Home » Brasil, Política

Influência das igrejas evangélicas pode ser decisiva nas eleições municipais desse ano

Avatar de Dan Martins Por Dan Martins em 20 de janeiro de 2012

Notícias Gospel em seu email

Receba Notícias Gospel em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Influência das igrejas evangélicas pode ser decisiva nas eleições municipais desse ano

Os analistas políticos garantem que o eleitorado evangélico foi decisivo para a realização de um segundo turno nas eleições presidenciais de 2010. Questões que são cruciais para esses eleitores como aborto e casamento homossexual foram extensivamente debatidas nos palanques e nos púlpitos. Líderes de igrejas evangélicas como Malafaia e Valdomiro Santiago chegaram até a participar do horário eleitoral.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Nas eleições municipais desse ano essa influência tende a ser ainda maior. A Folha de São Paulo publicou uma matéria que relata a aproximação de partidos políticos com lideranças evangélicas. Como exemplo do Partido Social Cristão (PSC), próximo da Assembleia de Deus, que se uniu ao Partido Republicano Brasileiro (PRB), ligado à Igreja Universal para lançar Celso Russomanno como seu candidato em São Paulo.

O jornal relata também que partidos com maior força como PT, PSDB e PMDB também buscam uma aproximação com os religiosos, querendo que essa aliança dê uma melhor imagem para seus candidatos. Um destaque é o pré-candidato do PT Fernando Haddad, atual ministro da Educação, que certamente terá dificuldades para conquistar o voto dos evangélicos por conta do polêmico “kit gay”.

O vereador evangélico Carlos Apolinário (DEM) falou sobre o assunto: “O pastor mantém a neutralidade o máximo que pode. Por que vai pedir voto antes da hora e correr o risco de alguém da congregação simpatizar com o adversário?”

Segundo o cientista político Cesar Romero Jacob “os pentecostais estão em regiões com nível de escolaridade menor, então é mais fácil construir um discurso”, mas Jacob ressalta que isso não garante que pastores possam impor um “voto de cabresto religioso”.

Para o sociólogo Antônio Flávio Pierucci, da USP, a maior influência das igrejas é o poder de veto. Segundo ele “não existe voto religioso no sentido de um grupo votar em quem o pastor manda, mas a religião pode levar o cidadão a não escolher determinado candidato que apoia bandeiras contrárias a sua fé”.

O que é unanimidade para todos os estudiosos é o crescente interesse dos partidos políticos nos eleitores cristãos, sobretudo nos evangélicos, que vem ganhando grande espaço no país.



PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

1 já comentou, comente você também

  1. Vamos boicotar este movimento dentro das igrejas, o proxima vai ser na asssembleia madureira de Macaé, na segunda dia 3/09/12, infelizmente as igrejas estão sendo chamadas, pela presença do Lider Abiner Ferreira, mas o fundo politico para anunciar a candidatura do PSD, Christino, que vergonha!!!, O Pastor esta separando toda segunda para o apoio em varias cidades, podem pesquisar na internet.
    Pessoal sou leigo em informatica por favor divulguem nas redes socias.

  2. Se o candidato fosse Valdemiro, seu número seria 666 – 6(meia), 6(meia), 6(meia). Porque com 6(meia)ele já faz "campanha na igreja", (R$ 153,00-cada meia). Seria prefeito em 6(meia) duzia de cidades.

  3. Se murar vira hospício, se cobrir vira circo e se colocar luzes coloridas, vira zona eleitoral. O "puder" pelo voto do devoto. Ja pensou uma moeda com a efigiê de Edir Macedo,… Jesus falaria dai a Edir o que é de Edir e a Deus o que é de Deus, e o diabo não teria como corromper ninguém com reino. Estaria sem "puder".!!!

  4. Evangélicos olhem em quem vota, ore para saber escolher

  5. o voto do evangélico esta a cada dia mais decisivo

  6. ….Todo o cidadão de bem com a inteligencia cognitiva e o temor ao "Eterno" deveriam tratar a politica com amor e seriedade, seria uma decisão inteligente de um povo inteligente…

  7. Os evangélicos podem sim decidir uma eleição, pois somos uma parte grande no meio da sociedade.

  8. SOMOS UM POVO TÃO DIVIDIR, DIZ AS ESCRITURAS UM REINO DIVIDI NÃO PREVALECER. POSSO ATÉ ESTA ERRADO + CRISTÃO TINHA QUE VOTA EM CRISTÃO, PARA NÃO FICA NÃO MÃO DE NINGUEM. + SOMOS DESUNIDOS

  9. não está certa pessoa votarem só porque estão dizendo que um candidato já ganhou e ir de embalo como ´´mariazinha vai com as outras´´ e não deve votar em uma pessoa só porque é parente , padre , pastor , católico ou crente , devem votar por achar o candidato profissional e que sabe o que fazer com a cidade, estado, ou país etc!
    por isso que existem tantas pessoas sem saber nada de política e também que não ligam para a população!
    isso é tão errado e´´ dá tão errado ´´votar sobre influências de outra coisa a não ser melhoria para a cidade e país de onde se vive.

  10. Tem muitos pastores com má fé, mentindo para o rebanho, passando informações pela metade… Igreja não é lugar de politicagem, parem com esta profanação!!!

  11. Haline Mesquita disse:

    É só procurar saber quais são as intenções do candidato… simples

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 408,723 comentários no Notícias Gospel.