Ex-lésbica conta como passou a ser atraída por outras mulheres e testemunha mudança de vida: “Sou liberta da homossexualidade”

20

Uma ex-lésbica narrou seu testemunho em um artigo e revelou os motivos que a levaram à homossexualidade já na fase adulta. Christine Sneeringer apontou para os problemas afetivos com sua mãe como uma das principais causas de sua experiência homossexual.

“De repente, como um véu levantado, percebi, aos 22 anos, que o que meu pai tinha me dito há anos era verdade: Minha mãe não me amava”, escreveu Christine. Em seu relato, ela afirma que havia começado sua jornada no cristianismo quando iniciou sua trajetória na homossexualidade, coincidentemente enfrentando a crise de saber que era desprezada pela sua mãe. “Como uma jovem adulta que eu havia me tornado, estava agora tentando se conectar com a mãe pela primeira vez na minha vida”, afirmou.

As instabilidades familiares na infância, testemunhando o pai alcoólatra ser violento com sua mãe, e como reação, vendo sua mãe afastar todo e qualquer traço de feminilidade, causou em Christine a sensação de que ser feminina era ser fraca, e portanto vulnerável a agressões.

“Olhei para o meu irmão mais velho e decidi que queria ser como ele. Eu saía com ele sempre que ele deixava, usava as roupas largas e até copiei seu estilo de escrita manual. Eu queria ser qualquer coisa, menos uma menina. Preferia esportes do que brincar com bonecas. Joguei a liga infantil de beisebol quando eu tinha 10 anos e futebol americano por anos com os meninos da vizinhança”, contou.


Como resultado da falta de afeto materno, Christine disse que “tinha uma fome profunda de amor feminino”, o que a levou a associar tal desejo com o sexo em si.

A mudança de postura começou quando, em 1989, uma colega a propôs fazer uma oração num alojamento da Universidade de Tampa. “Eu não senti nada diferente, mas no fundo eu sabia que algo havia mudado. Eu sabia que eu falava sério com Deus. Tornar-me cristã não resolveu instantaneamente minha orientação lésbica”, narrou, lembrando que por muito tempo, ainda sentia atração por outras mulheres.

Tempos depois, Christine sentiu que a “mudança acontecia gradualmente de dentro para fora”, quando pôde refletir com clareza sobre seu comportamento e história de vida: “Em primeiro lugar, as crenças equivocadas sobre os homens e as mulheres foram colocadas para descansar, pois eu havia conhecido piedosas mulheres fortes na igreja, que desmantelaram com sua postura a minha crença de que ser feminina era ser fraca. Eu também conheci homens que me trataram com dignidade e respeito, o que me deu liberdade para abraçar o meu gênero. Pela primeira vez eu me senti segura como mulher. Eu até comecei a me apresentar com meu nome completo, Christine, porque eu não queria mais esconder o fato de que eu era uma menina”, escreveu no Charisma News.

Os passos rumo à heterossexualidade foram lentos, mas firmes: “Com a ajuda de Deus e o apoio de pessoas que cuidam de mim, eu tenho andado liberta da homossexualidade há mais de 12 anos. Vivemos em uma sociedade que diz que os homossexuais nascem homossexuais e não podem mudar. Mas eu sou a prova de que não é verdade, porque eu sou uma pessoa mudada e vivo uma vida transformada”, concluiu.

Atualmente Christine é escritora e palestrante, além de ser diretora-executiva da Worthy Creations, uma entidade que integra os quadros da instituição cristã Exodus International.

20 COMENTÁRIOS

    • A mulher DECIDE virar lésbica só aos 22 anos.
      Assim DE REPENTE, por conflitos com os pais (héteros).
      E ainda vem falar de ORIENTAÇÃO? O certo seria “DECISÃO LÉSBICA”.
      “Orientação” não é uma decisão espontânea e consciente.
      Assim como ninguém marca data pra virar hétero.

  1. “Atualmente Christine é escritora e palestrante, além de ser diretora-executiva da Worthy Creations, uma entidade que integra os quadros da instituição cristã Exodus International.”

    Como assim? O Exodus não existe mais! Foi fechado depois que seu criador e mantenedor afirmou que a cura gay é uma falácia.

        • Eu disse que você é um HIPÓCRITA e suas depravações são mentais,e são mesmo.Você é um falso pastore não vale um real.Já eu sou um homem
          sério,ínegro,de caráter,vivo jejuando e não tenho vida promiscua tanto
          carnal quanto mental.Já você é um promiscuo mental sim,masturbador
          vulgar e barato.E ainda quer ter moral para viver jugando os gays.Tem moral
          não.Xô,hipócrita.O que você faz às escondidas,os homens não ver,mas DEUS,sim.Demônio,pomba gira discarada.Sepulcro caiado.

  2. vixe maria virguvige, qui brigaiada pru morde essa nuticia, como diz os catulicos cururuis, ora o importante e que a mesma não mais se prostitue com mulheres, agora esta liberta e se tonou uma mulher normal, quer coisa mais importante que a pessoa ser normal ser ela mesma, homosexualismo não foi não e e nem nunca sera uma doença, nem tão pouco um ser humano nasce nesta condição, o mal que esta no mundo imposto por satanas o inimigo de DEUS, e dos homens e que domina o ser humano para praticar coisas inconvinientes, e qualquer ser humano de sobre a face da terra pode sim vir a ser libertado dos males existentes no mundo dentre eles o homosexualismo, tão somente obedecendo os estatutos e as Santas ordenanças estipuladas por Deus no seu Santo Evangelho, pois nele o Santo Evangelho esta a chave para todas as libertações disponiveis para o ser humano,POIS DEUS EM SUA INFINITA MISERICORDIA NOS DEU DE GRAÇA O CAMINHO DA ESCAPATORIA, tanto enquanto vida como tambem na eternidade, E QUAL E ESTA ESCAPATORIA QUAL E ESTE CAMINHO TÃO MARAVILHOSO CAPAS DE LIBERTAR O SER HUMANO DOS MALES EXISTENTE NO MUNDO?, EU TOUR NATRAK RESPONDO, JESUS CRISTO O SENHOR DA GLORIA O REI DOS reis e SENHOR DOS senhores, ELE JESUS CRISTO E SOMENTE ELE E COMO CERTEZA O UNICO CAMINHO, PONTO E VIRGULA FIM, AMEM E ALELUIAS TAMBEM

DEIXE UMA RESPOSTA