria para a cidade e país de onde se vive.

  2. SOMOS UM POVO TÃO DIVIDIR, DIZ AS ESCRITURAS UM REINO DIVIDI NÃO PREVALECER. POSSO ATÉ ESTA ERRADO + CRISTÃO TINHA QUE VOTA EM CRISTÃO, PARA NÃO FICA NÃO MÃO DE NINGUEM. + SOMOS DESUNIDOS

  3. Se murar vira hospício, se cobrir vira circo e se colocar luzes coloridas, vira zona eleitoral. O "puder" pelo voto do devoto. Ja pensou uma moeda com a efigiê de Edir Macedo,… Jesus falaria dai a Edir o que é de Edir e a Deus o que é de Deus, e o diabo não teria como corromper ninguém com reino. Estaria sem "puder".!!!

  4. Vamos boicotar este movimento dentro das igrejas, o proxima vai ser na asssembleia madureira de Macaé, na segunda dia 3/09/12, infelizmente as igrejas estão sendo chamadas, pela presença do Lider Abiner Ferreira, mas o fundo politico para anunciar a candidatura do PSD, Christino, que vergonha!!!, O Pastor esta separando toda segunda para o apoio em varias cidades, podem pesquisar na internet.
    Pessoal sou leigo em informatica por favor divulguem nas redes socias.

DEIXE UMA RESPOSTA