Bíblia Sagrada Online em Vídeo: assista aos cinco vídeos da semana

3

O canal Bíblia Sagrada Online em Vídeo lançou novos trechos das Escrituras na última semana, e você pode conferir aqui no Gospel+ cinco vídeos que estão entre os mais recentes.

A Bíblia Sagrada Online em Vídeo é uma ferramenta de evangelismo e de acesso à Palavra de Deus, que usa a tecnologia e torna a leitura diária da Bíblia Sagrada mais acessível e prática.

Essa iniciativa permite o acesso à Bíblia através de vídeo, com trilha sonora, de forma rápida e prática, usando um smartphone, tablet, SmarTVnotebook ou desktop.

A inspiração veio do sucesso da página Bíblia Sagrada no Facebook, que alcança diariamente mais de 2,2 milhões de usuários da rede social, cumprindo a missão do “Ide” no ambiente virtual.


O funcionamento da Bíblia Sagrada Online em Vídeo é simples: semanalmente são publicados trechos da Palavra de Deus que falam diretamente ao coração e ajudam a renovar a fé em meio à rotina turbulenta. Em pouco tempo, essa iniciativa já compartilhou diversos vídeos com a mensagem que transforma vidas, cura, liberta e dá paz ao cansado.

A equipe do canal tem como objetivo que todos os irmãos em Cristo, de todas as faixas etárias, classes sociais e denominações tenham mais uma forma de se manter alertas contra as heresias, falsos profetas e outros levantes de satanás, e tornem-se servos à disposição do Reino, propagando a mensagem que liberta a quem precisa de uma mensagem de conforto.

Nesses meses de funcionamento do projeto, vem sendo criado um acervo maravilhoso de passagens das Escrituras Sagradas. São trechos que destacam o amor de Deus para com seus Filhos, Suas promessas e bênçãos.

Assine o canal gratuitamente! O Gospel+ apoia o projeto Bíblia Sagrada Online em Vídeo! Confira cinco dos novos vídeos da semana:

Salmos 119

Assine o Canal

Provérbios 12

Assine o Canal

Mateus 24

Assine o Canal

Atos 2

Assine o Canal

I Coríntios 10

Assine o Canal

3 COMENTÁRIOS

  1. RELIGIÃO, SEITAS E BÍBLIAS são  coisas do particular. Denominação religiosa se particulariza mais ainda, e o que dizer da fé? Aí a gente, com cara de besta, se pergunta, como essas coisas vindas de povos atrasados invadem sem mais nem menos parlamentos que legislam para toda a nação e invadem nossas TVs abertas que são  CONCESSÕES PÚBLICAS? E elas ali, ó!. baseadas em passagens que se chocam entre si, como no Livro II de Samuel 24: 1 e no Livro I das Crônicas 21: 1 onde a mesma ação  é atribuída ora Jeová e ora a Satanás, tudo porque no cativeiro babilônico, os hebreus, aliás essa palavra é um erro de tradução, “copiaram” Satanás dos persas que eram mais evoluídos pra essa de cobra falante. Agora que está na hora de a NASA dar de cara com um ET que será que os religiosos vão inventar? Isso demonstra que Bíblias traduzidas facciosamente das línguas semíticas e grego para todo o ocidente retratam o caminhar intelectual das populações que pelo visto vai evoluir para o ateísmo, e como foi fácil, e ainda o é, manobrar as sociedades em todos os tempos. Quando o homem era pouco mais que o macaco de Darwin, bastou – lhe uma serpente falante e estava tudo resolvido. Nessa época os religiosos criam que a Terra fosse chata e os oceanos se derramassem em abismos sem fim lá  nas bordas dessa coisa chata. O interessante é que quase dá pra gente crer em milagre mesmo, afinal com um desperdício de água, bem menor do que esse  o PSDB “sifu” em terras paulistanas. Cruz-credo.

  2. Inquérito conclui que pastor desviou mais de R$ 1 milhão em Divinópolis
    Dinheiro era de uma doação ao projeto que Arlem Silva gerenciava.
    Após prisão em Corinto, pastor se defendeu das acusações.
    O inquérito instaurado para averiguar o desvio de mais de R$ 1 milhão do Projeto Somos Amados em Divinópolis, concluiu que Arlem Silva Amaral, de 40 anos, é o responsável pelo crime de estelionato. Segundo o delegado regional Fernando Vilaça, o pastor vendeu cerca de 10 lotes que haviam sido doados. O valor que chega a R$ 1,5 milhão não foi restituído.
    Ainda de acordo com o delegado, durante as investigações, a polícia descobriu que o pastor movimentava pelo menos cinco contas bancárias. “Contudo, em nenhuma das contas havia dinheiro. O valor desviado não foi encontrado ainda”, disse. Na época da prisão, o pastor se defendeu e disse que a investigação iria mostrar a verdade.
    Arlem passou por várias cidades até se instalar em Corinto, que fica a cerca de 400 quilômetros de Divinópolis. “Nessa cidade ele havia iniciado uma atividade comercial com uma loja de roupas e calçados e vivia com uma jovem de 23 anos, que conheceu em Divinópolis”, contou Vilaça.
    No início das investigações a hipótese trabalhada era de um possível roubo, já que o pastor disse para a esposa que havia ido a Belo Horizonte participar de uma reunião sobre o projeto Somos Amados. Depois das 23h o Arlem desligou o celular e desde então deu seguimento ao plano de fugir com a jovem e com o dinheiro desviado. Enquanto isso, a família defendia a hipótese de que ele havia desaparecido. Cogitou-se a hipótese de sequestro, assalto e roubo.
    Investigação
    De acordo com o delegado regional Fernando Vilaça, o suspeito desapareceu no dia 12 de junho último, com um veículo de alto valor. “Isso nos causou preocupação. Pensamos que ele pudesse ter sido vítima de roubo, sequestro, latrocínio, homicídio ou algo do tipo. A investigação teve início então, sendo ele uma pessoa desaparecida”, contou.
    Porém, a delegada que comanda as investigações, Adriene Lopes, concluiu que, na verdade, o pastor estaria praticando estelionato e desviando valores. Passou-se a suspeitar de que ele estivesse escondido e não mais desaparecido. “Ele foi localizado na cidade de Corinto, na região central do estado, e preso por uma equipe de investigadores”, explicou Vilaça.
    Segundo Adrine Lopes, o pastor era presidente da Associação Somos Amados e pastor da Igreja Pentecostal Independente. “A Somos Amados recebeu em doação, por meio de testamento, vários terrenos nos bairros Jardim Betânia e Planalto, deixados de herança por uma senhora. Arlem vendeu esses imóveis. Ainda não sabemos a quantidade exata desses bens, porque o inventário sobre eles ainda não está pronto. Não sabemos ainda como será, de fato, a partilha desses imóveis entre as entidades citadas no testamento”, relatou Lopes à época.
    A doadora deixou 50% dos bens para o Somos Amados e 50% para as Obras Sociais Frederico Ozanam. “Ninguém dessas obras sociais sabia que o pastor vendeu esses imóveis”, pontuou a delegada.
    Prisão
    No dia da prisão Arlem Amaral chegou à delegacia em uma viatura. Algemado e de cabeça baixa, ele foi conduzido ao interior do prédio, onde poucos minutos depois foi apresentado à imprensa.
    A entrevista com ele durou cerca de dois minutos. O suspeito se negou a entrar em detalhes sobre o crime. “Agora [a investigação] vai mostrar a realidade e a verdade para que essas situações se resolvam. Nada disso vai se sequenciar”, respondeu.
    Quando perguntado se era inocente no caso, ele respondeu: “Você vai descobrir daqui a pouco. Só isso. Não tenho mais nada a declarar”, finalizou. Em seguida, o suspeito foi retirado da sala por policiais civis.
    Delegados Fernando Vilaça e Adriene Lopes contam
    detalhes do esquema (Foto: Ricardo Welbert/G1)
    Confiança demais
    Por se dizer pastor evangélico, explicou a delegada, muitas pessoas acreditavam no que Arlem dizia. “Ele vendia esses imóveis e fazia um contrato de compra e venda. As pessoas davam de entrada algumas parcelas dos bens e outras pagavam o valor total. Essas pessoas, muitas delas fiéis da igreja em que ele celebrava cultos, agiram de boa-fé. Elas não podem ser consideradas como envolvidas no esquema, pois não sabiam que era uma fraude. O inventário desses imóveis ainda está na Vara de Família e Sucessões. Não sabemos ao certo quantos desses ele vendeu”, afirmou a delegada.
    Depois de vender os terrenos, Arlem passou a viver de cidade em cidade. Estabeleceu moradias temporárias em vários municípios e se envolveu com outras pessoas. Detalhes que a delegada evitou informar, para não comprometer as investigações. “O que dá para dizer é que foi descartada a hipótese de envolvimento da família de Arlem no esquema. Nós estamos investigando e não podemos adiantar muita coisa”, reforçou.
    Contas bancárias
    A delegada afirma que pediu o bloqueio de cinco contas bancárias em nome de Arlem. “Porém, não havia valor significativo nessas contas. Apenas R$ 50. O dinheiro adquirido nas negociações de imóveis e veículos que ele fez certamente estão em contas que pertencem a outras pessoas”, afirmou a delegada.
    Globo.com

