Destaque

Padre afirma que cardeal teria ordenado destruição de lista com nomes de sacerdotes pedófilos

Comments (0)
  1. Lucia Regina DE Souza disse:

    Ainda bem que acendeu uma luz na consciencia dele. Teve de esperar os dois morrerem, mas tem os 35 pedofilos. Só espero que tambem nao estejam com o pé na cova, para receberem a puniçao.

  2. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

    A questão é a seguinte, existe uma luta travada diariamente dentro destes padres católicos contra a abstinência sexual, negar a sua própria natureza é negar sua própria indenidade, este problema só sera resolvido quando esta organização liberar o casamento entre os sacerdotes, que é vontade de Deus, enquanto isto não acontece mais crianças e adolescentes vão continuar sendo vitimas destes monstros, com seus desejos reprimidos por causa de um maldito celibato. ANTIBÍBLICO.

    1. Luis Pereira disse:

      Então quando Paulo argumenta a favor da castidade e se possível do celibato, você diz que é impossível ser casto. Por exemplo, um jovem que não consegue se casar por falta de mulheres que o aceitem ou vira criminoso sexual ou está fadado a fornicação. Brilhante Presbitero.

    2. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Luis Pereira __A Bíblia fala em celibato, mas nem tudo o que leva este nome é bíblico. Distorcido ao longo dos anos por influências gnósticas e estranhas, esta prática se tornou, por imposição humana, um “preceito de homens” e “doutrina de demônios” (1Tm 4.1), distante dos critérios de Deus. A Enciclopédia Britânica assim se expressou sobre o assunto: “A ligação entre o cristianismo e o judaísmo e a aceitação do Antigo Testamento pela Igreja cristã, tendia a perpetuar na Igreja primitiva a estima que os hebreus tinham por casar e ter numerosos filhos”.

      Logo, se o estado celibatário se tornou sinônimo de um estado espiritual, isso não ocorreu como produto da pregação apostólica. Outras influências fora da cultura hebraica e do contexto bíblico levaram a prática a extremismos danosos.

    3. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Quando Jesus falou sobre pessoas que se decidiram por viver uma vida celibatária por amor ao reino de Deus, foi bem explícito em apresentar isso como uma decisão puramente pessoal. Não é uma adesão a algum regulamento fixo da lei mosaica ou a qualquer outro ponto das Escrituras, mas uma escolha deliberada e própria. “Porque há eunucos que nasceram assim; outros foram feitos eunucos pelos homens; e há eunucos que se fizeram eunucos por causa do reino dos céus” (Mt 19.12).

    4. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Há um segundo ponto importante no celibato bíblico. Além da decisão individual, o celibatário deve possuir aptidão para permanecer em tal estado. Jesus terminou sua sentença com a frase: “Quem puder aceitar isto, aceite-o” (Mt 19.12), mostrando que nem todos estavam aptos a receber tal preceito. Jesus disse ainda que nem todos poderiam receber esta palavra, mas somente aqueles a quem foi concedido recebê-la (v.11).
      Paulo, o apóstolo celibatário, afirma a questão de vocação ainda com mais veemência ao responder às perguntas dos coríntios sobre o casamento. “Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira, e outro de outra” (1Co 7.7). Pela revelação bíblica, não basta alguém desejar ser celibatário para sê-lo. É necessária uma capacitação especial de Deus.

    5. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Quando o celibato não é bíblico?
      Embora o celibato clerical católico seja o mais conhecido, houve e há outros grupos que entendem o celibato como sendo necessário e obrigatório, pelo menos para algumas classes especiais dentro do grupo, criando uma espécie de casta de eunucos espirituais. Grupos menores, na História passada e em nossos dias, exigem o celibato como um estado automático de maior santidade e por isso o impõe como exigência para adesão ao grupo.

    6. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Uma coisa é incentivar o celibato. Outra é exigi-lo. Uma coisa é crer que uma vida de solteiro, voltada só para as coisas divinas, é melhor. Outra coisa é estabelecer que só possa ser dessa forma. Dizer que alguém é obrigado ao celibato se deseja ser um ministro da Igreja de Cristo é uma ordenança humana e um ensino antibíblico: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento…” (1Tm 4.1-3).

    7. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Não existe qualquer lugar nas Escrituras que estabeleça um estado de solteiro obrigatório para quem quiser tomar sobre si o encargo da obra de Deus. O celibato obrigatório teve uma evolução histórica, por influências não-apostólicas e não-bíblicas. Ainda lemos na Britânica: “O celibato de clérigos não parece ter sido obrigatório durante os primeiros séculos cristãos. A opinião formalmente sustentada por alguns de que o celibatário teve origem apostólica tem sido largamente abandonada. A liberdade de escolha era a norma […] No Ocidente, o Concílio de Elvira na Espanha (306 d.C.) decretou o celibato nas seguintes palavras: ‘é inteiramente proibido a bispos, sacerdotes, diáconos e todos os clérigos colocados no ministério viver com suas esposas e filhos gerados. Quem o fizer será destituído de sua posição de clérigo’”.

    8. Presbitero Quelly Pedrosa disse:

      Concluindo, o celibato só é bíblico quando não imposto e sim opcional, como no caso do jovem citado por você, impor uma condição a uma pessoa para exercer determinada função, é fazer com que aquela pessoa viva com conflitos existenciais diário, “Porque há eunucos que nasceram assim; outros foram feitos eunucos pelos homens; e há eunucos que se fizeram eunucos por causa do reino dos céus” (Mt 19.12). Aqui temos três classes de eunucos, todas elas diferem entre si.

      1; OS QUE NASCERAM EUNUCOS = Os que já vieram ao mundo assim, por vontade de Deus

      2: OS QUE FORAM FEITOS EUNUCOS PELOS HOMENS = Ou foram castrados para exercerem uma determinada função, porem ainda sentem o desejo sexual.

      3: OS QUE POR OPÇÃO SE TORNARAM EUNUCOS = Aqui já diz tudo, eles optaram, nada imposto mais de livre e espontânea vontade o fizeram.

    9. Luis Pereira disse:

      O Presbitero Quelly Pedrosa Ninguém é obrigado a adotar o celibato, da mesma forma que ninguém é obrigado a se tornar sacerdote. Existem outras posições na Igreja que não a de Sacerdote. Se a pessoa abraça o celibato contra sua vontade, a culpa é totalmente dela. E se por algum motivo ela procura romper esse celibato, com certeza não vai começar sua pervesão e traição com pedofilia. Os casos de pedofilia na Igreja geralmente estão sempre ligados com pedofilia homossexual, coisa de 94% dos casos. Chegamos a conclusão de que os envolvidos com os escandalos não entraram no sacerdocio por vocação, mas sim para escapar da pressão social do casamento.

    10. Luis Pereira disse:

      O Presbitero Quelly Pedrosa , quanto a sua citação: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento…” (1Tm 4.1-3).É mais fácil que as escrituras estejam falando do protestantismo, já que é bem dificil de acreditar que essa doutrina enganadora de demonios venha ser a católica que remonta dos 3 primeiros séculos do Cristianismo. Doutrina dos fins dos tempos e demoniacas só podem ser as protestantes.

    11. Luis Pereira disse:

      O Presbitero Quelly Pedrosa Como diria Lutero: “Com tamanha dor e trabalho eu devo justificar a minha consciência de que eu sozinho devo acusar o Papa de anticristo e aos bispos de seus apóstolos. Quantas vezes meu coração não me abordou e me puniu com este forte argumento: ‘Isto é correto? Poderiam todos estarem errados e terem errado por todos os séculos? O que há de acontecer se tu errares e liderar uma multidão à condenação eterna?’” (De Wette, 2. 107, citado em O’Hare, p. 195).

      No final da vida, admitindo seu erro, escrevia Lutero arrependido: “Se o mundo durar mais tempo, será necessário receber de novo os decretos dos concílios (católicos) a fim de conservar a unidade da fé contra as diversas interpretações da Escritura que por aí correm.” (Carta de Lutero à Zwinglio In Bougard, Le Christianisme et les temps presents, tomo IV (7), p. 289). Ele morreu e sua multidão de seguidores foi entregue a “condenação eterna”.

      Se existe alguem que facilmente se enquadraria nisso: “Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, proibindo o casamento…” (1Tm 4.1-3) que acabaram com a santidade do casamento, trazendo a aberração do divorcio, criando um casamento falso. A Igreja não proíbe o casamento, ela santifica o casamento e o sacerdocio. Duas vocações diferentes mas que exigem dedicação absoluta.

      "Eu vos quereria livres de cuidados. O celibatário cuida das coisas do Senhor, de como agradar ao Senhor. O casado deverá cuidar das coisas do mundo, de como agradar à sua mulher, e assim está dividido. A mulher não casada e a virgem só se preocupam com as coisas do Senhor, com ser em corpo e em espírito. Porém a casada se preocupa com as coisas do mundo, como agradar ao marido. Isto vos digo para vossa conveniência, não para vos armar um laço, senão olhando ao que é melhor e ao que vos permite unir-vos mais ao Senhor, livres de impedimentos." (1Cor 7,32-35)

      "Pois há homens incapazes para o casamento porque assim nasceram do ventre da mãe; há outros que assim foram feitos pelos homens, e há aqueles que assim se fizeram por amor do reino dos céus. Quem puder entender, que entenda". Mt 19, 12

      "E todo aquele que deixar casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou campos por amor de meu nome, receberá cem vezes mais e possuirá a vida eterna." (Mt 19,29)

      "Estás ligado a mulher? Não procures a separação. Estás livre de mulher? Não procures mulher." (1Cor 7,27)

      Quisera que todos os homens fossem como eu; mas cada um tem de Deus a sua própria graça; este uma, aquele outra. Contudo, aos não-casados e às viúvas eu digo: é melhor para eles que permaneçam como eu." (1Cor 7,7-8)

      Inclusive a determinação administrativa contra o casamento de sacerdotes não é e nunca foi dogma. Ninguém é proibido de se casar, já que a qualquer momento pode-se abandonar o sacerdocio e se casar normalmente.

  3. Geisa Nunes disse:

    Cade voce Bruno Vallest pra comentar essa materia lamentavel ah! Esqueci voce deve tar em outro link atacando os evangelicos que pena gostaria de saber o que voce tem adizer sobre isso.

    1. disse tudo Geisa, parabéns garota.

  4. cade o Bruno Vallest ainda se encondedo da verdade veja o herege catolico

  5. Michele Dos Reis disse:

    eai bruno vallest vai se esconder até quando? esse padre e o monsenhor morreram tarde já fizeram muito hora estra na terra desgrasondo a vida de muita gente , pior é os outros pedófilos que estao vivos abusando de outras crianças

  6. Nada ficará coberto diante de Deus de Israel….tudo que esta oculto, será revelado….estes homessexuais inrustidos…irão pagar caro !!! O inferno é p/ o diabo , seus anjos e todos aqueles que o seguem.

  7. Pedofilia é satânico, mas ninguém fala, o mundo se cala parece-me até que consente, ou o absurdo é tão grande que está na cara, mas a tradição não deixa falar.Enquanto isso muitas crianças são usadas em suas taras e imundicias, um dia isso terá que acabar o nariz do Senhor não suporta mais tanta podridão!

  8. Bem que poderiam destruir os Sacerdotes Pedófilos… higiene…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *