Brasil

[Infográficos] Arrecadações de dízimos e ofertas nas igrejas do Brasil alcançam R$ 18,1 bilhões, afirma jornal

Comments (26)
  1. jgmix disse:

    Se a justiça fosse isenta investigaria essas igrejas empresas começando pela iurd, a mãe de todas elas.

    1. Isaías (Pernambuco) disse:

      A cada dia tenho a certeza, quando estamos descapitalizado tornamos mais crente.

  2. Edgar Hermes Teixeira disse:

    Cada um é dono de si, se querem dar o Dinheiro, nas Igrejas ou queimar, é poblemas deles, vão querer mandar, nos bolsos dos outros?e quanto é roubado desse País,ainda não foi feito o levantamento? ou ja.QUEM NÃO DA O QUE É DE DEUS, DEPOIS DA TUDO AO dIABO, INCLUSIVEL A SUA ALMA.QUEM VAI TER DE PRESTAR CONTAS PERANTE A DEUS, É QUEM APLICOU MAL (ROUBOU)O QUE FOI ARRECADADO NA CASA DE DEUS.ESQUESAM AS RELIGIÕES, DEIXEM CADA UM SEGUIR O SEU CAMINHO,QUEM É DE DEUS, SEGUE DEUS, E SUS DOUTRINAS.

    1. Jairo disse:

      queimar dinheiro é crime.

      A meu sentir, a moeda pertence à União e o seu valor intrínseco ao particular, nos exatos termos dos artigos 98 e 99 do Novo Código Civil. Assim, se a própria pessoa rasga, suja, destrói, inutiliza, papel-moeda ou metálica, ainda que seja de sua propriedade estará configurado o crime de dano qualificado, previsto no artigo 163, parágrafo único, inciso III, do Código Penal Brasileiro.

      Assim, quem rasga dinheiro, comete crime contra o patrimônio da União, pois logo estará destruindo coisa alheia móvel, devendo ser o comportamento doloso, dinheiro como sendo o bem material, o patrimônio o objeto jurídico. Trata-se de crime comum, material, de forma livre, comissivo, instantâneo, de dano, unissubjetivo, plurissubsistente.

      Jéferson Botelho é delegado de Polícia em Minas Gerais, doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade de Buenos Aires e professor universitário
      Assim pode. Assista – http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=U-20oVRq5tg

  3. clamando disse:

    rapaz falou de roubo do governo este site engole o post, ta louco

    1. Apenas Servo disse:

      Ha ha ha, será que tão de marcação contigo clamando? rsrss…

      Paz seja na tua vida!

  4. Jorge Vinicius disse:

    $$$$$$$$$ TEMPLO É DINHEIRO ! $$$$$$$$$

  5. igor disse:

    O que seriam dos espertos, se não fossem os Trouxas?

  6. Mary disse:

    Eu penso assim, quem quiser dar, que dê!
    O dinheiro é algo tão sensível para o povo em geral que o governo aplica multas para que obedeçam a legislação. e, mesmo assim o povo faz de tudo para não ter que pagar. Nem todos, é claro.
    Eu entendo que a doação feita as igrejas é pelo entendimento de que isso é certo e justo e gera bênçãos para quem o faz. Isso fica a critério de cada um.
    Eu acho que se vc está numa igreja e não concorda com a forma como ela lida com o dinheiro que recebe dos fiéis, vc deve fazer o que sua consciência manda.
    Mas, muitos estão fazendo trocas com Deus, para estes tanto faz, como tanto fez…é dando que se recebe!

    1. È isso ai Mary! Eu gosto da sua visão e do Jgmix. A barganha com Deus é que eu não aceito!
      Se querem pedir o dízimo do povo que falem á verdade! Não anule a graça de Deus,se a justiça é mediante a lei, segue-se que Cristo morreu em vão. E isto não vale só para a salvação da alma, é para tudo! Em lTM 6:3-10 diz que a sã doutrina do senhor jesus cristo é segundo a piedade( e não sobre pena de maldição) e quem não se conforma com isto quer ficar rico e cai em desgraça e é transpaçado com muitas dores.Não é isso que nós temos visto na tv? Esses homens apelando:” pelo amor de Deus,me ajude! Eu não estou aguentando mais! Contribuam com cinco mil, com até duzentos! “

