Deputados da bancada evangélica visitam Record e acompanham gravação de Os Dez Mandamentos

23

Um grupo de 20 parlamentares da bancada evangélica na Câmara dos Deputados visitou os estúdios da TV Record e conheceu a cidade cenográfica onde são gravadas as cenas da “novela bíblica” Os Dez Mandamentos.

O convite foi feito pela própria Record e os deputados foram recebidos pelo presidente da emissora, Luiz Claudio Costa, que atuou como um guia das instalações do RecNov, onde foram construídos cenários que reconstituem o Egito antigo.

De acordo com informações do R7, o executivo detalhou aos convidados os cuidados com a pesquisa e a reconstituição de cada um dos cenários, além do trabalho da direção de arte da novela.

O deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, demonstrou ter ficado impressionado com a arquitetura do Palácio do Faraó e destacou a relação entre os princípios dos mandamentos ditados por Deus a Moisés e o princípio adotado na elaboração de leis, função exercida por ele e seus colegas de mandato.


“Os Dez Mandamentos inspiram a elaboração de qualquer lei, porque fala de respeito ao próximo, não matarás, não roubarás. O Egito sofreu diversas pragas, e o Brasil sofre com a praga da corrupção. Quem sabe esse trabalho nos inspire para enfrentar a praga da corrupção”, comentou.

A deputada Clarissa Garotinho (PR-RJ) aproveitou o passeio para fazer fotos na sala do trono, no Palácio do Faraó e na Vila dos Hebreus, além de vestir os figurinos de época.

“Não é todo dia que a gente tem a oportunidade de estar perto dos atores e nesse cenário lindo. Eu vim com uma grande expectativa, e o trabalho impressiona”, afirmou, revelando que é admiradora de artes cênicas e que já estudou teatro.

O presidente da emissora brincou com a empolgação de Clarissa: “A gente pode estudar se ela quiser se tornar atriz. Brincadeira. Mas isso mostra o nível de envolvimento das pessoas com a novela”, afirmou.

Após almoçarem nas instalações da Record, os deputados acompanharam uma tarde de gravação ao lado dos diretores da emissora.

23 COMENTÁRIOS

      • A bancada evangélica é a “mais ausente, inexpressiva e processada” do Congresso Nacional. Leia na íntegra
        Comentando dados divulgados pelo portal Transparência Brasil sobre a bancada evangélica no Congresso Nacional, o jornalista Joel Bento Carvalho criticou a conduta dos parlamentares religiosos: “Bancada evangélica: a mais ausente, inexpressiva e processada”
        Segundo Carvalho, “fica difícil defender a chamada bancada dita Religiosa ou Evangélica”, com a divulgação dos dados, segundo os quais, os parlamentares da Frente Parlamentar Evangélica constam dos mais faltosos e processados do Congresso Nacional.
        O jornalista afirma que muitos dos parlamentares parecem usar o cargo público apenas para promoção pessoal: “Pelo que se vê a locupletação é ampla, geral e irrestrita. Parecem ter percebido outro veio fácil de enriquecer além da religião. Aliás, não tem nada de evangélica . Evangelizar é o ato de levar o evangelho às ovelhas”.
        Referindo-se às igrejas protestantes tradicionais como exemplo, o jornalista questiona o motivo de igrejas apoiarem candidatos: “Por que essas que são igrejas seculares não entram na política? Por que só alguns Padres, alguns militantes da Opus Dei e os pastores das igrejas não alinhadas entram para a política?”, questiona.
        Joel Bento Carvalho afirma ainda que não se deve vincular fé com política: “Qualquer um pode se candidatar a cargos eletivos, mas sem usar a religião. Um religioso verdadeiro mantém distância da política: ‘Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus’. Se não for isso, é falcatrua usando a Religião ou será Deus um pulha também?”.
        Confira abaixo a íntegra do artigo do jornalista Joel Bento de Carvalho, para o portal Luis Nassif:
        Bancada religiosa: a mais ausente, inexpressiva e processada ou será Deus um pulha também?
        Meu Pitaco: Fica difícil defender a chamada bancada dita Religiosa ou Evangélica.
        Pelo que se vê a locupletação é ampla, geral e irrestrita. Parecem ter percebido outro veio fácil de enriquecer além da religião. Aliás, não tem nada de evangélica . Evangelizar é o ato de levar o evangelho às ovelhas perdidas, coisas que só as as igrejas seguidoras de Luthero fazem.
        Por que essas que são igrejas seculares não entram na política? Por que só alguns Padres, alguns militantes da Opus Dei e os Pastores das igrejas não alinhadas entram para a política? Qualquer um pode se candidatar a cargos eletivos, mas sem usar a religião.
        Um religioso verdadeiro, mantém distância da Política: Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Se não for isso, é falcatrua usando a Religião ou será Deus um pulha também?

  1. Enquanto aqui o “gado” só fala em aborto e gay.
    O mostro o qual os evangélicos botaram no poder a mando de SILAS MALAFAYA.
    O senhor corrupto e imoral EDUARDO CUNHA, fez o diabo ontem para garantir o financiamento privado de campanha, ou seja este senhor que vocês veneram, usou de seu poder maligno junto à corja da Assembleia para garantir que a corrupção continue pois toda empresa que doa a partidos no final quer o retorno e sabemos qual é o retorno $$$$.
    O que se esperar deste pulha, fumador de charutos cubanos, e corrupto do petrolão e construidor de shopping pra dep.. e pai do bolso madame.

    Parabéns fariseus vocês ajudaram a afundar o pais.

    Aguardem Assembléianos com a manutenção desta suja lei de financiamento privado, cada um de vocês vão ajudar na candidatura deste monstro que é membro da igreja de vocês e um deus para Malafaya.

DEIXE UMA RESPOSTA