Netflix abre espaço ao Evangelho e disponibilizará sermões aos usuários; Pastor comemora

5

A Netflix anunciou que está disponibilizando em seu catálogo pregações de pastores evangélicos, embora o número de temas ainda seja limitado.

A empresa, que oferece um serviço de streaming que cresce avassaladoramente em todo o mundo, está incluindo sermões de quatro pastores norte-americanos renomados para os usuários dos Estados Unidos e Canadá. O número deverá aumentar em breve, conforme a procura.

“Acredito que se Jesus vivesse na Terra hoje, certamente estaria na Netflix”, disse o pastor Ed Young, um dos que já definiu a disponibilização de seus programas no serviço.

A decisão de Young foi tomada a partir de uma reflexão sobre a forma como Jesus conduziu seu próprio ministério: indo até as pessoas. “Jesus foi o comunicador mais criativo na história. Se nós precisamos imitar seu modo de agir em tudo, a igreja deve ser a entidade mais criativa no universo”, opinou o pastor.

No entanto, a decisão da empresa foi criticada por algumas pessoas: “Isso se encaixa com padrões antigos da TV”, disse Stewart M. Hoover, diretor do Centro de Mídia, Religião e Cultura da Universidade do Colorado em Boulder, de acordo com informações do Christian Headlines.

Para ele, as igrejas estão repetindo tudo o que já fizeram ao longo das últimas décadas, adaptando-se ao rádio, à televisão e internet, conforme seu surgimento, respectivamente.

Fazendo um contraponto, Hoover afirma que a disponibilização de sermões no Netflix vai funcionar mais para atrair cristãos como novos usuários, do que para evangelizar os usuários que ainda não conhecem o Evangelho.

Além de Young, os demais pastores que já garantiram a exibição de suas pregações são Steven Furtick, Andy Stanley e a renomada escritora Joyce Meyer, que optou por seguir o modelo que exibia na TV, com pregações em grandes auditórios.

5 COMENTÁRIOS

  1. É uma questão de opção a pessoa escolher o que a Netflix oferece em sua grade de programação.
    Eu pessoalmente sinto falta de mais filmes Bíblicos ou outros com posição evangélica tipo (Deixados para traz – A jornada – Cronicas de Narnia – Prova de fogo – Desafiando gigantes – Quarto de guerra e tantos outros).
    Também sinto falta das séries antigas de Túnel do Tempo – James Oeste – Hawaii 5.0 – Bonanza – Zorro – Chaplin – Os Tres Patetas – Guerra Sombra e Água Fresca – etc.

  2. Lamentável, um canal tão bom e, agora, podendo cair nas mãos de vendilhões do Evangelho.

    O segredo continua sendo – sempre! – um aparelhinho mágico chamado “controle remoto”.

    Se for permitido a vendilhões do Evangelho do Brasil, não vou nem olhar a cara dos mercenários.

    • Sandro

      A Netflix não é um canal de televisão nem aberta e nem fechada.
      É semelhante a uma locadora virtual, embora não a seja, onde se pode escolher o que assistir.
      Tirei os canais de filmes da Net assinei a Netflix, assisto o que quero.

    • Sandro,

      Jogue no Google – 23 filmes e séries LGBT para assistir no Netflix brasileiro

      O que acha? Pode?
      Filmes bíblicos ou religiosos não podem?

      Qual a lógica?

      O preconceito é de quem?

DEIXE UMA RESPOSTA