Imprensa age com preconceito ao noticiar suposto envolvimento da Assembleia de Deus no petrolão, diz Crivella

10

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, comentou os escândalos de corrupção na Petrobras e criticou a atuação da imprensa, que estaria trabalhando em bases preconceituosas contra os evangélicos no noticiário.

O escândalo desvendado pela Operação Lava-Jato trouxe à tona depósitos feitos por um dos envolvidos no esquema em uma conta bancária de uma filial da Assembleia de Deus Ministério Madureira em Campinas (SP), que supostamente, repassaria os valores ao deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Para Crivella, a postura da imprensa ao noticiar o fato e as investigações “estigmatiza o Brasil de país essencialmente corrupto, com instituições displicentes, despreparadas, incompetentes e, talvez, coniventes”, e reclama que há exagero na atenção da mídia ao caso: “Para manter a atenção da população, parte da imprensa brasileira eleva o tom, o que lhe faz correr o risco de resvalar para a intolerância, a truculência e as insinuações”, escreve o senador, em artigo publicado pelo jornal Folha de S. Paulo.

No texto, Crivella classifica a imprensa como “máquina de moer reputações” e acusa a mídia de “envolver a igreja Assembleia de Deus na Operação Lava Jato por ter, supostamente, recebido propina”.


O político da Universal se esquece, no entanto, de que os fatos noticiados foram revelados por investigadores, não inventados pelas redações Brasil afora numa conspiração contra os evangélicos. Ao longo do artigo, Crivella diz que a sociedade brasileira assiste, “mais uma vez”, a expressão “de um primitivo sentimento antirreligioso contra evangélicos”.

“Entre as pessoas comprovadamente envolvidas nos crimes, há praticantes das mais diversas religiões, sem que isso – felizmente – tenha sido objeto de interesse. As igrejas que eles frequentam – felizmente – nunca foram objeto de interesse jornalístico”, pontua o senador, antes de fazer referência a Cunha, sugerindo que há perseguição contra o parlamentar, que é membro do Ministério Madureira: “No caso de um personagem evangélico, porém, foram publicados o nome e a fotografia da igreja, assim como a identidade de seus dirigentes. Repórteres fizeram plantão em frente a um local de culto”, critica.

Crivella vai além em seu argumento e destaca que não há provas de que o dinheiro tenha sido repassado a Cunha, e diz que os valores podem ter sido ofertados à igreja pelo lobista Júlio Camargo, operador confesso do petrolão, através de uma de suas empresas. Indiretamente, o senador desacredita a delação premiada de Camargo e seus depoimentos à Justiça.

“A conta dessa igreja recebeu dinheiro de uma empresa investigada no escândalo. Alto lá! A doação é de 2012 e à época ninguém cogitava os escândalos apurados pela Operação Lava Jato. Mas não importa que ninguém soubesse que a oferta poderia ter relação com algum crime. A própria informação, aliás, é inverossímil: por que alguém tentaria ‘lavar’ dinheiro por meio de uma igreja que não contrata consultorias, palestras e serviços afins? Como se daria essa triangulação? As doações foram feitas em 31 de agosto de 2012. Teriam sido usadas para a compra de votos em favor de um deputado. Naquele ano, porém, o deputado não disputou eleição alguma. A igreja não sabia que o doador poderia estar envolvido em negócios escusos nem recebeu recursos em troca de apoio eleitoral”, contextualiza Crivella.

Mais adiante, na conclusão de seu artigo, o senador volta a se queixar da forma como o escândalo vem sendo noticiado pela imprensa em geral: “O último Censo do IBGE, de 2010, mostrou que Assembleia de Deus tinha naquele ano 12 milhões de membros espalhados pelo território brasileiro. São dezenas de milhares de templos e centenas de milhares de pastores, diáconos e obreiros. Não é justo atingi-los, na figura de seus líderes. Nenhum deles sabia nada sobre o preço de navios-sonda coreanos superfaturados encomendados pela Petrobras”, finaliza.

10 COMENTÁRIOS

  1. A velha desculpa dos evangélicos para o resultado de desobediencia a palavra de Deus que diz claramente que pastores não podem ser politicos…

    “é perseguição”…
    “é preconceito”…
    ” o diabo se levantou contra a igreja”…
    ” a culpa é da globo”

    Quando vejo que um pastor diz que “Deus o chamou para a politica” de cara já sei que o mesmo mente… Deus jamais chama alguém para o ministério pastoral e depois pra politica dos homens, Deus não é de confusão.

      • Não tem jeito esses herege querem o podre poder., dinheiro .,grana., conchavos ., coisas de hereges protestantes .. Mercenarios da fé.,lámentavel ,bem faz o papa de proibir padres de se candidatar ., querem ser politiqueiros safados que larguem a batina e ponho final., lugar de pilantras não é na igreja e no covil de ladrões em Brasília .

      • Antonino

        Em primeiro lugar, davi era pastor de ovelhas, não confunda com pastor de Igreja. São coisas diferentes.

        “Davi, porém, ia a Saul e voltava, para apascentar as ovelhas de seu pai, em Belém.” (1samuel 17:15)

        Em segundo lugar, no velho testamento, israel era um estado teocrático (governado por Deus através de representantes terrenos a sua ordem), coisa que no novo testamento não ocorre. Quem governava em israel era o império romano. Governo humano como temos hoje em dia em nosso próprio país por exemplo.

        Em terceiro pastores de igreja são separados para o ministério pastoral, para cuidar das almas, não tem mandamento que se envolvam com a politica dos homens:

        “Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou”. (II Tm. 2: 4)

        • De início estamos falando da IGREJA DE CRISTO que chamamos de cristãs, que são ministérios pq a IGREJA DE CRISTO É UMA SÓ e DEUS usa seus servos em milhares de ministérios (Assembléia ,Batista ,Da graça de Deus,…), OS PRIMEIROS CRISTÃO PERTENCIAM A UM MINISTÉRIO CHAMADO “CAMINHO” (ATOS DOS APÓSTOLOS CAP.24 VERSÍCULOS 14 E 22). OS JUDEUS CHAMAVAM ESTE MINISTÉRIO (CAMINHO) DE SEITA (ATOS 24.14) É O APÓSTOLO PAULO QUE NOS INFORMA ISTO no livro de ATOS.
          A “Igreja católica NÃO É UMA IGREJA CRISTÔ POIS É IDÓLATRA (Milhares de ídolos),MARIÓLATRA E A FIGURA DO PAPA (Há um só intercessor entre Deus e os homem : Cristo, isto esta claro na palavra de Deus ,nunca Maria -que substituiu ishtar,Asterote,Diana-nem os milhares de imagens de santos”.
          Quanto ao fato de haver Pastores envolvidos em corrupção isto já houveram outros ,há e sempre haverá ,é somente estudar o Capítulo 3 do livro das revelações: Apocalipse em que o Senhor Jesus fala aos “anjos”(pastores) das igrejas(SEGUNDO ALGUNS CADA UMA DAS 7 PERTENCE A UMA ÉPOCA DA IGREJA) onde mostra a corrupção das igrejas :Ap. 3:16.17 ” ASSIM ,PQ ÉS MORNO ,E NÃO ÉS FRIO NEM QUENTE,VOMITAR-TE-EI DA MINHA BOCA.
          COMO DIZES:RICO SOU ,E ESTOU ENRIQUECIDO ,E DE NADA TENHO FALTA: E NÃO SABES QUE ÉS UM DESGRAÇADO,CEGO,POBRE E NU;” V.20:EIS QUE ESTOU A PORTA, E BATO:SE ALGÉM OUVIR A MINHA VOZ,E ABRIR A PORTA ,ENTRAREI EM SUA CASA E COM ELE CEAREI, E ELE COMIGO .” E conclui o Senhor: QUEM TEM OUVIDOS OUÇA O QUE O ESPÍRITO DIZ ÀS IGREJAS .”

    • É ARMAÇÃO, É COISA DO PT, ARMAÇÃO DA GLOBO. INVENÇÃO DE CATÓLICOS, INVENÇÃO DE ATEUS E ATIVISTAS GAYS…….. COITADINHOS, ESSES EVANJEGUES SÃO UNS SANTINHOS……

    • star!
      Não duvido que esses caras tenham vocação para a politica, o que eles não possuem é o chamado para o pastorado, seria ótimo que fossem eleitos e abandonassem de vez a fé, assim, não causariam tanto prejuízo ao verdadeiro evangelho.

  2. sou membro da IURD , más infelizmente o nobre marcelo crivela na minha opinião esta visando os futuros votos que poderá colher nas eleições de 2016 a prefeito do RIO .
    porque ele não defende e enaltece o trabalho do promotor DELTAN DALLAGNOL ?
    o promotor é crente da batista e esta numa tarefa contra ” poderosos ” que não exitam em nada para destruir aqueles que estiverem contra eles .

  3. São assunto que não edifica em nada, o verdadeiro Cristão foi é e vai sempre perseguido,não precisamos de defesa desse ou daquele,Cristo vela pelos seus e no final dos tempos vamos ver.

  4. Querem só bater e não apanhar? Esse é o jogo sujo da política, não queriam poder? Mas ele não vem sem as consequências, não se pode ter os “reinos do mundo” sem se curvar diante do (atual e temporário) dono deles, ensinamento do Jesus cristão. Querem julgar os homens? Se preparem para também serem julgados por eles, e digo de antemão, o julgamento dos homens nunca é justo. É o que diz o ditado: “Se não sabe brincar, não desce pro play..”

DEIXE UMA RESPOSTA