Marina Silva pode filiar-se a partido evangélico se Rede Sustentabilidade não for registrado no prazo; Magno Malta é cotado como vice na eleição de 2014, diz revista

15

A ex-senadora Marina Silva enfrenta um impasse em relação à sua candidatura para as próximas eleições presidenciais. As assinaturas coletadas para o registro do partido Rede Sustentabilidade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passam por conferência nos cartórios eleitorais, e o prazo final para que a corte do Tribunal aceite a fundação do partido é o dia 05 de outubro.

A equipe de Marina que trabalha na organização da Rede Sustentabilidade diz ter conseguido número muito superior às 491 mil assinaturas necessárias para fundar o partido, porém reclama que a conferência das rubricas tem sido feita de maneira lenta pela Justiça Eleitoral.

De acordo com informações da revista Veja, até agora os cartórios não chegaram a 400 mil assinaturas conferidas. Por medo de que o prazo para o registro não seja cumprido, a cúpula que auxilia Marina definiu o dia 21 de setembro como prazo para tomar a decisão de filiar-se ou não a um partido já existente e viabilizar a candidatura ao Planalto em 2014.

Marina Silva vem sendo apontada nas pesquisas de intenção de voto como a segunda colocada, sempre com mais de 20% e próxima à presidente Dilma Rousseff. Os assessores de Marina temem que se ela não for candidata em 2014, pode cair no esquecimento e não ter forças para disputar a eleição em 2018.


Em meados de agosto, a assessoria da Rede afirmou não trabalhar com a hipótese da não fundação do partido e que por isso não estariam cogitando a possibilidade de Marina procurar outro partido naquele momento, mas com a aproximação do fim do prazo e a alta rejeição de assinaturas, a alternativa mais cogitada para Marina seria ingressar no novato e pequeno Partido Ecológico Nacional (PEN), que além de ter como uma das bases políticas a preservação ambiental, é ligado e liderado pela Igreja Assembléia de Deus, denominação a qual pertence Marina. Como a pré-candidata tem criticado de forma incisiva os partidos tradicionais, essa opção seria a mais coerente, pois como o PEN foi registrado há pouco tempo, não tem a rejeição do eleitorado fiel a ela. Marina não pode concorrer a presidência se não estiver filiada a um partido registrado.

O presidente da sigla, Pastor Adilson Barroso, anunciou que trabalha para que a migração para o PEN aconteça: “Eu passo a presidência nacional do partido para ela e garanto a candidatura à Presidência do país”, afirmou.

Barroso chegou a sugerir um vice à chapa de Marina: o senador Magno Malta, que também é evangélico e atualmente é integrante do PR. De acordo com o presidente do PEN, Malta estaria se aproximando do seu partido e a mudança de legenda seria questão de tempo.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+


15 COMENTÁRIOS

  1. Nem eu Clamando, alias, o dia em que um desses ai, Feliciano, Marina, Magno Silas se elegerem a presidencia da Repubica eu renuncio a minha cidadania brasileira na mesma hora, vou morrer de vergonha em dizer que sou brasileiro

    • NÃO RENUNCIO A MINHA, FALTA-ME CORAGEM PARA ISTO, MAS GOZO DE TRES PRERROGATIVAS, POR SER A SEGUNDA GERAÇÃO DE TRES POVOS EUROPEUS, POSSO TER DUPLA CIDADANIA, MEUS FILHOS JA POSSUEM

          • Olha só quem está zoando o ex.

            Anonimo, o amiguinho do Clamando (Márcio Collins). Está sempre defendendo ele. Esse linguajar (pipi, biba), já entendi, devem frequentar o mesmo salão de beleza, ter o mesmo maquiador, etc..

          • Bereano, se voce quiser tb podemos te levar para um passeiozinho de barco ahahah, tah a fim ? garanto que voce vai sair de lah uma pessoa realmente transformada kkkkkkk

          • Não obrigado, dispenso seu convite. Já tem gente demais nesse barco (Anônimo, clamando (Márcio Collins), Jussara). Tem que ser muito corajoso pra encarar dois velhos gays, e um que fala pipi e biba. Nesse quesito eu sou muito covarde.

      • Pois bem, aqui infelizmente nao me pedem pra optar como alguns paises fazem, entao, tenho que carregar aquele passaporte horroroso escrito Mercosul, mas se pudesse escolher nao o teria nao

        • É VERDADE ANONIMO MEUS AVÓS ENTRARAM NO BRASIL, NA PRIMEIRA GUERRA, GERARAM A PRIMEIRA GERAÇÃO MEUS PAIS NÓS A SEGUNDO OS NETOS, E A TERCEIRA OS FILHOS DOS NETOS, FORMAM A TERCEIRA GERAÇÃO QUE TEM AINDA DIREITO A DUPLA CIDADANIA ALEMÃES ITALIANOS E HOLANDESES. MEUS FILHOS OPTARAM POR RECEBER A ITALIANA…FICO AGUARDANDO, POIS NÃO TENHO FIFICULDADES COM MEU PASSAPORT…MAS NUNCA DIGO DESTA AGUA NÃO BEBEREI

          • Certamente a Itália teve o “grande Mussolini” e o grande Belusconi, considerado país de 3.a na União Eropeia. Sua população correu para Estados Unidos, Argentina e Brasil e Austrália para não morrerem de fome. Viva o estado laico, e república laica.

DEIXE UMA RESPOSTA