Cristã, atriz de Fuller House critica excessos do movimento feminista e se declara contra o aborto

6

No Dia Internacional da Mulher, o destaque da mídia para o movimento feminista é inevitável, mas há também formadores de opinião condenando o caminho ao extremismo tomado por algumas mulheres expoentes. A atriz Candace Cameron Bure é uma das que vão no sentido oposto do discurso comum feminista e se coloca contra o aborto.

O dia 8 de março ficou definido como o Dia Internacional da Mulher após o movimento feminista pioneiro protagonizar uma luta por igualdade, direito ao voto e melhores condições de vida e trabalho.

Atualmente, com a sociedade moderna tratando as mulheres de forma igualitária, mas ainda precisando rever questões salariais, por exemplo, surgiram alguns movimentos extremistas, apelidados de “feminazis”.

Diante disso, Candace Cameron Bure (foto), atriz protagonista do seriado Fuller House, uma continuação do antigo Três é Demais (Full House, no título original), resolveu se posicionar sobre o tema, durante uma entrevista ao programa Fox & Friends, criticando a prática do aborto e a campanha de Hillary Clinton, a pré-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos.

De acordo com informações do Christian Post, Candace é irmã mais nova do ator Kirk Cameron, que anos atrás protagonizou a saga “Deixados Para Trás” o também o filme “Prova de Fogo”.

Cristã, a atriz repudiou a declaração da ex-secretária de Estado norte-americana, Madeleine Albright, em apoio a Hillary, dizendo durante um evento que “há um lugar especial no inferno para mulheres que não ajudam umas às outras”. Hillary é uma defensora do aborto.

Segundo a atriz, essa foi uma declaração infeliz: “Primeiro de tudo, alguém pode até fazer piadas com o inferno, mas não há nada de engraçado para mim. Se alguém realmente ler na Bíblia a descrição do que é o inferno… É nojento”, afirmou, demonstrando insatisfação.

Hoje, Candace – aos 39 anos – está sob os holofotes da mídia após a estreia de Fuller House na Netflix. Além da série de fama mundial, a atriz é co-apresentadora de um programa talk-show chamado The View, exibido na rede ABC.

Na entrevista à Fox, ela destacou que nem todas as mulheres compartilham dos pontos de vista dos movimentos feministas extremistas, e destacou que a postura favorável ao aborto de Hillary Clinton não é garantia de votos: “Há tantas mulheres que não são pró-escolha [de abortar], que são pró-vida… Para dizer que elas não são feministas, que são antimulheres, que não estão apoiando outras mulheres… Isto para mim é o que está errado no feminismo. É um ponto negativo para mim como mulher”, disse Cameron.

Em outro momento, a atriz já deixou claro que a igualdade entre os sexos deve ser valorizada, mas os excessos precisam ser evitados: “Acho que homens e mulheres são iguais em importância, mas eles podem ser diferentes no desempenho, dependendo do que se trata”, afirmou Cameron em uma edição de seu programa, em fevereiro. “Sou a favor de mulheres que fazem absolutamente tudo, mas não querem se sentir intimidadas a votarem em uma mulher somente porque é mulher, para depois não ser chamada de anti-feminista. Eu acho isso errado e você está me envergonhando por isso”, completou, dirigindo-se à ex-secretária Madeleine Albright.

6 COMENTÁRIOS

  1. Cristão sempre falando abobrinha. O aborto só diz respeito a própria mulher e a mais ninguém, ela faz o que quiser.
    Se depender de quem interpreta a gibíblia ao pé da letra as mulheres ainda viveriam trancadas em casa sendo dominadas pelo homem.

DEIXE UMA RESPOSTA