Governo israelense acusa ONU de aumentar tamanho da tensão entre cristãos e judeus

8

A Organização das Nações Unidas (ONU) foi acusada pelo governo israelense de dar uma dimensão exagerada às tensões que existem entre o país e grupos cristãos.

O principal alvo de reclamações dos israelenses foi Robert Serry, coordenador da ONU para o processo de paz no Oriente Médio. O episódio que gerou críticas das autoridades aconteceu durante a Páscoa.

Ron Proser, embaixador de Israel nas Nações Unidas, enviou uma carta ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmando que considerava a atitude de Serry inadequada, pois ele teria abusado “de sua posição e seu mandato da ONU” ao registrar incidentes durante a cerimônia do “fogo sagrado” da Páscoa ortodoxa em Jerusalém, no dia 19 de abril.

Serry, que participou da procissão que reuniu milhares de peregrinos, denunciou um “incidente” durante o evento. O funcionário da ONU afirmou que “apesar das garantias dadas à comunidade cristã palestina” de que o acesso aos locais sagrados seria permitido, a polícia israelense “se recusou a permitir sua entrada” na igreja, afirmou Serry em seu relatório. “Após esse tenso encontro, a multidão enfurecida abriu passagem”, acrescentou.


O relato de Serry foi interpretado como exagerado pelas autoridades de Israel, pois na avaliação do governo, as comemorações da Páscoa transcorreram “pacificamente”.

Segundo informações da agência AFP, Ron Proser acrescentou que “ao invés de tomar medidas construtivas para ajudar a aliviar uma situação sensível, Robert Serry tomou iniciativas perturbadoras que exacerbaram as tensões”. A ONU não se pronunciou sobre a queixa dos israelenses e nem revelou se tomará alguma medida sobre o assunto.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

 


8 COMENTÁRIOS

  1. ONU não se pronunciou porque usou de má fé.

    Sou cristão eu AMO Israel, o povo eleito de Deus, a ´oliveira´ na qual nós, cristãos, fomos enxertados:

    ´´Porque, se tu (cristão) foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses (judeus), que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!´´ (Romanos 11:24)

    Intercedamos sempre pela paz em Israel.

    ´´Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam.´´ (Salmos 122:6)

    • Jota Oliveira,

      Não dê tanto apoio a essa oliveira.

      Fundamentalismo besta e sem proporção não alimenta o espírito e nem traz regojizo à alma.

      Pelos sobrenomes da minha ascendência, no mínimo três famílias minhas são de origem judia, e a que eu menos desconfiava, varela( a Espanha reviu sua ação de expulsar os judeus em 1492, tangida que foi pela igreja católica de exigir a conversão compulsória dos judeus) também é, mas nem por isso que alimento fundamentalismo equivocado como o seu e de outros que para lá retornaram.

      Você diz que o povo judeu foi arrancado, sim na sua segunda estada por aquelas terras por obra do imperio romano logo após Cristo ter morrido, mas na primeira vez não, pois, depois de estar os descendentes de Abraão fixado na terra, eis que a abandonaram indo para o Egito onde permaneceu 400 anos, sabe o que isso significa? O mesmo tempo de vida do Brasil, quase. Retornou e foi enxertado à força, ficando os expulsos brigando em derredor das suas terras, para as quais retornaram quando da expulsão segunda citada acima, pelo Império Romano.

      Não se pode esquecer que esse Império Romano e a igreja católica sempre o espezinharam e mais ainda com essa história de que foram os judeus que mataram o filho de Deus, a ponto de todos serem contra judeus, ultimando as coisas com o holocausto, este conduzido por hitler(filho de católico) e os germanos que se se subjugaram a ele.

      O problema, meu caro, é que tem muita gente que faz dessa perseguição no passado um meio de vida, isso estou falando de judeus, pois não esquecem o que aconteceu, bem como ficam a pregar terra prometida por Deus, como se Deus fosse imobiliária e que é pior, mau corretor, pois trata-se de terras sem qualidade, inclusive sem petróleo, prova de que Deus não aprova briga por terras, bastando vê que em derredor, todos os países possuem, mas eles vivem de doações americanas, esquecendo que onde foram, ou seja, em terras distantes, Deus deu e muito, basta vê os judeus daqui, dos EUA, de toda a parte.

      Ficam com essa imoralidade de é meu, é minha, e expulsa o próprio irmão de suas terras e casa, não procurando encontrar meios que visem colocar num mesmo espaço as famílias, o amor.

      Não se pode deixar de falar também nessa luta, sob pena de cometer injustiça, os países árabes vizinhos que desde o início botaram combustível, ao invés de apagar fogo, acolher os refugiados, do contrário, insultos, guerras e o que é pior de tudo, toda a vez que uma guerra surge, mais a humanidade sofre, inclusive eles perdem o comércio de petróleo, que cada vez mais o mundo busca alternativas energéticas.

      Do contrário, essa ONU sempre foi omissa, quando ao certo deveria trabalhar sem cessar para chegar a uma solução.

      Primeira coisa a fazer, é botar os judeus fundamentalistas num avião com passagem de primeira classe para qualquer parte do mundo, uma vez concluído isso, começar um acordo de divisão de terras, de casas, agindo como seres civilizados, inclusive receber dez vezes mais o fluxo de turistas, seja cristãos, judeus, muçulmanos.

      O mundo tem que dar um basta nesses que somente trabalham para a guerra.

      • Deus escolheu a nação de Israel para ser o povo através do qual Jesus Cristo iria nascer – o Salvador do pecado e da morte (João 3:16). Deus prometeu o Messias pela primeira vez após a queda de Adão e Eva no pecado (Gênesis capítulo 3). Deus mais tarde confirmou que o Messias viria da linhagem de Abraão, Isaque e Jacó (Gênesis 12:1-3). Jesus Cristo é a razão final pela qual Deus escolheu Israel para ser o Seu povo escolhido. Deus não precisava ter um “povo escolhido”, mas decidiu fazer as coisas dessa forma. Jesus tinha que vir de alguma nação, e Deus escolheu Israel.

        No entanto, a razão pela qual Deus escolheu a nação de Israel não foi unicamente para o propósito da vinda do Messias. O desejo de Deus para com Israel era o de que eles ensinassem aos outros sobre Ele. Israel deveria ser uma nação de sacerdotes, profetas e missionários para o mundo. O intento de Deus era que Israel fosse um povo distinto, uma nação de pessoas que guiassem os outros em direção a Deus e a Sua providência prometida do Redentor, Messias e Salvador. Em sua maior parte, Israel falhou nessa tarefa. No entanto, o propósito final de Deus para Israel, o de trazer o Messias e Salvador, foi cumprido perfeitamente – na Pessoa de Jesus Cristo.

      • Levi,

        O seu discurso é exatamente o do Anticristo quando ele surgir.

        Fique tranquilo pois quando ele vier estabelecerá a paz durante um tempo em Israel e seus anseios serão saciados.

DEIXE UMA RESPOSTA