Internacional

Embaixador do Irã no Brasil afirma que o pastor Yousef Nadarkhani não foi condenado por crime religioso, mas por roubo e prostituição

Comments (2)
  1. A MEDIDA DA INJUSTIÇA TEM QUE ENCHER… AÍ,,, VEM A JUSTIÇA.

  2. O iran esta condenando, por converter ao Cristo , eles nao admite que um musumano a bandene o coran, eles queren executar o Pastor de todas maneira mentindo que e pormotivos de otros crimes, eles sao mentirosos , e assim querendo sujar seu testemunho deixando desacreditado para o mundo , mais nos sabemos o odio que eles tem do CRISTIANISMO…

    1. Laura Machado disse:

      toda perseguição é seguida de calunia injuria e difamação por tudo isso o proprio JESUS disse que seriamos bem-aventurados quando tudo isso acontecesse por causa do seu NOME !!! EU CREIO NA INOCENCIA DESTE HOMEM E ELES SERÃO CASTIGADOS SE FIZEREM QUALQUER COVARDIA COM ELE por que ate os fios do nosso cabelo são contados por Deus.

    2. Laura Machado e verdade nos que servimos a Cristo de uma maneira ou otra sofremos ,ele disse que por amor de mim do evangelio ivamos sofrer persiguicao ,concordo com vc querida irma em Cristo, bom comentaio abraco!!

  3. Kátia Cristina Pereira disse:

    Eu não acredito no embaixador do Irã. Eles dizem que podem cultuar a Deus, mas isto não é verdade. Quem lê sobre missões sabe disso.

  4. Não acredito no embaixador do Irã, Podem estar falando desses crimes cometidos pelo pastor… para denegrir a imagem dos cristãos e afastar a atenção das pessoas que estão contra essa execução. Sou contra pena de Morte seja lá por qual seja o crime.

    1. Theô Marinho disse:

      Amiga me add nesse novo face! bjs

  5. vamos orar por esse missionario

  6. Tinham que expulsar esse embaixador mentiroso daqui.

  7. eles agora vao buscar varios pretextos pra condena-lo que mentira desse povo eles vao se ver com DEUS DEUS NAO DORME NAO

  8. Bianca Wu disse:

    isso é só uma justificativa de um governo que não quer perder suas negociações. Por isso que diz isso.
    mas eles querem matar por que ele negou ao seu deus.

  9. Propaganda enganosa, orquestrada pelo governo fascista de Israel contra o Irã.

  10. Judeus de origem persa temem conflito entre Israel e Irã

    Por/ Viviane Vaz

    Os rumores de uma guerra entre Israel e Irã têm deixado apreensiva uma comunidade existente nos dois países: os judeus de origem persa. Israel possui 250 mil judeus iranianos entre seus 7,8 milhões de habitantes. Já o Irã tem a segunda maior comunidade de judeus no Oriente Médio – cerca de 30 mil judeus, instalados principalmente na região de Teerã, Isfahan e Hamedã

    Os que vivem em Israel têm dois bons motivos para se preocupar. Primeiro, temem por seus familiares no Irã – sem falar que um ataque do governo de Benjamin Netanyahu pode arruinar parte da cultura e da paisagem da sua terra natal. O segundo é a ameaça do governo do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, de "varrer Israel do mapa".

    Um dos integrantes dessa comunidade é Moshe-Hay Haguigat, 32 anos, doutorando da Universidade Bar-Ilan e especialista em relações Israel-Irã. Ele é filho de judeus persas de Teerã e acredita que o governo iraniano não seria tão irracional a ponto de iniciar uma guerra. "Apesar de eles defenderem apagar Israel do mapa, eles são racionais e não vão querer levar o regime à guerra", disse o judeu de ascendência persa.

    Haguigat também defende o direito de Israel em não querer permitir uma alteração no "equilíbrio nuclear" no Oriente Médio – já que, segundo ele, países antigamente aliados de Israel já modificaram seu posicionamento, como a Turquia e o próprio Irã. "A tensão não vem do fato de ser apenas o Irã, mas também da mudança de equilíbrio na região, que pode ser uma ameaça à existência de Israel", afirmou.

    Os pais de Haguigat migraram para Israel três meses antes da Revolução Islâmica no Irã, em dezembro de 1978, e decidiram ficar no país criado pela ONU para ser lar dos judeus. Moshe disse que a integração na infância foi o período mais difícil porque "as crianças costumam implicar com quem tem cultura diferente". "Quando você cresce, isso passa, você se sente israelense, serve as forças armadas lado a lado com todo mundo", afirmou o analista político.

    Já o radialista Menashe Amir, nascido em Teerã, chegou a Israel em 1959, bem antes da revolução iraniana. Ele ressalta que muitos judeus persas conquistaram altos cargos e reconhecimento nas artes e na política de Israel – chegando a presidente, ministro da Defesa e chefe das Forças Armadas. "Hoje a cantora mais popular de Israel nasceu no Irã: Rita Yahan-Farouz", disse.

    Menashe começou a vida como jornalista em Israel, aos 19 anos, apostando na construção do novo país. "Tenho duas terras natais: o Irã, onde eu nasci, e Israel, onde vivo e sou feliz", afirmou Menashe, agora com 72 anos. Após mais de 50 anos de experiência profissional, seu programa em persa da Rádio Israel é um dos poucos fóruns para o diálogo entre iranianos e israelenses.

    Os ouvintes de seu programa em Teerã não podem telefonar diretamente para a rádio em Jerusalém, pois existe um bloqueio do governo de Ahmadinejad contra chamadas provenientes de Israel. A conexão é viabilizada por meio de um número instalado na Alemanha que escapa ao controle. Segundo o radialista, a maioria de seus ouvintes tem medo da possibilidade de uma guerra e estão preocupados com a vida dos civis e com a infra-estrutura do país. Além disso, as viagens familiares dos judeus persas, que antes visitavam a terra natal via Turquia ou Chipre, também se viu dificultada com a escalada das ameaças entre Irã e Israel
    Antes da Revolução Islâmica, durante o regime do xá persa Mohamed Reza Pahlevi, Israel e Irã viviam um período de intercâmbio acadêmico, econômico e tecnológico. "Hoje essa cooperação não existe mais, o Irã ameaça destruir Israel, nega o Holocausto, freia nosso processo de paz (com os palestinos)", lamentou Menash. "Meu desejo é que os dois países voltassem ao tempo quando havia amizade e cooperação, em vez de serem inimigos e trocarem ameaças de ataque", disse o radialista.–
    O governo terrorista Israel junto com organização sionista mundial vem empurrando os EUA para 3ª guerra mundial, com objetivo de transforma Israel em uma grande potencia. Mundial.

  11. Geraldo Magela Leal disse:

    O capeta quer porque quer colocar uma mordaça nos cristãos, e isso no mundo todo. Aqui no Brasil, o capeta esta usando os ativistas GLS, la no Irã, os "religiosos" Aiatolás..Mas nosso Deus é maior que todos os outros "deuses".

  12. Se foi condenado por pregar o evangelho bem aventurado, se foi por roubo e prostituiçao, sera julgado por Deus
    e ele dará a sentença.

  13. MESMO QUE O PASTOR TER COMETIDO ESSES CRIMES A PALAVRA NOS ENSINA QUE CRISTO VEIO A ESTE MUNDO PARA SALVAR OS PECADORES

  14. DEVEMOS É ORAR A FAVOR DESSA QUESTÃO. PORQUE A NOSSA LUTA NÃO É CONTRA CARNE MAIS SIM CONTRA AS PROTESTADES DESTE MUNDO Q ESTÃO SENDO DIRIGIDO PELO SATANÁS

  15. Voltei a 1 semana de Tehran, capital do Irã e visitei duas igrejas católicas lá … olha, não vi nada que fosse contra elas, muito pelo contrário, situavam-se em lugares centrais e bem movimentados.

  16. Continuemos a clamar ao Senhor pela vida desse pastor, que pelo que sabemos não negou a fé, sendo assim um exemplo para muitos num período onde se nega a fé por coisas tão banais e insanas.

  17. Calúnias, calúnias, calúnias… Precisamos apoiar e orar pelo nosso irmão que esta sofrendo em professar ser cristão..
    Eu acredito no PAstor Yousef Nadarkhani e em sua conduta cristã. Vamos orar e fazer o possivel para que ele possa saber que seus irmãos no sangue de Jesus ora por ele e acredita nele e no que Deus fez em sua vida.

  18. Há 99% de possibilidade de o embaixador do Irã está declarando uma " mentira" ! Considerando o histórico cultural deste país não é difícil concluir que farão de tudo para executar o pastor, pois além do extremismo religioso, já deixaram claro ao mundo inteiro que eles não tem respeito pela vida humana.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *