Sociedade

Justiça nega autorização para aborto de feto com má-formação no RS

Comments (1)
  1. Aline disse:

    Condenar, sem ver caso a caso, assim como a Igreja Católica fez, é uma atitude ignorante e muito cruel. Eu passei por algo muito parecido. Engravidei e no final do quarto mês descobri que o meu bebê tinha uma anomalia grave que não seria compatível com a vida fora do útero. Sua barriguinha não tinha músculos, e os órgãos cresciam desordenados protegidos do exterior apenas por uma membrana muito fina. Chegaram a me dizer que poderia se romper no parto e “derramar” órgãos do bebê na mesa de operação. Quase morri quando ouvi isso sobre meu anjinho. Como moro na Europa, a autorização para o aborto foi automática, mesmo no quinto mês. Já é terrível o suficiente essa experiência e a sensação de impotência, de tristeza, de desespero… E mesmo tendo de tomar uma decisão tão dura, ainda ter que ouvir todas as acusações que te chamam de assassina. Mesmo que, se fosse possível, trocaria minha vida pela dele. Mas as pessoas só vêem com os olhos do fanatismo e da falta de compaixão. Esquecendo de que Deus é amor. E que Ele também é Pai, um Pai que sabe muito bem a dor de se perder um filho. Que Deus nos abençoe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *