Brasil

Escola cristã é alvo de críticas por demitir professor que não queria ensinar sobre cristianismo

Comments (14)
  1. Evelin disse:

    Ué, mas ta certo.
    Como pode uma escola claramente cristã, não ensinar a doutrina cristã??!
    Se ele não se sentia a vontade nessa escola, ele deveria sair mesmo!!

  2. itamar ferreira da silva disse:

    A demissão está correto, se a escola e cristã ele tem que trabalhar seguindo as regras da escola. Ensinar os fundamentos basicos da Biblia.
    Ou ele e ateu?
    Ou e Gay! querendo disvirtuar os alunos sobre a verdade que DEUS escreveu na Bíblia.

    1. Giulia disse:

      Só porque a instituição é de ordem cristã, não significa que os professores tenham que ser bitolados e dogmáticos, como a maioria dos religiosos. Não ter conhecimentos de fatos presentes em estudos e pesquisas cientificamente comprovados não passa de pura ignorância, sem contar que esses alunos farão vestibulares e necessitam saber da verdade e não o que algumas pessoas pregam, sem ao menos questionar. Além disso, existe uma disciplina específica para se tratar de religião, portanto não deve-se deixar de aprender conteúdos de extrema relevância por motivo fútil. E ainda gostaria de saber qual o problema de alguém ser ateu ou gay? Afinal, perante nossa lei principal, a Constituição Federal, TODOS SOMOS IGUAIS, ninguém tem o direito de julgar o próximo por suas escolhas, desde que essas não afetem o resto da sociedade. E deixo aqui mais um questionamento: que Deus é esse que julga alguém pela sua orientação sexual ou escolha de crer ou não em um ser superior? Espero ter “acendido” teu pensamento crítico.

      1. Escola Católica, ensino com base na Fé Católica e ponto. Escola Luterana, ensino com base na Fé Luterana e ponto. Mas, espera vir os muçulmanos, com suas escolas muç…kabuuuummmm, onde muçulmano? Lá mais um muç…kabuuuummm.
        Se não fossem as escolas confessionais, não teríamos o desenvolvimento científico neste país. São as instituições religiosas cristãs que mantém este pais em pé e não o estado.
        E se o professor sentiu-se magoado e está dodói, procura um psicólogo que está tudo resolvido. Alunos e pais estão magoadinhos? Vão pra escola pública, não tem problema não. Lá encontrarão as ideologias, encontrarão o sistema educacional que o povo não merece, mas estes merecem.
        É povo que sofre e toma na testa sem merecer, com estas escolas públicas de @#$%&, com um currículo doutrinador marxista, ideológico comunista materialista ateia. São estes pais e alunos resmungões e trouxas que deveriam receber no colo a escola pública, podre, porca, ideologizante, burrificante.

    2. Igor Torres disse:

      Ele não está querendo desvirtuar ninguém, pois não fez nenhum discurso contra os ensinamentos da escola. Apenas se negou a abordar temas que não absolutamente nada a ver com a sua matéria!

  3. Sílvio Melo disse:

    A escola está indubitavelmente correta, ele deveria respeitar os princípios da escola, se o mesmo não aceita procurasse outra instituição.

  4. Wagner disse:

    A Escola está correta, nenhuma instituição é obrigada a deixar em seu quadro de colaboradores alguém que não queira e que não tenha estabilidade.

  5. Mais um disse:

    Bom se for verdade, a escola terá que se explicar com o MEC…
    Pois disciplina religiosa não está na grade de matérias fundamentais.
    Crianças vão pra escola para aprender Português, Matemática, Ciências.
    Para aprender teologia e princípios bíblicos já existem as igrejas, ora.
    Se os pais protestaram contra a decisão da escola, presume-se que o professor era um bom profissional. E se era um bom profissional, é lamentável a atitude da direção da escola.
    Para o pessoal que defende a escola, imagina uma situação diferente: Uma escola onde a administração fosse muçulmana ou judia e proibisse o ingresso de professores cristãos? Talvez estariam dizendo que é perseguição religiosa, né?

    1. Silvio Melo disse:

      A questão é justamente respeitar a instiuição e se for mulçumana e quer trabalhar tem que seguir as normas dele ou pedi para sair…………

  6. Edson Souza disse:

    Professor burrinho esse ai.

    Vai da aula numa escola de ateu.

    Se a escola onde ele dá aula, tem seus princípios e regras baseada nos cristianismo e a diretoria quer que seja seguido essas doutrinas, pq esse jumento não aceita?

    É mesma coisa eu arruma um emprego em uma empresa e dono vim com suas regras e dizer,vc vai ter que todos os dias quando chegar na empresa reverência o meu deus-capeta, senão não vc não fará parte do quadro de funcionário.

    Se sou cristão vou aceitar?

    1. Edson Souza disse:

      Ou então eu sendo professor cristão, vou dar aulas numa escola católica e dizer que a SANTAnás é um boneco de gesso e não padroeira coisa nenhuma no Brasil, ai é arruma confusão nas instituição.

  7. Se todas as escolas do Brasil ensinassem o Evangelho, tenho certeza absoluta que não estaríamos nessa situação tenebrosa que estamos passando hoje.

  8. rebecca disse:

    testesdtes tudo simples. vai ensinar na rede publica. oxente.

  9. Alessandro disse:

    Nem sei se devo alertá-los, mas… vamos lá: a quantidade de ignorância e dogmatismo por metro quadrado aqui neste espaço é insuportável; quanta besteira junta escrita; e dizer que isso é um reflexo do que temos por aí, “soltos” na sociedade; que gente mais tacanha, desde quando História tem a ver com ensino religioso? fico por aqui.

  10. Paulo Henrique disse:

    Eu sou católico praticante e professor de História. Mas, imaginem meu constrangimento em chegar na sala de aula e falar sobre as maravilhas do espírito santo. Isso deixa de ser aula e vira pregação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *