Cientistas anunciam terem resolvido teorema matemático que “prova” a existência de Deus

24

Dois cientistas anunciaram recentemente terem formalizado um teorema sobre a existência de Deus, escrito pelo renomado matemático austríaco Kurt Gödel. O trabalho foi realizado por Christoph Benzmüller da Universidade Livre de Berlim e seu colega Bruno Woltzenlogel Paleo, da Universidade Técnica de Viena, e anunciado na última semana pelo diário alemão Die Welt sob a manchete “Cientistas provam a existência de Deus”.

O trabalho de Benzmüller e Paleo teve como base o argumento ontológico de Kurt Gödel, que propôs um argumento matemático para a existência de Deus.

Apesar de argumentos ontológicos não serem algo novo mesmo nos tempos de Gödel, falecido em 1978, o matemático propôs uma nova ideia, expressando seus teoremas e postulados em um complexo conjunto de equações matemáticas, que agora foram comprovadas por Benzmüller e Paleo.

Porém, apesar das manchetes usadas na divulgação de seu trabalho, os cientistas ressaltam que o trabalho desenvolvido por eles não provam necessariamente a existência de um ser divino, mas é uma demonstração do que pode ser alcançado com as tecnologias atuais nos diversos campos do conhecimento científico, visto que conseguiram resolver o complexo conjunto de equações com o uso de um notebook comum.


Segundo a publicação Spiegel, os cientistas, que têm trabalhado juntos desde o início do ano, acreditam que seu trabalho pode ter muitas aplicações práticas em áreas como inteligência artificial e da verificação de software e hardware.

Por Dan Martins, para o Gospel+

24 COMENTÁRIOS

  1. Deus não pode ser provado (a não ser como um conceito matemático, tal como o infinito, o nada (0) e a eternidade). Todas as leis, todo raciocínio, toda lógica faz parte da Criação (existência), logo, não pode acessar ao que está além dessa Criação (existência).

    Um exemplo: dizemos que toda ação gera uma reação, que todo efeito tem uma causa, e que Deus é a causa do efeito existência. Ora, mas a própria lei da ação e reação faz parte da existência, logo, se fora da existência ela não existe (visto que ela faz parte da Criação, da existência), como ela pode legislar algo fora do contexto em que ela existe (visto que ela veio junto com a existência)? O mesmo vale para a matemática.

    Deus é tão justo que nos dá a opção de não crer nele. Se ele fosse cientificamente provado, essa opção não existiria. Por isso, nosso raciocínio e lógica nos servem para explicar nosso Universo, mas a Deus, só se vai através da Fé.

      • Não confunda fé com crença. Muitos acreditam, mas não tem fé.

        A crença diminui com o aumento do conhecimento. A crença está sujeita à lógica, provas, fatos e emoções. É uma casa construída na areia, sujeita aos abalos das chuvas e das tempestades.

        “Ora, a fé é a “CERTEZA” daquilo que esperamos e a PROVA das coisas que não vemos”. (Hebreus 11:1).

        A própria definição da fé foge à lógica e à razão, ela não depende de conhecimento, ela é uma prova em si mesma, impossível de entender para quem não tem, e mais real que o ar que respiramos para quem tem. O conhecimento edifica, mas nunca abala a fé, porque pela própria definição a fé é inabalável.

      • Quem ama e pratica a justiça presta a adoração pura e imaculada:

        “A forma de adoração que é pura e imaculada do ponto de vista de nosso Deus e Pai é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas na sua tribulação, e manter-se sem mancha do mundo.” — Tiago 1:27.

        “Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do Diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, nem aquele que não ama a seu irmão” (1ª João 3:10).

        “Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre”. 2 Coríntios 9:9

      • Pois é Boreano, abaixo sua definição de fé afirma que ela é “inabalável”, e é a “certeza e prova”, e agora vc. despreza a fé em favor da “justiça”, a exemplo do que Cícero já proclamava na antiga Roma.

        • Não desprezo a fé em favor da justiça. Quem tem fé, pratica a justiça, mas nem todo justo tem fé.

          A diferença é a fonte da justiça de cada um.

          O justo que não tem fé, pode ter sua justiça abalada por alguma injustiça que venha a sofrer (por exemplo, uma mulher que achava injusto abortar uma vida inocente, pode vir a concordar com o aborto depois de sofrer um estupro), ou por alguma ideologia que venha a seduzi-lo (um homem que achava errado tirar uma vida de qualquer forma, pode vir a achar certo depois de entrar para o exército e passar por um treinamento), pois sua justiça é guiada pela sua própria convicção.

          O que tem uma fé verdadeira (não estou dizendo simplesmente um crente, que crê), não tem sua justiça abalada pelas intempéries da vida, pois tem um referencial mais elevado de justiça, acima do que ele mesmo acha certo ou errado, e a sua fé é a “prova” e a “certeza” de que essa justiça é superior à sua.

        • Certo Boreano, quando o indivíduo tem “fé e certeza” em assuntos inerentes unicamente a suas crenças (digamos religiosas) isso se torna um dogma, e com certeza essa pessoa não estará disposta a por sua fé em risco, e elimina ou evita de antemão todo e qualquer perigo, mesmo sendo esse “perigo”, um contundente argumento contra sua fé. A fé em outras instituições (como a justiça, a medicina, segurança, etc.) estão sujeitas aos percalços do cotidiano, pois ela, a fé, não se origina em uma crença pessoal, mas em instituições alheias à sua vontade, com as quais não se identifica. (espero ter me feito entender) Sds.

          • Claro que se fez entender.

            Mas ainda está confundindo fé com crença.

            Pitágoras, a fé não gera dogmas, porque a fé não é estática, mas dinâmica.

            “O vento sopra onde quer, e ouves o seu som, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito”. (João 3:8).

            A Lei dizia que uma mulher que fosse pega em adultério deveria ser apedrejada. Os homens trouxeram essa mulher até Jesus, para testá-lo. Se a fé fosse o que você diz ser (sobre suas crenças religiosas, ao ponto de “negar” perigos que coloquem a fé em risco), não haveria dúvidas do que deveria ser feito, seguir a crença, obedecer as Escrituras e apedrejar a mulher. Mas Jesus não fez isso. Ele sabiamente não desobedeceu as Escrituras, mandou que ela fosse cumprida. Mas colocou algo a mais (podem apedrejá-la, mas o que não tiver nenhum pecado, que atire a primeira pedra), que reverteu aquela situação.

            Era óbvio que se tratava de uma armadilha, e de um julgamento injusto, pois a Lei dizia que os dois amantes deveriam ser apedrejados, e ali só pegaram a mulher.

            Eles esperavam que Jesus agisse da forma A ou B, mas a fé não é estática, ela age em favor do amor e da justiça, e não se pode prever onde o espírito vai soprar, ou como vai agir o nascido do espírito, e este então cria uma forma C que não existia.

            A fé é a certeza que te faz se lançar no vento do espírito, e ser conduzido por ele, e não acreditar cegamente em um conjunto de dogmas e doutrinas. É ter a certeza que será conduzido à exercer amor e justiça, a não confiar no seu próprio julgamento acerca das coisas, e muito menos em um livro de regras eclesiásticas, mas que o próprio Espírito de Deus te conduzirá pelo caminho da justiça. A fé é a prova e a certeza que te fazem saltar para ser conduzido por esse Espírito.

            É algo difícil de explicar, porque não se entende a fé, se vive a fé.

            Um grande abraço.

          • Não, não estou confundindo fé com crença. Penso sim que fé depende de crença. Ex. Quem não crê em “Maria Santíssima” nunca terá fé nela. Ademais, certeza elimina a fé. E fé é a arma da pessoa, que quer acreditar naquilo que tem dúvida, ou não tem certeza, mas não quer deixar de crer. Nossas opiniões são algo divergentes, mas me parece que nem grandes filósofos chegaram ainda a um acôrdo. Só expressei minhas convicções a respeito. Abs.

          • A definição de fé que eu te dei, é a definição bíblica, como te disse, algo difícil de entender sem viver, por isso compreendo seu comentário. Essa definição de fé discutida por filósofos e teólogos, e comentada por você, e acreditar em algo que não tem certeza, nesse caso sim, a certeza eliminaria a fé, e vice-versa.

            Mas a fé vivida por Abraão, Jesus e pelos que hoje tem fé, é definida na Bíblia de outra forma:

            Ora, a fé é a “CERTEZA” daquilo que esperamos e a PROVA das coisas que não vemos”. (Hebreus 11:1).

            Ou seja, a fé não gera certeza, e não é eliminada pela certeza, mas ela é a própria certeza e a prova em si mesma. É como sentir o ar te faz crer na existência do ar sem vê-lo.

      • Se você raciocinar um pouquinho mais, perceberá que aqueles seres vivos que não tem narinas, respiram da mesma forma.; tente fechá-los num recipiente fechado por algum tempo e verá o que acontece. Você não quis tapar as suas narinas porque certamente irá pedir socorro para a sua consciência.

      • Como as plantas respiram, o processo básico para obtenção da energia necessária para a planta crescer, desenvolver e reproduzir. Tal como outros seres vivos, plantas também realizam trocas gasosas com a atmosfera.

        As plantas de fazê-lo através dos estômatos e lenticelas, que são uma espécie de aberturas em suas folhas e caules: responsável pela respiração, essas partes da planta de pegar o oxigênio e liberam dióxido de carbono. É bom estudo um pouco de biologia!

  2. Pitágoras,

    De quando em quando a turma da ciência vem a público desdizer o que antes pensavam, falavam e induziam, pois agora estão à medida que estudam dizendo que DEUS existe.

    Já que você seguia os cientistas e agora eles estão mudando de lado, cuidado para você não ser o último a desligar a luz e fechar a porta quando se decidir mudar também, pode ser tarde, pois os que te enveredaram nessa filosofia estão dando o pé.

    Corra, peça a Deus, se de guerra ou não, se de religião ou não, se do seu gosto ou não, que te perdoe. Mas como disse, seja rápido, é que a coisa está ficando preta mesmo. Tem alguma coisa muito séria pra acontecer, dizendo isso eu em face do enterramento do presidente da Síria, de Putim em conjunto com as armas químicas que denegavam.

    O mundo não mais cabe mentirosos, a sociedade começa a distinguir o bem do mal. O que acima falei é referência a guerra do armagedon, a que trava o presidente sírio, a ultima das batalhas, pois o povo árabe/islâmico agora sabem que são seus governantes, a saber: egoístas que matam mais de duzentas mil pessoas para não sair do poder.(Ezequiel 38,4)

    • levi varela você ainda usa óculos???????????? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! eita deus poderoso o seu heim!!!!!!!!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA