Internacional

Cristãos demitidos por discriminação religiosa apelam ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos

Comments (11)
  1. O cerco tem se fechado e sabemos que é só o inicio de muitas e muitas perseguições que sabemos pelos textos sagrados virão sobre aqueles que professam sua fé publicamente; porém quero lembra-los de outros textos, que dizem mais ou menos assim, sê fiel até o fim e dar-te-ei a coroa da vida, coroas tais que estão preparadas para aqueles que permanecerem fiéis até o fim.

    1. vocês adoram se fazer de vítima, mas não se tocam o quanto são intolerantes e chatos

    2. Se fazer Vitima uma ova sua vadia! você sabe quantos cristãos são mortos todos os anos; são nada mais nada menos que 105.000. Você acha ainda que isso é se fazer de vitima. Ora, vá para puta que o pariu.

    3. Não precisamos nos fazer de vitimas, fatos são fatos e ponto!!!

  2. Não existe problema em ser ativa dentro de alguma fé religiosa e ao mesmo tempo um bom profissional.Um crucifixo pode ser usado de forma discreta, uma bíblia pode ser consultada num intervalo do expediente.Geralmente, quando uma pessoa vem a ser demitida na Inglaterra por tal motivação, o caso envolve assédio religioso dirigido a clientes e outros funcionários da empresa.Alguns cristãos perdem os freios da razão e iniciam uma campanha de evangelização em seu ambiente de trabalho através de discursos inflamados, e-mail, folhetos, advertências e ameaças bíblicas e pressão no sentido de converter seus colegas a se converterem a fé cristã.Digo isso porque já tive o desprazer de conviver com uma peça rara dessas em meu ambiente de trabalho.Ele me empurrava goela abaixo versículos sagrados durante as 12hs de serviço, sem falar nas tentativas de intimidação espiritual.
    Na Inglaterra, a tolerância é zero com este tipo de comportamento inconveniente e absolutista.Pregação religiosa e ambiente de trabalho, seja na esfera pública ou privada, não se misturam.Isso raramente acontece, e se aconteceram alguns casos, e bem possível que os cristãos envolvidos tenham utilizado seus cargos profissionais para fazer proselitismo religioso, o que dá demissão por justa causa na certa na terra da rainha.Recentemente um renomado médico de uma instituição privada de saúde foi demitido por assediar de forma incansável pacientes, enfermeiros e outros médicos com leitura de versículos, mensagens telefônicas, e-mail, folhetos e discursos que pressionavam as pessoas a se converterem ao cristianismo.
    Nada mais chato que conviver com um cidadão que vive tentando te convencer de sua superioridade espiritual, e ainda por cima, te assedia o tempo todo para mudar teus valores, teus pensamentos e teu modo de ser.É um pé no saco insuportável.

    1. Mas será que foi realmente isso o que aconteceu com elas, Adelino? Elas fizeram "proselitismo" religioso e forçaram outros à sua crença ou estavam só portando os crucifixos e foi isso o estopim de tudo?

    2. Emerson Oliveira, pelo menos no caso do terapeuta a decisão está correta, ele não devera se recusar a tratar o casal homossexual.

  3. interessante isso

    só despedir homossexual – porque é homossexual pode?

  4. A Inglaterra realmente enlouqueceu ao demitir essas funcionárias só por estarem portando crucifixos. Isso é perseguição religiosa. Em nome de um multiculturalismo e pluralismo decandente (que está roendo e destruindo a Grã-Bretanha em si mesma) esses secularistas militantes se armam de uma irracionalidade ímpar. Nunca vi cristão algum promulgar intolerância e preconceito contra ateus ou contra quem quer que seja. É pelo estado ser laico que essas mulheres podem expressar sua fé, assim como um ateu pode ser o que é.

  5. No caso do crucifixo ela desrespeitou uma norma da empresa. Se a empresa tem suas normas e nela determina que não pode usar crucifixo, o funcionário ciente disso tem mais é que acatar, se não acatar, tem um monte de gente lá fora que acata as normas da empresa. O terapeuta era do trabalho, ele é sim obrigado a atender todos, independente de sexualidade, de crença do que for. Pelo que vi no contrato dele não tinha nenhuma exceção. Então se ele não quer atender determinados grupos de pessoas, que vá para um emprego aonde ele tenha essa liberdade e que deixe a vaga para um que não seja homofóbico.
    Acho estranho esses crentaiadas, assinam o contrato de trabalho sabendo de tudo que pode e que não pode na empresa, depois eles desrespeitam o contrato aí se fazem de vítimas com argumentação de perseguição religiosa.Se não concordava com as normas de empresa, não aceitasse trabalhar para ela!

  6. Nicolau disse:

    A Europa virou uma Ditadura de Pederastas e degenerados multiculturalistas holocau$tizados e vai virar um Lixo Africano de aqui 50 anos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *