Crianças estão sendo obrigadas a escrever que “Alá é o único deus” em aulas sobre religião

2

O ensino religioso em escolas públicas é algo que sempre levanta polêmicas, e um caso com os alunos do Ensino Fundamental no condado de Maury, Tennessee (EUA) causou revolta nos pais de alunos, que foram ensinados sobre os cinco pilares do islã de forma intensa, quase doutrinária.

Segundo uma das mães, os alunos foram obrigados a escrever em seus cadernos que “Alá é o único deus”, de acordo com informações da Fox News.

Nos Estados Unidos, a religião islâmica tem crescido, timidamente, mas ainda é vista com reservas devido aos ataques terroristas promovidos por extremistas que atribuem seus atos à religião.

“Eles pularam todo o capítulo sobre a ascensão do Cristianismo e passaram três semanas estudando o Islamismo”, desabafou Brandee Porterfield, uma das mães incomodadas. “Eu até entendo que o Islã precisa ser discutido nas aulas de História, mas o que realmente me incomodou foi que eles passaram essa tarefa de ter de escrever os Cinco Pilares do islã, e as crianças tiveram que aprender a escrever a Shahada, a qual é o credo de conversão islâmica”, ponderou.


A Shahada é um conceito religioso do islamismo, que prega que “não há outro deus além de Alá; Maomé é o mensageiro de Alá”. Segundo Poterfield, a forma como as coisas foram ensinadas às crianças não devem ser consideradas um ultraje, mas sim, como doutrinação: “Eu não sei se eu consideraria isso um ataque ao cristianismo, mas eles não estudaram nenhuma outra religião com essa intensidade […] Mesmo que eles discutam mais o cristianismo durante o capítulo da Idade Média, eles não terão as bases do cristianismo e do judaísmo como agora eles têm do islamismo”, atentou a mãe.

A mesma visão é compartilhada por Joy Ellis, outra mãe preocupada: “Eu não tive problema com a história do islã ser ensinada, mas ir a ponto de fazer minha filha escrever o Shahada é inaceitável”.

O responsável pelas escolas do condado, Chris Marczak, defendeu a forma como as escolas trabalham e negou que estivesse tentando doutrinar os alunos: “A tarefa tocou em alguns tópicos sensíveis de importância para a religião islâmica e causou grande confusão no entendimento de se estamos pedindo aos alunos para crer ou simplesmente compreender a religião. É nosso trabalho como um sistema de escola pública educar nossos estudantes sobre a história mundial a fim de deixá-los prontos para competir em uma sociedade global”, afirmou.

As mães que se queixaram, disseram não estar convencidas sobre a maneira de trabalhar escolhida pelo educador.


2 COMENTÁRIOS

  1. Ora… mas é o mesmo que se está tentando fazer aqui no Brasil pelos cristãos…

    aqui mesmo já saiu matérias sobre ensino religioso nas escolas, bem como políticos criando projetos para ensinar suas crenças particulares nas escolas públicas…

  2. Diante da confusão dos fundamentalistas religiosos no Brasil , e com a grande quantidade de seitas espalhadas em todos os bairros deste país e dos escândalos e roubalheiras que estão ocorrendo na política , Mensalão Cunha ., assembleia de Deus , desvio de grana ., desvio de dízimos ., quinquilharia gospel., Muambas , lencinho suado., unção das vassouras., unção da mocreia., unção das gordas., vendas de badulaques ., perfume de Jesus.. Óleo de Israel., água do rio Jordão., campanha da restauração financeira.. Bíblia do vencedor., swing gospel , pastores mamdiocando as mulheres dos fiéis, adultérios e traição ., grana rolando solta nas seitas protestantes tudo a preço ., quem tem leva quem não tem se lasque., ai não é de se estranhar o título acima .,

    E digo mais o islamismo e o espiritismo o budismo vai crescer a passos largos no Brasil ., pois os cristão um fala mal do outro ., e seitas para todos os gostos , adventistas., testemunha de Jeová., protestantes , evanjegues., é uma infinidade de seitonas., não pode ser exemplo para as novas geracoes esta bagunça terrível.

DEIXE UMA RESPOSTA