  3. Pastor estupra menino de 10 anos em troca de chinelo e vídeo game
    Um pastor de 57 anos foi preso na noite desta segunda-feira (17de agosto/15) ao estuprar um menino de 10 anos no Jardim Buriti. O autor, que não teve o nome divulgado para proteger a identidade da vítima, ofereceu um chinelo e horas jogando vídeo-game em troca de sexo.
    Conforme o delegado Reginaldo Salomão, da DEPAC (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga, os pais deixaram o filho na casa da avó, onde o autor, irmão dela, também mora, deixando o primo de 23 anos responsável pelo garoto e por mais duas crianças.
    Durante a noite, o primo percebeu que o menino havia sumido, então começou a procurar pela casa, momento em que flagrou as crianças olhando pelo buraco da fechadura de um dos quartos. Curioso, o rapaz resolveu olhar, quando flagrou o tio-avô da vítima tendo relações sexuais com o menino.
    O primo interrompeu o ato e encaminhou o autor para a delegacia de plantão, junto com os pais da vítima. O pastor confessou o crime e alegou ter feito “pela glória de Deus”, porém não quis mais falar sobre o caso.
    O menino foi entrevistado por vários policias e, de acordo com o delegado, foi “coerente e na lógica e cronologicamente” no que disse. Ele contou que o tio-avô ofereceu um chinelo para ele, para que o menino praticasse sexo oral. A vítima aceitou.
    Depois o autor ofertou horas no vídeo game para que pudesse praticar sexo anal com o garoto, então o menino concordou mais uma vez. “A criança não tinha noção do que estava fazendo”, assegurou o delegado.
    O autor foi condenado em 2009 pelo crime de estupro, sendo que a vítima era um menino e também tinha 10 anos. Ele foi solto em agosto do ano passado, quando foi morar junto à irmã,
    levando um amigo, que teria conhecido na prisão.
    O amigo foi acusado de estuprar uma menina de 11 anos, sobrinha-neta do pastor, irmã de sua atual vítima.
    As investigações serão encaminhadas para a DEPCA (Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente). O autor foi acusado de estupro de vulnerável e pode pegar uma pena que varia de 8 a 15 anos de reclusão.
    Mesmo ele tendo confessado o crime, a irmã não acredita que ele não estuprou o garoto.
    Fonte: O correio news

DEIXE UMA RESPOSTA