Brasil

Pastor colunista do Gospel+ lança livro: Evangelhos que Paulo jamais pregaria. Confira a entrevista

Comments (30)
  1. Edivaldo disse:

    Realmente a palavra de Deus não pode ser pregada de qualquer maneira. A pessoas que pensam que pregar é uma profissão.

  2. wellington disse:

    “Adquiri o livro Evangelhos que Paulo Jamais Pregaria” Tenho apenas duas coisas a dizer sobre este livro, a primeira é que o verdadeiro evangelho esta sendo defendido pelo escritor, e isso é ótimo. A segunda é a clareza com que colocou as palavras e frases nos demonstrou que realmente Ciro defende um evangelho verdadeiro, muito bom mesmo! Nos dias de hoje precisamos de pessoas que tem esse tipo de mente e interesse de falar e expandir a Palavra da Verdade ao povo esta sendo destruido por não conhecer as escrituras. Obrigado Ciro por este exemplar.

  3. O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE O BATISMO NAS ÁGUAS

    Para analisarmos o batismo com mais clareza, devemos considerar pelo menos dois textos sobre o assunto: Mateus 28:19 e Atos 2:38:

    19Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; (Mateus 28:19)

    38Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo. (Atos 2:38)

    A maioria dos pastores, líderes, pregadores e teólogos de milhares de denominações evangélicas, sustentam que a forma de batizar é pronunciando as palavras: “eu te batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, argumentando que devemos seguir a ordem de Jesus dada em Mateus 28:19 e ignorarmos o que o apóstolo Pedro pregou em Atos 2:38, quando quase três mil pessoas foram batizadas em nome de Jesus Cristo.

    Alguns chegam a dizer ignorantemente que devemos ficar com Jesus e não com Pedro e com os demais apóstolos! Esta incoerente e absurda contradição às Escrituras equivale dizer que as epístolas do Novo Testamento, escritas pelos apóstolos, deveriam ser desconsideradas, anuladas e até mesmo sem nenhuma validade escriturística. Os que afirmam tal contradição fazem com que tanto a Igreja de Cristo, quanto a pregação do Evangelho não passe de uma fraude ou uma irrealidade. Estas pessoas esqueceram que dependemos por completo do testemunho que os apóstolos deram por escrito nos evangelhos e nas cartas, registrando assim, as palavras e ensinamentos de Mestre, visto que o próprio Senhor Jesus não deixou nenhum registro por escrito! Além disso, conforme o evangelho de João 17:18-21, Jesus mesmo, orando, declarou que haveríamos de crer NELE pela palavra de seus discípulos a fim de que todos os crentes sejam UM assim como Ele é com o Pai e o Pai é com Ele. Leiamos:

    18Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo.
    19E por eles me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade.
    20E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim;
    21para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. (João 17:18-21).

    Diante da oração do Salvador, quero nesta oportunidade deixar uma pergunta: Por que Jesus não orou dizendo que os três (Ele, o Pai e o Espírito Santo) são um? Por que o Espírito Santo não foi incluído nesta oração para completar a trindade, já que Jesus citou apenas a unidade entre Ele e o Pai? Em outra oportunidade, se o Eterno permitir, falaremos sobre este assunto.

    Bem! Vamos voltar ao assunto sobre o batismo. É importante dizer que o batismo não era uma novidade para os judeus, pois João, sob a ordem divina, já batizava. Leiamos algumas referências bíblicas sobre o batismo de João:

    Mateus 3:7 – 7Mas, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, disse-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura?

    Lucas 3:2,3 – 2sendo Anás e Caifás sumos sacerdotes, veio a palavra de Deus a João, filho de Zacarias, no deserto. 3E ele percorreu toda a circunvizinhança do Jordão, pregando o batismo de arrependimento para remissão de pecados;

    João 1:31-33 –31Eu não o conhecia; mas, para que ele fosse manifestado a Israel, é que vim batizando em água. 32E João deu testemunho, dizendo: Vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele. 33Eu não o conhecia; mas o que me enviou a batizar em água, esse me disse: Aquele sobre quem vires descer o Espírito, e sobre ele permanecer, esse é o que batiza no Espírito Santo.

    Além disso, o batismo de prosélitos (adeptos do judaísmo) era uma prática entre os judeus. Porém, o novo elemento no batismo ordenado por Jesus é que este deve ser ministrado em seu nome, ou seja, em nome de Jesus. As palavras “eu te batizo em nome de Jesus” devem ser pronunciadas sobre o batizado expressando assim, o relacionamento, o compromisso e a submissão ao Senhor e Messias proclamado pelos primeiros discípulos. Alguns pregadores e comentaristas acreditam erroneamente que as palavras de Pedro significavam simplesmente “sede batizados segundo a autoridade que Jesus nos conferiu” (conferiu aos apóstolos). Ou seja, que os apóstolos batizavam sob a autoridade de Jesus. Ora! Sem dúvida eles receberam tal autoridade de Jesus, porém o significado é mais profundo: O sentido é pronunciar o nome de Jesus sobre o novo convertido. Ora! Quando fazemos alguma coisa sob a autoridade de Jesus, é claro que invocamos o seu nome. Por exemplo: Se o crente vai expulsar um demônio, orar por alguém enfermo ou realizar qualquer outra coisa por palavras ou obras em nome de Jesus, este crente invoca (ou pronuncia) o nome de Jesus! Vejamos o exemplo:

    Atos 3:6 – 6E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.

    Atos 3:16 16E pela fé no seu nome fez o seu nome fortalecer a este que vedes e conheceis; sim, a fé que vem por ele, deu a este, na presença de todos vós, esta perfeita saúde.

    Atos 4:10 – 10Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós.

    Atos 16:16-18 – 16E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.17Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo. 18E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu.

    Quando o nome do Senhor Jesus é invocado sobre o crente no ato do batismo, ele é colocado sob a autoridade de Jesus. Vejamos um Exemplo em

    Tiago 2:7 – 7Porventura não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado?

    Leiamos outros textos:

    Atos 2:21 – 21E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

    Atos 9:21 – 21Todos os seus ouvintes pasmavam e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam esse nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais sacerdotes?

    Atos 15:16,17 – 16Depois disto voltarei, e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído; reedificarei as suas ruínas, e tornarei a levantá-lo; 17para que o resto dos homens busque ao Senhor, sim, todos os gentios, sobre os quais é invocado o meu nome, diz o Senhor que faz estas coisas, que são conhecidas desde a antiguidade.

    Romanos 10:12-14 – 12Porquanto não há distinção entre judeu e grego; porque o mesmo Senhor o é de todos, rico para com todos os que o invocam. 13Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. 14Como pois invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue?

    1ª Coríntios 1:1,2 – 1Paulo, chamado para ser apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus, e o irmão Sóstenes, 2à igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados para serem santos, com todos os que em todo lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso:

    2ª Timóteo 2:22 – 22Foge também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.

    Todavia vamos procurar entender as Escrituras Sagradas! Será que o apóstolo Pedro desobedeceu a ordem do Mestre ao mandar que aquelas quase três mil almas fossem batizadas em nome de Jesus? Será que Pedro, ao pregar seu primeiro sermão no dia de Pentecostes (o dia em que a Igreja foi fundada), não estava falando pelo Espírito Santo? É evidente que Pedro obedeceu a ordem de Jesus e falava pelo Espírito Santo. O Espírito Santo estava inaugurando a Igreja e dirigindo-a em toda a verdade, conforme o próprio Senhor Jesus havia prometido aos seus discípulos em João 14:26 e 16:13. Leiamos:

    João 14:26 – 26Mas o Consolador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito.

    João 16:13 – Mas, quando vier aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.

    Se Pedro houvesse errado em sua pregação, sem dúvida o Espírito Santo teria lhe corrigido e lhe lembrado o que Jesus disse em Mateus 28:19, pois é o Espírito Santo enviado em nome de Jesus que ensina ao crente todas as coisas e o guia em toda a verdade.

    Todo estudante da Bíblia sabe que o livro dos Atos dos Apóstolos (também conhecido antigamente como “O Evangelho do Espírito Santo” e “O Evangelho da Ressurreição”) é o livro histórico do início da Igreja. Em Atos, Lucas continua documentando o Cristianismo iniciado em seu Evangelho dizendo que fez “o primeiro tratado… a cerca de tudo quanto Jesus começou a fazer e a ensinar, até o dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamento, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera.” (Atos 1:1,2). A partir destes primeiros versículos é estabelecida uma ligação entre o que se lê nos Evangelhos e o que está narrado e confirmado no livro dos Atos. A expressão “tudo quanto Jesus começou a fazer e a ensinar” confirma que o Mestre daria continuidade a obra da evangelização por meio de dos apóstolos “depois de ter dado mandamento, pelo Espírito Santo”. Neste livro (Atos dos apóstolos) não encontramos ninguém, simplesmente ninguém sendo batizado pelos apóstolos pronunciando “eu te batizo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Os apóstolos batizaram exclusivamente em nome de Jesus. Vejamos algumas referências bíblicas:

    Atos 2:38 – “…cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo”.

    Atos 8:16 – “…somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus”.

    Atos 10:48 – “E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo”.

    Atos 19:5 – “…foram batizados em nome do Senhor Jesus”.

    Atos 22:16 – “Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor”.

    A PRIMEIRA PREGAÇÃO DE PEDRO

    Em Atos 2:1 ao 4, 15 ao 21 e 37 e 38 lemos o seguinte:

    1Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.
    2De repente veio do céu um ruído, como que de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.
    3E lhes apareceram umas línguas como que de fogo, que se distribuíam, e sobre cada um deles pousou uma.
    4E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem…
    14Então Pedro, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.
    15Pois estes homens não estão embriagados, como vós pensais, visto que é apenas a terceira hora do dia.
    16Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:
    17E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos mancebos terão visões, os vossos anciãos terão sonhos;
    18e sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão.
    19E mostrarei prodígios em cima no céu; e sinais embaixo na terra, sangue, fogo e vapor de fumaça.
    20O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor.
    21E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo…
    37E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?
    38Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.

    Consideremos alguns acontecimentos relevantes no dia da fundação da Igreja de Jesus Cristo. Perceba o cumprimento harmonioso dos acontecimentos escriturísticos:

    1º) “estavam todos reunidos no mesmo lugar.”
    2º) o vento do Espírito “encheu toda a casa onde estavam sentados.”
    3º) apareceram “umas línguas como que de fogo, que se distribuíam, e sobre cada um deles pousou uma.”
    4º) “todos ficaram cheios do Espírito Santo.”
    5º) “começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem.”
    6º) Pedro põe-se em pé “com os onze” e pede que escutem as suas palavras.
    7º) Pedro diz que aquele acontecimento “é o que foi dito pelo profeta Joel.”
    8º) Pedro também diz que “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.”
    9º) Quase três mil almas que ouviram a pregação de Pedro, “compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos?”
    10º) “Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.”

    Naquele dia, o dia da fundação da Igreja de Jesus Cristo, era também o dia de Pentecostes no qual estava acontecendo o que havia sido dito pelo profeta Joel 2:28-32. Se tratava de uma profecia que começava a se cumprir com a fundação da Igreja. Era obra exclusiva do Espírito Santo, pois a pregação de Pedro estava baseada nas Escrituras (inclusive citando Davi), tendo como tema, “Jesus de Nazaré, varão aprovado por Deus com milagres, prodígios e sinais… ao qual Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte, morto e ressurreto… Deus o fez Senhor e Cristo” (Atos 2:22-36).

    Era o cumprimento do que o próprio Jesus havia prometido aos discípulos em João 14:26 que diz: “Mas o Consolador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito”. Em João 16:13 Jesus confirma esta promessa dizendo: “Mas, quando vier aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir”. Aleluia!!!

    Quero chamar a sua atenção para os seguintes textos: Atos 2:14 nos afirma que Pedro Põe-se em pé na companhia dos outros onze apóstolos. Em Atos 2:21 Pedro diz àquelas quase três mil pessoas que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo e em seguida, em Atos 2:38 Pedro instrui-os que se arrependam e cada um seja batizado em nome de Jesus Cristo. Observe que o próprio Mateus, escritor de “Mateus 28:19” estava lá, entre os onze. Caso Pedro estivesse contradizendo a ordem de Jesus dada em Mateus 28:19 ao pregar que cada um fosse batizado em nome de Jesus Cristo, sem dúvida alguma, tanto Mateus quanto os demais apóstolos o haviam repreendido e reprovado sua pregação, o que seria uma frustração e decepção logo na fundação da Igreja de Cristo. Mas graças a Deus que todos tinham um só Espírito, um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos, conforme está escrito em Efésios 4:4-6. Todos estavam cheios do Espírito Santo e eram guiados na mesma verdade. Atos 2:44 afirma que “todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum”.

    Alguém se atreveria dizer que Pedro, sob a conivência dos demais apóstolos, ensinou alguma heresia para quase três mil pessoas convencidas de que eram pecadoras ao ouvirem a instrução que cada um fosse batizado em nome de Jesus Cristo? Qualquer que se atreva a dizer tal absurdo, também estará afirmando que as instruções pessoais de Jesus dadas aos seus discípulos durante os quarenta dias após sua ressurreição foram em vão e ao mesmo tempo significa dizer ainda que a viva declaração em Lucas 24:45 de que o Senhor mesmo “abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras” não passa de uma mentira. Qualquer pessoa que se atreva a dizer tal aberração também está afirmando que Jesus estava enganando aos apóstolos quando disse em João 16:13 que enviaria sobre eles o Espírito Santo para guiá-los em toda a verdade.

    Por acaso teriam os apóstolo desobedecido ao mandamento divino em batizar invocando o nome de Jesus? Absolutamente não! Mil vezes não! Além disso, Jesus não é mentiroso, pois prometeu aos seus discípulos que o Espírito Santo, enviado em Seu nome, os ensinaria todas as coisas e os faria lembrar-se de tudo quanto Ele (Jesus) os havia dito, conforme está escrito em João 14:26.

    O próprio Senhor Jesus disse em João 14:13,14, que tudo quanto pedíssemos em seu nome, Ele fará para que o Pai seja glorificado no Filho… Se lhe pedirmos alguma coisa em seu nome, ele fará. Ora! Se para pedirmos alguma coisa tem que ser em nome de Jesus, imagine para realizarmos qualquer outra obra como orar, pregar, expulsar demônios, ensinar, batizar, etc! Paulo confirma estas palavras em Colossenses 3:17 quando diz:

    17E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

    Perceba que até dar graças a Deus Pai também é por meio dele, Jesus.

    O BATISMO DO APÓSTOLO PAULO

    Leiamos o que o próprio Senhor Jesus disse a Paulo no caminho para Damasco conforme Atos 9:3-6:

    3Mas, seguindo ele viagem e aproximando-se de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu;
    4e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?
    5Ele perguntou: Quem és, Senhor? Respondeu o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues;
    6mas levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.

    O mesmo Jesus que instruiu a Paulo dizendo que em Damasco lhe seria dito tudo o que ele deveria fazer, também ordenou a Ananias como deveria agir para com Paulo. Leiamos Atos 9:10-18:

    10Ora, havia em Damasco certo discípulo chamado Ananias; e disse-lhe o Senhor em visão: Ananias! Respondeu ele: Eis-me aqui, Senhor.
    11Ordenou-lhe o Senhor: Levanta-te, vai à rua chamada Direita e procura em casa de Judas um homem de Tarso chamado Saulo; pois eis que ele está orando;
    12e viu um homem chamado Ananias entrar e impor-lhe as mãos, para que recuperasse a vista.
    13Respondeu Ananias: Senhor, a muitos ouvi acerca desse homem, quantos males tem feito aos teus santos em Jerusalém;
    14e aqui tem poder dos principais sacerdotes para prender a todos os que invocam o teu nome.
    15Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome perante os gentios, e os reis, e os filhos de Israel;
    16pois eu lhe mostrarei quanto lhe cumpre padecer pelo meu nome.
    17Partiu Ananias e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo.
    18Logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista: então, levantando-se, foi batizado.

    Em Atos 22:6-16 o próprio Paulo dá testemunho de sua conversão e de seu batismo. Leiamos o texto bíblico:

    6Aconteceu, porém, que, quando eu caminhava e ia chegando perto de Damasco, pelo meio-dia, de repente, do céu brilhou-me ao redor uma grande luz.
    7Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?
    8Eu respondi: Quem és, Senhor? Disse-me: Eu sou Jesus, o nazareno, a quem tu persegues.
    9E os que estavam comigo viram, em verdade, a luz, mas não entenderam a voz daquele que falava comigo.
    10Então perguntei: Senhor que farei? E o Senhor me disse: Levanta-te, e vai a Damasco, onde se te dirá tudo o que te é ordenado fazer.
    11Como eu nada visse por causa do esplendor daquela luz, guiado pela mão dos que estavam comigo cheguei a Damasco.
    12Um certo Ananias, varão piedoso conforme a lei, que tinha bom testemunho de todos os judeus que ali moravam,
    13vindo ter comigo, de pé ao meu lado, disse-me: Saulo, irmão, recobra a vista. Naquela mesma hora, recobrando a vista, eu o vi.
    14Disse ele: O Deus de nossos pais de antemão te designou para conhecer a sua vontade, ver o Justo, e ouvir a voz da sua boca.
    15Porque hás de ser sua testemunha para com todos os homens do que tens visto e ouvido.
    16Agora por que te demoras? Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor.

    Aleluia! Realmente Deus não é Deus de confusão, mas sim de paz conforme está escrito em 1ª Coríntios 14:33. O mesmo Senhor Jesus que apareceu à Paulo dizendo que em Damasco lhe seria dito o que lhe convinha fazer, foi o mesmo Jesus que instruiu a Ananias como deveria fazer. Observe que em Atos 22:16, Ananias, em obediência à ordem de Jesus e em confirmação às palavras que o Senhor já havia dito à Paulo, Ananias expressa as seguintes palavras ao batizar Paulo:

    16Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor. (Atos 22:16).

    Em nenhum momento lemos sobre Ananias dizendo: Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando “o nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, mas sim, invocando o nome do Senhor.

    Isto não tira as escamas de seus olhos? Sem dúvida alguma, qualquer pessoa que tenha um coração sincero para com Deus, estas Escrituras são suficientes para lhe fazer entender que o verdadeiro batismo é invocando o nome de Jesus e não expressando as palavras “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Pois foi o nome (no singular) que Jesus pediu no batismo!

    O BATISMO NA CASA DO CENTURIÃO CORNÉLIO

    Ao lermos o capítulo 10 nos Atos dos Apóstolos, vemos nitidamente como o Espírito da Verdade, prometido por Jesus em João 16:13 guia seus filhos na verdade e em perfeita harmonia:

    Analisemos o capítulo 10 nos Atos dos Apóstolos:

    1º) Nos versículos 3 ao 6, lemos o seguinte sobre o centurião romano, um gentio chamado Cornélio:

    3por volta da hora nona do dia, viu claramente em visão um anjo de Deus, que se dirigia para ele e lhe dizia: Cornélio!
    4Este, fitando nele os olhos e atemorizado, perguntou: Que é, Senhor? O anjo respondeu-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus;
    5agora, pois, envia homens a Jope e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro;
    6este se acha hospedado com um certo Simão, curtidor, cuja casa fica à beira-mar. Ele te dirá o que deves fazer.

    2º) Nos versículos 9 ao 20, lemos sobre a visão de Pedro a respeito do gentio Cornélio e como o Espírito Santo lhe instrui:

    9No dia seguinte, indo eles pelo caminho e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao terraço para orar, cerca da hora sexta.
    10E tendo fome, quis comer; mas enquanto lhe preparavam a comida, sobreveio-lhe um êxtase,
    11e via o céu aberto e um objeto descendo, como se fosse um grande lençol, sendo baixado pelas quatro pontas sobre a terra,
    12no qual havia de todos os quadrúpedes e répteis da terra e aves do céu.
    13E uma voz lhe disse: Levanta-te, Pedro, mata e come.
    14Mas Pedro respondeu: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda.
    15Pela segunda vez lhe falou a voz: Não chames tu comum ao que Deus purificou.
    16Sucedeu isto por três vezes; e logo foi o objeto recolhido ao céu.
    17Enquanto Pedro refletia, perplexo, sobre o que seria a visão que tivera, eis que os homens enviados por Cornélio, tendo perguntado pela casa de Simão, pararam à porta.
    18E, chamando, indagavam se ali estava hospedado Simão, que tinha por sobrenome Pedro.
    19Estando Pedro ainda a meditar sobre a visão, o Espírito lhe disse: Eis que dois homens te procuram. 20Levanta-te, pois, desce e vai com eles, nada duvidando; porque eu tos enviei.

    3º) Nos versículos 29 ao 33 lemos sobre a chegada de Pedro na casa de Cornélio e como este lhe conta o motivo pelo qual lhe mandara chamar:

    29pelo que, sendo chamado, vim sem objeção. Pergunto, pois: Por que razão mandastes chamar-me?
    30Então disse Cornélio: Faz agora quatro dias que eu estava orando em minha casa à hora nona, e eis que diante de mim se apresentou um homem com vestiduras resplandecentes,
    31e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas estão em memória diante de Deus.
    32Envia, pois, a Jope e manda chamar a Simão, que tem por sobrenome Pedro; ele está hospedado em casa de Simão, curtidor, à beira-mar.
    33Portanto mandei logo chamar-te, e bem fizeste em vir. Agora, pois estamos todos aqui presentes diante de Deus, para ouvir tudo quanto te foi ordenado pelo Senhor.

    4º) Nos versículos 34 e 35, e do 44 ao 46 lemos sobre a pregação de Pedro e a descida do Espírito Santo sobre todos que ouviam a palavra na casa de Cornélio:

    34Então Pedro, tomando a palavra, disse: Na verdade reconheço que Deus não faz acepção de pessoas;
    35mas que lhe é aceitável aquele que, em qualquer nação, o teme e pratica o que é justo…
    44Enquanto Pedro ainda dizia estas coisas, desceu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra.
    45Os crentes que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que também sobre os gentios se derramasse o dom do Espírito Santo;
    46porque os ouviam falar línguas e magnificar a Deus.

    5º) Lembra que em Atos 10:6 o anjo disse para Cornélio que Pedro lhe diria tudo o que ele deveria fazer? Pois bem! É isso que veremos agora nos versículo 47 e 48:

    47Respondeu então Pedro: Pode alguém porventura recusar a água para que não sejam batizados estes que também, como nós, receberam o Espírito Santo?
    48Mandou, pois, que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Então lhe rogaram que ficasse com eles por alguns dias.

    Por acaso o Senhor Jesus ordenaria a Cornélio que mandasse chamar o apóstolo Pedro para ensinar e fazer algo incorretamente? Absolutamente não! Vemos mais uma vez como o Espírito Santo guia e conduz seus filhos em toda a verdade e sem nenhuma confusão, pois “Deus não é Deus de confusão.”

    O mesmo Senhor Jesus que instruiu a Cornélio dizendo que chamasse a Pedro para lhe ensinar o que ele (Cornélio) deveria fazer, também inspirou a Pedro o que deveria ensinar e fazer. O mesmo Espírito da Verdade que foi derramado sobre os apóstolos no dia de Pentecostes, também desceu sobre todos na casa de Cornélio. Vemos que, sob o derramamento do Espírito Santo, Pedro mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Todos estavam cheios do Espírito Santo que conduz o crente em toda a verdade. A Bíblia nos afirma que Pedro mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo, e não “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”. Isto não arde em seu coração? Que o Espírito da verdade esteja abrindo seu entendimento para compreender as maravilhosas bênçãos das Escrituras.

    Pedro compreendia o que muitas pessoas não compreendem por optarem em permanecer com os costumes e tradições religiosas do que com as Escrituras. Pedro entendia que “Pai” não é nome; que “Filho” também não é nome e que “Espírito Santo” também não é nome. Espírito Santo é exatamente o que Deus é. Jesus afirmou em João 4:24, que Deus é Espírito, e é sem dúvida alguma esse Deus é o Espírito Santo. Em confirmação a isto, Paulo diz em 2ª Coríntios 3:17 que o Senhor é o Espírito…

    É bom lembrar que conforme Atos 11:12, Pedro afirma que outros seis irmãos entraram com ele na casa de Cornélio, os quais, sem dúvida alguma, testemunharam que aqueles novos convertidos foram batizados em nome de Jesus Cristo.

    Jesus ordenou aos discípulos que batizassem “em nome” (no singular) e não “nos nomes”. Jesus pediu um nome, e que outro nome Jesus poderia pedir senão o dele mesmo, visto que em Mateus 28:18 ele mesmo afirma que foi-lhe dado todo o poder no céu e na terra. Que outro nome um fiel servo do Senhor invoca em tudo que faz para o Reino e a glória de Deus, seja por obras ou por palavras, a não ser o nome maravilhoso, Jesus?

    Por exemplo: Eu sou pai, mas “pai” não é o meu nome. Eu também sou filho, mas “filho” também não é o meu nome. Todavia eu possuo um nome que autentica todos os meus atos como cidadão. Caso eu desse um cheque para meu filho comprar um brinquedo, é claro que eu não poderia escrever no cheque a palavra “pai”. Nenhuma loja aceitaria este cheque, mesmo que meu filho provasse que eu sou o seu pai. O cheque só valeria com a assinatura do meu nome. O meu nome validaria o cheque. Portanto, compreendamos que todos os atos da Igreja, sejam por obras ou por palavras, para serem validados por Deus, devem ser realizados em nome de Jesus. É evidente que o batismo é um ato tanto de palavras como de obras e, portanto, deve ser realizado em nome de Jesus. Os apóstolos sabiam muito bem disso! Lembremos do que escreveu Paulo aos Colossenses 3:17: E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus…

    O ARGUMENTO DE PAULO PERANTE OS IRMÃO DE CORINTO É O BATISMO EM NOME DE JESUS

    A Igreja em Corinto passou por uma dissensão na fé. Alguns membros passaram a considerar mais a certos ministros do evangelho do que o próprio evangelho. Infantilmente estes irmãos estavam se nomeando e dizendo:

    1Eu sou de Paulo, e eu de Apolo, e eu de Cefas, e eu de Cristo. (1ª Coríntios 1:12).

    O apóstolo Paulo, sabendo que aqueles irmãos foram admitidos no corpo no Cristo pela ordenança do batismo e que o mesmo era realizado em nome de Jesus, recorre à maneira apostólica do batismo, tentando mostrar que eles pertenciam ao Senhor Jesus, indagando-os:

    13…Está Cristo dividido? foi Paulo crucificado por vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?
    14 Dou graças a Deus, porque a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio,
    15 Para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome. (1ª Coríntios 1:13-15)

    Ao perguntar aos Coríntios “fostes vós batizados em nome de Paulo?” o apostolo está esclarecendo e afirmando que eles foram batizados em nome de Jesus e não no nome das pessoas que os levaram a Cristo. É isto que Paulo nos faz entender: Eu não fui crucificado por amor de vós, mas Jesus foi; vocês não foram batizados em meu nome, mas em nome de Jesus. Como isto é esclarecedor! Poderia ainda permanecer cego meu caro irmão?

    O Novo Testamento deixa claro que há um só batismo e este evidentemente, é em nome do Senhor Jesus! Caso contrário se repetirá o inconseqüente e insensato argumento daqueles que dizem que devemos ficar com o que Jesus disse em Mateus 28:19 e não com a pregação dos apóstolos. Quando alguém diz que devemos ficar com Jesus e não com os apóstolos, é o mesmo que afirmar que os apóstolos desobedeceram a ordem de Jesus e que o Espírito Santo, prometido por Cristo não estava sobre a vida dos apóstolos, fazendo, portanto, de Cristo um mentiroso. Tal erro equivale dizer que as epístolas do Novo Testamento, escritas pelos apóstolos, deveriam ser desconsideradas e anuladas. Existem ainda outros que de forma mais desastrosa, dizem que preferem ficar com seus próprios credos, com tradições e costumes de suas denominações por que foi assim que aprenderam de seus antecessores e é assim que vão continuar fazendo e ensinando, pois Deus nunca lhes falou que estavam errados. Pois bem! A partir de agora já não podem mais dizer que Deus nunca lhes falou, pois acredito que você considera as Escrituras aqui citadas infalíveis. Cabe a cada um de nós sermos humildes o suficiente para reconhecermos os erros que cometemos.

    Além disso, a expressão “batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” não aparece em nenhum outro lugar na Bíblia, além de Mateus 28:19, que para infelicidade daqueles que sustentam seus estudos teológicos, segundo a exegese deles mesmos, um só versículo nas Escrituras não pode ser tomado como regra ou considerado como doutrina. É isto mesmo que eles dizem!!! Eles também afirmam e ensinam que “um texto fora de contexto vira pretexto”. Que infortúnio para tais pessoas, pois o espírito do erro e da cegueira espiritual gera tamanha confusão entre eles mesmos, levando-os a se contradizerem e reprovarem a si mesmos, visto que Mateus 28:19 só aparece uma única vez em toda a Bíblia Sagrada. Além disso, as Escrituras nos afirmam em Mateus 18:16 que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. E Paulo confirma isto em 2ª Coríntios 13:1 dizendo que por boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda palavra. Infelizmente não encontramos nas Escrituras nenhuma palavra que testemunhe ou confirme Mateus 28:19 como forma, maneira ou referência para batizar.

    Ainda assim, vale afirmar que o próprio Senhor Jesus disse em Mateus 28:18 que toda a autoridade lhe fora dada no céu e na terra, sugerindo naturalmente que toda ação e palavra da Sua Igreja seja realizada exclusivamente em seu nome. Nome que tem autoridade e poder delegados aos seus discípulos. Por isso, todos os batismos realizados pelos apóstolos após a ordem do Mestre, foram exclusivamente em nome de Jesus.

    Todas as demais orientações de Jesus e as ações dos discípulos como, orações, milagres, expulsão de demônios, advertências, reuniões, pregações, batismos, etc… foram realizadas unicamente em nome de Jesus e não “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Todo verdadeiro cristão, com um coração sincero, humildemente e sem soberba, reconhece seus erros (pois todos nós erramos) e há de admitir que ninguém jamais encontrou nas Escrituras qualquer feito dos apóstolos realizado “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, mas unicamente “em nome de Jesus”. Aliás, no Novo Testamento aparecem mais de 36 feitos dos apóstolos “em nome de Jesus” e NENHUM “em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo”.

    Vale ainda deixar claro que o evangelho anunciado por Paulo não era segundo os homens; pois não o havia recebido de homem algum, nem lhe fora ensinado; mas recebeu por revelação do próprio Senhor Jesus Cristo como ele mesmo afirma em Gálatas 1:11,12:

    11Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens;
    12porque não o recebi de homem algum, nem me foi ensinado; mas o recebi por revelação de Jesus Cristo.

    Confirmando estas palavras, Paulo diz em 2ª Coríntios 12:1:

    1É necessário gloriar-me, embora não convenha; mas passarei as visões e revelações do Senhor.

    Paulo tinha o mesmo Espírito que estava nos demais apóstolos que se converteram bem antes dele, o Espírito Santo que guia o crente em toda a verdade conforme João 16:13. A prova disto é que Paulo nunca desobedeceu às visões e revelações que recebeu do Senhor Jesus, nem nunca contradisse aos demais apóstolos e muito menos pregou um evangelho adulterado ensinando que o batismo ou qualquer outra ação da Igreja deve ser realizado em “nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, mas sim, em nome do Senhor Jesus. Ele mesmo disse em Colossenses 3:17 que tudo quanto fizéssemos por palavras ou por obras, fizéssemos em nome do Senhor Jesus. Paulo também nos ensina em Efésios 4:3-6 que devemos…

    3…diligentemente guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.
    4Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;
    5um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
    6um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos.

    É impossível qualquer pessoa afirmar que tem o Espírito Santo e permaneça fora do padrão destes versículos, vivendo em discordância com as Escrituras; sem guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz; sem reconhecer e admitir que há um só corpo, um só Espírito, uma só esperança, um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai.

    Um só corpo e um só Espírito dar-nos, por assim dizer, o caráter mais profundo da unidade, conforme a oração de Jesus em João 17:21 que diz: para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.

    Um só Senhor, que é Cristo, reconhecendo todo o poder e autoridade que lhe pertencem, como Ele mesmo declarou em Mateus 28:18: …Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.

    Uma só fé, isto é, a mesma crença e verdades reconhecidas por todos os crentes que estão edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina conforme Efésios 2:20, pois todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. (Atos 2:44)

    Um só batismo, pelo qual somos admitidos no corpo de Cristo ao descermos às águas batismais sob a autoridade de Jesus ao termos o seu nome invocado sobre nossas vidas, tornando-nos concidadãos dos santos e membros da família de Deus, conforme Efésios 2:19, tornando-nos portanto, membros do Corpo de Cristo.

    Como as Escrituras abrem nosso entendimento!!!

    Em sua carta aos Gálatas 1:1,6-9, Paulo, convicto dos ensinamentos e revelações que recebera do próprio Senhor Jesus e em total concordância com o evangelho que os primeiros apóstolos aprenderam diretamente do Mestre, escreveu a seguinte advertência:

    1Paulo, apóstolo (não da parte dos homens, nem por intermédio de homem algum, mas sim por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos)…
    6Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho,
    7o qual não é outro; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo.
    8Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema.
    9Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. (Gálatas 1:6-9)

    Vemos no versículo 1 Paulo afirma que sua autoridade apostólica não era “da parte dos homens nem por intermédio de homem algum, mas sim por Jesus Cristo, e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos”. A autoridade que Paulo tinha não era de origem humana nem foi necessário algum abono ou aprovação de qualquer homem para que ele pudesse exercer seu ministério. Em seguida nos versículos 6 ao 9, vemos a grande preocupação do apóstolo com o ensino errôneo entre as igrejas da Galácia, o qual, ele mesmo não demora em denunciar. Paulo adverte veementemente que ainda que eles mesmos (os apóstolos), ou até um anjo do céu, ou qualquer pessoa pregasse outro evangelho além do que eles já haviam pregado, que tal pregador fosse anátema. Dá para sentir o peso desta sentença sob o zelo e autoridade apostólica de Paulo? Paulo não faz exceção de ninguém, nem mesmo dele e dos demais apóstolos, nem de um anjo do céu ou de qualquer outra pessoa. Paulo diz enfaticamente que seja amaldiçoado aquele que pregar outro evangelho além do que ele e os demais apóstolos pregaram, independente da função ou da posição de quem quer que seja… seja pastor, apóstolo, evangelista, presbítero, diácono, profeta, doutor, mestre, missionário, teólogo, etc. A preocupação de Paulo era exclusivamente com a pureza do evangelho que, por revelação, recebeu do Senhor Jesus. Paulo ainda nos recomenda em 1ª Coríntios 14:37 que “Se alguém se considera profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor.” Portanto, é impossível que qualquer pessoa que se considere profeta ou espiritual, não reconheça que o que Paulo escreveu são mandamentos do Senhor e não os obedeça.

    A palavra “anátema” significa alguém que está sob maldição divina, condenado à destruição e que será alvo da ira divina e da condenação eterna. O apóstolo Paulo, sob inspiração divina, revela o julgamento e indignação de Deus para com aqueles que procuram perverter o evangelho original e puro do Senhor Jesus Cristo e mudar a verdade do testemunho apostólico.

    Malditos (anátemas) são todos que pregam um evangelho contrário à mensagem que Paulo e os demais apóstolos pregavam. Quem acrescenta ou tira algo do evangelho original e fundamental de Cristo e dos apóstolos, fica sujeito a maldição divina, pois “Deus tirará a sua parte do livro da vida” (Apocalipse 22:18,19).

    Existem ainda aqueles que preferem colocar de lado o assunto com a seguinte desculpa: “Tudo isto é muita confusão para nada. Não importa se o nome de Jesus seja pronunciado ou não sobre o batizado. O que importa é que sejamos sinceros. Deus também aceita o batismo em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, como significando o nome de Jesus”.

    Mas, será isto assim mesmo? Por acaso Deus acata opiniões finitas por parte de homens por mais sinceras que sejam, mesmo quando elas entram em conflito e contradição com a Sua Palavra? Ainda mais, quando se continua a praticar um erro depois de ter conhecido o significado do poder e do caráter do nome de Jesus, deverá tal pessoa ser considerada sincera?

    Será que alguém verdadeiramente sincero, persistiria em declarar que pode aproximar-se de Deus, distinta e separadamente de Jesus Cristo, apesar dos claros ensinamentos bíblicos de que Deus não pode ser visto ou aproximado, a não ser por Jesus, conforme disse Ele mesmo disse em Mateus 11:27 que ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. (leia também João 14:6).

    Onde e como ficarão perante o Todo Poderoso, os pregadores que persistem em colocar de lado o nome do Senhor Jesus, despindo-o da autoridade, poder, possessões, glória, honra, plenitude e singularidade, com as quais o Pai investiu?

    O que dirão diante do Eterno aqueles que se utilizam do nome do Senhor Jesus para ora, ensinar, expulsar demônios, realizar reuniões, porém dizem que batizar em nome de Jesus é heresia?!

    A PREGAÇÃO DO REINO DE DEUS E O BATISMO EM NOME DE JESUS EM SAMARIA

    Leiamos Atos 8:12-16:

    12Mas, quando creram em Filipe, que lhes pregava acerca do reino de Deus e do nome de Jesus, batizavam-se homens e mulheres.
    13E creu até o próprio Simão e, sendo batizado, ficou de contínuo com Filipe; e admirava-se, vendo os sinais e os grandes milagres que se faziam.
    14Os apóstolos, pois, que estavam em Jerusalém, tendo ouvido que os da Samaria haviam recebido a palavra de Deus, enviaram-lhes Pedro e João;
    15os quais, tendo descido, oraram por eles, para que recebessem o Espírito Santo.
    16Porque sobre nenhum deles havia ele descido ainda; mas somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus. (Atos 8:12-16).

    O evangelho de João 4:9 nos afirma que “os judeus não se comunicavam com os samaritanos”. Depois de convertidos a Jesus, era necessário que os samaritanos se identificassem com os apóstolos e com a Igreja inaugurada em Jerusalém. Isto aconteceu quando eles assumiram um compromisso público com Cristo pelo do batismo nas águas em nome do Senhor Jesus. Embora os samaritanos tivessem sido batizados nas águas em nome do Senhor Jesus (v. 16), o Espírito ainda não havia descido sobre nenhum deles da mesma maneira que descera sobre os crentes no dia de Pentecostes (Atos 2:4). Porém, os apóstolos Pedro e João oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo. (vers. 14,15)

    OS CRISTÃOS REBATIZADOS EM ÉFESO

    Em Atos 19:1-6, lemos que quando Paulo chegou em Éfeso, encontrou uns doze homens que haviam sido levados a Cristo por Apolo, nos quais percebeu que eles ainda não tinham recebido o Espírito Santo, e os indagou em que batismo haviam sido batizados. Leiamos Atos 19:1-6:

    1E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo tendo atravessado as regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos,
    2perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo.
    3Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: No batismo de João.
    4Mas Paulo respondeu: João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus.
    5Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.
    6Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam. (Atos 19:1-6)

    Aqueles doze homens haviam sido batizados apenas por João Batista no batismo de arrependimento. No entanto, eles foram batizados novamente, só que agora em nome do Senhor Jesus. Embora aqueles homens tivessem sido batizados por João, o batismo em nome de Jesus era necessário como testemunho da fé deles em Cristo.

    Lemos no versículo 4 que Paulo os conscientiza que João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus. Paulo estava explicando que aquele batismo (o batismo de João) valeu até o sacrifício de Cristo ser oferecido na cruz do Calvário. Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus. (Atos 19:5).

    Alguns tentam forçar a interpretação do texto afirmando que o batismo destes doze irmãos foi somente o batismo no Espírito Santo. Ainda que sustentem tal afirmação, aprendemos que, se o batismo no Espírito Santo é em nome do Senhor Jesus, fica claro e evidente que o batismo nas águas também deve ser em nome de Jesus.

    JESUS NÃO ENSINOU NENHUMA “FÓRMULA” BATISMAL. ELE PEDIU “O NOME”

    Igualmente aos fariseus e aos papas, não podemos invalidar a palavra de Deus por causa das tradições denominacionais, conforme disse Jesus em Mateus 15:6. Na tentativa de contestar a afirmação bíblica, alguns chegam a dizer descaradamente que os apóstolos nunca batizaram um novo convertido “em nome de Jesus”, pois, segundo eles, a “fórmula” para batizar deveria ser a mesma em todas as ocasiões nos versículos abaixo. Confira:

    Em Atos 2:38 Pedro diz à quase três mil almas: “…cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo”.

    Em Atos 8:16 alguns irmãos em Samaria “…somente tinham sido batizados em nome do Senhor Jesus”.

    Em Atos 10:48 na casa de Cornélio, Pedro mandou “…que fossem batizados em nome de Jesus Cristo”.

    Em Atos 19:5 afirma que uns doze discípulos em Éfeso “…foram batizados em nome do Senhor Jesus”.

    E em Atos 22:16 lemos como Ananias batizou o apóstolo Paulo: “Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor”.

    De fato o Senhor Jesus não recomendou aos apóstolos nenhuma “fórmula” para batizar. Ele pediu O NOME e não os nomes. Mais uma vez vale aqui repetir que “Pai” não é nome, “Filho” também não é nome e “Espírito Santo” é o próprio Deus, pois “Deus é Espírito” (João 4:24), e sem dúvida é Santo. É lógico que quando se fala em clamar ou invocar o nome do Senhor sobre tudo que fizermos, seja por palavras ou por obras, é claro que não há outro nome para pronunciar, se não o nome do Senhor, que é Jesus, o Cristo.

    Repetimos: A expressão “em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” não aparece em nenhum outro lugar na Bíblia Sagrada, além de Mateus 28:19, que para infelicidade de alguns, um só versículo nas Escrituras não pode ser tomado como regra ou doutrina! Eles mesmos afirmam que “um texto fora de contexto vira pretexto”. Eles mesmos caem em seus erros e invenções doutrinárias.

    É bom relembrarmos que o próprio Senhor Jesus, em Mateus 18:16 e o apóstolo Paulo, em 2ª Coríntios 13:1 afirmam categoricamente que “pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada”.

    Jamais encontraremos em toda a Escritura qualquer outra palavra ou testemunha que confirme o batismo “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, ratificando ou concordando com Mateus 28:19.

    Partindo deste princípio bíblico, comparando as evidências entre versículos e versículos, não encontramos nenhuma referência nas Escrituras confirmando que o batismo é “em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo”. Ora! Os próprios líderes das denominações evangélicas exortam que “não se deve criar uma doutrina em cima de um só versículo”, pois segundo eles, “um texto fora de contexto vira pretexto”. Eles dizem que devemos buscar vários versículos que fazem referência ao mesmo assunto e o confirme de forma contextualizada, coerente e inteligível. Para infelicidade deles, não existe nas Escrituras nenhum outro versículo que confirme Mateus 28:19.

    Além disso, o apóstolo Pedro afirma categoricamente em sua 2ª carta, 1:19-21 que…

    19…temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.
    20Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
    21Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
    Somente as pessoas orgulhosas, sem o mínimo de humildade para reconhecerem seus erros ou achando que já sabem tudo, constroem em volta de si uma barreira que os impede de enxergar as Verdades Sagradas. Pessoas assim não podem receber a iluminação divina. Estão plena e arrogantemente satisfeitos com suas próprias idéias que nem se quer examinam as evidências escriturísticas com o desejo de aprender. Antes, recusam simplesmente admitir seus erros, meramente devido aos seus preconceitos e soberba.

    Embora as Escrituras não necessitem de argumentos históricos ou filosóficos para provar sua veracidade, gostaria de deixar aqui alguns comentários bíblicos, históricos e bibliográficos apenas como forma de confirmar a vivacidade e eficácia dos Escritos Sagrados:

    Comentário Bíblico Sobre O Batismo

    ► A Bíblia de Jerusalém incluiu o seguinte comentário de rodapé a respeito de Mateus 28:19:
    É possível que, em sua forma precisa, essa fórmula reflita influência do uso litúrgico posteriormente fixado na comunidade primitiva. Sabe-se que o livro dos Atos fala em batizar “no nome de Jesus”. Mais tarde deve ter-se estabelecido a associação do batizado às três pessoas da trindade. [grifo nosso]

    ► Sobre a pregação de Pedro em Atos 2:38, a Bíblia Plenitude traz o seguinte comentário:
    Pedro pede que seus ouvintes mudem de opinião e postura em relação a Cristo, a fim de serem batizados em Nome de Jesus Cristo como reconhecimento público de que haviam aceitado Jesus como Messias e Senhor. “Nome” sugere natureza ou caráter; portanto, ser batizado em Nome de Jesus significa admiti-lo, com tudo que o Seu Nome denota. [grifo nosso]

    ► Na Bíblia Scofield, lemos a seguinte anotação a respeito de Atos 8:12:
    Antes de Sua ascensão, o Senhor Jesus ordenou aos seus discípulos a que pregassem o Evangelho a todo o mundo, batizando todos os que criam nesta mensagem salvadora em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt. 28:19; Mc. 16:15-16). Esta ordem foi fielmente obedecida pela Igreja primitiva começando com o dia de Pentecostes (At. 2:38,41; 8:12-13,36-38; 9:18; 10:48; 16:14-15,32,33; 18:8; 19:5; 22:13-16). [grifo nosso]

    ► Na Bíblia Sagrada com reflexões de Lutero, Almeida Revista e Atualizada, Editora SBB, 2012, pág. 906, lemos a seguinte consideração de Martinho Lutero sobre o batismo: Nestas palavras de Mt 28.19, assim como nas de Mc 16.16, deves notar que temos o mandamento e a instituição de Deus. Não se duvidará, pois, que o batismo é coisa divina, que não pensada e inventada por homens. Pois assim como posso dizer que nenhum homem urdiu em sua cabeça os Dez Mandamentos, o Credo e o Pai-Nosso, que, ao contrário, o próprio Deus revelou e deu, da mesma forma posso exaltar o fato de que o batismo não é brincadeira de homens, senão que é instituído pelo próprio Deus. Ademais, é ordenado séria e rigorosamente que devemos ser batizados sob pena de não sermos salvos. É por isso que mais combatemos e lutamos, já que ao presente o mundo se encontra tão cheio de seitas que clamam ser o batismo coisa externa e que coisa externa de nenhuma utilidade é. Mas seja coisa externa quanto for, aqui, todavia, temos a palavra e o mandamento de Deus que institui, funda e confirma o batismo. Pois assim rezam as palavras: “Ide, batizai”, não, porém, “em vosso nome”, mas “em nome de Deus.” – OS 7,420 [grifo nosso]

    Registro Histórico Sobre O Batismo

    ► O que se segue é um registro verdadeiro de um batismo que aconteceu em Roma 100 D.C. e foi reproduzido pela revista “Time” em 05 de dezembro de 1955. “O diácono levantou sua mão, e Publius Decius entrou pela porta do batistério. De pé, da cintura para baixo dentro da piscina, estava Marcus Vasca, o vendedor de madeiras. Ele estava sorrindo quando Publius entrou na piscina ao lado dele. “Crês?” Ele perguntou. “Creio”, respondeu Publius. “Creio que minha salvação vem de Jesus Cristo que foi crucificado por Poncio Pilatos. Com Ele eu morri, assim com Ele eu posso ter a Vida Eterna.” Então ele sentiu os braços fortes que o apoiavam quando se deixou deitar de costas na piscina (sendo imergido – Tradutor), e ouvi Marcus expressar nos seu ouvidos: “eu te batizo em Nome do Senhor Jesus”, quando a água fria se fechou por cima dele.

    Registro Bibliográfico Sobre O Batismo

    Fontes Históricas mencionam o batismo apostólico em nome de Jesus Cristo como sendo o praticado pela Igreja Cristã Primitiva:

    ENCYCLOPEDIA BRITANNICA, 11th Ed. Vol. 3 Page 365-366,
    “The baptismal formula was changed from the name of Jesus Christ to the words Father, Son, and Holy Ghost by the Catholic Church in the 2nd Century.” Vol. 3 Page 82 “Everywhere in the oldest sources it states that baptism took place in the Name of Jesus Christ.”

    Tradução:
    ENCICLOPEDIA BRITÂNICA, 11a Edição, Vol.3 Pg 365-366,
    “A fórmula batismal foi mudada do nome de Jesus Cristo para as palavras Pai, Filho e Espírito Santo pela Igreja Católica no 2º Século.” Volume 3 pag.82 “Sempre nas fontes antigas menciona que o batismo era em Nome de Jesus Cristo.”

    *******************

    CANNEY ENCYCLOPEDIA OF RELIGION, Page 53
    “The early church always baptized in the Name of Lord Jesus until the development of the trinity doctrine in the 2nd Century.”

    Tradução:
    ENCICLOPEDIA DA RELIGIÃO – CANNEY, pg 53
    “A religião primitiva sempre batizava em Nome do Senhor Jesus até o desenvolvimento de doutrina da trindade no 2° Século.”

    *******************

    1913 CATHOLIC ENCYCLOPEDIA, Vol. 2, page 365
    “Here the Catholic acknowledge that baptism was changed by the Catholic Church”.

    Tradução:
    ENCICLOPÉDIA CATÓLICA DE 1913, Vol. 2, pg 365
    “Aqui o Católico reconhece que o batismo foi mudado pela Igreja Católica”.

    *******************

    HASTINGS ENCYCLOPEDIA OF RELIGION, Vol. 2 pages 377-378-389
    “The Christian baptism was administered using the Name of Jesus. The use of the trinitarian formula of any sort was not suggested in the early church history, baptism was always in the Name of the Lord Jesus, until the time of Justin Martyr when the trinity formula was used.” Hastings also said in Vol. 2 Page 377, commenting on Acts 2:38, “NAME was an ancient synonym for person. Payment was always made in the name of some person referring to ownership. Therefore one being baptized in Jesus Name became his personal property.” “Ye are Christ’s.” I Cor. 3:23.

    Tradução:
    ENCICLOPÉDIA DA RELIGIÃO – HASTINGS, Vol. 2 pg 377-378-389
    “O batismo cristão era administrado usando o nome de Jesus. O uso da fórmula trinitariana de nenhuma forma foi sugerida pela história da igreja primitiva; o batismo foi sempre em NOME do Senhor Jesus até o tempo do mártir Justino quando a fórmula da trindade foi usada”. Na página Hastings comentando Atos 3:28, diz: “NOME é o antigo sinónimo de pessoa. Pagamento foi sempre feito em nome de alguma pessoa, referindo-se a propriedade. Portanto alguém batizado em nome de Jesus torna-se sua propriedade pessoal”. Nova Enciclopédia Internacional, Vol. 22 pg 477, “O termo ‘trindade’ se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana”.

    *******************

    NEW INTERNATIONAL ENCYCLOPEDIA, Vol. 22 Page 477
    “The term “trinity” was originated by Tertullain, Roman Catholic Church father.”

    Tradução:
    NOVA ENCICLOPÉDIA INTERNACIONAL, Vol. 22 Página 477,
    “O termo “trindade” se originou com Tertuliano, padre da Igreja Católica Romana.”

    *******************

    TYNDALE NEW TESTAMENT COMMENTARIES
    “… the true explanation why the early church did not at once administer baptism in the threefold name is that the words of Mat 28:19 were not meant as a baptismal formula. [Jesus] was not giving instructions about the actual words to be used in the service of baptism, but, as has already been suggested, was indicating that the baptized person would by baptism pass into the possession of the Father, the Son, and the Holy Ghost.”

    Tradução:
    TYNDALE COMENTÁRIOS DO NOVO TESTAMENTO
    “…a verdadeira explanação porque a igreja primitiva nunca administrava o batismo em nome dos três, que se refere Mat. 28:19 porque não significava uma formula batismal. [Jesus] não estava dando instruções das palavras que deveriam ser usadas no rito batismal, mas como já havia sugerido, que a pessoa batizada tornava-se posse do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

    *******************

    THE ENCYCLOPEDIA OF RELIGION AND ETHICS, James Hastings, p.384
    “there is no evidence [in early church history] for the use of the triune name.” Rev. Steve Winter

    Tradução:
    ENCICLOPÉDIA DE RELIGIÃO E ÉTICA, James Hastings, pg.384
    “Não existe evidência [na história da igreja primitiva] do uso dos três nomes.” Rev. Steve Winter

    CONCLUSÃO

    Está comprovado pela Bíblia e confirmado pelos registros históricos que nenhum batismo foi realizado pelos apóstolos repetindo a expressão “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, mas sim, unicamente em nome do Senhor Jesus. Entende-se, portanto, que batizar alguém repetindo a expressão “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, é herança do paganismo romano e, portanto, não é considerado batismo pois não tem a garantia nem aprovação das Escrituras.

    Ora! Se tudo o que vão realizar numa denominação evangélica usam o nome de Jesus, por que não reconhecem que o batismo também deve ser em nome do Senhor Jesus, cumprindo, portanto Colossenses 3:17: E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Afinal, eles dizem que são de Jesus, que confessaram o seu nome como salvador e que fazem tudo para a Sua glória.

    A expressão “em nome de” é utilizada em conexão com curas e exorcismo com o sentido de “no poder de” ou “com a autoridade de” (Atos 3:6; 4:7,10 e 16:18) e em conexão com a proclamação do evangelho. Constata-se, portanto, que a palavra “nome” significa simples e unicamente a pessoa de Jesus (Atos 4:12,30; 5:41; 8:12; 9:16; 10:43; 19:17 e 21:13).

    Como já lemos, Paulo recomenda que tudo que formos fazer, por palavras ou por obras, façamos em nome de Jesus. É claro que o batismo está incluído nesta expressão “tudo”. É hora de você pegar sua Bíblia e conferir os versículos abaixo:

    ► As orações devem ser feitas em nome de Jesus, não em “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Veja vários exemplos: João 14:13,14 / João 15:16 / João 16:24,26,27 / Tiago 5:14.

    ► Advertências, admoestações e repreensões foram feitas em nome de Jesus, nunca “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Confira 1ª Coríntios 1:10 / 1ª Coríntios 5:4 / 2ª Tessalonicenses 3:6.

    ► Nenhum milagre foi realizado “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, mas exclusivamente em nome de Jesus. Leia os seguintes textos bíblicos: Mateus 7:22 / Marcos 9:38-40 / Marcos 16:15-18 / Lucas 10:17 / Atos 3:6 / Atos 4:7-12 / Atos 4:30 / Atos 16:18.

    ► Obras de caridade também foram realizadas em nome de Jesus e não “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Leiamos Mateus 18:5 / Marcos 9:37,41 / Lucas 9:48.

    ► As reuniões espirituais e pregações devem ser realizadas em nome de Jesus, não “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Exemplos: Mateus 18:20 / Lucas 24:46,47 / Atos 4:18 / Atos 9:27,29 / Efésios 5:20 / Tiago 5:10.

    ► O mais impressionante é que até mesmo o Espírito Santo é enviado em nome de Jesus, conforme João 14:26, e não “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

    ► Enfim, como diz Paulo, tudo deve ser feito em nome de Jesus, pois nossa salvação é também em nome do nosso Senhor Jesus Cristo: Leiamos Atos 4:12 / João 20:31 / 1ª Coríntios 6:11.

    A igreja somente pode ser genuína se estiver alicerçada na revelação infalível, inspirada por Cristo aos primeiros apóstolos, pois foram eles os mensageiros originais, testemunhas e representantes autorizados do Senhor. Os apóstolos foram as pedras fundamentais da Igreja e a mensagem deles encontra-se nos evangelhos e nas cartas escritas do Novo Testamento, como o testemunho original e fundamental do evangelho ensinado por Cristo, válido para todo cristão sincero em todas as épocas.

    Cristo é a pedra angular da Igreja. Os apóstolos e profetas são o alicerce (fundamento), e cada crente é uma pedra do edifício. (1ª Pedro 2:4-8).

    Todos os crentes e igrejas locais dependem das palavras, da mensagem e da fé dos primeiros apóstolos, conforme estão registrados historicamente nos Atos dos Apóstolos, confirmando e conservando, portanto, a autoridade deles.

    Todo fiel cristão tem o dever de obedecer à revelação apostólica e dar testemunho da sua verdade. O evangelho concedido aos apóstolos mediante o Espírito Santo é a fonte permanente de vida, verdade e orientação à igreja. Rejeitar os ensinos dos apóstolos é rejeitar o próprio Senhor, visto que ele mesmo (Jesus) disse em João 16:13-15:

    13Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.
    14Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar.
    15Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

    Ainda em João, 17:20 Jesus diz que pela palavras dos seus discípulos, haveríamos de crer nele.

    Além de depender, crer e obedecer a mensagem apostólica, todo servo fiel também deve defendê-la e guardá-la contra todas as distorções ou adulterações, a fim de que não seja substituída ou anulada por novas revelações, novos escritos, testemunho ou profecia posterior, pois Paulo já advertiu em Atos 20:27-31:

    27Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus.
    28Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.
    29Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho;
    30E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.
    31Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.

    Que o Espírito Santo abra nosso entendimento para compreendermos as Escrituras e aceitarmos o que é verdadeiro, e estejamos posto para defesa do evangelho (Filipenses 1:16), pois importa antes obedecer a Deus que aos homens (Atos 5:29). Que o Espírito Santo lhe encoraje para admitir e assumir estas Verdades Bíblicas em nome do Senhor Jesus. Amém.

    Ouça esta mensagem em mp3:
    http://www.4shared.com/mp3/7RlRnm6l/batismo_em_nome_de_jesus.htm

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *