Música secular no culto: confira a opinião de pastores sobre a nova tendência entre evangélicos

45

Há, ao redor do mundo, uma nova tendência surge entre igrejas evangélicas: usar músicas seculares como parte da liturgia durante os cultos. Em geral, as canções escolhidas possuem letras que não contradizem a fé cristã, mas a ideia não passou livre de polêmicas.

No Brasil, a ideia não demorou a ser abraçada. No Facebook, o bispo Hermes C. Fernandes, que lidera a igreja Reina (Rede Internacional de Amigos) costuma compartilhar vídeos de momentos de louvor e adoração permeados com músicas seculares nacionais, numa iniciativa chamada de “Rastros da Graça”. Entre os intérpretes escolhidos estão Luiz Gonzaga, Raul Seixas e Lulu Santos, além de alguns cristãos, como Rebanhão e Oficina G3.

Em seu blog, Fernandes defende a iniciativa como forma de enxergar sinais do favor divino em toda a expressão humana, mesmo que essa não seja pautada pela fé: “Os puros hão de perceber sinais de esperança dentro da cultura. Rastros inequívocos da graça que nos fazem apostar que um novo mundo começa a emergir diante dos nossos olhos. Enganam-se os que pensam que por estarmos cantando canções seculares nos cultos, estamos traindo nossa fé e introduzindo o mundo na igreja. Não! Estamos apenas trazendo nos lábios sinais de esperança”, argumenta.

No entanto, a ideia não tem unanimidade e recebe críticas. O pastor Renato Vargens, líder da Igreja Cristã da Aliança, comenta que, mesmo reconhecendo a graça comum sobre toda a humanidade, e ciente de que é possível ver a manifestação de Deus em uma música não religiosa, o culto é momento de adoração ao Pai.


“Antes de qualquer coisa é preciso afirmar que não sou dualista sacralizando algumas atitudes e comportamentos, bem como demonizando outros. Aliás, como reformado, acredito que Deus estabeleceu o conceito de graça comum, e que esta é a fonte de toda cultura e virtude que encontramos entre os homens. Isto é, em outras palavras […] significa que Deus em sua infinita graça e bondade concedeu aos homens a capacidade de fazer coisas boas, dentre as quais podemos enumerar os talentos para a arte, música, oratória, literatura, arquitetura, comércio, invenções e etc”, contextualiza Vargens.

Para ele, “o fato da graça comum ser uma doutrina no meu ponto de vista inquestionável, isso não me dá o direito de entoar canções seculares no culto”, pois estas “não foram compostas para a glória de Deus”, e sim, pensadas “exclusivamente no bem estar humano”.

Listando outros motivos pelos quais se opõe à execução de músicas seculares durante os cultos, Vargens observa que elas “não servem para adoração congregacional, visto não terem sido compostas por alguém regenerado pelo Espírito Santo”, e explica: “Nessa perspectiva o mesmo que entoa uma canção cuja letra dignifica Deus ou as causas do reino, é o mesmo que canta cânticos com impropérios e blasfêmias absolutamente antagônicas ao modelo de adoração ensinado pelas Escrituras”.

Mais adiante, o pastor destaca que “o simples fato de entoá-las em nossos ajuntamentos aponta para a secularização da igreja, bem como a implementação dos valores deste mundo”, o que seria uma oposição à função do louvor na Bíblia: “Todas as vezes que louvores congregacionais foram entoados pelo povo de Deus (tanto no Antigo Testamento, como Novo Testamento,), foram feitos por aqueles que o Senhor anteriormente havia salvado. Para confirmarmos essa premissa basta olharmos para o livros de Salmos e Apocalipse que não veremos um louvor sequer com músicas não compostas por crentes no Senhor”.

Para Vargens, a nova tendência entre evangélicos é um equívoco: “Mais do que nunca devemos referendar nossas liturgias e comportamentos na infalível Palavra do Senhor, contrapondo-nos assim, a qualquer ensino que fira a santidade de Deus. Lembre-se: culto, oferecemos a Deus e não a nós mesmos! Que tem que ser glorificado é Ele!”, conclui.