  7. O povo evangélico não sabe a onde termina a velha aliança e começa a nova;por isso, sempre repete o que os pastores, mestres dizem sem questionar,”O dízimo é bìblico, o dízimo é de Deus”!Tem muita coisa que é bìblico mas ninguém pratica hoje. Por exemplo: sacrificar animais para expiar seus pecados; guardar o Sábado,alguns ainda guardam. Ter quantas mulheres que quiser,isso tudo fazia parte da velha aliança assim como o dízimo.Porque só pegam a parte de dinheiro se toda escritura é inspirada por Deus? Quanta incoerência e falta de discernimento! Não sabem essas pessoas,que quem não guarda toda a lei é culpado de todos os mandamentos,é maldito e transgressor! A onde nas páginas do nôvo Testamento,Jesus é seus apóstulos escreveram algum mandamento para o povo dar dízimo? E que o povo ´só é abençoado se for dízimista e ofertante? Isto é um escárnio contra a graça de Deus! È pisar o sangue da aliança! O senhor Jesus disse que quem recebe o justo na qualidade de justo recebe o galardão de justo.Quem se alimenta de mim viverá por mim.Jesus não é só o nosso salvador,ele também é o nosso provedor! Veja llPed 1:3; e ll Co 8:9.

    1. Caro Sérgio, é preciso conhecer melhor a Palavra de Deus, veja por que:
      Você fala em :
      1. Sacrificar animais…Até a dispensação da Lei, ou Mosaica, isto era válido,. A Bíblia é clara tanto no VT como no NT que os sacrificios cessariam um dia quando viesse o “cordeiro imaculado”, isto é sem mancha que tira o pecado do Povo. Leia Hebreus que vai lhe ajudar a entender bem isto.
      2. Guarda do Sábado…Instituido por Deus, porém, no NT vemos Jesus falando a respeito do assunto e mostrando que todos os mandamentos foram resumidos em apenas dois: Amar ao próximo como a si mesmo e a Deus sobre todas as coisas.
      3. Onde você encontrou Deus aprovando qualquer homem ter mais que uma mulher? Se ele fez apenas Eva para Adão? Foi o homem que se distanciou de Deus e começou a praticar o que “é mau perante os olhos do Senhor”.
      4. Quanto ao dízimo, Jesus fez uma referencia clara sobre ele, documentado por Mateus: “Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade. Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas.
      Mateus 23:23. Porém se leres a Segunda epístola de Paulo aos Corintios e outros textos vais encontrar toda a orientação de que devemos contribuir financeiramente e com bens para que os líderes eclesiásticos tenham como ajudar os menos desprovidos. Fiz isto nas quatro igrejas que fundamos. Quase todas as semanas havia distribuição de cestas básicas, ajuda a familias que estavam necessitadas e aos favelados tambem. Quem mais faz ASSISTENCIA SOCIAL no Brasil são as igrejas evangelicas e catolicas. E com muita sabedoria, pois ajudam os que recebem a aprenderem a “pescar” isto é, a trabalharem com suas mãos para poder ajudar outros.
      5.Você perguntou: E que o povo ´só é abençoado se for dízimista e ofertante? A Bíblia responde que sim para os que podem. E para os que dão uma oferta de sacrificio, como fez a viuva pobre, Deus recompensará fartamente. Veja novamente II Corintios 8 e 9, e outros variados textos. Porém, quem tem a responsabilidade de aplicar bem os donativos e não o faz, cai em desgraça.
      Por fim: Jesus continua fazendo muitos milagres nos dias presentes. Isto não ficou apenas quando ele esteve entre nós. Porém, jamais devemos dar, com a intenção de receber, mas damos sabendo que Deus é fiel e que abençoará a todos que “derem com alegria, segundo as suas posses”.

      1. Acho que vc entendeu errado o meu comentário;em nenhum momento,eu disse que o homem tem que tre mais de uma mulher,apenas dei um exemplo para aqueles que só pegam aquilo que interessa na lei a saber o ´dizimo. Mt 23:23,Jesu está censurando o s hipócritas e não abonando a cobrança de dízimo; e se o tivesse,é porque ainda estava cumprindo a lei.Nem um versículo nas cartas dos apóstulo exprime esse conceito. A oferta é recomendada em iicoríntios,mas de maneira voluntária.Mostre-me um versículo que no contexto da graça que abone a cobrança do dizimo e eu aceito e peço perdão.

        1. jgmix disse:

          sergio seu primeiro comentario foi correto. Por certo o rev. Não entendeu ou então é de uma dessas igrejas que ensinam que o dizimo é obrigatorio e e claro não querem ver a vdd pois se deixarem decobrar dizimos perdem a mamata. Sergio vc foi biblicamente coerente.

  8. Luiz Alberto Araujo Bezerra disse:

    É por causa do dízimo que a igreja se transformou numa grande babilônia. A grande maioria das denominações de hoje é tudo, menos Bíblica e Evangélica. Quem conhece a mudança do Velho para o Novo Pacto sabe muito bem que o dízimo não faz parte do Novo Pacto. Quem recebia o dízimo do Velho Pacto era somente os Levitas, ninguém mais tem a procuração de Deus para receber dízimo do povo de Israel e nem dos gentios. Quem recebe o que não lhe pertence é o que??? Esses pastores devem se converter de verdade, procurar um emprego e seguir o exemplo do apóstolo Paulo e dos outros apóstolos. Todos trabalhavam para terem o seu próprio sustento, e quando recebiam doação dos irmãos era para ajudas os pobres em necessidade…

    1. Luiz,se formos falar isso na igreja seremos expulso pelo pastor e até fieis analfabetos funcionais.Uma vez um abençoado e frequentador da igreja internacional da graça em Niteroi a onde eu moro,foi pedi uma quentinha para para o pastor,pois ele tinha dado todo o dinheiro para a igreja dele,e sabe o que ele(o Pastor) disse? Aqui só entra;aqui não sai nada!
      Quando agente questiona essa teologia do dízimo,muitos, sem conhecimento saem citando versículos fora de contexto para justificar seus mestres.Pensam eles que estão insento da condenação.

  9. anonimo disse:

    quem quer ajudar mesmo,vai pessoalmente em hospitais ,favelas,orfanatos e não ficam enchendo o rabo de pa$$tor de dinheirio. quem faz isso e diz que esta ajudando é um salafrario mil vz pior do que o pa$$tor! esses são o cancer da humanidade!

  10. Atualmente existem 34 mil instiuições evangélicas catalogadas.Como descobrir a verdade no meio de tantas vozes,cada um sustentando a sua visão e arvorando-se ministro de Deus?O único meio de aferir a verdade é com a verdade. Comparando coisas espirituais com coisas espirituais.
    lTM 4:1-3 diz assim:”Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé,dando ouvidos a espíritos enganadores,e a doutrinas de demônios;pela hipocrisia de homens que falam mentiras e tem a sua própria consciência cauterizada. Apoc.22:15; Ficarão de fora os cães,os feiticeiros,os adúteros,os homicidas,os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.Filipense 3:2;Acautelai-vos dos cães;acautelai-vos dos falsos obreiros…Isaias 56:10,11-Todos os seus atalaias são cegos,nada sabem;todos são cães mudos, não podem ladrar;deitados,sonham e gostam de dormir. E estes cães são gulosos,nunca se podem fartar;eles são pastores que nada compreendem;todos eles se tornam para o seu caminho,cada um para a sua ganância,todos sem exceção.Ez 34:1-4;Veio amim a palavra do Senhor, dizendo:Filho do homem,profetiza contra os pastores de Israel,profetiza e dize aos pastores: Assim diz o Senhor Deus:Ai dos pastores de Israel que se apacentam a si mesmos!Não devem os pastores apacentar as ovelhas? Comeis a gordura,vos vestis de lã e matais o cevado,mas não apacentais as ovelhas. A fraca não fortalecestes,a doente não curastes, a quebrada não ligastes,a desgarrada não tornastes a trazer e a perdida não buscastes;mas dominais sobre elas com rigor e dureza.Portanto,ó pastores,ouvi apalavra do senhor: Vivo eu, diz o senhor Deus,que porquanto as minhas ovelhas foram entregues á rapina e as minhas ovellhas vieramá servir de pasto a todas as feras do campo,por falta de pastor. Assim diz o Senhor Deus,eis que eu estou contra os pastores;das suas mãos requererei as minhas ovelhas. Pense! Use a massa cinzenta meu amigo,antes que seja tarde demais.

  11. Neli disse:

    O meu povo sofre por falta de conhecimento!!

  12. J.Neto disse:

    Já pensaram se esse dinheiro todo fosse usado, conforme está escrito em Malaquias 3 – 10, ?
    não existiria fome no Brasil.

  13. Marcelo1***** disse:

    Tudo se resume em 2 corint. 9. 6,7, nisto não estipula %, , que pode ser 1%, 10% 50%, é de acordo com o vers. citado, um ato de fé e de coração e alegria.

    O ítem 4, mencionado acima, mencionado pelo rever. Alberto Thiema, é só entender que CRISTO , refere-se a colheitas, e não em $$$$$$$$$$.

  14. DEUS disse:

    Eu exijo, pelo menos, que os templos tenham total transparência e mostrem a todos para onde o dinheiro foi aplicado arrecadado! “Alea iacta est”.

  15. luiz sinval disse:

    Que notícia maravilhosa isso que é DEUS!!!!!!!!!!!!!!!! E tudo mostra que em 2014 a arrecardação vai dobrar, rsrsrsrsrsrsr; A Bíblia prova mais uma vez que a palavra de DEUS é verdadeira onde diz no livro de Ageu 2:8 Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o Senhor dos Exércitos.

  16. Natan disse:

    Em nossa denominação não ensinamos que os dízimos são obrigatórios, mas, que são necessários a manutenção da igreja. Nenhum de nossos pastores são remunerados, TODOS, são voluntários (e normalmente os maiores dízimos são justamente destes). Agora, quero fazer uma ressalva que julgo relevante: – Irmãos, administro igrejas já há 19 anos. NUNCA… a arrecadação da igreja (salvos raros meses do ano) foi suficiente para pagamentos das despesas BÁSICAS. Normalmente, são alguns líderes abnegados (diáconos, obreiros, pastores, líderes de células e outros), os quais, por amor a OBRA… se dispõe a… de seu próprio bolso, contribuir com o algo a mais para quitar as obrigações das igrejas.

    Eu lamento muitíssimo ter dedicado 19 anos da minha vida e só visto pastores e líderes sofredores e abnegados, pagando o preço de críticas que devem ser dirigidas a uma MUITO, MAS, MUITO PEQUENA MINORIA (IURD, Mundial e outros poucos). A ampla maioria dos pastores que conheço, são servos de Deus abnegados, que trabalham (como eu) de sol a sol, para o seu sustento e de suas famílias e, ao final do dia (ou fins de semana), ainda cumprem jornadas duplas ou triplas, para fazer a obra.

    Por outro lado, quero agradecer a Deus, por poder ser contado entre estes… e não dentre aqueles, que sujam a Obra redentora da Cruz, com suas ganancias e porfias. Pedro já nos advertia sobre estes.

  17. raquel disse:

    acho que falta transparencia .deveria ter um portal na internete mostrando para os fieis aonde esta sendo aplicado o dinheiro que se arrecada atraves da fe.porque na biblia diz que e para trazer os dizimos a casa do senhor para que haja mantimento .essa palavra diz para manter a casa do senhor e ajudar as pessoas que precisam.criticamos tanto os politicos .mas na religiao nao e diferente .o politico enriquece com o dinheiro que pagamos de impostos e os pastores com o dizimos dos fieis.a diferença e que o governo ainda favoreçe o povo com bolsa familia bolsa escola.e outros beneficios ,e as igrejas nao favoreçe ninguem ao contrario pastores ganham de 5mil ate 15 mil que sao pagos por fieis que ganha 678 salario minimo vc acha que Deus sendo justo concorda com isso.devemos cobrar das igrejas transparencia com o dinheiro do povo que paga o dizimo de coraçao e esta sendo explorado.sou crista desde que nasci e acho uma vergonha oque acontece dentro das nossas igrejas.

  18. Hubner disse:

    O dízimo, segundo a Bíblia Sagrada.

    “O coração do entendido adquire o conhecimento, e o ouvido dos sábios busca a sabedoria.” (Provérbios 18:15)

    O objetivo desse estudo é mostrar que o dízimo, de acordo com a Palavra de Deus, nunca esteve associado a dinheiro, e que não é ordenança para a igreja, ou seja, as pessoas que fazem parte do corpo de Cristo, as quais podem colaborar com a obra de Deus seguindo critérios bem definidos, que serão abordados no decorrer do texto.

    Antes de efetuar algum juízo antecipado, recomendo que faça a leitura completa desse texto, acompanhando em sua própria Bíblia todas as referências indicadas, para que o seu entendimento possa ser completo.

    Esse assunto costuma ser polêmico para alguns, mas é necessário que busquemos conhecimento acerca da Palavra de Deus, fazendo como os bereanos (Atos 17:10-11), que tinham por costume examinar as Escrituras Sagradas, a fim de obterem a certeza das coisas.

    A fim de facilitar o entendimento, o artigo acerca dos dízimos foi dividido em três momentos distintos: Dízimo antes da lei, Dízimo durante a lei e Dízimo no período da graça.

    Bom estudo e que o Espírito Santo tenha liberdade para abrir o seu entendimento, a fim de que compreenda as Escrituras da forma correta.

    :::: Dízimo antes da lei ::::

    Antes do período da lei, Abrão (mais tarde chamado Abraão) deu os dízimos dos bens que havia conquistado dos inimigos durante uma batalha (Gênesis 14:16-20). Melquisedeque saiu ao encontro de Abraão porque era rei de Salém, e recebeu o tributo, que lhe cabia. Isso aconteceu uma única vez.

    Além de Abraão, sabemos que Jacó prometeu dar a Deus dízimos de tudo que recebesse (Gênesis 28:22), mas a Bíblia não relata se essa promessa foi cumprida e com qual frequência foi satisfeita.

    :::: Dízimo durante o período da lei ::::

    Quando as Escrituras Sagradas começaram a ser redigidas (por volta do ano 1500 antes de Cristo), o dinheiro (em hebraico כסף) já era uma realidade, como vemos em Gênesis 17:12, Deuteronômio 14:25, Êxodo 12-44, Números 3:49, 1 Reis 21:2, etc. Apesar disso, o povo deveria seguir as determinações de Deus e dizimar apenas dos rebanhos e cereais, conforme escrito em Deuteronômio 14:22, Levítico 27:30, Êxodo 34:2; 26, 1 Samuel 8:17, etc.

    “Também todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores, são do SENHOR; santas são ao SENHOR.” (Levítico 27:30)

    Em razão disso, as pessoas que exerciam outras profissões, tais como artesãos (Êxodo 31:3-5), copeiros e padeiros (Gênesis 40:1-2), carpinteiros e pedreiros (II Samuel 5:11), músicos (I Reis 10:12), alfaiates (Êxodo 28:3), mestres-de-obras (I Reis 5:16), ourives, pescadores, mercadores, coletores de impostos, guardas, cozinheiros, não poderiam ser dizimistas, pois não eram pessoas do campo.

    Apesar de não serem dizimistas, essas pessoas poderiam ofertar voluntariamente ao Senhor (Esdras 3:5;7, Deuteronômio 16:10, Êxodo 35:29, 1 Crônicas 29:5-9). O dízimo era obrigatório; as ofertas, porém, voluntárias, pelo menos a maioria delas.

    “E o povo se alegrou porque contribuíram voluntariamente; porque, com coração perfeito, voluntariamente deram ao Senhor; e também o rei Davi se alegrou com grande alegria.” (1 Crônicas 29:9)

    “E disse Joás aos sacerdotes: Todo o dinheiro das coisas santas que se trouxer à casa do Senhor, a saber, o dinheiro daquele que passa o arrolamento, o dinheiro de cada uma das pessoas, segundo a sua avaliação, e todo o dinheiro que trouxer cada um voluntariamente para a casa do Senhor” (2 Reis 12:4)

    Além do dinheiro, as pessoas poderiam ofertar alimentos, incenso, utensílios (Neemias 13:5). Algumas ofertas, no entanto, deveriam ser feitas obrigatoriamente em dinheiro, como a do arrolamento citado na referência acima, 2 Reis 12:4, em obediência ao escrito em Êxodo 30:13-16.

    Depois de ler a Bíblia de Gênesis a Apocalipse, perceberá que não há registros de que alguém tenha dado dízimo em dinheiro. Eles poderiam ofertar voluntariamente, ou entregar os dízimos dos grãos e animais. Nem todos os dízimos eram entregues, mas alguns eram comidos pelos próprios dizimistas. Observe:

    “Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente. Comam o dízimo do cereal, do vinho novo e do azeite, e a primeira cria de todos os seus rebanhos na presença do Senhor, o seu Deus, no local que ele escolher como habitação do seu Nome, para que aprendam a temer sempre o Senhor, o seu Deus. Mas, se o local for longe demais e vocês tiverem sido abençoados pelo Senhor, pelo seu Deus, e não puderem carregar o dízimo, pois o local escolhido pelo Senhor para ali pôr o seu Nome é longe demais, troquem o dízimo por prata, e levem a prata ao local que o Senhor, o seu Deus, tiver escolhido. Com prata comprem o que quiserem: bois, ovelhas, vinho ou outra bebida fermentada, ou qualquer outra coisa que desejarem. Então juntamente com suas famílias comam e alegrem-se ali, na presença do Senhor, do seu Deus.” (Deuteronômio 14:22-26)

    A orientação é muito simples. Deus não aceitaria a prata no lugar do dízimo, ou seja, o dinheiro no lugar dos frutos da terra, mas permitiria, por causa de uma longa distância, a troca do dízimo por prata, por ser fácil de transportar, mas com a condição de o dizimista (homem do campo), já no local indicado por Deus, comprar o que quiser para ali “comer do seu dízimo” e se alegrar na presença do Senhor Deus, o nosso mantenedor.

    No Novo Testamento, mas ainda durante o período da lei, a palavra dízimo aparece no evangelho. Observe

    “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas.” (Mateus 23:23)

    Porém isso não quer dizer que o Senhor Jesus Cristo tenha ordenado à igreja a observância desta prática.

    Em primeiro lugar, Jesus está se dirigindo aos escribas e fariseus, e não à igreja. Nessa passagem, o Senhor repreendeu duramente os escribas e os fariseus por se preocuparem com as coisas mínimas da lei, mas desprezarem as que importavam mais: o juízo, a misericórdia e a fé.

    Observe que o dízimo era constituído apenas de produtos do campo. Os fariseus e escribas eram tão meticulosos que se preocupavam com coisas mínimas, mas se esqueciam das mais importantes da lei. Perceba que o Senhor Jesus não incluiu o dinheiro na relação, apesar de haver grande circulação de moedas romanas naquele tempo (Mateus 22:19-21).

    O fato de Jesus Cristo ter ordenado aos fariseus a não omitirem o pagamento de dízimos não transfere para a igreja a mesma obrigação. Digo obrigação porque Jesus Cristo falou “deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”. O dízimo realmente era uma obrigação, no período da lei, mas o dízimo dos frutos da terra, e não do dinheiro.

    Lembre-se de que o período da graça, no qual estamos agora (Efésios 2:8, Atos 15:11), iniciou apenas após a morte e ressurreição corpórea de Jesus Cristo, quando os apóstolos foram cheios do Espírito Santo (Atos 2:4) e foram testemunhas de Cristo, por onde passaram (Atos 1:8).

    Dizer que a igreja deve devolver dízimos em dinheiro só porque a palavra dízimos apareceu no evangelho é uma atitude desesperada para defender uma tese impossível.

    Nem tudo que está nos evangelhos se aplica à igreja ou a sua vida. Por exemplo, o evangelho informa que o Senhor Jesus foi circuncidado ao oitavo dia (Lucas 2:21), mas isso não significa que você tenha que fazer o mesmo só porque essa informação está no Novo Testamento. Considere o contexto.

    Observe mais esse exemplo:

    “E, eis que veio um leproso, e o adorou, dizendo: Senhor, se quiseres, podes tornar-me limpo. E Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; sê limpo. E logo ficou purificado da lepra. Disse-lhe então Jesus: Olha, não o digas a alguém, mas vai, mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho.” (Mateus 8:2-4)

    Hoje, se alguém é curado milagrosamente por Deus, o tal que recebeu a cura não precisa guardar segredo e nem muito menos pagar a oferta determinada por Moisés. A pessoa abençoada pode e deve contar isso para o maior número de pessoas, a fim de que o nome do SENHOR seja glorificado.

    Considerando que o dízimo só poderia ser dado por agricultores e criadores de rebanhos, e que o Senhor Jesus Cristo cumpriu toda a lei com perfeição, e sem cometer qualquer tipo de pecado, podemos concluir que Jesus não dizimou no templo e nem cobrou dízimos de qualquer pessoa por dois motivos muito simples: o primeiro é porque Ele exerceu o ofício de carpinteiro (Marcos 6:3), e não de produtor rural; o segundo é porque não pertenceu à tribo de Levi, mas a de Judá.

    “Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.” (Hebreus 7:14)

    :::: Dízimo no período da graça ::::

    Não existe qualquer mandamento para a igreja no sentido de arrecadar dízimos e muito menos que esses dízimos sejam dados ou devolvidos em dinheiro.

    Ao observarmos o livro de Atos, que registra, entre outros assuntos, as ações dos apóstolos durante o período da igreja primitiva, não encontraremos qualquer indício de que os membros devolvessem dízimos, nem em frutos do campo e muito menos em dinheiro.

    Observe como funcionava a primeira igreja:

    “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.” (Atos 2:42-45)

    Quando chegava um novo convertido, este vendia suas herdades, apresentava o valor diante dos apóstolos e dos demais e imediatamente o valor era dividido entre todos, inclusive entre os membros, de acordo com a necessidade de cada um, o que justifica o fato de não haver necessitado na igreja, naquele período.

    As pessoas podem sim colaborar e isso agrada a Deus, pois muito pode ser feito com os recursos destinados à obra de Deus: alimentar e vestir os mais necessitados, primeiramente dentro da congregação (Gálatas 6:10), adquirir e distribuir exemplares da Bíblia e mensagens de evangelismo, possibilitar a pregação da Palavra de Deus nos locais mais distantes, permitir o funcionamento dos locais de reunião (limpeza, água, luz, aluguel), custear a vida sem extravagâncias de obreiros (Mateus 10:10; 1 Timóteo 5:18) que vivam exclusivamente em prol da obra de Deus.

    Se o obreiro de Deus já possuir emprego, há recomendação bíblica para que ele não sobrecarregue a igreja, mas a abençoe (2 Coríntios 12:14). Tudo deve ser feito com muita transparência e temor a Deus.

    A escolha da contribuição para a obra é de foro íntimo, ou seja, decisão pessoal (2 Coríntios 9:7), conforme a renda (1 Coríntios 16:2), liberal (2 Coríntios 9:5) e, por mais incrível que pareça, dentro das possibilidades financeiras (2 Coríntios 8:12), a fim de que não se sobrecarregue financeiramente (2 Coríntios 8:13). Leia as referências bíblicas indicadas e constate por si mesmo.

    Colabore espontaneamente na sua congregação, ajude sua família, socorra os mais necessitados, conforme a sua capacidade.

    O dízimo no período da graça foi instituído pela Igreja Católica em 567 d.C. Em 585 d.C., no Concílio de Mâcon, a IC resolveu ameaçar com excomunhão as pessoas que não dessem dízimos. É importante lembrar que a igreja evangélica surgiu da católica, o que justifica o fato de esse procedimento ter sido preservado em muitas denominações evangélicas.

    No Brasil, é difícil encontrar uma congregação que não arrecade dízimos, MAS ISSO NÃO É MOTIVO PARA NÃO CONGREGAR. Não existe igreja perfeita, porém devemos evitar as congregações que praticam e ensinam heresias de perdição, por negar a Cristo, o Salvador.

    No entanto, se você congrega em um lugar onde o dinheiro é o tema principal da pregação, onde os “maiores dizimistas” recebem tratamento diferenciado, onde ocorre venda de oração, de bênçãos, de produtos ungidos, onde os valores das ofertas são predeterminados, onde a Palavra de Deus é usada para arrancar mais dinheiro dos fiéis, onde há brigas por cargos, por causa de dinheiro, onde se encontra de tudo (estacionamento amplo, seguranças, elevador, telão, ar-condicionado, poltronas acolchoadas), menos a real presença de DEUS, muito cuidado.

    Talvez você esteja congregando em uma Laodicéia:

    “Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus: Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca. Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te.” (Apocalipse 3:14-19)

    Antes de encerrar esse estudo, é importante apontar alguns erros comuns, acerca do ensino sobre os dízimos.

    ::: Erros sobre o dízimo :::

    1 – NÃO SE DAVAM DÍZIMOS EM DINHEIRO PORQUE O DINHEIRO NÃO EXISTIA:

    O dinheiro existia bem antes do período da lei iniciar e não era só o dinheiro, mas já havia também comerciantes.

    “Passando, pois, os mercadores midianitas, tiraram e alçaram a José da cova, e venderam José por vinte moedas de prata, aos ismaelitas, os quais levaram José ao Egito.” (Gênesis 37:28)

    Volto a repetir: Dízimo, de acordo com a Bíblia, nunca esteve associado a dinheiro, mas com a parte que cabia a Deus, das novidades do campo. Em Cristo, nós temos liberdade para dar mais ou menos que 10% de nossa renda, conforme a nossa capacidade e segundo aquilo que estiver proposto no coração, lembrando sempre que a nossa confiança não pode estar no dinheiro, mas em Deus.

    2–O DEVORADOR É UM DEMÔNIO:

    O devorador não é um demônio, como pensam alguns, mas sim uma espécie de gafanhoto. Por isso, o profeta Malaquias afirmou que o devorador não destruiria os frutos da terra. Como sabemos, dependendo da quantidade, o gafanhoto pode ser uma praga terrível até mesmo para uma enorme plantação.

    “E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos.” (Malaquias 3:11)

    “O que o gafanhoto cortador deixou o gafanhoto peregrino comeu; o que o gafanhoto peregrino deixou o gafanhoto devastador comeu; o que o gafanhoto devastador deixou o gafanhoto devorador comeu.” (Joel 1:4) Nova Versão Internacional.

    3 – QUEM NÃO DÁ DÍZIMOS ESTÁ DEBAIXO DE MALDIÇÃO:

    Algumas pessoas acreditam que se não destinarem 10% da renda a uma denominação, estarão debaixo de uma maldição. Isso, além de ser um engano, é uma grande demonstração de ingratidão para com o Senhor, que morreu justamente para nos salvar, e nos livrar da maldição da lei:

    “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;” (Gálatas 3:13)

    De fato o devorador (gafanhoto) era uma maldição terrível que acometia a nação de Israel por causa da desobediência. Porém, com a morte de Cristo, segundo a Palavra de Deus, todas as maldições já foram desfeitas.

    Porém quando o crente ainda deseja se justificar pelo cumprimento das obras da lei, o tal permanece ao alcance da maldição:

    “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las.” (Gálatas 3:10)

    Isso explica o fato de o dizimista sofrer uma série de tribulações na área financeira, quando falha na entrega do dízimo. Isso é uma evidência de que essa pessoa não desfruta da graça de Cristo, mas está presa ao rigor da lei, ficando assim debaixo da maldição. Se a pessoa está presa a uma maldição, é porque aniquilou a graça de Deus, e isso significa que a morte de Cristo foi em vão para essa pessoa:

    “Não aniquilo a graça de Deus; porque se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde.” (Gálatas 2:21)

    4– PASTOR PODE COBRAR DÍZIMOS:

    De acordo com Escrituras Sagradas, somente quem tem legitimidade para tomar dízimos são alguns integrantes da tribo de Levi.

    “E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão.” (Hebreus 7:5)

    Atualmente nenhum ser humano em todo o mundo tem autorização de Deus, segundo a lei, para tomar dízimos do povo. Nem mesmo entre os judeus legalistas em Israel, pois não há mais templo e consequentemente levitas servindo como sacerdotes.

    Os sacerdotes são as pessoas responsáveis por, dentre outras coisas, fazer interação entre o povo e Deus e Deus e o povo. O sacerdote é escolhido por Deus para esse ofício.

    O capítulo 7 de Hebreus discorre sobre Melquisedeque e sobre a semelhança do sacerdócio de Jesus Cristo com o dele. Nesse capítulo, há informação de que Abraão foi ao encontro de Melquisedeque e deu os dízimos de tudo (despojos de guerra), porque Melquisedeque era rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo.

    De acordo com Hebreus 7:17, Jesus Cristo é sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque. Então por uma questão lógica, Jesus Cristo também pode receber o dízimo de tudo. Mas a Palavra não fala sobre homens recebendo o dízimo de tudo no lugar do Senhor Jesus Cristo.

    Mas como dar verdadeiramente os dízimos ao Senhor Jesus Cristo?

    “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
    Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.” (Mateus 25:34-40)

    Sempre que você ajuda as pessoas, doando alimentos, roupas, atenção para os doentes, visitando os presos, na verdade você está dizimando para o Senhor Jesus Cristo, não apenas do dinheiro, mas de tudo.

    Se alguém pedir, cobrar ou exigir dízimos, inclusive fazendo ameaças antibíblicas, esse tal estará usurpando o lugar do próprio Cristo, o único que tem legitimidade para receber os dízimos de tudo. Por isso você jamais encontrará na Bíblia qualquer registro de que os apóstolos escolhidos pelo Senhor Jesus tenham arrecadado dízimos da igreja primitiva. ISSO JAMAIS ACONTECEU E NINGUÉM CONSEGUE PROVAR O CONTRÁRIO.

    É claro que os obreiros de Deus, desde que escolhidos verdadeiramente pelo Senhor para essa responsabilidade, são dignos de serem auxiliados pelas igrejas.

    “porque digno é o operário do seu alimento.” (Mateus 10:10)

    Alguém precisa se responsabilizar civilmente pelos locais de reunião (aluguel, contas) e, por isso, é necessário que obtenha recursos para arcar com as despesas, mas isso não lhe dá o direito de receber dízimos dos crentes. Porém, isso não o impede de receber as contribuições voluntárias, de acordo com os critérios definidos para a igreja, já no período da graça.

    5–O DIZIMISTA ENRIQUECE

    As Escrituras Sagradas nos alertam para a possibilidade de passarmos até por alguns apertos. O próprio apóstolo Paulo padeceu necessidades, enfrentando até mesmo a fome, porque não tinha dinheiro:

    “porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” (Filipenses 4:11-12)

    O profeta Malaquias não se dirigiu à igreja quando disse que Deus abriria as janelas do céu para derramar as muitas bênçãos materiais, do contrário Deus estaria entrando em uma irreparável contradição ao prometer bênçãos e prosperidade, mas ao mesmo tempo permitindo que os crentes, inclusive dizimistas, enfrentassem necessidades tão grandes, como as que Paulo enfrentou.

    Pedro não era um homem rico, apesar de ser uma das colunas da igreja (Gálatas 2:9). Veja o que Pedro disse ao homem que queria receber esmola:

    “E disse Pedro: Não tenho prata nem ouro; mas o que tenho isso te dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, levanta-te e anda.” (Atos 3:6)

    “Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós vis. Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, e nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória de todos.” (1 Coríntios 4:10-13)

    Quem vai a Cristo esperando receber DELE apenas prosperidade nesse mundo vil está perdendo tempo. A maior riqueza que Jesus tem para dar é o perdão dos pecados e a vida eterna no reino dos céus. Ele pode enriquecer ou empobrecer aqueles que se aproximam DELE, mas isso depende de sua perfeita e, algumas vezes, incompreensível vontade (1 Sm 2:7, Rm 11:34).

    ::: Considerações finais :::

    Se você é verdadeiramente servo de Deus, então honre ao Senhor com o que você puder. Ele não quer sacrifício, mas misericórdia (Oséias 6:6, Mt 12:7).

    Embora não seja uma ordenança para a igreja, entregar o dízimo em dinheiro em uma congregação pode ser até uma questão de escolha, de propósito com Deus. Errado é o dar pensando em ficar rico ou em escapar da “maldição do devorador”.

    O objetivo desse estudo é orientá-lo a não aceitar o falso ensino de que os crentes estão obrigados a entregarem dízimos em uma denominação e de que, se não o fizerem, estarão sujeitos a maldições. A verdade é que Cristo nos libertou da maldição da lei há quase 2000 anos.

    Devemos agradecer a Deus por poder investir em sua obra aqui no mundo, pois há prazer nisso, não apenas colaborando com dinheiro, mas também com a própria vida.

    “Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra.” (Eclesiastes 11:2)

    “manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a sua esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que nos concede abundantemente todas as coisas para delas gozarmos;” (1 Timóteo 6:17)

    “Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” (1 Timóteo 6:10)

    Deus seja louvado e glorificado eternamente!

    Atenciosamente,

    Hubner Alessandro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *