Vídeos de exorcismo em cultos evangélicos causam polêmica e geram discussão sobre liberdade religiosa e de expressão; Entenda

19

A polêmica em torno de vídeos publicados no YouTube que mostram pastores orando por pessoas que em tese estão possuídas por espíritos malignos despertou um debate sobre liberdade religiosa.

Há alguns meses, quando um juiz negou um pedido do Ministério Público para retirar do YouTube alguns vídeos que traziam cenas de exorcismo realizados em igrejas pentecostais e neopentecostais, houve grande debate sobre o tema.

Agora a mídia se debruça sobre o assunto e descobre que, na verdade, os casos gravados em vídeo e publicados não são raros, e o que tais vídeos mostram faz parte da rotina de muitas igrejas evangélicas Brasil afora, que dão ênfase a essas questões.

O jornal O Globo produziu uma reportagem sobre o assunto e descreveu o conteúdo encontrado em alguns vídeos: em um deles, o pastor afirma que uma mulher está possuída por um espírito maligno e tem praticado sexo com o diabo; Outro mostra um pastor orando pela libertação de um jovem “que vive no homossexualismo”; entre outros.


Há quem enxergue a questão como ofensa religiosa aos cultos de matriz africana, como umbanda, candomblé e outros. “A internet tem sido usada de forma deliberada. As pessoas acham que a rede é terra de ninguém, então, atualmente, esse é um dos principais meios de disseminação das ofensas”, opina o delegado Henrique Pessoa, designado pela Polícia Civil para acompanhar os casos de intolerância religiosa no Rio de Janeiro.

“Esse tipo de ação tem dificultado muito o trabalho de conter a discriminação. Há sites com insultos [religiosos] hospedados no exterior. E, mesmo quando os vídeos são retirados, pouco tempo depois, outros são colocados no ar”, afirma.

Uma busca no YouTube com os termos candomblé” e “demônio” resulta em aproximadamente 8 mil vídeos, enquanto que os testemunhos dos “Ex-pai de santo” somam mais de 13 mil vídeos no serviço de streaming do Google.

O que é visto como ofensa por alguns representantes das religiões afro é descrito pelo pastor assembleiano Carlos de Oliveira como um exercício da crença de que o Evangelho liberta.

“Vivemos em um país democrático, e o lindo do país democrático é liberdade de religião. Há pessoas que adoram satã. Elas sabem que o diabo sai pra fazer coisas ruins, mas resolvem adorá-lo. Mas nós consideramos que alguns personagens da religião africana não fazem o bem. Se a pessoa quer continuar com aquele ser, tudo bem. Mas, se procura ajuda, a igreja evangélica oferece a porta de libertação. O que não significa que o candomblé não tenha legitimidade de existir”, argumenta Oliveira, que é diretor da Associação dos Pastores e Ministros Evangélicos do Brasil.

Já o Google, que é proprietário do YouTube e parte importante na polêmica, diz que não exerce censura prévia ao conteúdo publicado pelos usuários, e pontua que o papel de aplicar o cumprimento da lei cabe ao Estado:  “Não cabe aos responsáveis por plataformas digitais o papel de balancear direitos fundamentais, como liberdade de expressão e liberdade religiosa, para determinar quais conteúdos devem ou não ser removidos. Tal papel é exclusivo do Poder Judiciário. Se houver uma ordem judicial determinando a retirada do conteúdo, o Google irá cumpri-la”, diz uma nota da empresa.


19 COMENTÁRIOS

  1. Não entendi qual é a discussão, se a igreja tem poder cai mesmo , e não é hipnotismo nem auto sugestão, cai mesmo e é liberto ou liberta, claro nas igrejas de reunião nada acontece, são Cristãos nova era

    • o caso é que vcs acham que o diabo (se existisse) é burro igual aos cristãos.

      é ilógico pensar que se existisse o tal satanás, ele iria em um lugar que sabe que vai ser subjulgado.

      rsrsrsrs

      é muita burrice achar que o diabo, que esteve com o tal “criador” desde o princípio seria otário suficiente para entrar em um lugar onde as pessoas o torturariam usando o “poder do criador” rsrsrsrs

      o tal cristão é muito presunçoso, acha-se tão inteligente e capaz que pensa que um “ser” tão antigo entraria numa igreja onde seria dominado por aqueles que servem ao tal “criador”

      pela lógica, o diabo passaria longe de um lugar assim.

      mas não é o que vemos acontecer.

      vemos o diabo, apesar de ser uma “entidade” tão antiga e que tem “poder” de destruir a vida dos “não crentes” vai lá passear nas seitas protestantes onde só o paxtô tem capacidade de dominá-lo, e sempre é assim que acontece, o diabinho possui alguém no pulpito, ao vem o paxtô e depois de fazer uma longa entrevista expulsa o tinhoso kkkkkkkkkk

      masxxxx

      no próximo culto está lá novamente o tinhoso dominando mais um “fiél” e tá lá o paxtô entrevistando o danado novamente e depois de algumas revelações (muitas vezes atacando outros paxtores ou pedindo o pagamento do dizimo) o paxtô expulsa novamente o tinhoso.

      masxxx

      o danado é burro e teimoso.

      no próximo culta está lá novamente.

      ai possui outro fiel e começa tudo novamente rsrsrsrsrsrs

  2. Cada vertente ideológica e filosófica tem as suas explicações para os fenômenos observados. No espiritismo kardecista, alguns espíritos que praticam o mal são considerados apenas espíritos menos evoluídos, e eles os ajudam a se desprender das coisas carnais. No cristianismo eles são espíritos que se rebelaram contra Deus, chamados assim demônios no popular, e para o ateísmo isso pode ser algum transtorno psicológico, indução, hipnotismo, charlatanice, ou qualquer outra explicação racional.

    Não se pode acusar um ateu que posta um vídeo afirmando que uma cena de exorcismo é charlatanismo, assim como não se pode acusar um espírita kardecista explicando em sua concepção espiritual que um “Zé Pilintra” é um espírito pouco evoluído, enquanto adeptos do Candomblé lhe prestam culto, e assim também não se pode acusar um evangélico que chama um espírito incorporado de demônio (anjo caído). Cada qual tem sua explicação para a origem desses fenômenos. Obviamente pelo grande crescimento do segmento evangélico, vai haver mais vídeos da visão desse segmento.

    Agora, biblicamente, essas “incorporações” nada tem com o que é apresentado na Bíblia. Os “espíritos malignos” da Bíblia não xingam, falam de forma cordial (pelo amor de Elohim, eles são anjos caídos não?) reconhecem e chamam Jesus de “Filho do Deus Altíssimo”, com reverência e respeito, e não “aquele desgraçado do Edir”. Eles não incorporam durante “um momento”, com “hora marcada” (dia do desencapetamento total) mas as vítimas de tais espíritos sofriam diariamente com esse mal. Além disso, Jesus e os discípulos não entrevistavam demônios, e muito menos os tratavam de forma humilhante (ajoelha agora, bota a mão pra trás) como um policial abordando um trombadinha, mas tão logo ordenavam e os espíritos reconheciam sua autoridade e se retiravam.

    Agora isso que fazem parece um circo.

  3. Quando uma pessoa que se diz diretor, sugere que nestas religiões se adora satã, está sim difamando e caluniando essas religiões. Qualquer pessoa que estude um pouco vai descobrir que nessas religiões não existe a figura do demônio, diabo, satã ou capeta. Afirmações como estas quando partem de um diretor, está sim propagando o ódio e a idéia de se tem que destruir e acabar com a adoração do mal. Isso é realmente preocupante. Do pouco que conheço, sei que as religiões de matriz africana buscam a evolução através dos Orixás (Forças da Natureza). Espero que os irmãos evangélicos não se deixem enganar pelos falsos profetas e busquem o conhecimento e a verdade através do amor ao próximo, não existe outro caminho.

    • que ver o capeta é só ir em uma Igreja Evangélica rsrsrsrs

      rapaz.

      eu que nem acredito sempre que entro no youtube acabamos trombando com um ou outro video de um capetinha dando entrevista ou fazendo “revelações” para os pastores rsrsrsrs

  4. Com certeza Nosferatu. Fora que os “anjos caídos” (que vivem desde antes da Criação da Terra, dos homens e das línguas e ciências) dessas “igrejas” ainda são analfabetos e falam como homens de pouca instrução.

    O Caio Fábio disse que tirava eles com “tapinha na bundinha”, mas eu também conheço duas maneiras eficientes:

    – Se o demônio “sob o poder de Deus” é obrigado a responder o que o pastor pergunta, como fazem nessas “igrejas” durante as “entrevistas”, faz uma pergunta de matemática ou qualquer ciência, se for realmente um “anjo caído” ele teria que responder, mas se não, vai se embaralhar todo, mudar de assunto ou sair.

    – Pergunta a ele se pode dar umas boas cacetadas no indivíduo. Se o demônio quer a destruição do indivíduo, ele vai adorar isso não? Na primeira cacetada ele desincorpora.

  5. Cai mesmo,tem que cair à capetada,se eu colocar a mão na cabeça do janio e Felipe e tambem JosécCláudio em dez segundos os bixos vão berrar e gritar e me xingar,mais vou dizer em nome de jesus sai agora e sem muita convessa.depois disso felipe e janio vão começar a gostar de mulher e vão constituir família logo logo.

  6. Luciano, quando impuserem as mãos sobre tua cabeça sairá o seu preconceito, o seu péssimo português, aprenderá a escrever o nome do seu “suposto” Senhor – Jesus (com letra maiúscula) – e a respeitar o seu próximo.

    Eu nunca li na Bíblia o demônio xingar Jesus ou um de seus apóstolos:

    “A moça começou a nos seguir, gritando assim: – Estes homens são servos do Deus Altíssimo e anunciam como vocês podem ser salvos!

    Ela fez isso muitos dias. Por fim Paulo se aborreceu, virou-se para ela e ordenou ao espírito: – Pelo poder do nome de Jesus Cristo, eu mando que você saia desta moça! E, no mesmo instante, o espírito saiu”.

    “E, quando viu Jesus ao longe, correu e adorou-o.”

    “E, clamando com grande voz, disse: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? conjuro-te por Deus que não me atormentes. (Porque lhe dizia: Sai deste homem, espírito imundo.)”

    Se os demônios te xingam Luciano, tem alguma errada (ou com você, ou com esses seus demônios).

  7. Nós vivemos num país Democrático de Direito onde todas as Religiões tem o direito de exercer o seu papel, mas se um indivíduo quer uma mudança de vida ele tem esse direito.O EVANGELHO liberta. JOÃO 8:36 Se O Filho pos Libertar Verdadeiramente sereis livres.

  8. Não sei como usam lutero como referência( ja que é uma pessoa que pregava ódio anti-semita ou qualquer pessoa não cristã, vide dos judeus e suas mentiras pág 17), ou pelo menos entram para uma igreja pentecostal, pois seu fundador era charles fox parham, no qual pregava uma coisa e fazia outra totalmente diferente(mas acho que deve ser assim, pela visão de um pentecostal), http://www.seekgod.ca/fatherparham.htm, este texto demonstra exatamente, todos os pontos, fora que o mesmo, era da KKK, 4 anos antes de fundar a igreja, e apenas modificou o pensamento de matar negros para, vamos mandar embora para fazer o trabalho sujo(lembrando que missões naquele tempo, era algo extremamente perigoso e com alta taxa de mortalidade), foi denunciado por um menino da igreja dele, de ter relações sexuais com ele, mas foi dissuadido a retirar as queixas( se a igreja hoje em dia ainda possui poder para proteger os pedófilos, imaginem a 100 anos atrás).

DEIXE UMA RESPOSTA