São Paulo prepara “novo Kaká”

0

Ele não chega só para desequilibrar em campo e ajudar o time na conquista de títulos.

Vem também para arrebatar novos torcedores e dar seqüência à uma linhagem de craques diferenciados que se habituaram a brilhar no São Paulo.

O novo Kaká em questão vem do Sul do país, atende pelo nome de Dagoberto, tem 24 anos e se encaixa como poucos no perfil preferido dos dirigentes do Morumbi: craque, avesso às polêmicas, equilibrado, educado, valoriza a família e, acima de tudo, adotou o São Paulo como clube de coração.

Considerado a cereja do bolo para a temporada de 2007, Dagoberto enche os olhos não só do técnico Muricy Ramalho como também do departamento de marketing do clube.

O São Paulo tem um projeto direcionado às crianças dos 6 aos 11 anos, e Dagoberto surge como carro-chefe para encabeçar a campanha “Torcedor do Futuro.” “O Dagoberto tem uma imagem muito parecida com à do Kaká. Ele tem o apelo juvenil, perfil que criança gosta. Além disso é um jogador que tem tudo para estourar no São Paulo”, disse o diretor de marketing do clube, Júlio Casares.

O dirigente são-paulino aponta ainda outros fatores que contribuem para Dagoberto encampar o projeto.

“Ele fez questão de vir jogar no São Paulo quando estava no Atlético-PR. Sempre falou bem do clube e nunca atuou no eixo Rio-São Paulo”, afirma Casares, que lembrou a tradição do clube em revelar atletas com perfil de bom moço. “Daqui saíram o Caio, o Júlio Baptista, o Fábio Aurélio, sem falar no Raí e no Leonardo, que vieram de fora e foram ídolos no São Paulo. Depois viraram referência.”

O projeto, que terá visita de atletas às escolas -respeitando a agenda de treinos e jogos- e “excursões” das turmas em jogos de pequeno porte no Morumbi, ganha força com o novo xodó no segundo semestre.

“Essas ações com o Dagoberto devem acontecer em agosto, quando as crianças voltam das férias”, explicou Casares.

Além do projeto Torcedor do Futuro, o plano diretor do São Paulo planeja ainda inúmeras ações envolvendo seus atletas.

Segundo Casares, o goleiro Rogério, por exemplo, é vinculado ao Batismo Tricolor -projeto que leva torcedores a serem “batizados” no gramado do estádio com direito a certificado de são-paulino.

Enquanto, no campo, Dagoberto treina para entrar em forma o mais rápido possível, fora dele o atacante topa abraçar a campanha com as crianças.

“Minha identificação sempre foi muito forte. Tenho uma sobrinha de dois anos, a Larissa, que é tudo para mim. E as crianças realmente gostam de mim. Não sei se é porque eu sou franzino e baixinho”, brincou Dagoberto, 1,75 m e 75 kg.
O atacante falou ainda sobre um amigo: Kaká. “Tenho uma admiração muito grande por ele. Mantém sempre uma média de excelente para bom nas suas atuações. Além disso é ótima pessoa, evangélico e é uma honra ser comparado a ele dessa maneira”, elogiou.

Fonte: Tricolormania
Via: O Verbo

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA