Líder evangélico compara casais gays que querem adotar um filho com crianças de 5 anos que querem dirigir carros

85

A adoção de crianças por casais homossexuais foi tema de um discurso polêmico do apóstolo Paul David Rodgers durante um protesto que pede o arquivamento da lei que estabelece o casamento gay no estado norte-americano de Illinois.

Na opinião de Rodgers, homossexuais que querem adotar crianças não são capazes da cumprir a tarefa de educar uma pessoa: “Bem, nós temos crianças de cinco anos de idade que pensam que podem dirigir carros, mas a realidade é que há uma certa maneira que as coisas estão estruturadas e há certas coisas que estão em ordem”, opinou, ilustrando com o fato de serem necessários alguns requisitos para determinadas coisas.

“O nosso país não é construído sobre a força do seu exército ou de suas finanças, mas sim sobre o que se passa nas nossas salas de estar. As famílias. Sempre foi e sempre serão a fundação e alicerce da sociedade e por isso vamos defender o que Deus ordenou”, argumentou o líder evangélico.

A tramitação da lei que estabelece o casamento gay em Illinois está travada no Poder Legislativo do estado, devido a falta de consenso entre os políticos locais, informou o Huffington Post.


Por Tiago Chagas, para o Gospel+

85 COMENTÁRIOS

      • Porque o homosexualismo é abominavel?
        1-o ânus é descarga do estômago,não é para dar prazer.
        2-Coloca em extinção a espécie humana.
        3-Gera confusão de valores.
        4-Aniquila com o conceito de homem e mulher.
        5-Exalta a depravação.
        6-Gera caos social.
        7-Torna o país vulnerável

          • Phedrão, e’ a sua opinião pessoal e de certa forma eu respeito. Tem gente que acha negros asquerosos, outros ja’ acham nordestinos nojentos, outros odeiam catolicos,outros crentes, ateus, e por ai vai, e’ a sociedade em que vivemos…. No seu caso vc odeia gays e procura justificar o seu odio e preconceito se valendo da Biblia, E vc não esta’ sozinho, veja ao redor, tem um exercito de “pessoas de bem” que concordam com vc.

        • Phedro retrógrado, você se esquece de que muitas mulheres adoram praticar sexo anal. Todos os meus amigos heteros me contam suas experiências anais com evangélicas que não viam a hora de sair daquele papai~mamãe sem graça, e imagino que muitas estejam lendo este comentário. Vá cuidar da sua vida. Nada que uma boa xuca não resolva. A propósito, vagina é descarga mensal de sangue. Existe coisa mais nojenta do que uma vagina menstruada, fétida e asquerosa? Mas tem gente que gosta mesmo assim. Lavou, tá novo, meu caro.

          • Claudio sua bichona.

            Sexo anal é somente 1 item que citei,e os outros 6-será que se ofendeu com o sexo anal,porque vc gosta de dar ré no quibe?
            Faça o seguinte use seu cérebro,e rebata os outros itens rs
            Ou será que seu cérebro é pequeno demais para ser usado? rs
            Viadão rs

    • Porque só chamam nós gays de aberração mas nem os adulteros e assassinos são chamado s assim por vcs? É a pior espécie de cristão e vendo isso me sinto bem por estar longe da hipocrisia da igreja! Mil vezes hipócritas!

      • Voa fora daqui, seu asqueroso, gays sinceros não ficam infernizando a vida dos outros, eles fazem suas boiolices no canto deles e ninguem encomoda eles, tu quer aparecer, voa fora daqui seu lixinho.

          • Eu não estou mandando bater em gays e muito menos mata-los, então não sou nada disso, mas voces, militantes da gaystapo comunistalha, ODEIAM OS RELIGIOSOS, VOCES SÃO PRECONCEITUOSOS EM RELAÇÃO AOS RELIGIOSOS, voces são uma vergonha para os proprios gays de bem, que fazem suas boiolices no quartinho deles e ninguem da bola, eles ficam quietinho na deles e ninguem os encomoda. O que é uma nojeira asquerosa são voces, os cães raivosos, odiosos, são satanazes, são demonios em forma de pessoas, voces são puro odio e amargura, são doentes, precisam de tratamento urgente.

        • Joaquim Nabuco, faça jus ao nome que os seus pais lhes deram.
          Honre o nome desse grande abolicionista que enfrentou as elites de seu tempo para defender uma minoria escravizada e rejeitada pela sociedade. Vc esta’ fazendo exatamente o contrario. De que lado Jesus ficaria?

          • Pare de fingimento, não se faça de desintendido, Jesus vai aniquilar todos os abominaveis no tempo do fim, seja adulteros, hipocritas, roscas, boiolinhas, bixinhas, idolatras e avarentos, não tente fazer ele ser o que nunca foi, ele não gosta de abominaveis.

      • Diogo, se afaste desse tipo de igrejas, mas saiba que elas não falam por Cristo,
        Essas pessoas que te “condenam” sao seres-humanos como vc, que apenas repetem preconceitos e estereótipos incutidas nelas desde o nascimento por razões culturais, não as confundam com Deus. Ele não te julga pela sua sexualidade, e a sua sexualidade não e’ tbm o que te define como individuo, mas sim o seu carater e sua integridade. Não permita que esses auto-denominados “crentes” afastem vc do convivio com Cristo. Jesus te ama.

        Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.
        “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
        Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.”

        Romanos 8:37-39

      • André, hj em dia o nome de Deus tá tão avacalhado que qualquer lixo tem na boca e eles esquecem o mandamento principal: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo…Os que se dizem “cristãos” querem ser os donos da verdade e só eles são santos.

  1. Voces sabiam que o indice de abusos sexuais contra crianças é muito maior entre casais gays. Do lado oposto, religiosos são os que tem menores indices de abusos sexuais para com os filhos.

    • Não Joaquim, não sabia .. Que coisa né’? Algum estudo recente para embasar esta afirmação ou ela é’ produto exclusivo do seu preconceito contra esse grupo minoritário? Que vc tem ojeriza a gay, isso já’ deu pra perceber, então para que possamos levar a sério qualquer “informação” sua nessa área, seria mais prudente revelar a fonte de suas pesquisas.

      • Ei, seus dois lixos que comentaram ai, leiam isso :

        “Por último, Mark Regnerus buscou responder se as crianças com pais em relacionamentos homossexuais experimentaram desvantagens quando comparadas com crianças criadas por seus pais biológicos. A resposta, contra o zeitgeist, parece ser um retumbante sim. Crianças com pais em relacionamentos homossexuais possuem baixo desempenho em quase todos os quesitos. Algumas dessas diferenças podem ser relativamente inofensivas – como em que presidente votaram na última eleição, por exemplo –, mas a maioria não é. Um déficit é particularmente preocupante: menos de 2% das crianças de famílias biológicas intactas sofreram algum tipo de abuso sexual, mas o número correspondente às crianças de casais homossexuais é de 23%. Igualmente perturbador é que 14% das crianças de casais homossexuais passaram algum tempo em abrigos temporários, comparado com 2% do total da população americana. Índices de prisão, contato com drogas e desemprego são bem maiores dentre filhos de casais homossexuais.”

        Textos do site MSM :

        “Pais gays são prejudiciais para as crianças?”

        “Homossexualidade e abuso sexual de crianças”

        Vão estuda seus vagabundo, quem não sabe do que ta falando são voces, seus asquerosos e estupidos, os gays sinceros tem é vergonha de voces, voces fazem parte da gaystapo militante facistinha, tudo lixo da pior especie, vão la puxar saco de comunistalha, vão la paparicar o Jean Rosca, terroristinha preconceituoso do PSOL.

        • O Nabucão e’ cheio de amor pra dar hahahahaha
          Grande exemplo de cristão, esse vai sentar ao lado de Cristo naquele dia pra julgar a humanidade, ne’ não, Nabucão? hahahahaha

          • Eu to mandando matar alguem, bater em alguem ? Não, então não odeio ninguem, e nem isto é mandamento no cristianismo, mas saiba que o Cristo, segundo a Biblia, como tambem Deus, ODEIA pecadores, ou voce acha que ele aniquilou, aniquila e ira aniquilar muito mais no tempo do Apocalipse de graça ? Ele ODEIA os abominaveis, o “cristo” que existe na cabeça retardada voces é um frouxo e boiola, é um cristo segundo a vontade de voces, muito diferente do verdadeiro da Biblia.

          • Antes eram mais sutis, diziam coisas como “Deus ama o pecador mas odeia o pecado”. Agora me parece que Deus se arretou e odeia os pecadores tbm. hahahah Deus agora odeia o pacote inteiro hahahahha

        • Nabucão , pra comecar eu não sou gay, mas ninguem precisa ser gay, indio, negro, sem-terra ou ciganos pra se solidarizar com um grupo perseguido por gente escrota como voce.

          Quer dizer que vc foi buscar artigo do Midia Sem Mascara, que e’ editado por ninguem menos que OLAVO DE CARVALHO kkkkkk a figura mais retrógada do cenario intelectual brasileiro, um monumento vivo a direita-extremista, que por sua fez copiou o texto do National Review, que e’ a biblia do Partido Republicano americano. Tenha do’. Eu sei que vc e’ um idiota, vc ja’ provou isso aqui, mas não abuse. Nao e’ pq vc googlou um assunto e achou um texto que alimenta seu preconceito, que vc ira’ usa-lo aqui como se fosse a ultima palavra no assunto. Não me venha com artigos feitos por gente que tem uma agenda nas mãos para cumprir, falo de estudos independentes feito em Universidades serias por cientistas sociais imparciais, Estudos que tenham sido publicados em jornais de psicologia e anunciado na grande imprensa, e’ disso que eu to falando… Mas ai; vc me aparece com textos do MSM aprovado por Olavo de Carvalho kkkkkkkk so’ rindo..

          • Rebata tudo o que esta escrito naqueles estudos, ou se não fique fingindo que esta certo e entende alguma coisa, porque se voce encarar a sua realidade, a de um retardado doentio, sera dificil para sua auto estima não é mesmo, o que sobra é fingir que esta certo.

    • Nabuco, você tem o meu total e irrestrito apoio! Entregar crianças inocentes aos cuidados dessas pessoas é um crime.
      Para os homossexuais o amor se resume apenas ao sexo.

    • De onde é sua fonte??? tem referência Bibliográfica, é de conhecimento geral de quem trabalha na área de saúde e assietncia social, que de cada 10 crianças abusadas 7 são meninas??? Gay abusando de menina isso é no mínimo ridículo.
      O maior abusador é o pai HÉTERO, abusa de suas filhas.
      Em segundo vem a pobre criança gay, o pai ao vêr seu filho afeminadinnho não só o rejeita, mas se aproveita sexualmente desta crinças, rejeitada em casa, na escola, na igreja.
      E abusada em casa. O menino hétero sexual é o menos abusado, mas este abusa de seu coleguinha se o este for afeminado.
      Trabalho na área social, e vejo que nossas crianças precisam sim de um orientação, a cartilha contra a homofobia, vai sim proteguer nossos pequenos de serem abusados, e ainda se sentir culpado do abuso por ser gay e criança.
      Joaquim Nabuco, ou você está desinformado ou é um hipócrita.

    • Essa gente e’ terrivel. O pior e’ que eles fazem esse terrorismo psicologico usando o nome de Deus, e se a pessoa não for esclarecida o suficiente pra saber que estao lidando com um bando de idiotas neonazistas, ela acaba pensando que eles realmente falam por Deus e acabam se sentindo rejeitadas pelo Criador, ou seja, essa gente termina afastando de Deus essas almas que elas alegam pretender salvar. Deve existir um lugar especial no inferno pra essa corja.

        • De onde é sua fonte?? Tem referência Bibliográfica, é de conhecimento geral de quem trabalha na área de saúde e assitencia social, que de cada 10 crianças abusadas 7 são meninas!! Gay abusando de menina ?
          Isso é no mínimo ridículo.
          O maior abusador é o pai HÉTERO, abusa de suas filhas.
          Em segundo vem a pobre criança gay, o pai ao vêr seu filho afeminadinho não só o rejeita, mas se aproveita sexualmente desta crinças, rejeitada em casa, na escola, na igreja.
          E abusada em casa. O menino hétero sexual é o menos abusado, mas este abusa de seu coleguinha se o este for afeminado.
          Trabalho na área social, e vejo que nossas crianças precisam sim de um orientação, a cartilha contra a homofobia, vai sim proteguer nossos pequenos de serem abusados, e ainda se sentir culpado do abuso por ser gay e criança.
          Joaquim Nabuco, ou você está desinformado ou é um hipócrita.

  2. Isto e indiscutível A Primeira das primeiras instituição estabelecida por DEUS O CRIADOR DE TODAS AS COISAS DAS EXISTENTES NOS CEUS E NA TERRA E DEBAIXO DA TERRA, [ FOI O CASAMENTO] e casamento este entre um macho e uma femea entre um homem macho e viril e uma mulher femea [ HOMEM X MULHER X HOMEM X MULHER X HOMEM X MULHER, o que passar disto e sim ABOMINAÇAO AOS OLHOS DE DEUS , então não existe uma segunda via, e isto e INDISCUTIVEL,

  3. Corrigindo apenas uma coisa que Nabuco colocou: Deus não odeia pecadores, pois se não o que seria de nós? Todos nós somos pecadores. Deus abomina o pecado.

    Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.
    Romanos 5:8

  4. Estudo mostra que homossexuais criando “filhos” é diferente de pai e mãe criando-os

    WASHINGTON, DC, 15 de junho (C-FAM) Um estudo pioneiro revela que filhos adultos de “pais” homossexuais e lésbicos experimentam consequências sociais, econômicas e emocionais vastamente mais negativas do que crianças criadas dentro de famílias biológicas intactas.

    A qualidade do estudo do professor Mark Regnerus, da Universidade do Texas, frisa as deficiências de estudos anteriores nos quais os ativistas homossexuais têm se apoiado para conceder às duplas de mesmo sexo um direito de se casar e adotar crianças.

    “A alegação empírica de que não existem diferenças dignas de nota tem de ir embora”, disse Regnerus em seu estudo publicado na revista Social Science Research.
    O abrangente estudo de Regnerus examina aproximadamente 3.000 filhos adultos de oito diferentes estruturas de família e os avalia dentro de 40 categorias sociais e emocionais. O estudo revela que as crianças que permanecem com famílias biológicas intactas tinham educação melhor, experimentavam maior saúde mental e física, menos experiências com drogas, menos atividade criminosa e relataram no total níveis mais elevados de felicidade.
    As maiores consequências negativas foram constatadas entre filhos de mães lésbicas. Isso contradiz estudos defeituosos popularizados pelos meios de comunicação que afirmam que crianças se saem bem, ou melhores, com mães lésbicas. O estudo de Regnerus mostrou consequências negativas para esses filhos adultos em 25 de 40 categorias, inclusive índices muito mais elevados de agressão sexual (23% dos filhos de mães lésbicas foram tocados sexualmente pelos pais ou um adulto, em contraste com 2% dos filhos criados por pai e mãe casados), saúde física inferior, mais depressão, mais uso de maconha e desemprego mais elevado (69% dos filhos de lares lésbicos estavam vivendo às custas de programas de assistência do governo, comparados com 17% dos filhos de pai e mãe casados).
    O estudo de Regnerus desmascara um informe de 2005 da Associação Americana de Psicologia muitas vezes citado que concluiu: “Nem um único estudo constatou que filhos de pais lésbicos ou gays têm desvantagens em qualquer aspecto importante em relação aos filhos de pais heterossexuais”.
    Em contraste com Regnerus, os estudos anteriores compararam filhos de pais homossexuais com filhos de famílias de padrasto e mães solteiras. Regnerus também se apoia unicamente em informações diretas de filhos adultos em vez de opiniões de seus pais.
    Um segundo novo estudo confirma que os estudos que a AAP promoveu com muito elogio são inconfiáveis. Loren Marks, professor adjunto da Universidade Estadual da Louisiana, revelou que os estudos da AAP tinham dados limitados e focaram em papéis de gênero e identidades sexuais. Eles negligenciaram examinar os resultados educacionais, emprego, risco de abuso de drogas, conduta criminal ou suicídio dos filhos.
    Os desacreditados estudos apoiados pela AAP têm sido usados em tentativas para impactar decisões legais internacionais.
    Amicus curiae apresentado no caso E.B. versus França no Tribunal Europeu de Direitos Humanos defendeu direitos de adoção para duplas de mesmo sexo citando estudos da AAP com alegações de que não existe nenhuma evidência científica objetiva para justificar “tratamento diferente de duplas de mesmo sexo que desejam adotar porque (até onde a FIDH, ILGA-Europa, BAAF e APGL sabem) todos os estudos científicos conceituados têm mostrado que os filhos de pais lésbicos e gays não têm nada de diferente dos filhos de pais heterossexuais no que se refere a problemas emocionais e outros problemas”.
    No caso Karen Atala e Filhas versus Chile no Tribunal Interamericano de Direitos Humanos, um amicus curiae defendendo os “pais” lésbicos que perderam a custódia de seus filhos comentou que a Academia Americana de Pediatria (AAP) “reconhece que um volume considerável de literatura profissional fornece evidência de que os filhos com pais que são homossexuais podem ter as mesmas vantagens e as mesmas expectativas de saúde, ajuste e desenvolvimento que podem os filhos cujos pais são heterossexuais”.
    WASHINGTON, DC, 15 de junho (C-FAM) Um estudo pioneiro revela que filhos adultos de “pais” homossexuais e lésbicos experimentam consequências sociais, econômicas e emocionais vastamente mais negativas do que crianças criadas dentro de famílias biológicas intactas.A qualidade do estudo do professor Mark Regnerus, da Universidade do Texas, frisa as deficiências de estudos anteriores nos quais os ativistas homossexuais têm se apoiado para conceder às duplas de mesmo sexo um direito de se casar e adotar crianças.
    “A alegação empírica de que não existem diferenças dignas de nota tem de ir embora”, disse Regnerus em seu estudo publicado na revista Social Science Research.
    O abrangente estudo de Regnerus examina aproximadamente 3.000 filhos adultos de oito diferentes estruturas de família e os avalia dentro de 40 categorias sociais e emocionais. O estudo revela que as crianças que permanecem com famílias biológicas intactas tinham educação melhor, experimentavam maior saúde mental e física, menos experiências com drogas, menos atividade criminosa e relataram no total níveis mais elevados de felicidade.
    As maiores consequências negativas foram constatadas entre filhos de mães lésbicas. Isso contradiz estudos defeituosos popularizados pelos meios de comunicação que afirmam que crianças se saem bem, ou melhores, com mães lésbicas. O estudo de Regnerus mostrou consequências negativas para esses filhos adultos em 25 de 40 categorias, inclusive índices muito mais elevados de agressão sexual (23% dos filhos de mães lésbicas foram tocados sexualmente pelos pais ou um adulto, em contraste com 2% dos filhos criados por pai e mãe casados), saúde física inferior, mais depressão, mais uso de maconha e desemprego mais elevado (69% dos filhos de lares lésbicos estavam vivendo às custas de programas de assistência do governo, comparados com 17% dos filhos de pai e mãe casados).
    O estudo de Regnerus desmascara um informe de 2005 da Associação Americana de Psicologia muitas vezes citado que concluiu: “Nem um único estudo constatou que filhos de pais lésbicos ou gays têm desvantagens em qualquer aspecto importante em relação aos filhos de pais heterossexuais”.
    Em contraste com Regnerus, os estudos anteriores compararam filhos de pais homossexuais com filhos de famílias de padrasto e mães solteiras. Regnerus também se apoia unicamente em informações diretas de filhos adultos em vez de opiniões de seus pais.
    Um segundo novo estudo confirma que os estudos que a AAP promoveu com muito elogio são inconfiáveis. Loren Marks, professor adjunto da Universidade Estadual da Louisiana, revelou que os estudos da AAP tinham dados limitados e focaram em papéis de gênero e identidades sexuais. Eles negligenciaram examinar os resultados educacionais, emprego, risco de abuso de drogas, conduta criminal ou suicídio dos filhos.
    Os desacreditados estudos apoiados pela AAP têm sido usados em tentativas para impactar decisões legais internacionais.
    Amicus curiae apresentado no caso E.B. versus França no Tribunal Europeu de Direitos Humanos defendeu direitos de adoção para duplas de mesmo sexo citando estudos da AAP com alegações de que não existe nenhuma evidência científica objetiva para justificar “tratamento diferente de duplas de mesmo sexo que desejam adotar porque (até onde a FIDH, ILGA-Europa, BAAF e APGL sabem) todos os estudos científicos conceituados têm mostrado que os filhos de pais lésbicos e gays não têm nada de diferente dos filhos de pais heterossexuais no que se refere a problemas emocionais e outros problemas”.
    No caso Karen Atala e Filhas versus Chile no Tribunal Interamericano de Direitos Humanos, um amicus curiae defendendo os “pais” lésbicos que perderam a custódia de seus filhos comentou que a Academia Americana de Pediatria (AAP) “reconhece que um volume considerável de literatura profissional fornece evidência de que os filhos com pais que são homossexuais podem ter as mesmas vantagens e as mesmas expectativas de saúde, ajuste e desenvolvimento que podem os filhos cujos pais são heterossexuais”.

    Fonte: C-FAM – Catholic Famlily & Human Rights Institute.

  5. Li todos os comentários, estou absolutamente passada com a ignorância dessas pessoas que se dizem evangélicas e sujam o nome da igreja.
    Sirvo a cristo a 20 anos e posso afirmar q esse cidadão que se diz crente é uma farsa.
    Todos tem direito civis nessa terra. Vamos parar dessa raiva contra os homossexuais
    eles tem o livre abito para fazer o que bem querer .
    Mas ainda acredito q quando não quiserem mais viver dessa forma , procurem Deus e ele irá ao seu encontro e te recebera de braços abertos !

  6. Pensamento nazista, pois desmerece os homossexuais e os diminiu sua capacidade intelectual em relação aos casais heterossexuais, prática de Hitler em relação, a judeos,homossexuais e ciganos.
    Sr. Joaquim Nabuco, mais um nazista, que não entende que “Todos são iguais em direitos e deveres”, indépendente de sua sexulidade. E claro “Todos são iguais perante DEUS”.
    A família, formada só por avó ou avó, segundo este camarada, também não tem capacidade intelectual para criar seus netos.
    O preconceito disfarçado de religião é o maior trunfo de lucifer dentro das igrejas.

    • Obrigado, Andre, pelo seu comentario. Essa gente que usa Deus e a biblia para difundir odio e justificar seus preconceitos, precisa ser combatida pelos verdadeiros cristãos. A Ku-Klux-Klan fomada por evangelicos do Sul dos EUA tbm se utilizavam da biblia e do nome de Cristo para justificar o linchamento de negros e difundir o racismo. Gente assim sempre existiu e sempre existira’, mas nao podemos nos calar diante de suas arbitrariedades e intolerancia, sob pena de nos igualarmos a eles..

    • Esses facistinhas da gaystapo não perdem tempo de acusar os outros do que eles são : Demonios hipocritas, são satanazes a serviço do PT, PSOL, PSTU, PCdoB, vai la puxar o saco do Che Guevara, seus terroristinhas de Satã, os gays de bem não suportam voces, SEUS PRECONCEITUOSOS, ODEIAM OS RELIGIOSOS.

  7. O site ACI/EWTN Noticias (12 de dezembro de 2012), informou que a canadense Dawn Stefanowicz, publicou um livro intitulado “Out from Under: The Impact of Homossexual Parenting” (Fora da escuridão. O impacto da paternidade homossexual), no qual conta um pouco de sua experiência de crescer em lar com o pai homossexual. A autora, tem por objetivo relatar as influências negativas que as crianças sofrem quando são criadas por pais homossexuais.

    “A pequena Cynthia Dawn, este é seu nome completo, nasceu em Toronto nos anos 60 em umas condições de grave mal-estar familiar e pessoal, em grande parte, ignoradas deliberadamente pelo mundo dos adultos, começando pelos seus professores”, explica um artigo escrito pela neuropsiquiatra infantil Caterina Saccà.

    Dawn, afirmou que “sente-se traída afetivamente por um pai ausente, na busca contínua de relações homossexuais com casais de convivência ou ocasionais, e sem o cuidado adequado de uma mãe que, por sua vez, precisa de ajuda (devido à diabete). Cynthia entra em uma espiral de confusão e vergonha alimentada pela exposição direta e precoce a práticas de natureza explicitamente sexual”.

    Em um texto divulgado através da página Web familyandmedia.eu, narra que logo depois de cair em “um estado de destruição da personalidade e da dignidade humana”, Dawn conseguiu na vida adulta reconciliar-se com seu passado “complicado e traumático” graças a anos de terapia “e a profunda fé em Deus”.

    Atualmente, divulgar seu testemunho para Dawn Stefanowicz transformou-se em “uma batalha a favor do bem-estar dos filhos e da importância da família natural -instituição natural fundada no matrimônio entre um homem e uma mulher- e contra a legalização das adoções e das uniões homossexuais”.

    Você pode encontrar mais informações sobre o testemunho de Dawn no site: dawnstefanowicz.org/index.html

    • É preferível ter dois pais ou duas mães, do que viver na rua, roubando, usando drogas…Antigamente as pessoas diziam que a maior parte da bandidagem era preto e pobre, fizeram um levantamento nas cadeias e a maioria é branca e tem muitos filhinhos de papai que são bandidos…Crianças são abusadas pelos próprios pais…E as pessoas adoram generalizar tudo por causa de alguns todos pagam. A maioria dos homossexuais são ricos e podem dar todo conforto para uma criança.

    • Argumentos que infelizmente cabem num estado perdido nas políticas públicas e desprovido de propostas para os jovens e para a formação familiar básica, o populismo é gerador de várias tragédias sociais.

      Os homossexuais se enquandram no perfil social do povo brasileiro, cada um na sua devida proporção.

  8. Em 7 de março de 2012, a Band noticiou sobre um menino de 5 anos que sofria agressões e estupro de uma dupla homossexual em São Paulo. A faxineira da casa percebeu que o menino estava com febre e como a dupla gay não estava, a mulher o levou para casa. Durante o banho do garoto, ele contou que estava com muita dor. O menino contou para a faxineira que sofria maus tratos e abuso sexual.
    A mulher levou o menino para o hospital, onde o garoto deu entrada com desidratação, desnutrição, broncopneumonia e tinha marcas de agressão pelo corpo.
    A ocorrência foi registrada no 13º DP e o Conselho Tutelar foi acionado. Contudo, o governo do Estado de São Paulo interveio fortemente no caso, designando quatro defensores públicos para defender a dupla gay. O acompanhamento do caso por quatro defensores públicos espantou até o delegado, que disse:
    “Em trinta e quatro anos de polícia, esse é o primeiro caso na minha carreira que eu vejo que a Defensoria Pública vem acompanhar dois indivíduos que estão sendo investigados e com quatro integrantes”.

    O que está acontecendo no país é um descalabro, e nós integrantes de famílias e responsáveis pela base da sociedade brasileira somos coresponsáveis pela omissão. Precisamos ocupar os espaços da política para invertermos essa lógica absurda e já nas próximas eleições.

  9. SOU FRANCESA, SOU HOMOSSEXUAL E A MAIORIA DE NÓS NÃO QUEREMOS O CASAMENTO E NEM A ADOÇÃO»

    Diferentemente do que costuma divulgar a mídia, Nathalie Williencourt, uma das fundadoras do HOMOVOX, considera que a maioria dos homossexuais, incluído ela, não quer nem o matrimônio gay e nem a adoção de crianças e, portanto, não concordam com a proposta de lei do presidente da França François Hollande. Em uma entrevista concedida em 11 de janeiro ao site italiano Temp.it, Nathalie afirmou que “o par homossexual é diferente do par heterossexual por um simples detalhe: não podemos dar origem à vida”.

    Williencourt afirmou com clareza: “sou francesa, sou homossexual e a maioria de nós não queremos o casamento e nem a adoção de crianças. Sobretudo, não queremos ser tratados como heterossexuais, porque somos diferentes; não queremos igualdade, mas sim justiça”.

    A líder gay disse, ainda, que “cremos que as crianças têm direito a ter um pai e uma mãe, se possível, biológicos e, se possível, que se amem. Uma criança que nasce fruto do amor de seu pai e de sua mãe tem o direito de saber disso. Se os pares homossexuais adotam crianças que já estão privados de seus pais biológicos, deixá-las-ão sem um pai e uma mãe mais uma vez”.

    “Os pares heterossexuais estão esperando anos sem poder adotar uma criança, e corre-se o risco de que muitos países não permitam mais adoções para pais franceses se essa lei for aprovada. China e outros países da Ásia contam com procedimentos que excluem a possibilidade de adoção por pares do mesmo sexo”.

    “A paz se constrói na família e para ter paz na família é necessário dar às crianças a imagem mais natural e que mais segurança infunde para crescer e ser adulto. Isto é, a composição clássica de homem e mulher”.

    Williencourt denunciou que “na França somos censurados (Homovox.com). Escuta-se sempre o lobby dos ativistas LGBT que sempre falam nos meios de comunicação, mas a maior parte dos homossexuais estão incomodados pelo fato dessa organização fazer lobby em nosso nome. Não votamos neles para que nos representem”.

    Nathalie explicou que os membros do lobby gay já têm uma ferida em relação à sua homossexualidade “porque não a aceitam, reivindicam ser como os heterossexuais . Em vez disso, nosso movimento reinvidica que os homossexuais sejam tratados de forma distinta dos heterossexuais porque somos diferentes”. “Não podemos pedir igualdade porque somos diferentes. Não é a igualdade que é importante, mas a justiça. É uma desigualdade justa e uma igualdade injusta”, insiste.

    Homovox é a associação que reúne o maior número de homossexuais na França. A associação foi uma das organizações gays que marcharam pela ruas de Paris no último 13 de janeiro com mais de um milhão de pessoas em defesa do autêntico matrimônio.

  10. Crianças adotadas por homossexuais desenvolvem comportamentos psi

    Da Redação

    Uma pesquisa efetuada nos Estados Unidos verificou que 40% das crianças adotadas por homossexuais desenvolvem tendências gays e comportamentos psicóticos. O estudo foi realizado em 2003 pelo psicanalista francês, Toni Anatrella, e apresentada durante o seminário de estudos sobre a “questão homossexual”, que ocorre em Roma na Universidade del Laterano.

    Anatrella, baseando-se na sua própria experiência clínica e científica, afirma que se tal modelo se fortalecer como desejado por algumas legislações, nas próximas 3 ou 4 gerações haverá um aumento difuso e massivo de comportamentos e patologias psicóticas.

    Durante o seminário, interviu também David Crawford, professor de teologia moral do Pontifício Instituto João Paulo II, que criticando o filósofo francês Michael Foucault, apoiador da cultura homossexual, denunciou a tendência “de destruir de modo violento a possibilidade de fundar uma metafísica da verdade sobre o amor heterossexual”.

    No entanto, acrescentou que nenhum homossexual “deve sofrer discriminações ou injustiças” nem se esconder sobre o fato que “os defensores dos direitos gays desejam remodelar toda a sociedade segundo suas expectativas”.

    Durante o debate, o espanhol Juan Jose Perez Soba, professor no Instituto João Paulo II, atacou a lei do governo espanhol que legalizou a união entre homossexuais. “Na lei espanhola da legalização dos matrimônios homossexuais simplesmente se pediu para definir o casamento como uma simples relação afetiva sem menções sobre sexualidade. É a primeira vez na história da humanidade que a sexualidade não faz parte da definição do casamento para se converter em um simples desejo mútuo”, afirmou Soba.

    “O inconcebível desta proposta é a pretensão de converter também aquilo que não supera o nível de um desejo subjetivo àquele de um direito social”, concluiu.

    Fonte: Agência Ansalatina

  11. ) SODOMA E GOMORRA (GÊNESIS 18-19)

    “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei”… (Oséias 4, 6)

    A passagem do livro do profeta Oséias (4, 6) é muito séria! Muitos homossexuais e heterossexuais foram enganados simplesmente por falta de conhecimento, porque não se aplicaram em conhecer e estudar a fundo as Escrituras, buscando o direcionamento do Espírito Santo para compreender estas pouquíssimas passagens, que tão facilmente podem ser explicadas. Nesta parte, faremos uma abordagem a todas as passagens intencionalmente interpretadas contra os homossexuais.

    Não pense que as interpretações acerca do pecado de Sodoma e Gomorra foram sempre as mesmas. Na verdade, elas têm sido variadas entre os tempos e por último, para sustentar um preconceito, há alguns séculos os homofóbicos passaram a afirmar que a destruição havia sido por causa da “homossexualidade”.

    Leia os textos dos capítulos 18 e 19 de Gênesis e sem “pré-conceitos” entenda realmente o que aconteceu. Perceberá que os homens daquelas cidades queriam violentar sexualmente os anjos que chegaram à casa de Ló. Caso você nunca tenha ouvido falar, consulte livros de história, enciclopédias, internet… sobre o assunto xenofobia, que é a repulsa a coisas ou pessoas estrangeiras, medo e ódio aos estrangeiros.

    Por que o medo de nações estrangeiras? Lembra dos “espias de Jericó”? Existia uma estratégia de guerra e dominação entre os povos da Antiguidade de enviarem seus espiões para examinar a terra inimiga e voltarem às suas contando sobre todos os procedimentos e andamentos das cidades a serem invadidas. Uma forma de intimidar e refrear o envio de espiões, era violentando sexualmente os “visitantes”.

    Voltando ao contexto, se fosse uma questão de homossexualidade pura e simples, por que haveria Ló de oferecer suas filhas virgens? Ele não seria tão estúpido para oferecer mulheres a um bando de homossexuais abusadores. Se ele ofereceu suas filhas, é porque sabia que os mesmos não eram homossexuais.

    Esta situação de repulsa aos estrangeiros é logo encontrada alguns livros a frente do Antigo Testamento e pouco se fala sobre este texto da Bíblia. “Estando eles alegrando o seu coração, eis que os homens daquela cidade (homens que eram filhos de Belial) cercaram a casa, batendo à porta; e falaram ao ancião, senhor da casa, dizendo: Tira para fora o homem que entrou em tua casa, para que o conheçamos. E o homem, dono da casa, saiu a eles e disse-lhes: Não, irmãos meus, ora não façais semelhante mal; já que este homem entrou em minha casa, não façais tal loucura. Eis que a minha filha virgem e a concubina dele vo-las tirarei fora; humilhai-as a elas, e fazei delas o que parecer bem aos vossos olhos; porém a este homem não façais essa loucura.” (Juízes 19, 22-24).

    Estas histórias apenas confirmam os assuntos que seguem, por isso é importante que você leia com muita atenção. Este tipo de atitude para Deus é degradante. Violentar sexualmente uma pessoa, com o prazer de humilhar uma orientação sexual que não lhe era natural. Isto é exatamente o contrário da vontade de partilhar afetivamente uma vida a dois.

    O profeta Ezequiel revela o verdadeiro pecado de Sodoma: “Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado.” (Ezequiel 16, 49). Sodoma cometeu abominação por sua constante hostilidade, segregação e agressão ao ser humano. Trazendo esta questão para os nossos dias, podemos afirmar que o papel “sodomita” atualmente é desempenhado pelas próprias igrejas homofóbicas, pelo alto grau de rejeição a seres humanos, vidas, enfim, a toda uma comunidade de pessoas que Deus aceitou em amor.

    Jesus repreende com severidade estas atitudes de rejeição a pessoas: “E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? Ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber. Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes. Então, eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim. E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna.” (Mateus 25,38-46).

    2) LEVÍTICO 18,22 e 20,13

    Pois, com efeito, o mandamento anterior é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual nos aproximamos de Deus. (Hebreus 7,18-19).

    Transcrevemos um e-mail que circula na Internet de autor desconhecido muito usado em diversos estudos sobre o tema desta obra. É a resposta a uma locutora homofóbica de uma rádio evangélica norte-americana que adora usar o Livro Levítico para condenar os homossexuais.

    “Querida locutora,
    Gosto muito do Livro de Levítico e concordo que os cristãos devem sim viver debaixo da lei. Afinal, para que um sacrifício único e suficiente em Jesus Cristo? Para que uma Nova Aliança no Espírito deixando todo o conteúdo, rituais, sacrifícios da lei mosaica de lado? Mas tenho alguns problemas em cumprimento da Lei. Será que você poderia me ajudar?
    • Eu sei que quando eu queimo um bezerro no altar, como um sacrifício, o odor que se desprende é cheiro suave e agradável ao Senhor. (Levítico 1, 5-9). O problema são meus vizinhos. Eles dizem que o odor não é nada agradável e ameaçam chamar a Saúde Pública, que também não gosta do odor. Que devo fazer?
    • Levítico 11, 7-8 – diz que ao tocar o cadáver de um porco me torna impuro. Poderei praticar algum esporte com bola feita de pele de porco, caso use luvas?
    • Levítico 11, 12 – diz que comer marisco é abominação. É uma abominação maior ou menor do que a homossexualidade?
    • Eu sei que não devo ter contato com uma mulher durante o seu período menstrual (Levítico 18,19). O problema é; como saber? Sempre que pergunto, a maioria das mulheres se sentem ofendidas.
    • Levítico 19,19 – diz-me que não posso plantar tipos diferentes de sementes no mesmo campo, e nem usar roupas feitas de dois tipos diferentes de material. Devo concluir que serei condenado se tiver uma hortazinha no fundo do quintal com alguns vegetais e temperos, ou se usar uma camisetinha básica, de algodão e poliéster.
    • A maioria das pessoas que conheço corta o cabelo de vez em quando, apesar de que isso é expressamente proibido (Levítico 19, 27). Estaremos todos condenados?
    • Levítico 21,16-20 – declara que eu não posso me aproximar do altar de Deus se eu tiver um defeito físico. Eu uso óculos. Será que Deus faz “vista grossa” para este pequeno detalhe?
    • Levítico 25, 44 – declara que eu posso possuir escravos ou escravas, desde que tenham sido comprados em um dos países vizinhos. Um amigo meu insiste que essa regra se aplica a argentinos e paraguaios, mas não a uruguaios. Poderia me orientar? Por que não me é permitido possuir escravos uruguaios?”

    No Antigo Testamento, a aliança de Deus com o povo de Israel dependia do cumprimento da lei mosaica, que compõem os cinco primeiros livros da Bíblia chamado Pentateuco , e que posteriormente foi compilado pelo filósofo judeu Maimônides em seiscentos e treze mandamentos.

    Hoje, como cristãos, vivemos na Nova Aliança ou tempo da graça e não estamos sujeitos a estas proibições da lei de Moisés; tanto é que, por exemplo, não guardamos os sábados, comemos carne de porco, camarões (Deuteronômio 14,3-21), alimentos com sangue (Deuteronômio 12) etc.

    A lei era por demais austera e disseminava, por isso mesmo muito preconceito, impedindo o livre acesso de todos a uma vida plena com Deus. Veja aqui mais alguns exemplos: “Fala a Arão, dizendo: Ninguém da tua descendência, nas suas gerações, em que houver algum defeito, se chegará a oferecer o pão do seu Deus. Pois nenhum homem em quem houver alguma deformidade se chegará; como homem cego, ou coxo, ou de nariz chato, ou de membros demasiadamente compridos. Ou homem que tiver quebrado o pé, ou a mão quebrada, ou corcunda, ou anão, ou que tiver defeito no olho, ou sarna, ou impigem, ou que tiver testículo mutilado.” (Levítico 21, 17-20).

    Pobre daquele que tivesse o mínimo defeito. Imagine você quem usa óculos, tem o nariz chato, teve uma doença de pele, quebrou a mão ou o pé… um portador de necessidades especiais (cego, coxo, corcunda…), anão, eunuco (que entrasse na categoria mutilação), jamais teriam livre acesso a Deus. Exatamente por esta razão, o Apóstolo Paulo será categórico ao afirmar que a lei em nada aperfeiçoou a vida humana: “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.” (Hebreus 7, 19).

    Certa vez ouvi uma história muito interessante sobre os judeus homossexuais e o cumprimento da lei mosaica através de um amigo judeu e gay. Perguntei ao mesmo sobre como eles faziam para seguir a lei mosaica e a resposta foi: “Pastor Marcos, mesmo os judeus ortodoxos gays tem relacionamentos homossexuais sem muitas dificuldades. Você como advogado sabe que na lei é fácil encontrarmos uma brecha; o texto fala para não se deitar como se fosse uma mulher. Assim muitos judeus gays resolveram o problema não tendo relação com penetração, pois não estaria nenhum dos dois como ‘mulher fosse’, já que assim procedendo, o casal não incorreria nesta questão prevista pela Halachá .

    Por outro lado, como na lei judaica não há referência alguma sobre uma mulher deitando-se com outra mulher, como homem fosse ou coisas do gênero, não há problemas em relação às mulheres lésbicas.”

    Uma lei é passível de ser burlada, entretanto nossa Aliança com Cristo passa necessariamente por uma relação profunda com o Espírito Santo, relação esta impossível de ser burlada, já que ela é a base sobre a qual podemos viver plenamente a mesma Aliança pela justificação que o próprio Cristo nos concede. “E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser justificados, por ele é justificado todo aquele que crê.” (Atos 13, 39). E a própria homossexualidade está inscrita precisamente nesta justificação.

    Com Jesus nada mais precisa ser burlado, já que vivemos em uma Nova Aliança, pois a letra mata, mas o Espírito do Senhor vivifica (2 Coríntios 3,6); Jesus Cristo trouxe a todos esta nova aliança. Na ministração da Ceia do Senhor, seguindo os ensinamentos de Jesus, verbalizamos e afirmamos estar bebendo o sangue da “Nova Aliança”.

    Isto significa que não precisamos viver no cumprimento dos preceitos e prédicas da lei mosaica, pois temos acesso direto a Deus pela Graça de Jesus Cristo, através deste que é a própria Palavra viva de Deus.

    Assim: “O fim da lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê.” (Romanos 10,4).
    O Senhor Deus nos resgatou da lei, enviando o seu próprio filho Jesus que já pagou nossos pecados (cumprindo a própria lei) para que não fossemos mais subjugados a maldição dos antigos rudimentos mosaicos, afinal: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós.” (Gálatas l 3,13).

    A Epístola de Paulo aos Gálatas revela que aqueles que insistem na continuidade das práticas da Lei estão em maldição para com Deus. “Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei para fazê-las.” (Gálatas 3,10).

    Veja que a Lei em nada aperfeiçoou a vida dos homens e o propósito do Senhor Deus já era de introduzir uma esperança em um plano mais amplo. “Pois, com efeito, o mandamento anterior é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou), e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual nos aproximamos de Deus.” (Hebreus 7,18-19).

    A nova lei se estabelece em Cristo a partir do Amor e o fruto da nova aliança no Espírito Santo consiste na própria essência do amor; contra o amor nenhuma lei prevalece. “Mas o fruto do espírito é: o amor (…) contra estas coisas não há lei.” (Gálatas 5,22.23).

    Ultrapassadas estas questões faremos a exegese do texto do livro Levítico 18,22 e mostraremos que mesmo na antiga aliança a relação de amor entre pessoas do mesmo sexo não era condenada.

    Primeiramente, esta era uma lei que tinha como principal objetivo impedir que o povo de Deus se envolvesse em práticas de rituais dos povos circunvizinhos. Lembre-se de que, nesta época, o povo de Israel estava no meio do deserto e se desviava constantemente dos propósitos de Deus, por se misturar com os costumes de outros povos, dentre eles práticas de idolatria, prostituição cultual e sacrifícios sexuais a outros deuses que sempre envolviam a questão do sexo “contra a natureza.”

    Situe-se no contexto: “Não procedereis como se faz na terra do Egito, onde habitastes; não procedereis como se faz na terra de Canaã, para onde os conduzo”. (Levítico 18, 3).

    A partir de uma análise histórica daquela região na Antiguidade, compreendemos que a prática homossexual no Egito e em Canaã estava articulada diretamente à cultos ligados a questão do êxtase e da fertilidade, criando todo um conjunto de exercícios de prostituição ritual abominável aos olhos de Deus.

    Todo tipo de prática sexual era utilizada nestes rituais, incluindo sexo entre pessoas do mesmo gênero, mas não apenas este. Por exemplo, nestes rituais, famílias inteiras de agricultores quando desejavam uma colheita próspera, promoviam cultos de fertilidade nos templos destes “deuses” onde pais, mães, filhos… todos praticavam sexo ao mesmo tempo com os prostitutos cultuais ou os chamados “prostitutos sagrados” em sacrifício.

    O livro do Levítico não estava proibindo formas de relacionamento homossexual em amor (ou seja, o que hoje entendemos como homoafetividade), mas uma condenação a esta forma de adoração a outros deuses e também a esta forma de sacrifício idólatra, que se distanciava da adoração que se recomendava fazer ao Deus de Abraão. Algo que fornece um precioso embasamento aos nossos argumentos é que a própria palavra traduzida como “abominação” (no hebraico “toevah”) nos textos do Antigo Testamento, somente é utilizada num contexto de idolatria em toda a lei.

    Desta forma, podemos ler este texto de Levítico 18,22 como: “Com um homem não te deitarás, como se fosse mulher. É prática de idolatria.”

    Em Deuteronômio 23,17 (também outras passagens, principalmente no livro dos Reis) observamos a confirmação sobre a existência da prostituição cultual e o que o texto do Levítico estava condenando. Veja “Não haverá prostituta sagrada entre as israelitas, nem prostituto sagrado entre os israelitas” (Deuteronômio 23, 17 – versão da Bíblia de Jerusalém ).

    Algumas traduções bíblicas mais tendenciosas do Antigo Testamento trocam a terminologia: “prostituto sagrado” pela palavra “sodomita” já criando uma falsa idéia de que o texto estava se referindo aos homossexuais; aqui encontramos uma clara e mal intencionada manipulação das Sagradas Escrituras Sagradas para construir uma doutrina homofóbica onde o pecado de Sodoma corresponderia proposital e diretamente à homossexualidade.

    Perceba a malícia: “Não haverá prostituta dentre as filhas de Israel; nem haverá sodomita dentre os filhos de Israel.” (Deuteronômio 23, 17).

    A troca só nos ajuda a compreender que há sim uma manipulação da própria semântica bíblica em algumas passagens com a exclusiva finalidade de fomentar preconceito e exclusão.

    Por fim, ao longo desta obra teremos visto claramente que as Escrituras Sagradas jamais fizeram qualquer menção negativa ao relacionamento de amor entre duas pessoas do mesmo sexo. O que as Escrituras condenam realmente são as práticas de prostituição cultual e “sagrada”, a violência, e o abuso sexual e práticas de sexo contra a natureza, ou seja, privadas de contato, afeto e reciprocidade.

    3) ROMANOS 1, 21-28

    Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. (Romanos 8, 1).

    Existe uma expressão muito intrigante que diz: “texto sem contexto é pretexto”. Não resta dúvida que a mensagem bíblica é atemporal, poderosa e eterna; mas sua narrativa necessita naturalmente de uma contextualização apropriada. Aqui nesta passagem da carta do Apóstolo Paulo aos cristãos de Roma devemos indagar questões como: qual tipo de sexo era praticado naquela cultura? A qual tipo de relação sexual estava o apóstolo se referindo?

    No verso 21, encontramos: “não o honraram como Deus” e logo em seguida dos versos 23-25 percebemos que o texto se refere ao pecado da idolatria. Nos versos 26-27, vemos o abandono do seu desejo natural, do seu prazer natural a uma vida de prática sexual desumanizada.

    Mais uma vez o texto trata da relação sexual que não é advinda de um gesto de amor, de complemento, de carinho, de unidade, mas “contra a natureza”.

    Pergunte a um homossexual o que lhe é natural na questão sexual. É amar a uma pessoa do mesmo sexo? Você se complementa em amor com uma pessoa do sexo igual ao seu ou com alguém de gênero diferente? Ao se provocar a situação em que alguém naturalmente homossexual tenha de se relacionar com uma pessoa do sexo oposto, o que se está fazendo na realidade é uma agressão de ordem mental e física, já que isto se choca frontalmente com a natureza daquela pessoa.

    Da mesma forma, converse com um heterossexual sobre o que seria natural para o mesmo. Como o mesmo teria uma vida completa não fugindo da sua natureza? A resposta seria com uma pessoa do sexo oposto.

    Podemos estudar o contexto da carta aos cristãos da igreja em Roma pela história, literatura, filmes de época, bem como outras fontes importantes, como discursos políticos, dramaturgia e a retórica latina.

    Uma das mais fundamentais características da sociedade romana era o seu desprezo pela questão da identidade sexual. Tudo poderia ser revertido, de forma obstinada e compulsiva para uma pluralidade descontrolada de atos sexuais, muitas vezes desumanos e perversos. Um dos personagens mais famosos daquela época era o Imperador Calígula, soberano de Roma exatamente na época em que Paulo escreveu esta epístola.

    Historiadores apontam para aspectos do mundo romano bastante marcantes de seu tempo: a indiferença a questão da natureza sexual dos cidadãos da “civitas”, o apego cada vez maior aos cultos de fertilidade vindos das províncias orientais do Império, a criação de adolescentes pelo aparelho de Estado, distante de suas famílias; neste último caso pode-se observar ainda a prática, de origem grega, do relacionamento sexual entre rapazes mais jovens e homens mais velhos, independente de suas orientações sexuais.

    Em determinada fase da vida eles até se casavam com uma mulher, todavia, o sexo entre homens se inscrevia na questão da honra e da dignidade aristocrática, já que as mulheres ocupavam socialmente a periferia das relações sociais, sendo terrivelmente marginalizadas e muitas vezes consideradas apropriadas exclusivamente para fins de procriação.

    Portanto, duas coisas podemos depreender da sociedade romana que Paulo testemunhou e na qual de uma certa forma viveu, a despeito de sua formação judaica: a misoginia e o abuso.

    Há ainda outro aspecto que precisa ser ressaltado: a forma de relação entre pessoas do mesmo sexo era absurdamente assimétrica, ou seja desigual e injusta, já que envolvia adultos e crianças, velhos e jovens no mesmo ato. Não há dúvida que essas práticas, em sua versão perversa, são absolutamente contra a natureza!

    Concluímos, portanto que a condenação da Carta aos Romanos era a condenação a experimentação de formas sexuais contra a natureza pelo simples desejo ou busca por prazer, sem uma orientação sexual correspondente e inata, estes não tinham a orientação homossexual. Isso nós também, da mesma maneira que Paulo, consideramos pecado.

    4) 1 CORÍNTIOS 6,9-10 E 1 TIMÓTEO 1,10

    O qual nos fez também capazes de ser ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica. (1 Coríntios 3, 6).

    “Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem “malakoi”, nem “arsenokoitai”, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.”

    Nesta passagem, temos dois termos que chamam a atenção. O primeiro, “malakoi”, foi traduzido pela versão de Ferreira de Almeida, da Bíblia em Português, como “afeminados” e o segundo na mesma versão “arsenokoitai”, como “sodomitas”. Duas palavras equivocadamente traduzidas, em uma clara operação de adulteração das Sagradas Escrituras.

    Também, existem duas versões da Bíblia que fazem traduções para estas duas palavras que podemos chamar de abomináveis, tratam-se da “Bíblia na linguagem de hoje” que traduz “malakoi” como “adúlteros” e “arsenoitoitai” como “homossexuais”; já a “Nova Versão Internacional” – NVI traduz “malakoi” e “arsenoitoitai” como: “homossexuais ativos” e “passivos” respectivamente, o que configura um exercício semântico criminoso e abusivo, ressaltando que estas são as versões da Bíblia preferidas dos homofóbicos religiosos.

    Recomendamos que jamais comprem estas duas versões ou caso vocês já as tenham, risquem em seus exemplares as palavras falsamente traduzidas e coloquem as corretas, como mostraremos neste estudo.

    Veja como é fácil perceber a manipulação Bíblica. As Escrituras Sagradas datam de mais de 2000 anos; como seria possível ter na Bíblia a palavra homossexual se o termo surgiu apenas em 1869, criado pelo escritor e jornalista austríaco Karl-Maria Kertheby?

    Para esclarecermos estas dúvidas precisamos estudar os textos bíblicos em seus idiomas originais. É fácil comprar em qualquer loja de artigos bíblicos, uma versão original da Bíblia, do Novo Testamento em grego e verificar estas palavras. Compre também um dicionário, veja as raízes das palavras no grego e constate o que mencionamos aqui.

    Estas duas palavras podem, de acordo com o contexto em que são utilizadas, ter mais de um significado. Mas, esteja certo que jamais terão qualquer sentido real aplicado ao termo homossexual. Neste sentido elas jamais se aplicarão a um relacionamento de amor e fidelidade entre duas pessoas do mesmo sexo.

    O termo grego “malakoi” literalmente pode ser traduzido como “mole”. E dentro daquela cultura misógina do primeiro século, podemos dizer que uma associação com a feminilidade era vista como negativa em termos morais. Assim, “mole” poderia ser uma descrição de qualquer tipo de comportamento de vaidade exacerbada ou fraqueza de caráter. Um outro sentido para esta palavra poderia ser a referência à prostituição cúltica masculina, que também era muito forte na época e na cultura romanas .

    O termo “arsenokoitai” que foi traduzido como “sodomita” na versão de Ferreira de Almeida, só passou a se referir a prática homossexual na Alta Idade Média. Provavelmente, alguns homossexuais poderiam estar incomodando alguns religiosos que não entendiam o que era de fato ser homossexual!

    “Arsenokoitai” consiste em uma palavra de significado por demais obscuro, lembrando que é grande a quantidade de termos e palavras no grego clássico que significavam “comportamento homossexual”. É preciso lembrar ainda que o Apóstolo Paulo não utilizou nenhuma delas, de onde podemos concluir que ele se referia realmente a algo muito específico.

    Etimologicamente, podemos dizer que o radical linguístico “arsen”, quer dizer macho e “koitos”, quer dizer cama. Este termo não possui nenhum registro na literatura grega antes de ser utilizado pelo apóstolo Paulo. Isto parece ser, portanto um neologismo do próprio Paulo, elaborado na composição desta epístola. Como o significado original deste neologismo pode ter se perdido no tempo, isto favorece interpretações grosseiras, sendo esta a palavra predileta para o arsenal homofóbico e tendencioso. No passado esta palavra antes de “sodomita” foi usada como “masturbadores” por algumas traduções bíblicas.

    Por outro lado, é bom sabermos que nem tudo está perdido, pois hoje temos algumas traduções bíblicas, mais fiéis aos textos no idioma original. Em Português, temos a “Bíblia de Jerusalém” que é atualmente a melhor tradução das Sagradas Escrituras no mundo, onde teólogos judeus, cristãos e protestantes traduziram do hebraico, aramaico e grego para o francês sem intermediações pretensamente tradutológicas que acarretariam em qualquer distorção. Assim, quando queremos uma tradução mais fiel recorrermos à Bíblia de Jerusalém. As palavras que mencionamos de 1 Coríntios 6, 9 foram traduzidas pela Bíblia de Jerusalém da seguinte forma: “malakoi” como “depravados” e “arsenokoitai” como “pessoas de costumes infames”. Já em 1 Timóteo 1,10 a palavra “arsenokoitai” se repete e veio na versão da Bíblia de Jerusalém como “pederastas”, ou seja, adultos que fazem sexo com crianças.

    • A palavra grega malakoi significa de fato homossexuais passivos, que segundo Walter Bauer equivale a “homens e meninos que se permitem serem usados sexualmente”. Também “conota passividade e submissão”. Já arsenokoitai significa o contrário: homossexuais ativos, homens que iniciam práticas homossexuais. São também chamados de sodomitas, numa referência histórica ao comportamento homossexual generalizado de Sodoma e Gomorra (Gn 19.6).

      A primeira palavra (malakoi) é traduzida por “efeminados” nas seguintes versões: Revista e Atualizada (RA) da SBB, Bíblia do Peregrino (BP), Tradução da CNBB, Tradução Brasileira (TB), Figueiredo, Tradução Ecumênica da Bíblia (TEB), Edição Pastoral (EP), Edição Pastoral-Catequética (EPC) e nas Cartas às Igrejas Novas (CIN). Já na Bíblia de Jerusalém (BJ) e na tradução da Comunidade de Taizé (CT), malakoi é traduzida como “depravados”.

      A segunda palavra (arsenokoitai) é traduzida por “sodomitas” na RA, CNBB, EP, TB, Figueiredo e na CIN; por “pessoas de costumes infames” na BJ; por “homossexuais” na BP e CT; e por “devassos” na EPC. A Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH) engloba os dois casos sob a classificação geral de “homossexuais”. Já a paráfrase da Bíblia Viva (BV) diz que os adúlteros, os efeminados e os sodomitas cometem “pecados sexuais”.

      A tradução mais explícita é a da Nova Versão Internacional (NVI): “Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus” (1 Co 6.9-10).

      Odayr Olivetti, um dos tradutores da NVI, explica que “a comissão procurou fazer uma tradução clara, distinguindo bem os termos, e se respaldou não só na abrangência geral dos termos gregos (que o pudor faz com que até os lexicógrafos reduzam ao mínimo suas explicações), mas também no contexto geral das epístolas paulinas. As expressões “passivos” e “ativos” salientam a abrangência dos que agem como homens e dos que agem como mulheres no intercurso sexual não-natural”.2

      Paulo não termina o assunto com a expressão “não herdarão o reino de Deus”, mas com a espetacular notícia de que algumas de suas ovelhas em Corinto eram homossexuais passivos ou ativos, mas deixaram de ser depois que foram alcançados pela graça de Deus, o que pode acontecer também hoje em dia (1 Co 6.11).

      • A palavra pórnoi é o plural de pórnos/õu, que significa “homens prostituídos”; assim como porné/és significa “prostituta”, e porneía/ãs significa “prostituição”.
        A palavra moichoí é o plural de moichós/õu, que significa “adúlteros”.
        A palavra malakoí é o plural de malakós/õu, que literalmente significa “moles”, mas que no contexto se traduz por “efeminados”.
        Enfim, a palavra arsenokóitai é o plural de arsenokoitós/õu, que significa “aqueles que se deitam com um homem”, ou seja, os “pederastas”.

      • Andre, esse pessoal ja’ fez a cabeça contra homossexuais. Eles não toleram gays e ponto final. Vc pode discutir com eles o quanto quiser, mas eles vao morrer atrelados em Levitico pq e’ a unica coisa que eles vagamente tem na biblia para usarem contra homossexuais e eles não abrirão mão disso. E não importa se o mesmo texto biblico diz tbm que não pode comer camarão, pra o camarao eles fazem vistas grossas pq ninguem vai deixar de comer empadinhas por causa de Levitico. A tara deles e’ com a ideia de dois homens na cama hahahaha pervertidos hahahaha ou melhor, enrustidos kkkkkkkkk

  12. Imagino que esse tal Elder já passou por alguma experiência negativa com homossexuais para guardar tanto rancor. Como pode uma pessoa que se diz cristã ser tão amarga? A energia negativa que ele emana dá para sentir deste lado do computador. Vai tomar um banho de sal, porque já vi que orações não dão jeito nesse seu baixo-astral

  13. Interessante observar que a adoção de crianças por casais gays não é aceita, mas é totalmente tolerável a criação de filhos pelo método “produção independente”, onde a mãe, por opção, decide criar os filhos sozinha. Pois eu digo que uma criança precisa de um pai e uma mãe juntos. Vocês sabiam que 85% dos jovens infratores são filhos de pais separados? Vocês não tem conhecimento disso, mas eu tenho. Uma criança precisa de carinho, atenção e disciplina, e esses fatores independem de os pais serem heteros ou gays. Eu praticamente criei meu sobrinho que hoje é um profissional na área de informática. Ele nem se lembra do pai, mas me ama, como ama e fez uma declaração emocionante de agradecimento pela atenção que dispensei a ele. E eu sou gay, só para lembrar.

  14. Aproveite esta oportunidade!

    Cursos de teologia sem mensalidades e em taxa única à partir de R$ 50,00 e mais nada, com direito a diploma, histórico e carteirinha. Confira!

    http://www.comembrasil.org

    Curso Bacharel em Teologia R$ 150,00 e mais nada;

    Curso de Pastor R$ 150,00 e mais nada;

    Curso Juiz de Paz Eclesiástico R$ 150,00 e mais nada;

    Curso de Capelão (capelania) R$ 160,00 e mais nada;

    Curso de Psicanálise R$ 350,00 e mais nada;

    Curso Médio em teologia R$ 90,00 e mais nada;

    Curso Básico em teologia R$ 70,00 e mais nada;

    Cursos Introdução à teologia R$ 50,00 e mais nada.

    Essa você não pode perder!

    Acesse

    http://www.comembrasil.org

    http://www.conselhodeministros.com.br

    55 (21) 3182-9192

DEIXE UMA RESPOSTA