45 COMENTÁRIOS

    • Então, se você esta na igreja, você já esta no mundo, não há diferença.

      Assim disse o guru Nanak:

      “Não hindu, não há muçulmano [e, podemos acrescentar, não há judeu, não há cristão, não há budista, não há jainista, etc.]. Então, qual caminho seguirei? Seguirei o caminho de Deus.”

      • SANDRO

        Não responda a esse Raji Obama / Edivan (os dois são um só).
        Uma boca suja de dar medo.
        Quando esse cara aparece, o Gospel Mais fede a enxofre que eles pegam lá nas profundezas do inferno e trazem pra cá.

        Você escreveu sobre um cara chamado “guru Nanak”.
        Ele não é o líder da religião Sikh, lá da Índia?
        Esses sikh já andaram se envolvendo em ataques terroristas.
        Tipo o estado islâmico…

  1. Os evangélicos tem uma vontade louca de cair no “mundo”.. tudo que segundo eles, o diabo inventa, eles copiam.. não é por nada que a emissora deles se chama “Recópia”..

    • De fato, Eduardo Nobre. Interessante observar, conforme nos dizem os cientistas sociais, que nenhuma religião pode crescer muito sem antes incorporar a cultura do país ou lugar onde faz seu proselitismo. Assim é que vamos percebendo o mundo secular entrando na igreja, ainda que sob muitos disfarces. A rigor, a música “profana” pode trazer elementos de apoio ao culto e até mesmo à adoração. Mas, como disse você, no fundo o que pode estar acontecendo é uma aculturação da igreja evangélica, assim como aconteceu com os católicos. Só não cessa certa estreiteza de visão, certa superficialidade, intolerância, preconceitos e discriminações.

          • Complementando o comentário do Sandro e do Eduardo, a Bíblia é cheia de sincretismo, desde o seu primeiro capítulo.. circuncisão, os sacrifícios, os relatos do Éden, do Dilúvio,.. os termos referentes ao mundo (firmamento, águas de baixo e águas de cima, Seol, quatro cantos da Terra, luzeiros no firmamento etc.), tudo já estava presente na cultura semita daqueles povos muito antes da Bíblia existir.

            Observa-se que antes do Egito, Deus era chamado por títulos e qualidades/características: El, Elohim, El Shaday, etc., porquê era assim o costume na cultura semítica (El Toru, Baal, Baal Peor, Ishtar), quando passaram a viver no Egito, onde os deuses tinham nomes próprios, logo Moisés pergunta ao que se manifestou como “o Elohim de seus pais”, qual era o nome dele, pois Moisés já estava inserido em outra cultura, onde os deuses tinham nomes próprios.

            Como disse o Sandro, não há nenhum mal incorporar a cultura do lugar onde vive (as coisas boas), e obviamente Deus utiliza para se comunicar, a linguagem e a cultura do seu ouvinte. Quando ele mandou Abraão fazer a circuncisão por exemplo, Abraão imediatamente entendeu, que Deus estava selando um pacto com a sua descendência (a sua semente, por isso se tira o prepúcio, para que todos os descendentes saibam que eles possuem uma aliança através das gerações, de nascença, como uma marca de nascença na carne, algo como um contrato hoje em dia), se Deus não pedisse a circuncisão, para Abraão (crescido naquela cultura), seria como você comprar uma casa sem o contrato de compra e venda hoje (na nossa cultura, é assim que selamos os negócios e acordos), então Deus utilizou da cultura que Abraão conhecia, e na qual estava inserido (a circuncisão, já era feita entre os homens e deuses semíticos há muito tempo), para selar o seu “acordo”.

            Ao contrário do que muitos acham, os judeus ao longo dos tempos incorporaram a cultura dos lugares onde passaram, Babilônia, Medo-Pérsia, etc., e quando eles se revoltavam (por exemplo, Revolta dos Macabeus, contra Roma etc.), não era por causa da cultura, mas da opressão, porquê invadiam e profanavam seus templos, obrigavam a prestarem reverências a deuses estranhos, desrespeitavam sua cultura e religião etc., a revolta era contra a opressão, e não contra a cultura.

            Essa coisa de “coisas do mundo”, “paganismo”, não surgiu nem com os cristãos do primeiro século (há relatos, de pagãos os descrevendo como “pessoas normais”, que fazem parte da mesma cultura, se vestiam como eles etc., mas que só não praticam algumas coisas – dividir suas mulheres/adultério, adorar os deuses, fazer sacrifícios etc., nos quais os pagãos não entendiam porquê os cristão eram perseguidos tanto por romanos, quanto por judeus, pois não faziam mal a ninguém), surgiu bem depois, com a Igreja Católica.

            Mas para os “negócios” das igrejas, sincretismo significa concorrência (vão comprar e ouvir músicas “fora” das suas gravadoras Gospel, comprar produtos e absorver cultura em geral, fora do “curral Gospel”), então não é bom para os “negócios”. Fora o fato, de que permitir que o gado ache “sem problemas” ouvir músicas fora do “curral Gospel”, significa abrir a “bitola” deles, e correr o risco de eles serem menos “manipuláveis”. O mercado do mundo está fora do controle dos senhores do gado, e para manter o gado, eles precisam ter controle e limitar a esfera de pensamento do gado.

            A pessoa deve discernir o que é bom e o que é mau, mas acredito que isso deve ser feito com a inteligência, com a consciência, com o discernimento espiritual, e não procurando um “selo Gospel” ou um selo de aprovação do pastor.

      • edi em vão

        Agora tá explicado!
        Você é da igreja IURD – Inganação Unifernal dos Rios de Dinheiro…
        Um boca suja como você só podia estar lá, afinal se a pessoa dá dízimo, tudo bem.
        A $eita do Ma$$edo.
        Onde Deus virou o gênio da lâmpada.
        Só é chamado para atender desejos e ainda diz “sim, mestre”!

        Vai lá no Templo da Pedição buscar com o Edirgrana Jones o teu diploma de otário, com pós-graduação em burrologia e doutorado em Técnicas de Lorota.

        • denovoeudigonãosouauniversalnãogordragão.
          *
          puxa!
          *
          pensei que teu certificado burrológico fosse autô,já vi q é falsiê!
          *
          ta doida pra eu te pegar no colo e te enprensar na parede enbaixo do chuveiro enquanto a ducha corre entre teus seios até o umbigo,molhando seu cabelo entre os ombros e voçe apertando minha cintura enquanto chupa meu pescoço e sussurra:huuuummm,haaaahhhh!

    • Eduardo.

      Me desculpe, mais suas colocações não diz respeito a mim, sou evangélico, tenho a Bíblia como caminho a seguir, e não tenho vontade de cair no mundo como vc diz. porque hj sou uma nova criatura em Cristo, lógico, com meus defeitos, meus pecados, minha ira, mesmo sendo um pecador miserável cego e nu que sou, procuro fazer o que posso para me desviar do pecado que todo dia é me oferecido e colocado de bandeja na minha frente.

      O cair é do homem, mais o levantar é de DEUS..

      • zeze
        em que nós cremos,Cânon das Escrituras

        Cremos plenamente na inspiração verbal do cânone das Escrituras como originalmente dado (2 Timóteo 3:16, 1 Coríntios 2:13).

        Um Deus em três pessoas

        Nós cremos no Deus Eterno que se revelou como um Deus em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo, distinguíveis, mas indivisíveis (Mt. 28:19, 2 Coríntios 13:14).

        Criação, Tentação e Queda do Homem

        Nós cremos na criação, tentação e queda do homem como relatado em Gênesis; depravação total do homem espiritual e incapacidade de alcançar a justiça divina (Romanos 5:12, 18).

        Senhor Jesus Cristo

        Nós acreditamos no Senhor Jesus Cristo, o Salvador dos homens, concebido do Espírito Santo, nasceu da virgem Maria, verdadeiro Deus e homem (Lucas 1:26-35, João 1:18, Isaías 7:14; 9: 6).

        Cristo morreu por nossos pecados e ressuscitou

        Nós cremos que Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, e apareceu pessoalmente a seus discípulos (1 Coríntios 15:1-4; 04:25 romanos).

        Ascensão e Retorno de Jesus Cristo

        Nós cremos na ascensão física do Senhor Jesus aos céus e sua exaltação. Cremos em sua segunda vinda pessoal, literal e corporal, para a sua Igreja (João 14:2-3; 1 Tessalonicenses 4:13-18).

        A salvação de pecadores pela graça, pelo arrependimento e fé

        Nós acreditamos na salvação dos pecadores pela graça, através do arrependimento e da fé na perfeita e suficiente obra da cruz do Calvário, pela qual nós obtemos a remissão dos pecados (Efésios 2:8-9, Hebreus 9:12, Romanos 5:11 ).

        Batismo nas águas por imersão

        Acreditamos na necessidade de batismo por imersão em água em nome do Deus eterno, a fim de cumprir o mandamento de Cristo (Mateus 28:19, Atos 2:36-39; 19:1-6).

        Batismo do Espírito Santo

        Nós cremos no batismo do Espírito Santo como uma experiência subseqüente à salvação, com a evidência bíblica, ou seja, falar em outras línguas conforme o Espírito Santo concede que falemos (Atos 2:1-4; 8:14-17, 10:44 – 46; Gálatas 3:14-15).

        Dons do Espírito

        Nós cremos na operação dos dons do Espírito Santo como enumerados em 1 Coríntios 12-14, que se manifesta na Igreja Primitiva.

        Vida Cheia do Espírito

        Acreditamos na vida cheia do Espírito, uma vida de separação do mundo em perfeita santidade no temor de Deus como uma expressão da fé cristã (Efésios 5:18, 2 Coríntios 6:14; 7:1).

        Igreja

        A Igreja é o Corpo de Cristo, a habitação de Deus pelo Espírito. Tem a incumbência divina de cumprir sua grande comissão. Cada crente é nascido do Espírito é parte integral da universal assembléia e igreja dos primogênitos inscritos nos céus.

        Cura do Corpo

        Nós cremos na cura do corpo pelo poder divino, ou cura divina em seus variados aspectos como praticada na Igreja Primitiva (Atos 4:30, Romanos 8:11, 1 Coríntios 12:09, Tiago 5:14).

        Ceia do Senhor

        Acreditamos na Mesa do Senhor, comumente chamado de Comunhão ou Ceia do Senhor, para os crentes (1 Coríntios 11:23-32).

        Eternidade

        Acreditamos na vida eterna para os crentes (João 5:24; 3:16) e castigo eterno para os descrentes (Marcos 9:43-48, 2 Tessalonicenses 1:9, Apocalipse 20:10-15).

        Realidade e Personalidade de Satanás

        Acreditamos na realidade e personalidade de Satanás e do juízo eterno de Satanás e seus anjos (Mateus 25:41, Apocalipse 20:10-15).

      • zeze
        no que cre stardust, bereano jean eduardo plebeu sandro wanderlei e outros gayjegus e ateus que aqui postam

        1. Acreditar que o universo criou-se a si mesmo. Rejeitando a proposição “Deus criou o universo”, a única alternativa é que as leis que funcionam dentro do universo são também responsáveis pela criação desse mesmo universo.

        2. Acreditar que a vida criou-se a si mesma. Essencialmente, é o mesmo que o anterior mas aplicado às formas biológicas. O ateu é forçado a acreditar que, de alguma forma, as “forças naturais” (seja lá o que isso for, dentro do ateísmo) foram capazes de criar o que seres inteligentes como nós temos grandes dificuldades em imitar.

        3. Acreditar que essa vida, de alguma forma desconhecida da ciência, conseguiu criar os seus próprios sistemas para ver, respirar, navegar, auto-curar, alimentar, e tudo o mais.

        4. Acreditar que essa forma de vida gerou os seus próprios órgãos reprodutores, e que “por acaso”, nas proximidades havia outra forma de vida que tinha órgãos reprodutores compatíveis de forma a que a reprodução sexual começasse a fazer parte da história da vida.

        5. Acreditar que formas de vida marinhas “quiseram” ir viver para terra firme, embora estivessem bem adaptadas à vida nos mares

        6. Acreditar que durante o processo de se transformar em forma de vida terrestre, os seus órgãos internos e externos foram-se adaptando de forma calculada e simultânea de forma a que essa forma de vida não se tornasse incapaz de nadar mas fosse ainda incapaz de caminhar.

        7. Acreditar que, já em terra, essa forma de vida tivesse sido acompanhada pela “esposa” de forma a que ambos pudessem continuar com a linhagem.

        8. Acreditar que essa forma de vida se foi transformando de modo a que gerasse animais perfeitamente adaptados à vida em terra, embora tivesse vindo de um ambiente totalmente distinto como a água.

        9. Acreditar que, depois do aparecimento dos mamíferos, um deles “sentiu saudades” da vida na água, e evoluiu para algo que deu origem às baleias, golfinhos e outros mamíferos marinhos. Mais uma vez, e sempre de forma aleatória e não direccionada, os órgãos internos e externos tiveram que se modificar de forma coordenada e bem calibrada de forma a que o animal não se tornasse incapaz de viver em terra e nas profundezas marinhas.

        10. Acreditar que um réptil evoluiu para um pássaro, embora a mínima modificação da forma de caminhar dos pássaros signifique morte instantânea.

        11. Acreditar que os dinossauros viveram há “milhões de anos atrás” embora tenha sido encontrado material orgânico dentro de ossos de dinossauro em bom estado de preservação. Isto contradiz a tese de que eles viveram há milhões de anos.

        12. Contradizer-se ao afirmar que, por um lado, os conceitos do “bem” e do “mal” são relativos às sociedades que as promovem, mas que ao mesmo tempo, é absolutamente errado roubar, matar, e ensinar o Criacionismo nas escolas.

        13. Afirmar que todo o comportamento humano pode ser explicado segundo a interação das leis naturais na nossa constituição material, mas ao mesmo tempo devemos usar a “razão” (uma entidade não-física) para resolver os problemas morais da existência humana.

        14. Defender a tese de que o Cristianismo é mau para a sociedade, embora estudos científicos mostrem que aqueles que subscrevem a visão Bíblica do mundo são, em geral, mais saudáveis,mais otimistas, mais generosos e mais altruístas, e menos propensos a comportamentos auto-destrutivos.

        15. Acreditar que se o mundo optasse pelo ateísmo, tudo seria bem melhor, pese embora o fato de o ateísmo ser responsável pela morte de mais de 100 milhões de seres humanos em menos de 70 anos.

        16. Acreditar que a ciência é algo que suporta o ateísmo, embora a ciência moderna seja o resultado da visão Bíblica do mundo (1, 2, 3, 4, 5) e o ateísmo nada tenha feito para o avanço da ciência.

        17. Acreditar que, se os cristãos quiserem sobreviver neste mundo “científico”, eles vão ter que rejeitar muitas das suas crenças “arcaicas”, pese embora o fato de que igrejas que fizeram isso mesmo estarem a morrer espiritualmente.

        18. Aceitar que a homossexualidade é um comportamento natural e não-reversível, embora haja ampla documentação que mostre que o comportamento homossexual, como comportamento auto-destrutivo que é, possa ser alterado.

        19. Aceitar que não há problemas nenhum em abortar bebês, pese embora o fato de que mulheres que fazem abortos serem mais susceptíveis de contraírem câncer de mama e serem mais propensas a terem problemas psicológicos.

        20. Aceitar a noção de que após a morte, entramos num estado permanente de não existência, apesar de Alguém tenha vindo do mundo dos mortos e tenha dito que há vida para além da sepultura.

        “E eu, quando O vi, caí aos Seus Pés, como morto; e Ele pôs sobre mim a Sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o Primeiro e o Último; E o que Vivo e fui Morto, mas eis aqui estou Vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.”
        Ap 1.17,18

        Além de rejeitar as evidências médicas e científicas que mitigam contra algumas das mais profundas crenças que o ateísmo ensina, há também o fato de o ateu fazer toda a sua existência depender de algo que é refutado por Alguém que tem todo o conhecimento que alguma vez existiu, existe e vai existir:

        “Em Quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência.”
        Cl 2.3

        Conclusão: Para ser um “ateu consistente”, é preciso acreditar em coisas inconsistentes.

        • CLAMANDO

          Um dia eu li sobre a criação do mundo como obra do acaso.
          Era assim: peguem uns macacos, lhes dêem máquinas de escrever e esperem, um dia eles datilografarão um soneto de Shakespeare, por acaso.
          A probabilidade desse acaso acontecer é quase nula.
          O tempo necessário seria maior que a idade do universo, estimada em 8.000.000.000 anos.
          O número de tentativas seria maior que a soma de todos os átomos que existem no universo.

  2. UMA MÚSICA BEM APROPRIADA PARA CERTAS ”IGREJAS” É ESTA: ”EI, VOCÊ AÍ, ME DÁ UM DINHEIRO AÍ, ME DÁ UM DINHEIRO AÍ… NÃO VAI DAR , NÃO VAI DAR NÃO, VOCÊ VAI VER, A GRANDE CONFUSÃO……

    • Janete , até hoje não descobri qual o motivo de você gostar tanto de fazer comentários num site ” CRISTÃO” . pessoas inteligentes quando não gostam de uma coisa passa bem longe eu já fui católico e sei que o padre ensina isto lá , tambem o padre ensina que devemos amar ao próximo . Janete vai ler a bíblia e pratica o que ela manda e ensina .
      largue de ser amarga, seca ,larga de piadinhas .
      com certeza sua vida é reflexo das sua atitudes e deste seu coração mal .

  3. Alguns motivos para deixar de escutar algumas músicas evangélicas ditas cristãs que são cheias de heresias como:

    Letras de músicas ditas cristãs que contradizem a Bíblia.
    Banda protestante Toque no Altar.
    Texto da música: “Quero amar somente a Ti…” (Faz um milagre em mim)
    Eu não quero amar somente a Deus. Eu Quero amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo com a mim mesmo.
    Texto da música: “Tu cumprirás os desejos do meu coração se eu te buscar…. É impossível alguém estar perto de ti e suas bênçãos não ter…” (Desejo do meu coração)
    Chantagem com Deus. Acaso estão confundindo Ele com o Gênio da Lâmpada? Sempre que estamos próximos a Deus, por acaso é obrigatório ser abençoado? O que diria São Paulo?
    Texto da música: “Meu melhor a ti eu darei… Minha motivação é saber que nada me faltará…” (Meu melhor)
    Quer dizer que a minha motivação para dar o meu melhor para Deus é saber que nada me faltará? Então é um jogo de interesses?
    Texto da música: “És Deus de perto e não de longe” (Deus de promessas)
    Pensei que Deus era um Deus de perto e de longe, (onipresente). Ou então Deus é mentiroso? Esta letra contraria diretamente Jeremias 23,23: “Porventura eu sou Deus apenas quando estou perto? – oráculo do Senhor. Não o sou também quando de longe?”
    Texto da música: “Restitui, eu quero de volta o que é meu…” (Restitui)
    Se essa música é cantada pra Deus, vejam aqui o que Jó disse:
    “O Senhor deu o Senhor tirou, bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1, 21b)
    Texto da música: “Estou apaixonado, desesperado de amor” (Abro mão)
    “Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade – as três. Porém, a maior delas é a caridade.” (I Cor 13,13). De tal modo, nosso amor por Deus não pode ser desesperado, sem esperança.
    Texto da música: “E construirei no cume do monte um altar E o sacrifício sou eu…” (Abro mão)
    Acaso Deus não se ofereceu em sacrifício uma vez por todas no calvário?
    A música faz apologia ao suicídio.Etc…Aí estão motivos para não se cantar musicas de “Toque no alta/Diante do Tronor” — ou de qualquer outra banda protestante, sua doutrina é herética, associada à Teologia da Prosperidade, mesma da Igreja Universal do Reino de Deus, da Igreja Renascer em Cristo e da Igreja Deus é Amor.A ditadura do Relativismo tem levado muita gente para longe de Deus.
    A música exprime a nossa fé, Isto quer dizer: existe grande afinidade entre as fórmulas de fé e as fórmulas de oração; a fé se exprime na oração, já diziam os escritores cristãos dos primeiros séculos.
    Pois bem, os protestantes têm seus cantos religiosos através de cuja letra se exprime a fé protestante. Quem utiliza esses cânticos, não pode deixar de assimilar aos poucos a mentalidade protestante; esta é, em certos casos, mais subjetiva e sentimental e a verdade é que os cantos protestantes ignoram verdades centrais do Cristianismo.

    • Emanuelle
      A sua lista é muito pequena.
      Não gosto de música gospel tanto de evangélicos como tambem de católicos.
      Os melhores foram até os Vencedores por Cristo, Elo, Logus.

  4. A Bíblia Sagrada continua inerrante e infalível: “Um abismo chama outro abismo.” Os cantores ditos evangélicos tranformaram o dom gratuito de Deus em comércio e, mais uma vez, a Bíblia Sagrada não erra: “O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males.” Os que se dizem líderes espirituais querem os templos cheios dos que se deixam enganar, dos que, desconhecendo a graça do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, pagam o preço e compram esperança que se frustrará. Gosto imensamente de música popular brasileira ou não, inclusive de samba. Mas, daí a pensar que posso louvar a Deus com essas músicas, soa como blasfêmia e isto é pecado contra a santidade de Deus.

  5. Isto é fogo estranho no altar.

    “Ora, Nadabe e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário e, pondo neles fogo sobre ele deitando incenso, ofereceram fogo estranho perante o Senhor, o que ele não lhes ordenara.” (Levítico 10:1)

    “Mas Nadabe e Abiú morreram perante o Senhor, quando ofereceram fogo estranho perante o Senhor no deserto de Sinai, e não tiveram filhos; porém Eleazar e Itamar administraram o sacerdócio diante de Arão, seu pai” (Números 3:4)

    Estes evangélicos estão agindo igual aos cultos católicos, onde se cantam músicas seculares, inclusive aquela do Renato Teixeira, que é muito “otimista”, “descasei, joguei, insisti, desisti, se há sorte eu não sei, nunca vi”. Desde de que fale “Senhora de Aparecida” o resto vale. Não é assim. Deus é santo e ordena para que sejamos também. “Porque eu sou o Senhor vosso Deus; portanto santificai-vos, e sede santos, porque eu sou santo; e não vos contaminareis com nenhum animal rasteiro que se move sobre a terra” (Levítico 11:44)

  6. raji obama

    Vai é nada, homem-dízimo, que só tem 10% do que fala.
    Você, nem se fosse o último homem na Terra!

    I HABERE IN CULO

    VAI TOMAR NO CU, em latim.

    • 10% de puro sangue árabe é mais do que você tem em casa Mariana.. esse “machinho” que não consegue colocar um sorriso nesse rosto… que não é capaz de fazer você acordar um dia feliz, e postar alguma coisa positiva aqui, alguma coisa engraçada, que não seja escarnecendo ou zombando de alguém.. alguma palavra edificante… uma palavra leve… suave, delicada, feminina. Você já acorda pensando em fazer barraco… olha como você xinga, igual um moleque de rua..

      Mas foi gostoso ler você xingar assim, mais selvagem, vulgar…

    • Princesa! Por que baixar o nível com um vocabulário tão desagradável. Infelizmente, este site
      deveria ter censura, pois pessoas não precisam ouvir baixarias. Eleve o nível dos comentários, por favor.

  7. o que vemos hoje……tudo o que é lixo mundano….os “evangélicos”…..pegam embrulham num papel de presença e obrigam “DEUS” ,que é santo, a aceitar como uma forma de adoração…vergonha…..um DEUS que nos oferece coisas novas e boas…..que nos prepara sempre o melhor….querem que ELE receba o que o mundo usa, abusa,etc…..quero oferecer ao meu DEUS, totalmente diferente do que o mundo já pode imaginar ou criar, o meu coração quebrantado diante de sua real presença……DEUS está a procura de verdadeiros adoradores….que o adorem em espirito e em verdade…..

DEIXE UMA RESPOSTA