Brasil

Dependentes químicos sofrem maus tratos em clínicas de tratamento ligadas a igrejas

Comments (4)
  1. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA elaborou um documento o qual tem a pretensão de revelar quais as condições de “tratamento” a que nós, dependentes químicos, somos submetidos, em especial nas chamadas comunidades terapêuticas.

    O referido documento tem como seu maior valor ter sido produzido pelo CFP, uma entidade de grande porte e visibilidade, o que faz com o que o tema ” maus tratos à dependentes químicos em ambiente de internação” tenha atenção nacional.

    Nossa entidade ADQR ( Associação dos Dependentes Químicos) nasceu em 2001, da necessidade de seus membros de tornar pública a realidade “aterrorizante” na qual o paciente dependente químico químico era submetido ao buscar alguma forma de tratamento. Desde então temos denunciando para imprensa, ministério publico, OAB, comissões de parlamentares de sobre drogas, até para grupos internacionais contra a tortura, sem que nunca tivéssemos encontrado algum tipo de amparo.
    Para o CFP e para os diversos CRP’s enviamos dezenas de e-mails sem nunca obter nenhum tipo de resposta.
    Hoje são os maiores aliados na luta contra a tortura, o cárcere e os maus tratos contra os dependentes químicos no Brasil: alguns Ministérios Públicos Estaduais (dentre os quais não se encontra o do Rio de Janeiro) e a IMPRENSA que ano a ano vem noticiando a realidade escabrosa realidade vivida por muitos de nós dependentes químicos quando buscamos tratamentos.

    O documento elaborado pelo CFP é superficial e poderia ter sido melhor elaborado a partir das denuncias dos próprios dependentes químicos, do brilhante trabalho de alguns ministérios públicos e até mesmo em rápida busca na internet.

    Gostaríamos de alertar aos futuros conselheiros, a imprensa e a sociedade que a realidade vivida por nós dependentes químicos, hoje no Brasil, é muito mais cruel do que a revelada pelo relatório do CFP. Estamos falando de mutilações, choques elétricos, uso de armas de fogo, dopagem de internos, castigos físicos, em grande número, muito longe da falta de estrutura física ou falta de equipe médica terapêutica adequada, que claro tem que ser sanada.

    Estranhamos o CFP com toda sua estrutura não ter podido produzir relatório que desnudasse toda a perversidade e crueldade travestida de terapêutica existente no Brasil.

    Nós da ADQR seguimos lutando para banir estas práticas da realidade terapêutica.
    Abaixo o resultado da última denuncia encaminhada pela associação ao MP-RJ
    À OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO, A NOTÍCIA REFERENTE À OUVIDORIA PROTOCOLO Nº. 151856 FOI RECEBIDA POR ESTA PROMOTORIA DE JUSTIÇA. A PROMOTORIA DA SAÚDE, AGRADECENDO O ENVIO DA NOTICIA PELO(A) NOTICIANTE, INFORMA AO(A) MESMO(A) OS SEGUINTES PONTOS: 1. A NOTÍCIA APRESENTADA POR V.SA,. ATRAVÉS DA OUVIDORIA DO MPRJ, SERÁ AUTUADA COMO NOVO PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO PARA APURAÇÃO DO FATO NARRADO QUANTO AOS ASPECTOS DE TUTELA COLETIVA. 2. A PROMOTORIA DA SAÚDE, ENTRETANTO, NÃO DETÉM ATRIBUIÇÃO PARA SOLUÇÃO DE LESÕES A DIREITOS INDIVIDUAIS DE CIDADÃOS DECORRENTES DE POSSÍVEIS IRREGULARIDADES ADMINISTRATIVAS E/OU DEFICIÊNCIAS DE ATENDIMENTO NO SISTEMA DE SAÚDE (OU SEJA, NÃO PODE PROPOR AÇÕES NA JUSTIÇA OU INSTAURAR INQUÉRITOS CIVIS PARA DEFESA INDIVIDUAL DOS DIREITOS DE CIDADÃOS LESADOS). HÁ NECESSIDADE DE PROCURAR POR ATENDIMENTO JUNTO AOS ÓRGÃOS DE DEFESA DE DIREITOS INDIVIDUAIS (DEFENSORIA PÚBLICA, SERVIÇOS JURÍDICOS DE ESCOLAS DE DIREITO, ETC.).
    É triste ver como uma denuncia contra uma clínica sem nenhuma condição de funcionamento realizada ao MP acaba desta forma . É assim que acaba a maioria das denuncia contra nossos agressores.

    Assim os órgãos como o MP, CRP, CFP, CRM, OAB e tantos outros no RIO e no Brasil têm se portado ao receber denúncias de nós dependentes químicos.

    Abaixo segue material que sempre esteve disponível no site de nossa associação revelando o quão mais aprofundado deveria ter sido o trabalho do CFP e quão grande é o descaso das autoridades e da sociedade brasileira para o tema
    http://www.adqrbrasil.com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *