Paraolimpíadas – Daniel Dias conquista sua 16ª medalha e constata: “Cheguei aqui graças a Deus”

0

O nadador paraolímpico Daniel Dias venceu a prova dos 200m livre na categoria S5 e conquistou seu tricampeonato, no primeiro dia de competições das Paraolimpíadas no Rio de Janeiro. Após a premiação, o atleta agradeceu a Deus pela oportunidade de competir e vencer em seu país.

Essa foi a 11ª medalha de ouro do atleta, que já soma 16 no total nos Jogos Paraolímpicos. A vitória na prova de ontem veio com o tempo de 2min27s88, mais de dez segundos de vantagem em relação ao segundo colocado. Na entrevista coletiva, ele não pôde conter as lágrimas.

“Nunca senti uma emoção dessa. Meu coração explodiu, achei que fosse sair pela minha garganta, pular para fora. Foi fantástico, foi incrível, foi um momento único”, afirmou, ressaltando a alegria de competir no Brasil.

Daniel Dias, evangélico, nasceu com má formação congênita dos membros superiores e da perna direita. No esporte, sua carreira é marcada por conquistas que o colocam acima da média em sua categoria. O tricampeonato em Jogos Paraolímpicos o insere em um patamar semelhante ao de atletas como Michael Phelps e Usain Bolt, que no esporte sem adaptações conquistaram, também, três medalhas de ouro seguidas em um ciclo de 12 anos em suas respectivas categorias.


“Este é um momento único na minha vida. Eu sempre falei que eu tinha o sonho de representar o Brasil no Brasil, em uma Paraolimpíada, com a minha família, meus filhos, e Deus me agraciou com isso. A gente chegou aqui graças a Deus, graças a nossa família e poder desfrutar deste momento com eles é incrível. Meus pais me incentivaram e eu espero fazer isso pelos meus filhos também”, afirmou.

Aos 28 anos de idade, Daniel Dias ainda tem chances de representar o Brasil nas paraolimpíadas de Tokyo, Japão, em 2020, quando terá 32 anos. Todavia, a jornada do paulista ainda não terminou no Rio de Janeiro. De acordo com informações do portal Terra, o nadador poderá aumentar sua galeria de medalhas paraolímpicas nas provas dos 50m e 100m livre, dos 50m borboleta, dos 100m peito, dos 50m costas, além dos revezamentos 4x100m livre, 4x100m medley e 4x50m livre misto.

“Este é um momento incrível que o esporte paraolímpico está vivendo, que as pessoas com deficiência estão vivendo. Então vamos desfrutar, vamos tentar nos divertir ao máximo”, concluiu o atleta.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA