Ciência & Saúde

Ateus apresentam a religião aos filhos e os levam a cultos para que possam decidir em que acreditar

Comments (3)
  1. se eu acredito que DEUS existe e que sua palavra é verdadeira se ele fala que os que cre será salvo e os que não cre seá condenado. então amigo tu queimará no fogo eterno. se não está com DEUS está com o diabo. e ponto final..

  2. se vc não acredita em DEUS . não tem como discordar.

  3. Ñ adianta muito levar as crianças `a igreja se em casa os pais dizem q tudo aquilo é mito;as crianças aprendem muito mais pelo exemplo.

  4. Hugo Jardel disse:

    Eu nasci em uma família católica, conservadora e estudei em escola de Freiras. Fiz eucaristia e crisma, e cheguei a lecionar religião. Hoje sou Ateu. Por mais que o meio seja predominante, sempre há chances de você mudar, seja para crer, seja para não-crer.

    1. Erick Garcia disse:

      Agora entendi porque você tem uma visão tão distorcida do cristianismo e mesmo sobre o caráter de Deus! Foi bom saber disso…

    2. Hugo Jardel disse:

      Visão distorcida coisa nenhuma. Se você me perguntar todos os mistérios, e interpretações segundo um cristão você vai se surpreender comigo. A visão que atualmente exponho é a visão enquanto ateu e estudante de filosofia, se você quiser testar minha visão de ex-cristão, pode ficar à vontade ;)

  5. Vocês saem do foco do assunto e partem para embate ideológico de crença ou descrença muito rápido.Bem, voltando ao tema do artigo eu posso afirmar que apresentar o aspectos religiosos e espirituais de uma determinada cultura a uma criança é benefico e ajuda na expansão do universo cognitivo de uma mente em processo de aprendizagem do universo social dos seres humanos.MInha filha maior já possue uma noção da função de deus e suas organizações em forma de instituições que ensinam doutrina moral, espiritual e formas padronizadas de comportamento.Sempre incentivo suas visitas à igrejas evangélicas frequentadas por minha esposa que é cristã evangélica.No centro histórico de nossa capital apresento-lhe todos os rituais e a majestade de igrejas católicas do séc.XVI.A experiência transcendental no início da adolescência é indispensável para nossa formação crítica e intelectual.Mesmo sendo ateu, dou total apoio às experiências de fé de minha família.Se meus dois filhos vão se tornar cristãos ou não,é fato que não faz parte de minhas predileções e vontades.O importante para mim não é sua configuração religiosa, mas sim sua formação como cidadãos dignos, livres e capazes de compaixão e respeito para com o seu próximo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *